WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


outubro 2018
D S T Q Q S S
« set    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  


:: ‘geddel’

Eleições 2012: Unida, oposição teria aceitado Herzem Gusmão como candidato único em Conquista

TOSABENDO | TRIBUNA DA BAHIA
Geddel articula com partidos oposição a chapa única de Herzem em Vitória da Conquista

Líderes democratas e tucanos abriram mão da disputa pela prefeitura de Vitória da Conquista, principal município do sudoeste baiano, na tentativa de consolidar a aliança da oposição nas dez maiores cidades da Bahia, tendo em vista o pleito de 2012.

Como parte das articulações, segundo a coluna Satélite, do jornal Correio desta segunda-feira (29), as legendas teriam aceitado apoiar a candidatura do radialista Herzem Gusmão (PMDB). O nome, uma das principais apostas peemedebistas para as eleições do próximo ano, foi escolhido entre outros políticos, também cotados para a disputa, como aquele que teria maior possibilidade de enfrentar o PT local.

Salvador

Os líderes de oposição na Bahia, que até então pregavam que cada partido teria seu próprio candidato, voltaram atrás e já admitem uma única candidatura na capital baiana e nas principais cidades do interior. Representantes do PMDB, DEM e PSDB estão no centro dessa decisão e demonstram que já afunilaram a tendência de oferecer um programa que singularize a força do grupo na disputa do ano que vem.

Articuladores de seus partidos, o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), o presidente do DEM, José Carlos Aleluia, e o deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB) falam com naturalidade na possibilidade de marcharem unidos desde o primeiro turno do pleito que decidirá o próximo prefeito de Salvador. Além dos tucanos, democratas e peemedebistas, entram na discussão o PR e o PPS. Na conjuntura dos nomes, o martelo deve ser batido apenas no início do ano eleitoral. Entre os mais citados estão o próprio Imbassahy, ex-prefeito de Salvador por duas gestões, o deputado federal ACM Neto (DEM) e o também ex-prefeito e radialista Mário Kertész. :: LEIA MAIS »

Geddel prioriza contato direto com o eleitor

PMDB-Bahia

O candidato do PMDB ao Governo da Bahia, Geddel Vieira Lima, vai priorizar o contato direto com o eleitor, na disputa pela sucessão estadual. Uma mostra dessa estratégia aconteceu neste sábado (10), quando visitou feiras livres na Chapada Diamantina, além de participar de uma caminhada evangélica pela Orla da capital. Ele se definiu como “político que sempre gastou sola de sapato” e garantiu que vai estabelecer na campanha um diálogo aberto com os eleitores.

“Para mim isso não é novidade. Mesmo quando não estava em campanha, como ministro do Governo Lula, ao visitar uma obra, aproveitava para percorrer o bairro, ouvindo a população, conhecendo os seus problemas e discutindo as soluções possíveis. Agora, como candidato, quero dizer os baianos, olho no olho, que estamos preparados para fazer a Bahia caminhar para frente”.

Em Baixa Grande e Macajuba, cidades que visitou no sábado (10), Geddel, acompanhado do candidato à vice, Edmundo Pereira (PMDB) e do candidato ao Senado, César Borges (PR), passaram por um verdadeiro teste de popularidade, visitando as feiras das duas cidades. Foram recebidos calorosamente, pelos feirantes e também por quem comprava. Dezenas de pessoas acabaram formando espontaneamente uma “brigada de militantes”, acompanhando os integrantes da chapa majoritária da Coligação A Bahia Tem Pressa, em meio aos boxes e barracas de frutas, verduras e cereais.

:: LEIA MAIS »

Geddel com Dilma, Wagner com Lula

Luiz Fernando lima/Tribuna da Bahia

 Enquanto o governador Jaques Wagner (PT) embarcou ontem, para acompanhar o presidente Lula em viagem à África do Sul, o outro candidato que integra o palanque de Dilma Rousseff (PT) na Bahia, Geddel Vieira Lima (PMDB), participou da caminhada que a presidenciável promoveu pelo centro da cidade de São Paulo.

 De acordo com o presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima, Geddel foi convidado pela ministra e pelo candidato a vice-presidência Michel Temer (PMDB) para participar do evento. Geddel saiu de Brasília, onde cumpria agenda como deputado federal, e encontrou com Dilma no aeroporto de São Paulo.

 Para Lúcio, a participação de Geddel mostra a força da presidenciável petista na Bahia. “O palanque baiano de Dilma estava junto com ela, acompanhando, mostrando apoio”, defendeu. Já para o presidente estadual do PT, Jonas Paulo, local de fazer campanha para Dilma é na Bahia. “Nós estamos organizando a campanha da nossa candidata no nosso estado, estruturando os espaços, fortalecendo a base de apoio”, alfinetou. Geddel, por outro lado, reitera que achou de extrema importância a participação no ato da capital paulista.

  :: LEIA MAIS »

PTN disputa eleição com 25 candidatos na Bahia

O Partido Trabalhista Nacional (PTN), presidido pelo deputado estadual João Carlos Bacelar, realiza sua convenção estadual hoje, 21 homologando as candidaturas majoritárias – governo do Estado e Senado da República – e proporcionais – deputados federais e estaduais – bem como definindo as alianças partidárias para o pleito de 3 de outubro.

O partido disputará o pleito com 25 candidatos próprios, sendo três candidatos a deputado federal e 22 candidatos a deputado estadual.

De acordo com Bacelar, o PTN definiu apoiar a candidatura do deputado federal Geddel Vieira Lima (PMDB) ao governo da Bahia, que terá como vice, o atual vice-governador, Edmundo Pereira (PMDB) e para o Senado o candidato a reeleição, senador César Borges e o vice-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito, participando da coligação PTN-PMDB-PTC-PR-PTB-PSC-PPS-PRP-PRTB-PSDC-PMN-PTdoB.

”Esta é a melhor alternativa para o Estado dentro da nossa proposta partidária”, enfatizou Bacelar.

:: LEIA MAIS »

Convenção do PMDB na Bahia: ‘Tenho experiência na administração’, diz Dilma

Aura Henrique e Lucas Esteves, iG Bahia

A candidata do PT à Presdiência, Dilma Rousseff, procurou rebater hoje as críticas de adversários por sua falta de experiência nas urnas. Depois de um discurso que custou para empolgar a plateia na convenção realizada hoje pelo PMDB baiano, Dilma comentou em entrevista coletiva a tese de que lhe falta bagagem eleitoral. “Tenho experiência na administração. Sou servidora pública há décadas e participei de toda a gestão Lula”, disse Dilma. Foto: Futura Press Temer e Dilma acompanham a convenção do PMDB, que lançou Geddel na Bahia Leia mais Ao lado de Dilma, Geddel evita atacar adversários Para irmão de Geddel, eleição em 1º turno é certa Apesar de ter sido recebida calorosamente no evento que lançou o ex-ministro Geddel Vieira Lima para o governo da Bahia, Dilma não conseguiu empolgar a militância na convenção, realizada em Salvador. Em cerca de meia hora de discurso, ela não apresentou um roteiro começo-meio-fim e acabou deixando as atenções para Geddel, que se lançou na disputa contra o governador petista Jaques Wagner. O ex-ministro da Integração Nacional recebeu elogios rasgados da petista.

Para Dilma, Geddel poderá ser um bom governador caso eleito porque tem o perfil do presidente Lula e dela própria: eficiência, trabalho e mudança de realidades adversas. Ao falar de si própria, Dilma fez um discurso disperso, em que repetiu diversas vezes a expressão “viva a Bahia”. Nos intervalos, cometia algumas gafes, como chamar o prefeito de Salvador, João Henrique, de “Luiz Henrique” e arrancar risos gerais. Em outros momentos, chamou as mulheres a se engajarem na campanha, uma vez que o sexo feminino representa 52% do eleitorado brasileiro. “Mas não podemos ignorar, claro, os 48% de homens, porque eles são todos filhos de outras mulheres”. Dilma também se concentrou em tentar convencer a plateia de que representa a continuação do presidente Lula, lembrando que o ex-operário deu grande atenção ao Nordeste e em especial à Bahia. “Nós somos de um projeto que assume que o Brasil não deve ser governado para apenas dois ou três Estados. E é assim que continuaremos, com avanços em emprego, saúde educação”, analisou. Polêmica estadual Na entrevista coletiva após o discurso, a candidata do PT foi questionada quanto à disputa estadual entre Geddel e Wagner. Apesar de ter o apoio de ambos na campanha federal, Dilma pediu para não falar de nenhum dos dois candidatos para que não houvesse favorecimentos injustos. Os dois partidos romperam a parceria local no ano passado, depois que uma crise se instaurou devido ao descontentamento dos peemedebistas quanto à gestão de Wagner.

Bahia: Geddel oficializa candidatura ao governo do estado

Thiago Pereira/Tribuna da Bahia

Divulgação
Convenção contou com grande público e oficializou candidatura de Geddel.

O ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, foi oficializado nesta segunda-feira (21) como candidato ao governo do estado nas eleições deste ano. A candidatura foi lançada durante a convenção estadual do PMDB, realizada esta manhã. A chapa de Geddel reúne ao todo 11 partidos, dentre os quais o PR, PTB, PSC, PPS, PTC e PT do B.

O evento também lançou o slogan de campanha de Geddel,“Para chegar e resolver”, frase que norteará toda a campanha do candidato. O jingle do ex-ministro também foi apresentado. A música, em ritmo de forró, reserva uma pequena provocação ao fato do candidato do PT à reeleição, Jaques Wagner, ser carioca. “Ele tem sangue baiano, ele tem amor no peito”, diz a letra sobre Geddel.

A frase espalhada em cartazes, e faixas, em toda a área em que a convenção foi realizada também deu tom dos discursos dos parlamentares, prefeitos, e dirigentes do partido. :: LEIA MAIS »

Geddel pode arrebatar votos flutuantes

do Tribuna da Bahia

Alguns leitores têm me pedido que faça uma avaliação sobre as possibilidades reais de vitória dos candidatos que disputam a eleição ao governo da Bahia com base nos números do último pleito e das pesquisas até agora publicadas. Essa é uma tarefa bastante difícil, porque, como todos sabem, cada eleição tem sua própria história, diferenciada uma da outra. Mas, como dizia o saudoso jornalista Jorge Calmon, todo colunista deve atender aos seus leitores porque são eles que repassam as informações e formam as opiniões.

Então, vamos lá. Na última eleição, 2006, Jaques Wagner venceu o pleito em 1º turno com 3.242.336 votos (52.89%); Paulo Souto teve 2.638.215 (43.03%); Átila Brandão de Oliveira foi o terceiro com 189.596 (3.09%); Hilton Coelho, 4º, com 38.870 (0.63%); Rosana Vedovato 9.479 (0.15%); Antonio Albino 8.016 (0.13%); Antonio Eduardo 4.354 (0.07%). A abstenção foi de 20.68% (1.884.249); nulos 10.21% (737.875); e brancos 346.363 (4.93%).

:: LEIA MAIS »

PTN fecha apoio a pré-candidatura de Geddel Vieira Lima ao governo da Bahia

 O Partido Trabalhista Nacional (PTN), presidido na Bahia pelo deputado estadual João Carlos Bacelar, fechou hoje de manhã, em reunião no auditório do Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador, apoio à pré-candidatura do ex-ministro da Integração Nacional, deputado federal Geddel Viera Lima (PMDB), do pré-candidato a vice-governador, Edmundo Pereira (PMDB), a pré-candidatura do vice-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito (PMDB) ao Senado, bem como a pré-candidatura à reeleição do senador César Borges (PR).
:: LEIA MAIS »

Exclusivo: PTN fecha com Geddel na Bahia

O Deputado João Carlos Bacelar, presidente do PTN na Bahia acaba de informar ao Blog do Wal Cordeiro que nas próximas eleições o partido vai apoiar a candidatura do ex-ministro da Integração Nacional Geddel Vieira Lima ao Governo do Estado, que ganha mais uma sigla importante na Bahia. Desde que esteve em Conquista nos últimos dias 09 e 10 para a posse do novo presidente do partido na cidade e ontem (10) para participar da audiência pública sobre segurança, Bacelar afirmou que até nesta Sexta (11) teria a definição, só dependeria de algumas reuniões na manhã de hoje para formalizar o apoio que será homologado na Segunda-Feira (14), às 10h, no Espaço Cultura da Câmara em Salvador.

PTN a um passo de fechar com PMDB na Bahia

do Tribuna da Bahia

A adesão do PTN ao projeto de eleição do candidato Geddel Vieira Lima (PMDB) ao governo do Estado acena estar praticamente fechado. Nos partidos ninguém confirma. Mas um pedido de reserva feito pelas siglas para cessão do Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador (na próxima segunda-feira, às 9h), só fez aumentar as especulações de que o evento serviria para a formalização do enlace.

A aliança entre com o PMDB seria fruto de conflitos em torno das proporcionais para deputado estadual, que geraram cisões entre o PTN e os tucanos no apoio à corrida pelo Planalto. Uma resolução do PTN – anunciada anteontem – desautorizou os filiados da legenda a realizarem campanha em favor de Serra. Com isso movimentações indicam o alinhamento cada vez mais próximo entre o PTN, do deputado estadual João Carlos Bacelar, e o PMDB de Geddel. :: LEIA MAIS »

PTN ESTUDA FECHAR ALIANÇA COM GEDDEL

O PTN, do deputado estadual João Carlos Bacelar, pode fechar o apoio ao pré-candidato do PMDB ao Governo do Estado, o deputado federal Geddel Vieira Lima, ainda nesta terça-feira (8). Fontes da oposição na Assembleia admitem que a aliança na chapa proporcional seja o principal fator para a possível perda do partido, aliado de primeira hora de Paulo Souto, pré-candidato pelo DEM. Isso porque o DEM, que atualmente tem uma bancada de 12 deputados, deve encolher nessa eleição e garantir apenas 8 cadeiras na AL, segundo projeções do próprio partido. A expectativa se deve, entre outros motivos, à ausência da máquina pública durante toda a atual gestão, fato inédito para os parlamentares do extinto PFL, e o esvaziamento da chapa provocado pela desistência da candidatura de Eliedson Ferreira (DEM), que é da Igreja Universal e apoiará Jaques Wagner (PT); e a candidatura ao Congresso dos deputados José Nunes e Fernando Torres. Desta forma, uma aliança na proporcional DEM-PTN pode ser considerada um suicídio político para o nanico, que teria imensa dificuldade de conseguir reeleger seu único parlamentar, João Carlos Bacelar, o antepenúltimo em número de votos (24.063) entre os eleitos em 2006. :: LEIA MAIS »

Edmundo Pereira fala em primeira mão para o AcheiBrumado sobre a escolha do seu nome para companheiro de chapa de Geddel

Daniel Simurro/Acheibrumado

A confirmação do nome do atual vice-governador da Bahia, o brumadense Edmundo Pereira Santos, como companheiro de Geddel na chapa encabeçada pelo PMDB foi recebida com muita alegria pelo mesmo, o qual falou em primeira mão com o AcheiBrumado.

Assim que a nossa equipe recebeu a confirmação da indicação do nome de Edmundo Pereira entramos em contato com ele, o qual num clima de grande alegria, prontamente nos atendeu.

Questionado como ele tinha encarado a escolha do seu nome para integrar a chapa majoritária capitaneada pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima, ele argumentou que “não posso esconder a minha satisfação pelo fato de o PMDB e os partidos aliados, renovarem a confiança no meu trabalho e ter-me indicado para disputar o cargo pela segunda vez consecutiva, apesar de o grupo político dispor de outros grandes nomes igualmente capacitados para desempenhar a função”. :: LEIA MAIS »

Bahia: Geddel anuncia chapa já esperada

do Tribuna da Bahia

O PMDB anunciou ontem a chapa majoritária que vai disputar as eleições deste ano, confirmando o ex-ministro Geddel Vieira Lima como candidato ao governo e o atual vice-governador do Estado, Edmundo Pereira (PMDB), como candidato a vice.

Para o Senado, além de César Borges (PR), que vai disputar a reeleição, o vice-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito (PTB), ocupará a outra vaga. A pedido da ex-ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência, a convenção do partido que homologará os candidatos da aliança foi adiada do dia 18 para o próximo dia 21.

Contente com o anúncio da chapa, Geddel fez elogios aos nomes escolhidos e comentou a sua expectativa. “É uma chapa competitiva, escolhida de forma consensual. São nomes desejados por todos, como o do senador César Borges, que chegou a ser anunciado na chapa do governador (Jaques Wagner) e o vice-governador Edmundo Pereira, também muito elogiado, inclusive pela própria imprensa”, disse o ex-ministro.

O presidente do PMDB, Lúcio Vieira Lima, também ressaltou a escolha dos postulantes e rotulou a chapa de vitoriosa. “A chapa é fortíssima em termos de competência e credibilidade, além de ter força eleitoral, que ajuda a fortalecer a candidatura de Geddel. Com isso, ele está mostrando que quer fazer um grande governo”, destacou. :: LEIA MAIS »

Geddel define chapa. Edmundo disputa vice, de novo

do A Tarde

Sem surpresas de última hora, o deputado federal e ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB), definiu o restante da sua chapa majoritária para a eleição de outubro deste ano, com os nomes de Edmundo Pereira (PMDB), para a vaga de vice-governador, e de Edvaldo Brito (PTB) para o Senado, ao lado do senador César Borges (PR). O nome do vice-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito, certamente engrandece qualquer chapa e aumenta a responsabilidade do eleitor na hora de decidir a quem dar o voto, tanto pelo seu passado como pelas suas qualificações pessoais.

Mas a curiosidade da composição coordenada por Geddel recai sobre a figura do candidato a vice, Edmundo Pereira, que é o atual vice-governador de Jaques Wagner. Indicado para o cargo por Geddel, em 2006, Edmundo Pereira brilhou pela discrição com que exerceu a função, conquistando a tal ponto a confiança de Wagner que, quando houve o rompimento com o PMDB, o governador continuou a chamá-lo de irmão.

Político de grande liderança no sudoeste baiano, Edmundo foi prefeito de Brumado e elegeu sua esposa, Marizete Pereira, deputada estadual. Com um jogo de cintura digno de nota conseguiu manter-se fiel a Geddel Vieira Lima sem perder a amizade e as boas relações com o governador, apesar do alto nível do atrito entre as duas lideranças políticas.

Daí talvez ele tenha conseguido ser um caso único na história política do Brasil – da Bahia, com certeza – ao passar de vice-governador a candidato a vice-governador de um candidato adversário. Algum mal-intencionado poderia dizer “Vaselina pouca é bobagem”, mas eu prefiro elogiar a habilidade política do vice e a sua capacidade de se manter fiel ao aliado mais antigo.

Bahia: Geddel prepara anúncio de chapa

Tribuna da Bahia

O ex-ministro Geddel Vieira Lima, pré-candidato do PMDB ao governo baiano, poderá anunciar nesta segunda-feira a chapa completa que disputará o comando do Palácio de Ondina. Além de Geddel e do senador César Borges (PR), que disputará a reeleição, é dado como certa a participação do atual vice-governador, Edmundo Pereira (PMDB), e do vice-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito (PTB). A dúvida pairava ontem sobre qual posto cada um iria ocupar.

A expectativa é que Pereira fique com a vice e Brito com o Senado. Na visão de alguns analistas, o vice-prefeito de Salvador daria à chapa o atrativo do discurso em defesa do negro, enquanto Edmundo Pereira somaria por já estar na função e ter origem na região Sudoeste, onde a coligação precisaria chegar com uma boa representatividade.

  :: LEIA MAIS »

Bahia: Geddel confirma Dilma em convenção

Evandro Matos/Tribuna da Bahia

 O presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer, afirmou ontem que na próxima semana o partido entregará à pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, suas propostas para o programa de governo. As sugestões do partido foram divulgadas na semana passada e Temer já havia sido indicado pela executiva para ser vice na chapa petista. Já na Bahia, reafirmando a aliança entre as duas legendas, o pré-candidato do PMDB ao governo baiano, Geddel Vieira Lima, confirmou a vinda de Dilma e Temer para a convenção estadual peemedebista, no próximo dia 18.

 A informação foi dada durante entrevista concedida ao programa Aratu Notícias, na TV Aratu. “Ela ligou para mim, agradeceu o convite e disse que estará aqui, acompanhada do candidato a vice-presidente Michel Temer”, disse o peemedebista. Dilma Rousseff deverá ser oficializada como candidata do PT no dia 12, um dia depois da convenção nacional do PMDB, que vai oficializar Temer como vice. :: LEIA MAIS »

Geddel diz que chapa completa será anunciada antes da convenção do dia 18

do Política Livre

Em entrevista ontem ao programa Aratu Notícias, da TV Aratu, o pré-candidato do PMDB a governador, Geddel Vieira Lima, disse que a chapa majoritária do partido para a eleição estadual será anunciada antes da convenção e que não haverá surpresas. Além do seu próprio nome e o do senador César Borges, os dois outros integrantes da chapa, disse Geddel, serão escolhidos entre as opções que vêm sendo apontadas pela imprensa: o vice-governador Edmundo Pereira, o vice-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito, o presidente estadual do PSC, Eliel Santana e as deputadas estaduais Virgínia Hage e Marizete Pereira.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia