WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira

O Brasil que está aprendendo a orar


agosto 2020
D S T Q Q S S
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  


Como o aprendizado pode transformar vidas na Nigéria


Muitas mulheres são beneficiadas por projetos da Portas Abertas que garantem a sobrevivência de cristãos na Nigéria

Muitas mulheres são beneficiadas por projetos da Portas Abertas que garantem a sobrevivência de cristãos na Nigéria

Ativi é uma jovem da Nigéria na casa dos 20 anos. O país é o 12º colocado na Lista Mundial da Perseguição 2020, onde ataques do grupo extremista Boko Haram tem gerado destruição e morte. Ela compartilha que antes de o Boko Haram atacar o vilarejo dela, a vida era ótima. “Eu ia à igreja e estava no grupo das meninas e na irmandade das mulheres. À noite, nos sentávamos e conversávamos sem medo”, relembra a jovem. Mas quando o Boko Haram chegou, tudo mudou.

Ativi conta como teve que fugir da Nigéria aos primeiros sinais do ataque: “Ouvimos tiros bem cedo, ainda de madrugada. Eu estava na fazenda colhendo amendoim com minha mãe. Corri para casa, peguei nossos pertences e fugi. O som das armas me deixou tão assustada. Corri para Camarões e encontrei um lugar onde poderíamos ficar com a ajuda de um amigo”.

Quando ficou sabendo que a aldeia estava em paz, voltaram para casa, na Nigéria. Ativi conta como foi aquele momento: “Quando chegamos aqui, as coisas estavam calmas, mas as pessoas viviam na pobreza. Ficamos realmente traumatizados ao ver nossa igreja queimada. Sempre que entro na igreja, sinto o coração pesado. O relacionamento entre as pessoas não era mais o mesmo. Todo mundo ficou escondido por um bom tempo. Algumas das meninas com quem eu andava se converteram ao islã, enquanto outras apenas se rebelaram”. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Ataques extremistas matam 170 cristãos no Congo


Famílias cristãs inteiras são dizimadas durante ataques de extremistas islâmicos no Congo

Famílias cristãs inteiras são dizimadas durante ataques de extremistas islâmicos no Congo

Os cristãos continuam sob a mira de rebeldes na República Democrática do Congo (RDC) desde o fim de 2019. Mesmo a pandemia da COVID-19 não foi capaz de deter os ataques dos extremistas. A Portas Abertas contabilizou a morte de 66 cristãos em maio, 55 em junho e 21 em julho. Mas o número pode ser maior no trimestre e chegar a 170 vítimas fatais.

De acordo com o relatório do Escritório Conjunto de Direitos Humanos da ONU (UNJHRO, sigla em inglês), 800 civis foram assassinados nos últimos 18 meses, na província de Kivu do Norte. As ações dos extremistas alcançaram a região de Ituri e demais áreas como as vilas de Mighende, Mitembo, Kabugeja, Mugwanga e Abalago.

Quem são os responsáveis pelos ataques?

Os responsáveis pelos ataques são integrantes das Forças Democráticas Aliadas (ADF), que têm como objetivo expandir o islamismo. O grupo iniciou os ataques em Uganda e agora atua na RDC. A princípio, eles costumam a atacar pessoas sozinhas e vulneráveis em fazendas ou durante viagens. Mas há casos em que aldeias e empresas foram saqueadas, escolas e clínicas destruídas e cristãos sequestrados.

Segundo o documento da ONU, a maneira que os jihadistas atuam indica uma intenção clara de não deixar sobreviventes. Por isso, famílias inteiras são perseguidas e mortas. “O grande número de mortes torna fácil esquecer que, por trás de cada nome nas listas de vítimas, há uma família e uma comunidade que perderam um membro e um colaborador essencial”, comenta um porta-voz da Portas Abertas. :: LEIA MAIS »

Líbano: refugiados cristãos podem ser os mais afetados pela fome


Famílias refugiadas já enfrentam uma grave crise de fome e desemprego no Líbano

Famílias refugiadas já enfrentam uma grave crise de fome e desemprego no Líbano

O mundo ficou impactado com a dimensão da explosão que afetou o Líbano, no dia 4 de agosto. De acordo com as autoridades, tudo começou com um incêndio em um depósito que armazenava uma grande quantidade de nitrato de amônia, no porto da capital Beirute. Além da destruição dos edifícios na região, o incidente deixou até agora 157 mortos, 5 mil feridos e 300 mil desabrigados.

A situação do país já não era fácil pelas questões políticas e instabilidade econômica. Porém, o incidente pode agravar a fome que muitos já enfrentam, porque alimentos e outros itens básicos para a sobrevivência foram destruídos com a explosão. O ministro da Economia do Líbano, Raoul Nehme, informou à Reuters que o país possui um estoque de grãos para alimentar a população por três meses.

As igrejas locais estão sobrecarregadas, mas permanecem assistindo aos necessitados que surgem. A Portas Abertas também tem parcerias em projetos que servem cristãos refugiados no Líbano. Mas nenhum deles foi atingido diretamente pelo incidente. Entretanto, já está em estudo como a organização internacional pode fazer a diferença neste momento delicado do país. :: LEIA MAIS »

14 famílias cristãs são agredidas por extremistas na Índia


Famílias cristãs são agredidas por extremistas hindus no interior da Índia (foto representativa)

Famílias cristãs são agredidas por extremistas hindus no interior da Índia (foto representativa)

Mesmo durante a crise da COVID-19 na Índia, 14 famílias cristãs enfrentaram também as agressões de extremistas hindus por não abandonarem a fé em Jesus. Em 21 de julho, uma multidão atacou e destruiu a casa de Chachiri Muduli, de 75 anos, na vila de Badaguda, leste do estado de Odisha. Além de ser local onde aconteciam reuniões de oração, a residência era abrigo de oito famílias, que também tiveram as casas destruídas por radicais.

Além da anciã, as netas dela de 22 e 25 anos também foram agredidas. Segundo líderes cristãos locais, os seguidores de Jesus já haviam sido agredidos pelos nacionalistas. Em resposta, a polícia prendeu dois homens envolvidos nos ataques, mas soltaram os acusados após pagamento de fiança.

A vila de Badaguda já foi cenário de outros ataques contra cristãos. Segundo o site britânico Christian Solidarity Worldwide, a igreja local foi destruída em um incêndio e a hostilidade aos seguidores de Jesus permaneceram, apesar da tentativa de resolução de conflitos com os extremistas religiosos na aldeia. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: A perseguição aos cristãos na China


Cristãos chineses frequentam seminário de preparação para a perseguição para aprender a lidar com as dificuldades enfrentadas no país

Cristãos chineses frequentam seminário de preparação para a perseguição para aprender a lidar com as dificuldades enfrentadas no país

China marcou 70 pontos na Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2020, subindo para a posição 23, enquanto no ano anterior estava em 27° lugar, com 65 pontos. A pontuação de violência permaneceu praticamente inalterada já que a China marcou o máximo para prédios de igreja confiscados e destruídos. Os pontos para pressão nas esferas aumentaram na vida privada e comunidade, refletindo uma ênfase muito mais forte na ideologia comunista e que cidadãos são usados e pagos para fornecer informações sobre cristãos e outras minorias. A ênfase na ideologia e na ampla meta de preservar as regras do Partido Comunista reflete no contínuo crescimento da pontuação nas esferas da nação e igreja, onde é visível o reflexo da implementação muito rígida da regulamentação religiosa, que começou em 1 de fevereiro de 2018. Cristãos estão testemunhando muito mais problemas com as autoridades e essa pressão é sentida especialmente na esfera da igreja.

A pontuação média para pressão aos cristãos na China subiu de 11 para 11,9. As pontuações para pressão subiram em todas as esferas da vida, mostrando que a implementação das novas regulamentações na religião se estendeu sobre todas as províncias agora e são implementadas de acordo com a vontade do Partido Comunista, que é o principal implementador, não o governo. O ambiente legal e administrativo se tornaram mais difíceis, não apenas pelas chamadas igrejas domésticas, mas também por igrejas que pertencem ao Movimento Patriótico das Três Autonomias. A pressão para entrar na linha da ideologia prevalecente de louvar as conquistas do Partido Comunista tem se tornado muito mais forte e representa, sem dúvidas, um dos maiores riscos para cristãos, a longo prazo. :: LEIA MAIS »

Multidão furiosa cerca casa de cristãos no México


Cristãos são expulsos de vila e encontram socorro e abrigo no México

Cristãos são expulsos de vila e encontram socorro e abrigo no México

A Portas Abertas contou a história de Assunção, um cristão mexicano que enfrenta perseguição desde que os pais dele decidiram seguir a Jesus em Yitzal Tres Lagunas, Sul do México. Já na escola, ele sabia o que era ser rejeitado por ter uma fé diferente dos demais alunos. Porém, mesmo com tanta hostilidade, o evangelho cresceu e mais pessoas foram se tornando cristãs. Quando decidiram construir uma igreja na cidade, os vizinhos se opuseram e destruíram o pouco que havia sido edificado. Logo, os governantes interviram nos conflitos e estipularam que a nova comunidade de fé deveria apoiar um dos cinco festivais da igreja católica local. Mas a liderança católica exigiu depois que todos os trabalhos fossem apoiados e expunha as pessoas que não tinham contribuído, aumentando assim a animosidade contra os protestantes.

O pai e o tio de Assunção representaram o interesse de outras cinco famílias contra a decisão de contribuir para os festivaias católicos e, por isso, foram presos. Durante a detenção, a família do cristão mexicano precisou ficar trancada em casa, já que uma multidão furiosa cercava o local. “A porta da frente e todas as janelas estavam trancadas. Nós tínhamos medo. Ouvimos a multidão dizer que eles iriam queimar nossa casa e estuprar nossas mulheres. Não podíamos sair para comprar mantimentos, então tivemos que comer o pouco que nos restava em nossa cozinha”, conta Assunção. :: LEIA MAIS »

Boko Haram mata ao menos 5 cristãos durante ataque em Camarões


Cristãos convivem com medo de ataques de grupos extremistas, como o Boko Haram em Camarões (foto representativa)

Cristãos convivem com medo de ataques de grupos extremistas, como o Boko Haram em Camarões (foto representativa)

Na noite de primeiro de agosto até o dia seguinte, integrantes do Boko Haram atacaram a cidade de Nguetchewe, em Camarões. Segundo a mídia local, 18 pessoas morreram durante a ação, mas fontes na região acreditam que o número de vítimas chegue a 28, já que dois atentados suicidas aconteceram no mesmo período.

Um líder cristão falou com os colaboradores da Portas Abertas pelo telefone e contou como tudo aconteceu. Ele estava em casa quando ouviu tiros e percebeu que as pessoas começaram a correr. Algumas mulheres e crianças se esconderam onde o milho é batido. Mas uma moça falou que estava com dor de estômago e conseguiu entrar no local, então ela se detonou e matou outras pessoas. “É possível que outro homem-bomba tenha atacado mais moradores”, testemunha.

De acordo com outro líder de igreja na cidade, ao menos cinco vítimas fatais eram cristãs. Mas esse número pode aumentar se alguns dos 10 feridos morrerem e outros desaparecidos forem encontrados mortos. Os sobreviventes do ataque foram levados para os hospitais de Koza e Maroua.

A opressão islâmica contra os cristãos colocou Camarões em 48º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2020. Um dos intentos de grupos extremistas como Boko Haram é eliminar os seguidores de Jesus da região. Ali pretendem estabelecer um Estado islâmico, onde as leis muçulmanas restritas ordenariam o comportamento de todos. :: LEIA MAIS »

Série Faces da Perseguição: pastor passa a viver com refugiados após quase ser morto


Marc enviou a família para um esconderijo no Congo, mas ficou no país por causa da igreja

Marc enviou a família para um esconderijo no Congo, mas ficou no país por causa da igreja

O pastor Jean Marc, junto com a esposa e os sete filhos, viveu a revolta na República Centro-Africana, em dezembro de 2012, quando muçulmanos extremistas do Seleka começaram a atacar o governo. Desde então os cristãos têm sido perseguidos. A maioria no país é cristã e quando o Seleka atacou, houve um fundo religioso, pois eles diziam que a razão dos ataques era porque os cristãos haviam governado o país por 50 anos de forma ruim.

Quando eles se uniram para derrubar o presidente, mataram pastores e líderes, roubaram cristãos e suas lojas, e queimaram seus campos, destruindo tudo. Mas nenhuma loja e propriedade de muçulmanos foi destruída. Era possível ver um fundo religioso nos ataques, uma forma de islamização do país.

“Eles invadiram minha casa para me matar. Na minha região, eles assassinaram dois pastores e o terceiro que deveria ser morto era eu. Eles já estavam quase na minha casa, quando o chefe do bairro veio e me disse: ‘Pastor, saia de casa. Eles estão vindo para matá-lo’. Ele disse isso na frente dos meus filhos. Eu queria ficar, mas minha filha começou a chorar: ‘Papai, nós não podemos ficar. Pense em nós. Vamos embora. Vamos fugir’. Eles me convenceram.” :: LEIA MAIS »

Como um ex-soldado em Mianmar levou uma vila budista a Cristo


Atualmente, Dano pastoreia uma igreja na vila e almeja alcançar outras duas vilas

Atualmente, Dano pastoreia uma igreja na vila e almeja alcançar outras duas vilas

Nós já falamos sobre a relação do pastor Dano*, de Mianmar, com os chefes de sua vila. Porém, certo dia, o filho do vice-chefe foi possuído por demônios após ir até a floresta onde os espíritos vivem. A família do jovem consultou os arkar, que são magos, mas eles não puderam ajudar. Então foram até o monge budista para pedir ajuda, mas o jovem rapaz piorou. Quando toda a esperança parecia ter ido embora, a família lembrou que o pastor Dano costumava orar pelos doentes e eles eram curados.

Foi quando pediram ajuda ao pastor Dano, apesar de estarem relutantes, já que tinham se oposto a ele. “A família do vice-chefe pensou que eu ficaria bravo e me recusaria a ajudar, mas eu vi isso como uma boa oportunidade para chegar até eles”, disse o pastor. Ele jejuou e orou por três dias. Depois foi até a casa do rapaz, mas quando o viu, o jovem saiu correndo.

Os moradores o procuraram e só voltaram às 23h. O pastor Dano mandou o demônio sair, mas ele permaneceu no santuário. O pastor Dano tentou queimar o santuário, mas este não pegava fogo. Finalmente, após jogar diesel, o santuário queimou. Ele clamou ao nome do Senhor e o espírito deixou o rapaz. O mais incrível não é que apenas um demônio fugiu, mas que todos os outros espíritos da vila fugiram. Isso foi o que os adivinhos disseram ao pastor Dano ao implorar que os trouxesse de volta.

“Os moradores, porém, não ficaram felizes já que seus espíritos os deixaram. Reclamaram para o chefe e tentaram me matar”, compartilhou. Os médiuns da vila sacrificaram e imploraram para que os espíritos voltassem, mas eles não o fizeram. O pastor Dano orou em algumas áreas, lugares onde ficavam os templos espirituais. No dia seguinte, todos os santuários da vila tinham sido queimados. Ninguém sabe o que aconteceu. Foi um verdadeiro milagre. :: LEIA MAIS »

Tudo sobre a perseguição aos cristãos na China


Os cristãos chineses que desejam viver a fé cristã precisam agir em segredo para não atrair atenção do governo

Os cristãos chineses que desejam viver a fé cristã precisam agir em segredo para não atrair atenção do governo

Nos últimos dias, a perseguição aos cristãos na China ganhou destaque especial em diversos jornais brasileiros. Porém, a hostilidade aos seguidores de Jesus no país comunista é antiga e há anos preocupa a igreja de Jesus ao redor do mundo. Já na dinastia Ming, entre 1368 e 1644, os cristãos foram banidos do país. Mas a perseguição atual começou em 1949, quando a República Popular da China foi criada. Todas as religiões que exigiriam a lealdade dos chineses em detrimento do Estado foram violentamente combatidas. Forçando, assim, a fuga de missionários cristãos estrangeiros no país.

Apesar da Revolução Cultural que ocorreu entre 1966 e 1976 ter transformado toda a sociedade chinesa nos padrões desejados pelos comunistas, a igreja de Jesus sobreviveu de maneira clandestina. Havia, sim, uma igreja permitida pelo Estado chinês, mas essa deveria excluir qualquer ensinamento bíblico que fosse contra os ideais do Partido Vermelho, jurar lealdade aos governantes, ter uma bandeira da China em exposição e cantar o hino nacional em cada encontro.

As igrejas chinesas permitidas pelo governo comunista são monitoradas em todo tempo e qualquer crítica ao sistema pode resultar em sérias consequências

Qual é o número de cristãos na China?

Hoje, acredita-se que existam 97,2 milhões de cristãos na China, que enfrentam a hostilidade vindas de oficiais do governo, partidos políticos e líderes religiosos não cristãos. A opressão comunista e pós-comunista é um instrumento para que o governo mantenha o poder e a harmonia na sociedade. O atual presidente Xi Jinping tem se mantido no poder por meio de um forte combate a qualquer ideia que possa ameaçar a autoridade máxima dele. Nesse cenário, os cristãos convertidos e de minorias religiosas, como os muçulmanos de Xinjiang, também são alvos de ações mais diretas. :: LEIA MAIS »

Ameaças de extremistas resultam em morte de adolescente cristã na Índia


As cristãs indianas convivem com ameaças de violência física caso não deixem de seguir a Jesus (foto representativa)

As cristãs indianas convivem com ameaças de violência física caso não deixem de seguir a Jesus (foto representativa)

O extremismo hindu tem causado sérias consequências para os cristãos na Índia. A família Sodi já enfrentava um grande desafio de seguir a vida após a morte da filha Sangita, porém, a situação piorou quando o corpo da caçula, Budheswari, foi encontrado pendurado na sala, onde aconteciam as reuniões de intercessão.

A adolescente de 16 anos estudava em um colégio interno, mas estava há dois meses em casa por causa da COVID-19. Ela sempre recebia ameaças de que os radicais abusariam dela e a matariam, assim como fizeram com a irmã, se a família não deixasse o cristianismo. De acordo com o irmão mais velho, Chaitram, o culpado pela morte de Sangita em 2016 estava preso, mas havia outros participantes do crime que ficaram impunes.

No local onde estava o corpo não tinha uma nota evidenciando o suicídio de Budheswari, porém, as autoridades investigaram e confirmaram a suspeita da família em um documento oficial. Segundo outros membros da única família cristã do vilarejo, a adolescente não conseguiu superar a pressão psicológica e as constantes ameaças.

No país em 10º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2020 é comum que os cristãos enfrentem tanto abusos físicos quanto psicológicos. O principal responsável pela intolerância religiosa é o extremismo hindu, que reconhece como indianos apenas os que mantém a adoração aos diversos deuses hinduístas. :: LEIA MAIS »

Com um caso suspeito, Coreia do Norte enfrenta consequências da quarentena


Os norte-coreanos são os mais afetados pela falta de alimentos, educação e ajuda humanitária

Os norte-coreanos são os mais afetados pela falta de alimentos, educação e ajuda humanitária

Enquanto o mundo caminhava devagar para o retorno das atividades interrompidas pelo surto da COVID-19, a Coreia do Norte negava a presença do coronavírus no território, até que Kim Jong-un declarou alerta máximo para a identificação do primeiro caso suspeito da doença no país, no último dia 25.

Segundo o ditador, um desertor pode ter se contaminado quando fugiu para a Coreia do Sul e voltou “ilegalmente”, obrigando a cidade fronteiriça de Kaesong a ficar em lockdown. Mas as consequências da pandemia já eram colhidas na nação comunista muito antes do primeiro caso. O cristão norte-coreano Timothy Cho* contou as principais informações da Coreia do Norte à Portas Abertas. Confira!

Onde estão as crianças norte-coreanas?

Uma das maneiras de manter o regime comunista é investir na educação rígida da população desde a tenra idade. Mas o alto índice de evasão escolar no Ensino Fundamental está preocupando o Ministério da Educação. As autoridades iniciaram uma investigação para descobrir o motivo da redução de alunos nas escolas primárias do país número um na Lista Mundial da Perseguição 2020. De acordo com Cho, as justificativas podem ser a baixa taxa de natalidade, a falta de condições dos pais de pagar as despesas escolares e a necessidade do trabalho da criança para a sobrevivência da família.

É comum que os cidadãos que têm filhos na escola também sejam coagidos a contribuir com projetos de construção e apoio militar. “Foi a mesma coisa durante o meu período escolar. Eles costumavam nos pedir para doar cobre, peles de coelho secas para roupas de inverno dos soldados, dinheiro para projetos de construção, papelões, etc.”, lembra o cristão. Porém, se o “pedido” não for atendido, os alunos são fortemente criticados publicamente. “Quaisquer que tenham sido as razões que levaram a reduzir o número de alunos do Ensino Fundamental na Coreia do Norte, essa é uma consequência inevitável que advém das dificuldades econômicas”, comenta Cho. :: LEIA MAIS »

Série Faces da Perseguição: cristã passou por 10 prisões e um campo de trabalho forçado na Coreia do Norte


Hea-Woo passou por um total de 10 prisões até ser levada para um campo de trabalho forçado

Hea-Woo passou por um total de 10 prisões até ser levada para um campo de trabalho forçado

Após o marido de Hea-Woo ser executado, a cristã norte-coreana tomou a decisão de continuar o serviço a Deus que ele começou e fugir da Coreia do Norte. Mas, durante suas tentativas, ela foi descoberta e mandada de volta. Primeiro, para uma prisão mista, onde foi interrogada e torturada durante muitos dias. Uma das prisioneiras contou aos guardas que Hea-Woo pregava a palavra de Deus dia e noite. Ela foi torturada muitas vezes e, em alguns momentos, teve medo de perder a consciência e negar a Jesus.

Ela orou e o Senhor lhe deu forças para suportar. “Eu ouvi uma voz que me dizia: ‘Pense no sofrimento de Jesus na cruz’. Essas imagens ficaram bem claras em minha mente e fui envolvida por elas.” Enquanto pensava no sofrimento de Jesus, Hea-Woo não sentiu nenhuma dor. Foi mandada de volta para a cela e lá ouviu uma voz do alto dizendo: “Minha filha amada, hoje você andou sobre as águas”. As outras mulheres não perceberam nada e Hea-Woo percebeu que Deus estava com ela em todos os momentos.

Ela passou por um total de 10 prisões até ser levada para um campo de trabalho forçado. Ela entendeu que deveria falar sobre Deus dentro do campo, mas não sabia como fazer isso. Deus lhe mostrou a quem falar e como anunciar a palavra. Como as pessoas podiam morrer a qualquer momento, elas recebiam bem o evangelho. Foi assim que elas começaram uma igreja secreta no campo. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: A perseguição aos cristãos no Vietnã


A pressão aos cristãos permanece muito alta em quase todas as esferas da vida

A pressão aos cristãos permanece muito alta em quase todas as esferas da vida

Com 72 pontos, o Vietnã está na 21ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2020, comparados aos 70 pontos e 20ª colocação na edição anterior. A pontuação por violência aumentou 0,7 pontos e está estável; entretanto, a pressão em quase todas as esferas da vida aumentou ligeiramente. As novas regulamentações religiosas, implementadas a partir de 1 de janeiro de 2018, não mudaram nada substancialmente, apesar de no papel parecer uma melhoria. Regulamentos mais restritos na comunicação on-line ajudaram a restringir e limitar o espaço que os cristãos aproveitam, ainda mais. Pressão e violência contra cristãos que pertencem a minorias étnicas continuam sem alteração e receber relatos dessas regiões permanece um desafio.

A pressão aos cristãos no Vietnã permanece muito alta em quase todas as esferas da vida, causando o aumento da média de pressão para 12,7 pontos comparada a 12,3 nos últimos dois anos. A pressão é mais forte para a igreja, em nível extremo, seguido por nação e comunidade. A pressão aos convertidos é principalmente acentuada na vida privada e família, mas todos os cristãos enfrentam pressão forte na nação e igreja. Essa pressão é completa pelo aumento nos níveis da retórica comunista, a nova lei religiosa e seus requisitos complicados e uma suspeita contínua entre os convertidos bem como para todas as minorias étnicas e religiosas. :: LEIA MAIS »

O que foi a Revolução do Egito?


Apesar de serem 10% da população, cristãos são excluídos pela sociedade egípcia

Apesar de serem 10% da população, cristãos são excluídos pela sociedade egípcia

Há 68 anos, iniciava a Revolução do Egito que libertaria o país do imperialismo britânico e instituiria a república. Um grupo de soldados denominados “Oficiais Livres” depuseram o rei Faruk I e tomaram o poder com o objetivo de modernizar o território e promover a recuperação econômica.

Logo no início, os militares tomaram o poder e promoveram ações como a extinção dos partidos políticos, a industrialização e o combate ao fundamentalismo islâmico. A intenção dos novos governantes era a criação de um Estado socialista adaptado e a unificação do mundo árabe.

Os planos não deram certo e o país ficou sob o governo de Hosni Mubarak por 30 anos. Com a derrubada do ditador em 2011, os militares voltaram ao poder. Mas um novo golpe foi dado e Abdel Fattah Al-Sisi assumiu a presidência e tem governado a nação até hoje, com punho de ferro.

Apesar de uma forte crença de que o Egito seria uma nova nação a partir das mudanças políticas e sociais, muito da cultura que discriminava os cristãos egípcios se manteve intacta. Em alguns casos até piorou, como consequência do radicalismo do islã.   :: LEIA MAIS »

Como vivem os cristãos ex-muçulmanos na China?


A China é o lar de muitos muçulmanos e a igreja de cristãos ex-muçulmanos tem crescido entre eles

A China é o lar de muitos muçulmanos e a igreja de cristãos ex-muçulmanos tem crescido entre eles

A China abriga cerca de 21 milhões de muçulmanos – um número enorme, embora corresponda apenas a 1,5% da população total do país. Dez das 55 minorias étnicas da China são predominantemente muçulmanas. Os cristãos desses grupos minoritários enfrentam muitos desafios – suas famílias e comunidades veem a nova fé como traidora de sua herança, e o governo também está reprimindo a fé religiosa entre os grupos minoritários. E, no entanto, o evangelho está avançando entre os muçulmanos na China.

Aynur* vive em uma cidade na parte mais ocidental da China, a caminho da Ásia Central, que mais se parece com uma parte do Oriente Médio, não com a China. Nas ruas, os homens usam chapéus muçulmanos e as mulheres usam lenços de cores vivas. Os braços e as pernas das mulheres estão totalmente cobertos, mas o governo chinês proibiu que ocultassem o rosto. Os homens não têm permissão para usar longas barbas. Essa região é agora como um estado policial, com câmeras de vigilância em todas as ruas e dentro de conjuntos habitacionais.

Aynur decidiu deixar a fé muçulmana tradicional de sua comunidade para seguir Jesus, tornando-se uma cristã secreta. Ela enviou uma mensagem através de um amigo de que ela e os outros cristãos em sua casa estavam sozinhos e com fome de ensino bíblico e comunhão. Isso era tudo o que sabíamos sobre essa família. Foi por isso que Stephen*, um colaborador da Portas Abertas, foi se encontrar com eles. :: LEIA MAIS »

Cristã é rejeitada pelo marido no Laos


Vilay perdeu o sétimo marido e agora vive com as duas filhas firmes em Jesus no Laos (foto representativa)

Vilay perdeu o sétimo marido e agora vive com as duas filhas firmes em Jesus no Laos (foto representativa)

No dia em que o Laos completa 71 anos de independência, a Portas Abertas conta a história de Vilay*. Uma mulher que, assim como a samaritana narrada na Bíblia, buscava amor e segurança nos homens com quem se relacionava. Ela se casou sete vezes, porque alguns maridos faleceram e outros a abandonaram. Como consequência, Vilay teve muitos filhos, mas apenas duas garotas ficaram sob a guarda dela. Em 2017, um parceiro da Portas Abertas apresentou Jesus para elas e desde então as três mulheres passaram a seguir o salvador.

Apesar de amar o sétimo esposo e pretender ficar com ele pelo restante da vida, a cristã foi ameaçada pelo parceiro quando contou que havia se convertido ao cristianismo. Então, Vilay pediu oração dos irmãos da igreja para que o marido mudasse de ideia, mas o homem decidiu romper o relacionamento. O chefe e o comitê da vila onde mora foram convidados para participar da cerimônia de divórcio.

Na ocasião, a cristã virou motivo de zombaria e provocação, já que mais uma vez tinha perdido o marido. Além disso, Vilay teve que pagar uma quantia equivalente a 100 dólares para arcar com as despesas da cerimônia. De acordo com as autoridades locais, ela precisou pagar pelo porco e pelas refeições e bebidas oferecidas aos espíritos, para que a irritação deles com a conversão dela fosse reparada. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia