WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira

O Brasil que está aprendendo a orar


junho 2020
D S T Q Q S S
« maio    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  


Cristãos são presos durante demolição de igreja no Egito


Cristãos socorrem o líder agredido por policiais e extremistas durante a demolição de uma igreja no Egito

Cristãos socorrem o líder agredido por policiais e extremistas durante a demolição de uma igreja no Egito

Uma igreja ortodoxa copta foi demolida e um líder cristão agredido na aldeia de Koum Al Farag, no Egito. O prédio religioso tinha 15 anos e servia para o culto de 3 mil cristãos, além de ser um local para realizar casamentos, batizados e funerais. A destruição da igreja foi uma punição pelo “crime” de construir salas para escola dominical. “Decidimos construir mais dois andares no salão da igreja para atividades da igreja, como aulas da escola dominical, o que era legal para nós”, explica o membro e diácono, Bishoy.

Quando as obras começaram, alguns muçulmanos extremistas começaram a atacar os cristãos, mas foram contidos por muçulmanos moderados da aldeia. Porém, não desistiram, começaram a construir uma mesquita ilegal no terreno ao lado da igreja, próprio para agricultura. “Acreditamos que eles construíram isso em protesto. Nossa vila já tem quatro mesquitas e outra não era realmente necessária. Além disso, eles construíram sem uma fundação”, testemunha Bishoy. :: LEIA MAIS »

Cristã de 17 anos escapa após 1 mês sequestrada por muçulmanos, na Nigéria


Sadiya Amos Chindo, sequestrada em janeiro de 2020, voltou para sua mãe depois de um mês. (Foto: Reprodução/WWM)

Sadiya Amos Chindo, sequestrada em janeiro de 2020, voltou para sua mãe depois de um mês. (Foto: Reprodução/WWM)

Sadiya Amos, de 17 anos, desapareceu do centro de Kaduna, no norte da Nigéria, na noite de 5 de janeiro.

Em 7 de janeiro, alguns homens forçaram o pai dela, Amos Chindo, a comparecer a um tribunal da Sharia em Anchau (em Kubau). Sem saber que ofensa havia cometido, Chindo também não pôde contar à família para onde estava sendo levado.

Um advogado autoproclamado, juntamente com o juiz da Sharia, ameaçou Chindo de impedir que sua filha Sadiya se convertesse ao Islã. O referido “advogado”, juntamente com o juiz, forjou uma certidão de nascimento para aumentar a idade de Sadiya de 17 para 19 anos para apoiar sua reivindicação.

O “advogado” – que alegou representar Sadiya – não permitiu o acesso do pai a ela, ou mesmo saber onde ela estava. Em seguida, eles suspenderam o julgamento até 14 de janeiro de 2020.

Líderes da igreja que a família Chindo frequenta disseram à corte que – já que Sadiya e seus pais são cristãos – a corte da Sharia não tem jurisdição oficial sobre a família.

O juiz nem deu a eles a chance de falar, nem aos pais de Sadiya. Em vez disso, o juiz da Sharia leu seu julgamento predeterminado e encerrou o caso – sem Sadiya presente no tribunal.

Sadiya diz que foi sequestrada, mantida em um quarto trancado por mais de um mês e forçada a se converter ao islamismo; alguns homens vigiavam seu quarto para que ela não pudesse escapar. Mas um dia, todos eles dormiram deixando a porta aberta; ela rapidamente saiu correndo e voltou para os pais. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: OS SOMALIS DA SOMÁLIA


DIA 29 – 22 DE MAIO

“Iska Warran?” É uma saudação padrão entre amigos e conhecidos na Somália, que significa: “

Diga-me o que há de novidade sobre você.” Os somalis não se consideram estranhos, mesmo que nunca tenham se conhecido antes. Não é incomum para dois Somalis que nunca se conheceram antes, ao se encontrarem em um passeio de ônibus iniciarem uma conversa. Antes da jornada terminar, eles podem ser confundidos com amigos que se conheçam há anos. Apesar de décadas de guerra civil brutal, um somali geralmente confia mais em outro Somali que tenha conhecido por um curto período de tempo, mais do que em um estrangeiro que ele conheça há muito tempo. A violência cometida em nome do Islã criou dois movimentos visíveis na Somália. O primeiro movimento é um número crescente de muçulmanos que estão abandonando o Islã.

Enquanto alguns destes que expressam profunda insatisfação com o Islã, estão deixando a religião por completo, muito mais muçulmanos, ao invés disso, estão tornando-se discípulos de Cristo, criando, assim, o segundo movimento. A igreja somali tem crescido significativamente desde 1991, quando o país iniciou a sua decadência a ilegalidade. A morte horrível de um evangelista local em 2008, no Sul da Somália, provocou o início de um crescimento significativo da igreja. A pastora Fátima, 29 anos, descreveu o número de seguidores muçulmanos que se tornaram discípulos de Cristo como “Atos dos Apóstolos – versão somali”. A pastora relatou 21 novas igrejas domésticas em sua área de ministério no sul da Somália nos primeiros seis meses de 2019! Que a resposta de cada Somali à saudação seja: “Diga-me o que há de novidade sobre você,” “eu me tornei um discípulo de Cristo.”

Motivos de oração:

1. Ore para que os seguidores muçulmanos Somalis venham a aderir ao movimento para se tornar discípulo de Cristo.

2. Ore para que o povo somali conheça a paz de Cristo sobre a qual Jesus falou em João 16:33 e seja capaz de trabalhar em prol da paz em sua nação.

3. Ore por esse crescimento novo e rápido da Igreja na Somália, que seja bem discipulado e que cresça na fé. (Hebreus 12: 1-3)

Vamos orar: Muçulmanos em Londres


DIA 28

21 DE MAIO

 
Estima-se que pelo menos 1,5 milhões de muçulmanos vivam em Londres. Isso significa que 1 a cada 6 pessoas que vivem na cidade são muçulmanas. Quais movimentos estão influenciando sua comunidade? Aqui estão alguns: Muçulmanos se tornando mais religiosos. Isso acontece com frequência entre os muçulmanos imigrantes de segunda geração que não se conectam ao país original de seus pais porque parece estrangeiro ou atrasado para eles ou com o Reino Unido porque a sociedade britânica se sente permissiva demais para eles. Eles, portanto, encontram sua identidade primária no Islã. Eles se tornam mais religiosos que seus pais, alguns se tornam vulneráveis ??à radicalização. Muçulmanos que abandonam o Islã. Esse movimento vem ocorrendo entre iranianos e curdos há um tempo, mas agora está se espalhando entre muçulmanos de várias origens étnicas, incluindo árabes e somalis. Os catalisadores desse movimento incluem desilusão com grupos políticos e extremistas que afirmam estar implementando o Islã adequadamente e serem incapazes de conciliar certos ensinamentos em textos e histórias islâmicas na vida de seu profeta. Muitos se identificam como “ateus”, outros ainda podem acreditar em Deus, mas não crêem em nenhuma religião. Poucos ouviram o evangelho. Muçulmanos enfatizando “humanidade” sobre religião. Muitos muçulmanos nas ruas que ainda se identificam como muçulmanos dizem que não é importante qual religião você segue se for gentil com os outros. É difícil saber o que está motivando essa visão ou quão sincera ela é.

Como podemos orar?

  1. Ore pelos muçulmanos que procuram um lugar de pertencimento e identidade para encontrá-lo em Cristo. (1 João 3: 1-3).
  2. Ore para que os seguidores de Cristo em Londres sejam testemunhas eficazes com oportunidades de compartilhar sua fé com muçulmanos e ex-muçulmanos.
  3. Londres é uma cidade com grande influência e oportunidade. Ore por um movimento para Cristo entre os muçulmanos que vivem lá, pois eles têm conexões em todo o mundo.

OS BIMAS OU MBOJOS DO LESTE DE SUMBAWA


DIA 27

20 DE MAIO

“Na semana passada, batizei minha própria mãe!”

Revelou Shared, uma jovem mulher usando uma cobertura de corpo típica ou “jilbab”. Nesta pequena vila no leste da ilha de Sumbawa, na Indonésia, onde um pequeno movimento em direção à fé em Jesus está ocorrendo. “Deus tem trabalhado entre nós”, relata Shared. “No passado, havia apenas 200 – 300 cristãos vivendo em algumas aldeias próximas à cidade. Não tínhamos um bom contato com eles. Mas nos últimos 5 anos, Deus nos mostrou que Jesus é mais do que um profeta. Alguns cristãos vieram nos ajudar a descobrir através das histórias do “Injil” (evangelho) quem Jesus realmente é. Não tivemos que mudar nossa cultura ou deixar nossa comunidade. Cada um de nós conta a outros membros da família sobre Ele. ”O Espírito Santo está trabalhando entre esse grupo de pessoas, com uma população de cerca de 800.000 habitantes, conhecida como Mbojo ou Bimas. Apesar da perseguição nesta ilha quase inteiramente islâmica, o número de fiéis está aumentando. O Novo Testamento e o filme Jesus foram traduzidos, além de programas de rádio cristãos estarem disponíveis. A maioria dos Bimas ou Mbojos não era bem escolarizada, por medo de que a educação ameaçasse sua cultura e religião. Isso mudou nos últimos anos, embora a maioria deles ainda seja pobre e viva da agricultura. Todavia, eles estão aprendendo que podem seguir a Jesus e manter sua cultura intacta, pois Jesus veio para salvar pessoas de todas as nações, tribos e línguas.

Motivos de oração:

1. Ore para que esse movimento em direção a Jesus continue crescendo e amadurecendo. (Efésios 3:16-19)

2. Ore para que os Mbojos desenvolvam oportunidades educacionais e de trabalho que ajudarão sua cultura a sobreviver no futuro.

3. Ore por mais obreiros na Indonésia que possam ensinar sobre Jesus de maneira relevante para aqueles que não o conhecem, conforme profetizado em Apocalipse 5:9.

Vamos orar: Layat al Qadr – Noite do Poder


DIA 26

19 DE MAIO

 
Foi há quase 1400 anos atrás que um jovem árabe, desiludido com a injustiça da sociedade e a sempre presente idolatria ao seu redor, decidiu que precisava fugir. Ele praticaria meditação em uma caverna nas colinas perto de sua cidade natal, Meca. Ele era Muhammad (Maomé). E nessa noite, ele teria um encontro que não esperava. Mais tarde, Muhammed se lembrou de como um anjo apareceu para ele, dando-lhe a primeira das revelações que viriam a ser conhecidas como o Alcorão. Laylat al Qadr, também conhecida como a Noite do Poder, é a comemoração desta noite. Um momento tão especial e sagrado para os muçulmanos de todo o mundo que eles realizam grandes tarefas, como orar a noite toda, ler o Alcorão inteiro ou até morar na mesquita por dias a fio. Os muçulmanos acreditam que o culto na noite de Qadr é mais valioso do que mil meses de culto regular. E também que Deus decreta o destino da pessoa para o próximo ano durante esse período. Numa noite em que corações e mentes estão focados em agradar a Deus, podemos nos reunir ao redor do trono da graça e pedir ao Senhor que faça Jesus conhecido entre eles.

Como podemos orar?

  1. Os muçulmanos estão buscando a Deus por revelação nesta noite. Ore para que Jesus se revele a eles de maneiras sobrenaturais.
  2. Ore para que os cristãos das comunidades muçulmanas compartilhem corajosamente as boas novas da salvação neste período em que seus amigos estão mais conscientes de seus pecados e deficiências.
  3. Ore pelos muçulmanos que estão mudando de fé, tentando decidir o que acreditam e a quem devem seguir, para que o Caminho, a Verdade e a Vida se faça claro para eles. (João 14: 6).

Vamos orar: Movimentos Cristãos no Quirguistão


DIA 25

18 DE MAIO

 
Enquanto visitávamos amigos em uma vila quirguiz, passamos xícaras de chá, como de costume. Mas nosso amigo, Azim, recusou. “Não”, ele disse, “estou em jejum”. É claro que todo bom muçulmano jejua durante o Ramadã. É um dos rituais mais importantes em sua fé. Mas Azim? Ele é o único cristão na vila. Por que ele está jejuando? Ao pé das grandes montanhas, o povo quirguiz se orgulha de suas tradições. Eles são quirguizes primeiro e muçulmanos depois. Após o colapso da União Soviética, as pessoas se lembraram de suas raízes na busca por identidade. Isso fortaleceu o Islã, mas também reviveu costumes antigos de épocas anteriores ao povo se tornar muçulmano. Apenas algumas pessoas na vila jejuam adequadamente ou frequentam a mesquita regularmente, mas a vila inteira se reúne nas casas umas das outras para quebrar o jejum. Para eles, o Ramadã significa comunidade e identidade. Então, por que Azim jejua? Por muitos anos depois de se tornar cristão, Azim não quis nada com os muçulmanos. Eles haviam assediado a ele e à sua família. Mas, à medida que se fortaleceu em sua fé, ele pediu sabedoria a Deus e entendeu que poderia viver como cristão dentro de sua própria cultura. Isso incluía jejum! Portanto, Azim decidiu jejuar como cristão, seguindo o exemplo de Cristo. Aproveitando, também, para se conectar com seus vizinhos. Ele visita outros na vila para quebrar o jejum e fala com eles sobre o que significa para ele seguir a Cristo.

Como podemos orar?

  1. Os cristãos de comunidades muçulmanas não alcançadas devem aprender a compartilhar sua fé em uma comunidade que tem pouco conhecimento do que significa ser cristão. Ore para que os crentes nessas situações tenham sabedoria e orientação do Espírito Santo.
  2. Seja inspirado a orar pelos quirguizes por Isaías 58.
  3. Ore para que muitos se convertam no Quirguistão e procurem seguir a Cristo dentro de sua cultura.

Vamos orar: As Mappila da Índia


DIA 23

16 DE MAIO

 
No lindo estado de Kerala, você verá algo que não vê em outras partes rurais da Índia: meninas caminhando para a escola com os meninos. As aldeias de classe média ao longo da costa possuem suas próprias mesquitas e madrassas coloridas, onde crianças (tanto meninos quanto meninas) são ensinadas a ler, escrever e recitar o Alcorão em um tipo moderado de Islã. Com uma taxa de alfabetização de 90%, a maioria dos quase dez milhões de Mappilas nessa região é instruída e, muitas vezes, viajam frequentemente. Cada vez mais, eles representam um movimento crescente para aumentar o valor e os direitos das mulheres. Em janeiro de 2019, Ayisha segurou o rosto da filha na mão e inclinou-se para olhá-la nos olhos, dizendo: “Hoje, terei voz como mulher. Por causa do que farei hoje, direi que mulheres, mulheres muçulmanas, mulheres Mappila, mulheres em Kerala e em toda a Índia são tão valiosas quanto os homens e devem ser tratadas igualmente. ” Naquele dia, Ayisha se uniu a cinco milhões de outras mulheres formando uma “Muralha da Mulher” que se estendeu por 385 milhas. Elas ficaram de pé, de frente para a estrada, as mãos direitas estendidas, para silenciosamente espalhar a mensagem de que as mulheres têm valor, direitos e importância aos olhos de Deus e dos Homens. Talvez sejam as mulheres Mappila que terão a mesma coragem e fé para levar sua família ao Reino de Deus.

Como podemos orar?

  1. Ore pelas famílias Mappila, que frequentemente vivem separadas porque o marido trabalha em um país do Golfo para sustentar a família. (Salmo 68:5-6b).
  2. Ore para que as mulheres de Mappila conheçam a verdade sobre quem são em Cristo e continuem a defender o valor de cada pessoa (Gálatas 4:7).
  3. Ore para que os quase 10 milhões de Mappila, os primeiros indianos a abraçar o Islã há 1000 anos, abracem e compartilhem as boas novas do Reino de Deus (Isaías 61:4).

Vamos orar: Movimentos Estudantis Internacionais


DIA 22

15 DE MAIO

 

Na última década, muitos estudantes muçulmanos viajaram para o exterior para obter diplomas no ensino superior. Muitos homens, mulheres e famílias estão se mudando para viver por até cinco anos em países onde o contato com os cristãos é altamente provável.

Por exemplo, a cada ano, até 15.000 muçulmanos se mudam para o Reino Unido como estudantes internacionais. Esse movimento de homens e mulheres muçulmanos talentosos e inteligentes do Oriente Médio, norte da África, Indonésia, Malásia e Ásia Central foi possível graças a acordos estabelecidos entre universidades e governos. Tais oportunidades podem ser estressantes e solitárias, mas proporcionam à igreja uma oportunidade maravilhosa de acolher os estudantes internacionais com amor e de os apoiar na adaptação a uma sociedade muito diferente.

Através da amizade e hospitalidade, os cristãos mostram aos estudantes estrangeiros o amor de Cristo e abordam muitos mal-entendidos. Quando esses estudantes retornarem aos seus países, sua compreensão do cristianismo será moldada por suas experiências e relacionamentos. Como Mohammed, do Oriente Médio, que veio ao Reino Unido carregando hostilidade para com cristãos, mas que agora considera muitos deles como seus amigos mais próximos. Ou como Saara, que teve um entendimento transformado de quem Jesus é e O ama como nunca antes.

Como podemos orar?

  1. Ore pelos estudantes muçulmanos que estão longe de casa, para que encontrem amigos solidários e se saiam bem em seus estudos.
  2. Ore por organizações como a “Friends International,” que se concentra no Ministério dos Estudantes Internacionais, alcançando os estudantes do mundo muçulmano com o amor cristão. Ore por sabedoria, sensibilidade e profunda amizade que possibilitem um diálogo significativo.
  3. Ore para que igrejas e cristãos vejam as oportunidades de fazer amizade com estudantes internacionais muçulmanos e estejam dispostos a conhecê-los, compreendê-los e abençoá-los. (Mateus 25:34-36).

Muçulmanos da Caxemira


DIA 21

14 DE MAIO

 

Opovo da Caxemira vive em um lugar geograficamente interessante: com o Paquistão muçulmano a oeste, a Índia hindu ao sul e o Tibete budista no leste. Todas as três religiões influenciaram a Caxemira e ainda hoje ela contém um dos lugares mais sagrados de peregrinação para os hindus.

No entanto, o povo étnico da Caxemira é majoritariamente muçulmano. Vivendo na fronteira entre a Índia e o Paquistão, com uma população de aproximadamente 8 milhões de pessoas, a grande maioria deles vive nos estados indianos de Jammu e Caxemira. Desde a independência da Índia da Grã-Bretanha em 1947, a região está em conflito: tanto porque a Índia e o Paquistão reivindicam o território como seu, quanto porque os caxemires não sentem que pertencem a nenhum desses países.

Não é o extremismo islâmico que leva as caxemires a desejarem um estado independente, embora esse tenha sido um dos muitos movimentos destinados a influenciá-los. Pelo contrário, é a sua identidade como caxemires. Na verdade, devido às influências significativas do sufismo (uma forma islâmica de misticismo) os caxemires são geralmente convencidos, mas não extremistas, de sua fé.

Ainda assim, pode-se observar que os caxemires se tornaram mais conservadores nos últimos quinze anos, em parte devido a avisos de um famoso pregador de TV muçulmano de que os cristãos tentariam convertê-los. Apesar de traços de trabalho missionário em sua área, presentes a mais de cem anos, quase não existem seguidores de Jesus entre eles.

Como podemos orar?

  1. Os esforços atuais para alcançar os caxemires com o evangelho são poucos, embora os missionários indianos estejam trabalhando duro na região. Orem por seus esforços.
  2. Muitas influências competem pela atenção e devoção dos caxemires. Ore para que eles tenham uma direção clara para criar paz e estabilidade na região.
  3. Ore para que os líderes políticos e separatistas envolvidos no conflito busquem a unidade em prol do povo caxemira.

Vamos orar: Muçulmanos em Taiwan


DIA 20

13 DE MAIO

 

Há mais de 350.000 muçulmanos em Taiwan, grande parte são trabalhadores imigrantes da Indonésia. A maioria são empregados rurais, pescadores, criadas e enfermeiras, embora alguns estejam lá como estudantes ou são casados com cidadãos de Taiwan.

Muitos empregadores respeitam seus funcionários muçulmanos, permitindo que eles sigam os rituais islâmicos de orações diárias, façam jejum no Ramadã e comemorem os feriados muçulmanos. Mas, é claro, os imigrantes sentem falta de suas famílias e mantêm contato com elas regularmente com smartphones e mídias sociais.

O domingo é o destaque da semana para os trabalhadores imigrantes muçulmanos de Taiwan. Multidões deles, vindos de todo o país, se reúnem na estação principal de Taipei. Eles olham em volta em busca de rostos familiares, encontram um canto para se sentar juntos e conversar com outras pessoas em seus próprios idiomas. Eles compartilham comidas tradicionais da Indonésia, compartilham suas experiências em comum e falam de casa. Para esses muçulmanos com saudades de seu país natal, é uma pausa refrescante após uma semana movimentada.

Geralmente, um trabalhador imigrante precisa assinar um contrato de três anos para trabalhar em Taiwan. Quando o contrato termina, eles retornam à Indonésia ou tentam ser contratados por um novo empregador. Com tantas aldeias na Indonésia ainda não alcançadas pela mensagem de Cristo, esses três anos em Taiwan poderiam ser a única chance dos trabalhadores imigrantes de ouvirem o Evangelho.

Como podemos orar?

  1. Há cerca de 350.000 trabalhadores migrantes muçulmanos em Taiwan. Ore para que eles se saiam bem em seu trabalho e cumpram seus objetivos de ganhar dinheiro para suas famílias.
  2. Ore para que os cristãos em Taiwan sejam verdadeiras expressões do amor de Deus por esses visitantes em seu país.
  3. Ore para que os empregadores de Taiwan sejam justos e gentis com seus funcionários, cuidando de suas necessidades e também dando-lhes a oportunidade de aprender sobre Cristo.

Vamos orar: Movimento das igrejas domésticas no Irã


DIA 19

12 DE MAIO

 

Mahnaz toca nervosamente a campainha do apartamento. Quando seus anfitriões pedem que ela entre rapidamente, ela vê algumas Bíblias bem usadas e sorri para seis rostos familiares: ela está no lugar certo. Essa pequena comunhão cristã de novos crentes se reúne em um lar diferente a cada semana, como parte de seus esforços para evitar a detecção.

Eles começam a reunião cantando canções de adoração, mas silenciosamente, para não alertar os vizinhos. Após o louvor, eles compartilham testemunhos e depois ouvem um sermão online. O ensino, baseado em Mateus 10, é difícil de ouvir: Jesus disse a seus seguidores que deviam esperar sofrer por Seu nome. De fato, o próprio pregador foi forçado ao exílio por causa da perseguição. Mahnaz ouve com atenção, ela já conhece os riscos e decidiu que Jesus vale a pena.

Mahnaz faz parte do movimento de igrejas domésticas no Irã que tem crescido rapidamente.

As primeiras igrejas domésticas do Irã surgiram ao final dos anos 90. Após décadas de restrições a reuniões de igreja após a Revolução Islâmica de 1979, os líderes perceberam que a única maneira de continuar compartilhando o Evangelho com os iranianos de origem muçulmana era operar em segredo.

O que começou como uma gota se tornou uma inundação. Agora, grupos de comunhão secretos têm se formado semanalmente, à medida que o evangelho se espalha. Não é incomum ouvir histórias de famílias inteiras se convertendo ao mesmo tempo.

O governo do Irã responde duramente quando uma igreja doméstica é descoberta. No entanto, há muitos como Mahnaz que estão famintos por se reunir com outros crentes para aprender mais sobre seu precioso Salvador. À medida que os não-cristãos vêem os crentes dispostos a sofrer por sua fé, a curiosidade sobre Jesus se espalha ainda mais.

Como podemos orar?

  1. Ore para que Deus abençoe os novos crentes como Mahnaz à medida em que crescem em sua fé e por proteção às suas igrejas.
  2. Ore por paz, prosperidade e estabilidade no Irã e por liberdade para que todos os iranianos possam cultuar como quiserem.
  3. Ore para que as autoridades do Irã sejam justas em relação aos cristãos e para que os cristãos sejam sal e luz. (Mateus 5:13-16).

Vamos orar: A Revolução Islâmica no Irã


DIA 18

11 DE MAIO

 

Oano de 1979 foi significativo para o Irã e para todo o mundo muçulmano. Injustiças sociais generalizadas, líderes exilados, políticas e influências religiosas baseadas na realidade ocidental levaram a uma revolta. A monarquia persa foi substituída por uma república islâmica. O famoso aiatolá Khomeini voltou ao Irã de seu exílio na França para ser o líder da revolução e estabelecer um novo estado islâmico.

O Irã trocou influências culturais ocidentais por uma teocracia muçulmana conservadora com a segregação de mulheres e a censura da mídia e da cultura. Essas mudanças se espalharam por muitos países muçulmanos vizinhos. Estados árabes como o Egito também se tornaram mais conservadores, restringindo a liberdade de seus cidadãos e influenciando a vida cotidiana de milhões de pessoas.

No Irã, mais de 40 anos após a revolução, a população está envelhecendo; muitos dos que poderiam sair do país, foram embora e muitos dos que permaneceram estão insatisfeitos com os resultados. A situação econômica parece sem esperança, a taxa de dependência de drogas é uma das mais altas do mundo e muitas pessoas estão desiludidas com seus líderes muçulmanos.
Mas, ao mesmo tempo, a mídia cristã e as revelações sobrenaturais estão levando muitos iranianos a seguir Jesus.

Nosso próximo artigo lhe mostrará mais sobre o crescimento de igrejas domésticas secretas no Irã. A revolução islâmica teve um impacto em toda a região do Oriente Médio e no mundo, mas o mesmo aconteceu com a mensagem do Evangelho quando chegou. Talvez ela o fará novamente.

Como podemos orar?

  1. Ore para que os líderes e o povo do Irã busquem uma nova revolução pela paz, estabilidade e liberdade.
  2. Ore pelo o povo iraniano que sofre sob difíceis condições econômicas e sociais. Inspire-se no Salmo 63.
  3. Ore pelo novo movimento que está acontecendo no Irã (o movimento de se tornar discípulos de Jesus) para que ele também cresça e se espalhe para outras nações.

Muçulmanos progressistas


DIA 17

10 DE MAIO

 

Tariq cresceu em uma religiosa família muçulmana, frequentando a mesquita regularmente com sua família em uma comunidade muçulmana tradicional.

Entretanto, Tariq começou a desafiar essas tradições à medida que foi crescendo. Envolvido em um negócio global com um grupo diversificado de amigos, Tariq começou a questionar a relevância de algumas crenças islâmicas para as suas preocupações modernas. A família de Tariq temia que ele estivesse rejeitando sua fé, mas Tariq não queria deixar de ser muçulmano, ele queria encontrar uma forma de ser muçulmano no século XXI.

Movimentos progressivos no Islã, às vezes chamados de Modernismo Islâmico, enfrentam o desafio de interpretar a religião que foi fundada na Arábia do século VII por uma comunidade global contemporânea. Esse movimento começou a surgir no século XIX, em um tempo de rápidas mudanças que impactaram o mundo muçulmano de várias maneiras, incluindo o colonialismo e a ascensão da civilização ocidental.

Os muçulmanos progressistas não estão tentando remover sua fé da vida pública, eles estão tentando aplicar sua fé na cultura contemporânea, particularmente no que diz respeito aos valores modernos relacionados a mulheres, pessoas LGBTQ e direitos humanos. Nós os vemos concorrendo a cargos públicos em plataformas que enfatizam a igualdade ou formando organizações como a Inclusive Mosque Initiative (Iniciativa Mosque Inclusivo), iniciada em Londres, no Reino Unido, ou o grupo global Muslims for Progressive Values (Muçulmanos pelos Valores Progressistas).

Os muçulmanos progressistas são alvo de oposição por parte de muçulmanos mais conservadores onde quer que estejam. Alguns terão que se reunir apenas em particular ou em plataformas digitais para discutir suas crenças, por medo de desaprovação da comunidade ou da família.

Como podemos orar?

  1. Mateus 7: 7-10 diz: “Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão…”.
    Ore pelos muçulmanos que estão fazendo perguntas e buscando respostas sobre a fé no mundo moderno.
  2. Ore pelos muçulmanos que sofrem com as rápidas mudanças em suas comunidades e no mundo, para que encontrem paz nAquele que nunca muda. (Tiago 1:17).
  3. Ore por oportunidades de conhecer muçulmanos progressistas e conversar com eles sobre como é seguir a Jesus em 2020.

Vamos orar: O Movimento Madrasa Deobandi


DIA 16

09 DE MAIO

 
Seminários islâmicos, também conhecidos como madrasas, são lugares onde os muçulmanos estudam para se tornarem líderes de mesquitas ou para aprenderem mais sobre o Islã de uma forma geral. O movimento madrasa Deobandi está equipando novos líderes em todo o mundo. Os Deobandis são sunitas, eles não se vêem necessariamente como um movimento dentro desta vertente do islã, mas podem se considerar os mais puros muçulmanos sunitas. A primeira madrasa Deobandi começou em Deoband, na Índia, em 1866. O objetivo da madrassa era preservar e proteger a cultura muçulmana, porém eles sabiam que uma madrasa não seria suficiente para atingir esse objetivo. Todos os graduados são equipados e incentivados a iniciar novas mesquitas ou madrasas. Atualmente, existem mais de 100.000 madrasas Deobandi em todo o mundo, muitas delas no Paquistão, Índia, Bangladesh e países vizinhos. Nos últimos quarenta anos, madrasas Deobandi foram iniciadas na África do Sul, Austrália, Reino Unido, Canadá, Trinidad e Tobago e EUA. Todos eles são financiados pela comunidade muçulmana local e são capazes de adaptar seus serviços ao seu contexto (por exemplo, ensinando em inglês e respondendo à perguntas sobre a perspectiva muçulmana a respeito dos feriados cristãos). O fato de a primeira madrasa Deobandi ter começado em um contexto onde os muçulmanos estavam tentando proteger sua fé e cultura de influências externas mais amplas significa que as madrasas Deobandi estão bem posicionadas para produzir novos líderes muçulmanos que farão o mesmo.

Como podemos orar?

  1. Ore para que DEus abençoe esses jovens líderes muçulmanos em nome de Jesus e peça que procurem primeiro o Reino de Deus.
  2. As madrasas Deobandi são locais de liderança dentro de comunidades muçulmanas. Ore para que sejam locais de sabedoria, compaixão e bondade.
  3. Ore para que muitos líderes dentro do movimento madrasa Deobandi se juntem ao salmista e digam: ‘Eis que tenho suspirado pelos teus preceitos; vivifica-me por tua justiça. Venham também sobre mim as tuas misericórdias, Senhor, e a tua salvação, segundo a tua promessa.’ (Salmos 119: 40,41)

Vamos orar: A Irmandade Muçulmana


DIA 15

08 DE MAIO

 
A Irmandade Muçulmana é considerada um dos movimentos islâmicos modernos mais antigos e mais influentes. Fundado em 1928 por uma professora egípcia, o grupo vê o Islã como um meio de melhoria pessoal e social, estando, também, amplamente envolvido em obras de caridade. A Irmandade Muçulmana se espalhou rapidamente pelo mundo árabe e tornou-se extremamente política naquela região desde o início, exigindo o estabelecimento de estados islâmicos baseados na lei islâmica e a reforma dos sistemas políticos existentes. Na década de 1950, o grupo foi reconhecido em partes da região árabe como uma ameaça, fazendo com que muitos membros fugissem para a Europa. Na Europa, a Irmandade influenciou a formação de outras organizações para representar as comunidades muçulmanas locais e defender causas de interesse próprio. Alguns analistas acreditam que o movimento está em crise nos estados árabes, particularmente no Egito, com conflitos entre membros mais velhos e mais jovens sobre prioridades ideológicas e estratégicas, criando maior incerteza sobre seus objetivos e atividades atuais. A Irmandade Muçulmana é um movimento controverso. Denomina-se uma organização pacífica e democrática que condena a violência. Entretanto, é considerada uma organização terrorista por algumas nações árabes e pela Rússia, mas essa designação é contestada por vários grupos de direitos humanos. Eles são considerados radicais demais por alguns e não-radicais o suficiente por outros. Como a Irmandade é grande, pouco organizada e tem muitas afiliadas, é provável que todas as opções acima possam ser encontradas em suas vertentes.

Como podemos orar?

  1. Ore pelos membros da Irmandade Muçulmana que têm influência nas nações árabes, para que usem sua influência para promover a paz, a liberdade e o bem-estar de suas comunidades.
  2. Ore pelos muçulmanos motivados por sua ideologia a fazer boas obras, para que eles possam fazer a diferença de forma positiva em suas comunidades.
  3. Um dos slogans mais populares da Irmandade Muçulmana é “O Islã é a solução”. Ore para que seus membros explorem outra saída, em Jesus. (João 14: 6)

Vamos orar: Muçulmanos de Uttar Pradesh, Índia


DIA 14

07 DE MAIO

 

Embora a população Muçulmana da Índia exceda 180 milhões, eles continuam sendo uma minoria, representando apenas 15% da população Indiana, de 1,3 bilhão. Desses 180 milhões, cerca de 85% são Muçulmanos Sunitas, dos quais quase 40 milhões vivem em Uttar Pradesh (UP), o estado mais populoso da Índia. Infelizmente, apesar de centenas de anos de trabalho missionário na Índia, os muçulmanos do norte do país, mais especificamente, os Sunitas de Uttar Pradesh permanecem quase completamente inalcançáveis ??/dissociados.

Desde os motins de Gujarat em 2002, nos quais mais de mil Muçulmanos foram mortos por Hindus militantes, os Muçulmanos do norte da Índia têm vivido com medo. Como resultado, houve um forte movimento dos muçulmanos no sentido de viver em comunidades apertadas, muitas vezes pobres para oferecer segurança. No norte da Índia, os telhados são revestidos com bandeiras verdes, representando bairros muçulmanos, enquanto bandeiras alaranjadas designam bairros Hindus. À medida que a perseguição contra muçulmanos e cristãos na Índia continua se intensificando, os sunitas de UP encontram suas comunidades encurraladas. Notícias negativas da mídia levam ao aumento de ataques, fazendo com que os bairros muçulmanos tenham suas infraestruturas básicas (como água, saneamento, educação e assistência médica) cortadas ou negadas.

E, no entanto, apesar dos perigos que os enfrentam, os muçulmanos de UP continuam a receber convidados em suas casas com corações generosos. Ao saborearmos o chai e compartilharmos uma refeição, oramos para que essas pessoas preciosas, experimentem a esperança que somente Cristo pode trazer.

Como podemos orar?

  1. Ore para que a Índia encontre uma maneira de viver em paz com sua diversidade religiosa e cultural, com todas as religiões denunciando a violência e trabalhando juntas para o bem de sua nação.
  2. Ore para que os muçulmanos que moram em bairros fechados de UP tenham a oportunidade de ouvir a mensagem de Cristo.
  3. Ore para que os cristãos do norte da Índia contribuam para a paz e tragam a esperança, a luz e o amor de Cristo para as comunidades sombrias. (João 8:12)


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia