WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira

O Brasil que está aprendendo a orar


janeiro 2022
D S T Q Q S S
« dez    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  


Quais países já ocuparam o 1º lugar na Lista Mundial da Perseguição


A Lista Mundial da Perseguição 2022 será lançada no dia 19 de janeiro

A Lista Mundial da Perseguição 2022 será lançada no dia 19 de janeiro

Desde 1992, a Portas Abertas coleta dados e informações sobre a Igreja Perseguida. Em 1993, foi publicada a primeira Lista Mundial da Perseguição (LMP). Qualquer hostilidade recebida por causa da fé em Jesus, seja ela por meio de palavras, atitudes ou ações é considerada perseguição. Atualmente, mais de 340 milhões de cristãos são perseguidos no mundo.

O primeiro país que ocupou a primeira posição como a nação que mais persegue os seguidores de Jesus foi a Arábia Saudita, na LMP 1993. O país ficou sete vezes no topo da lista que mede a perseguição aos cristãos. Em 1993, o Afeganistão estava em 2º lugar e nunca saiu da LMP desde a primeira edição. Em duas edições da LMP, a Somália também ocupou a primeira posição. Outro país que sempre esteve presente no ranking é a Coreia do Norte, que ficou em 6º lugar na primeira lista publicada, mas desde 2002 é a nação mais perigosa para os cristãos viverem.

Qualquer cristão em qualquer lugar da Coreia do Norte é extremamente vulnerável à perseguição. Os norte-coreanos são obrigados a adorar e obedecer cegamente às ordens da família Kim, que lidera o país. O controle das autoridades no país vai além das fronteiras. Agentes secretos na China têm a tarefa de encontrar e deportar cristãos norte-coreanos que fugiram do país.  

Na Coreia do Norte, todos ficam sob o controle extremo do governo, até mesmo o emprego é definido pelas autoridades do país. E qualquer pessoa que tenha ligação cristã na árvore genealógica é impedida de ter promoções de cargo. É estimado que cerca de 30% dos cristãos presos em campos de trabalho forçado pela fé são mulheres. É comum elas passarem por violência sexual e estupro durante interrogatório, o mesmo pode acontecer enquanto estão na prisão. Mesmo fora da prisão, o abuso sexual é normalizado.   :: LEIA MAIS »

Como os conflitos no Cazaquistão afetam os cristãos perseguidos?


Em meio a protestos, o Cazaquistão se tornou notícia mundial

Em meio a protestos, o Cazaquistão se tornou notícia mundial

Cazaquistão se tornou notícia no mundo e, em meio a protestos, o presidente do país aceitou a renúncia de seu governo. A manifestação começou devido ao aumento do gás liquefeito de petróleo (GLP), que dobrou de valor. Há informações de que quase 8 mil pessoas foram detidas desde o início dos protestos, e mais de 160 foram mortas, incluindo três crianças. 

Enquanto o país passa por este momento de turbulência, os cristãos se preocupam também com as possíveis mudanças na Lei da Religião. O presidente Tokayev assinou a lei em 29 de dezembro, mas ainda é possível que essa nova lei não seja executada.

“Vemos a rapidez com a qual a situação de um país pode mudar, como está em Salmos 46.6: ‘Nações se agitam, reinos se abalam; ele ergue a voz, e a terra se derrete’”, disse  Jan de Vries (pseudônimo), parceiro da Portas Abertas na Ásia Central. 

O Ministério da Informação e Desenvolvimento Social do Cazaquistão, que decreta o controle sobre o exercício da liberdade de religião ou crença, preparou mudanças na Lei da Religião. As mudanças previstas têm o intuito de dificultar a realização de reuniões cristãs, e isso afetaria consideravelmente as igrejas que não são registradas.  

:: LEIA MAIS »

Cristão é atacado pela família no Sri Lanka


Na Província Central do Sri Lanka, homem foi atacado por se converter ao cristianismo

Na Província Central do Sri Lanka, homem foi atacado por se converter ao cristianismo


Na Província Central do Sri Lanka, Sameera (pseudônimo), um cristão ex-budista, foi atacado pela própria família por se converter ao cristianismo. Tudo começou quando o pastor de Sameera ligou para informar que o visitaria naquela noite. Sameera vive com a esposa e o filho de nove anos em uma aldeia onde o budismo é dominante, e o pastor é de uma outra região. 
O tio de Sameera, que se opôs fortemente à fé de seu sobrinho, soube da visita através de um comentário feito pela esposa de Sameera e alertou um monge local. Tudo parecia correr bem durante a visita, em que o pastor teve um momento de oração e refeição com a família de Sameera. Mas quando resolveu sair, o pastor se deparou com uma multidão esperando por ele. 
O monge esperava pelo pastor e gritou que aquela era uma aldeia budista e que ele não deveria mais voltar lá. Mas Sameera interferiu e disse que o pastor era um convidado dele.  Ao argumentarem que Sameera nasceu budista, ele compartilhou o testemunho: “Sim, eu nasci budista. Mas eu era um traficante. Eu mentia, roubava, matava animais. Eu roubava as joias da minha mãe ou peças de veículo para comprar drogas. Fiz coisas ruins, mas nenhum de vocês me ajudou. Nenhum de vocês me mostrou o caminho correto, mas esse pastor me ensinou. Minha vida mudou por causa do meu Deus”. 

A multidão foi embora 

Ninguém poderia dizer nada depois que Sameera compartilhou seu testemunho e a multidão começou a se dispersar. No entanto, o monge e os poucos que permaneceram foram em direção à casa onde a tia de Sameera morava. Ela também era uma das poucas cristãs naquela aldeia. Sabendo que sua tia estava sozinha em casa, Sameera foi até lá para garantir a segurança dela.
O tio de Sameera, irritado com a situação, começou a bater nele. Com o caos do momento, a esposa dele, o pastor e o funcionário do ministério que acompanhava o pastor também foram golpeados. Como estava escuro, ninguém podia ver claramente, e até mesmo algumas pessoas que estavam contra Sameera acabaram se machucando por conta própria.  

“Eu ainda manterei minha fé” 

Sameera e sua tia continuaram a enfrentar forte oposição dos parentes todos os dias depois disso. Quando os parceiros locais da Portas Abertas o visitaram no dia seguinte ao incidente, eles encontraram um homem que ainda estava esperançoso e com a fé forte. Ele disse que as pessoas perguntam o que Deus fez por ele, mas elas não veem as bênçãos espirituais que ele recebe, pois só enxergam a casa de barro em que ele vive com a esposa. 
Como Sameera vive com a esposa em uma casa construída no terreno dos pais dele, o fornecimento de eletricidade e água para a casa de Sameera foi cortado pela família do cristão ex-budista. “O maior problema que temos agora é que não temos água ou eletricidade, mas mesmo que esses problemas não sejam resolvidos, eu ainda manterei minha fé. Mesmo que toda a aldeia ou o mundo inteiro fique contra mim, ainda acreditarei em Deus”, disse ele aos parceiros de campo. Sameera e a esposa estão constantemente sob pressão para deixar a aldeia por causa de uma oposição liderada pelo pai e pelo tio de Sameera.  


Pedidos de oração 

  • Peça pela proteção de Sameera, pela esposa dele e o filho de nove anos. Clame para que eles continuem a encontrar força em Deus.
  • Clame para que os perseguidores de Sameera experimentem o amor de Cristo. E para que mais pessoas naquela aldeia, incluindo os parentes de Sameera, conheçam Jesus. 
  • Ore para que Sameera e sua família sejam sal e luz para a comunidade. 
  • Interceda pelo pastor de Sameera e seu ministério. Peça a proteção de Deus sobre ele e sua família. 

Fonte: Portas Abertas

Cerca de 60 pessoas são mortas na Nigéria


As autoridades anunciaram que denominarão as gangues criminosas como grupos terroristas  

As autoridades anunciaram que denominarão as gangues criminosas como grupos terroristas


Pelo menos 60 pessoas foram mortas na Nigéria durante ação de um grupo criminoso. Uma gangue liderada por Bello Turji, no estado de Zamfara, estava mudando a sua sede quando os ataques aconteceram. Os bandidos, fortemente armados, atravessaram a área de várias aldeias, atirando contra civis. Eles também levaram gado que roubaram nos últimos anos.

Muitas coisas em torno desse ataque ainda não estão claras. Fontes locais disseram ao jornal Daily Trust que o líder do grupo e seus homens foram deslocados por caças da Força Aérea Nigeriana. Eles estavam na floresta Fakai, na área do governo local de Shinkafi, e estão migrando para o Sul de Zamfara. O grupo criminoso, que é formado por centenas de bandidos, foi localizado e estava sendo bombardeado pela Força Aérea nigeriana. Eles decidiram mudar sua sede para um local com florestas densas. 

Recentemente, esse grupo foi contatado para libertar cerca de cinquenta aldeões que havia sequestrado com objetivo de solicitar resgate. Os ataques e a realocação da sede podem ser resposta ao anúncio feito pelo governo nigeriano há alguns dias. As autoridades anunciaram que denominarão oficialmente essas gangues como grupos terroristas. 

Esse anúncio é uma decisão importante e dá ao governo mais possibilidades de usar o exército contra as gangues fortemente armadas. Nos últimos anos, vários grupos criminosos no Noroeste da Nigéria se tornaram pequenos exércitos. Eles controlam grandes extensões de terra. Os aldeões que vivem nessas regiões são governados pelos líderes das gangues. Eles pagam impostos para as gangues para evitar serem mortos.

Nigéria é um dos países onde os cristãos são mais perseguidosOs criminosos que fazem parte dessas gangues são majoritariamente de origem muçulmana. Isso significa que os cristãos que são sequestrados serão tratados de maneira mais violenta. Há ligações entre as gangues e organizações extremistas, como o Boko HaramRecentemente, outro ataque ligado ao grupo extremista islâmico aconteceu, um ônibus que levava turistas cristãos foi incendiado.  

Pedidos de oração 

  • Clame pela paz na Nigéria. 
  • Ore para que o governo tenha sucesso em recuperar o controle do território e faça o melhor pela população nigeriana.
  • Peça para que os cristãos tenham sabedoria para se posicionar, tenham paz no coração e permaneçam firmes na fé.  

Fonte: Portas Abertas

Quais países não fazem mais parte da Lista Mundial da Perseguição?


Desde 1993, ano em que a primeira LMP foi publicada, ranking já teve grande alteração de países

Desde 1993, ano em que a primeira LMP foi publicada, ranking já teve grande alteração de países


Há muitos anos, a Portas Abertas acompanha a situação da Igreja Perseguida. Por conta disso, decidiu criar uma pesquisa com o objetivo de monitorar e medir anualmente a perseguição aos cristãos no mundo. Dessa forma, a primeira Lista Mundial da Perseguição (LMP) foi publicada em 1993. Ao todo, já foram publicadas 29 LMP, sendo a de 2022 a 30ª edição.

Ao longo dos anos, o perfil dos países que integram o ranking já mudou bastante. Uma demonstração disso está nas nações que já fizeram parte do Top50, mas agora não fazem parte nem mesmo da Lista de Observação. Entre eles estão Bielorrússia, Camboja, Grécia, Israel, Líbano e Peru. Desses, os que mais chamam atenção são Bielorrússia, que já esteve na lista principal por 11 vezes, entre os anos de 2002 e 2012. Já o latino Peru, apareceu seis vezes, seguido por Camboja, com três aparições, Israel, com duas, e os outros dois com uma aparição cada.

Dos países que fazem parte da Lista de Países em Observação 2021, 14 já foram da Lista Mundial da Perseguição. Por exemplo, os Emirados Árabes Unidos esteve 27 vezes entre os 50 primeiros colocados. Em seguida, entre os que mais se destacaram, estão Djibuti, com 25 aparições no Top50, Bahrein, com 24, Sri Lanka, com 23, Azerbaijão, com 22, e Cuba, com 20.

Além disso, oito dos 24 países em observação em 2021 nunca fizeram parte da Lista Mundial de Observação. São esses os que pontuaram apenas o suficiente para se manter na Lista de Países em Observação: BurundiGuinéSudão do SulGâmbiaCosta do MarfimRuandaNicarágua e Togo.

Destaques da LMP 2021

Nesta edição, a perseguição cresceu 30% se comparada ao ano anterior. Isso representa que mais de 340 milhões de cristãos enfrentaram perseguição e discriminação por causa da fé. Em 29 nações, as pontuações foram maiores, enquanto em oito, a pontuação continuou a mesma. Em nove países a hostilidade contra os seguidores de Jesus teve uma queda.

Com relação ao número de cristãos mortos, o aumento foi de 60%. Desses, 91% dos assassinatos ocorreram em solo africano e 8% na Ásia. Já entre o número de cristãos presos, o aumento foi de 5%. Quanto às igrejas e prédios cristãos atacados, houve uma diminuição de 53%.

Outra questão relevante durante o período de pesquisa da Lista Mundial da Perseguiço 2021 foi a pandemia da COVID-19. Muitos governos exploraram essa situação para intensificar a opressão às minorias religiosas, aumentando a vulnerabilidade dos cristãos perseguidos.

Lista Mundial da Perseguição 2022

No dia 19 de janeiro, a Lista Mundial da Perseguição 2022 será lançada. Saiba quais os piores países para servir a Jesus neste novo ano. Você pode recebê-la em seu e-mail junto com outras informações importantes sobre a Igreja Perseguida. Para isso, faça o seu cadastro agora mesmo!

Fonte: Portas Abertas

Independência de Mianmar: motivos para orar


Também conhecido como Birmânia, o país celebra a sua independência no dia 4 de janeiro, desde 1948.

Também conhecido como Birmânia, o país celebra a sua independência no dia 4 de janeiro, desde 1948.


Localizado no Sul da Ásia, Mianmar era uma colônia britânica pertencente ao território indiano. Também conhecido como Birmânia, o país celebra a sua independência no dia 4 de janeiro, desde 1948. Mianmar é palco do cenário da guerra civil mais antiga do mundo, que começou no mesmo ano em que se tornou um país independente.

Em 1962 houve um golpe de Estado e o território passou a ser governado por militares. Desde a tomada de poder pelos militares em Mianmar, a situação dos seguidores de Jesus se agravou no país. 

Em Mianmar o nacionalismo religioso é muito forte, e ele impulsiona grande parte da perseguição aos seguidores de Jesus. Os cristãos ex-budistas enfrentam maior perseguição da família e da comunidade, e são vistos como pessoas que abandonaram e traíram o sistema de crença em que cresceram. 

A maioria da população do país é budista e as comunidades que pretendem permanecer budistas, tornam a vida das famílias cristãs impossível por não permitirem que usem recursos da comunidade, como água. Os seguidores de Jesus não têm nem o direito de registrar os filhos como cristãos. Os recém-nascidos são automaticamente registrados como budistas e todos os cristãos ex-budistas são registrados como budistas. 

Neste dia em que Mianmar celebra 74 anos de independência, os cristãos continuam vulneráveis à perseguição por grupos insurgentes e pelo exército. Por isso, separamos cinco motivos de oração pelo país:

  1. Devido ao cenário da guerra civil, existe a possibilidade de que uma guerra completa aconteça, e se isso acontecer, toda a comunicação dentro do país será extremamente difícil.  Haverá aumento nos deslocamentos, escassez de alimentos e recursos. Ore para que os cristãos estejam prontos para essa situação.  
  2. Interceda pelos cristãos que vivem em campos de refugiados. Peça que Deus dê sabedoria e levante pessoas para criar projetos que promovam o desenvolvimento deles tanto social como espiritual. 
  3. Clame para que um novo governo seja levantado por Deus, que as autoridades tenham temor do Senhor e liderem visando o bem de toda a população. Que os militares e a resistência sejam alcançados pelo amor de Deus e tenham a vida mudada pelo Espírito Santo. 
  4. Ore pela segurança dos cristãos nas áreas de conflito e devastadas pela guerra.  Clame para que a paz de Cristo esteja sobre o país e os conflitos cessem pelo bem de toda a população. 
  5. Peça para que as novas gerações encontrem esperança e força em Cristo. Clame por aqueles que ainda não conhecem a palavra de Deus no país, para que sejam impactados pelo amor de Jesus. 

Fonte: Portas Abertas

Uma vida em perigo


Irmão John (pseudônimo) é um colaborador da Portas Abertas que precisa manter sua vida toda em sigilo já que trabalha diretamente com norte-coreanos que fogem para a China

Irmão John (pseudônimo) é um colaborador da Portas Abertas que precisa manter sua vida toda em sigilo já que trabalha diretamente com norte-coreanos que fogem para a China


A Revista Portas Abertas de janeiro apresenta a realidade atual da perseguição enfrentada na Coreia do Norte e na Chinae os riscos enfrentados por cristãos em ambos países. Por conta disso, os seguidores de Jesus são obrigados a viver a fé em sigilo.

projeto do mês distribui alimentos e oferece apoio a cristãos norte-coreanos refugiados em casas seguras na China. A sessão aborda como a pandemia da COVID-19 fechou ainda mais as fronteiras da Coreia do Norte, dificultando muito a vida da população local. Isso motivou mais pessoas a se arriscarem a cruzar a fronteira, visando conseguir itens essenciais para suas famílias. Sua doação ajuda na distribuição de alimentos e apoio para cristãos norte-coreanos refugiados nas casas seguras na China.

Na matéria de capa, irmão Simon, coordenador do trabalho com norte-coreanos na China, explica sobre o trabalho realizado nas casas seguras e quais as atividades oferecidas aos refugiados. O foco principal é que eles ouçam e aprendam o máximo possível sobre a palavra de Deus.

Entrevista exclusiva com cristão norte-coreano

Além disso, também é possível conferir uma entrevista exclusiva dada a Portas Abertas Brasil pelo cristão norte-coreano Timothy*. Ele conta sua trajetória, da infância no país até a fuga para China e conversão. O cristão nasceu em uma família boa, em que os pais eram professores na Coreia do Norte.

Porém, na época da Grande Fome nos anos 1990, os planos de fuga da família para a China não ocorreram como o esperado e ele acabou ficando para trás, com apenas oito anos. Com 17 anos, Timothy também fugiu do país e pagou um alto preço por isso. Ao chegar no país vizinho, ele foi convidado ir a uma casa segura, onde teve seu primeiro contato com o cristianismo.

Conheça mais sobre a vida de Timothy na próxima notícia sobre o assunto deste mês que será publicada na semana que vem.

*Nome alterado por segurança.

Portas Abertas

Advogado e esposa de pastor preso na China são impedidos de vê-lo


Ilustração de homem preso China AID

Ilustração de homem preso (Foto: Reprodução/China AID)

Em 21 de novembro, o pregador An Yankui, de uma igreja da China, foi detido pela polícia local de Fenyang, junto com  Zhang Chenghao, outro membro da igreja, por “travessia ilegal da fronteira” por participarem de evento cristão. Agora a esposa denuncia que não tem acesso ao marido.

A esposa do pregador An, Yao Congya, e seu advogado foram à delegacia em Fengyang, no dia 30 de novembro, para apresentar um pedido para se encontrar com ele, porém tiveram seu pedido recusado pelas autoridades.

Yao Congya viu o policial identificado como Deng que havia levado seu marido. O policial Deng disse a eles que como o caso ainda está sendo investigado, eles não podem se encontrar com An.

O oficial Deng pediu ao advogado para se afastar antes de falar com Yao em particular, ela teve seu celular desligado e a bolsa dela checada antes que pudessem conversar. Mesmo se desculpando com ela por ter arrombado a porta dela em 21 de novembro, o policial não mencionou se sua ação estava de acordo com a lei.

De acordo com a ICC, o policial concluiu recomendando que  Yao Congya frequentasse uma igreja ‘Three Self’ ao invés de uma igreja que não é sancionada pelo Estado.

Pequim está preocupada com interações não autorizadas entre cristãos chineses e cristãos de outros países, pois qualquer “influência estrangeira” não é bem-vinda sob o presidente Xi Jinping.

Grupo revela os 3 principais perseguidores cristãos de 2021


Fotos na Coreia do Norte. (Foto: Michal Huniewicz / Mikey.me)

O Talibã, Kim Jong Un e a Nigéria foram nomeados como os principais perseguidores cristãos pelo grupo de defesa da liberdade religiosa internacional, Christian Concern, no primeiro evento de Perseguidor do Ano.

Um relatório da ICC, que destaca 24 dos piores opressores dos cristãos com base em conversas com vítimas de perseguição religiosa e especialistas sobre o assunto, se refere ao evento como o projeto de pesquisa mais ambicioso da história da organização.

Atribuindo o rótulo de “Perseguidor do Ano” aos três principais violadores da liberdade religiosa, a ICC anteriormente emitia um relatório anual chamado Hall of Shame (corredor da vergonha), que chamava atenção para violadores da liberdade religiosa do mundo.

Jeff King, presidente da ICC, se referiu ao Perseguidor do Ano como a evolução do Hall of Shame, criado para ajudar o governo e a imprensa a entender temas muito complexos de forma rápida.

O diretor de comunicações da ICC, Mike Pritchard, enfatizou a missão da organização de restaurar e construir Igrejas nos lugares mais hostis do mundo. King revelou os nomes na lista de Perseguidores do Ano que conta com países, entidades e indivíduos específicos.

De acordo com The Christian Post, a nação africana da Nigéria, que foi classificada  como o pior país para liberdade religiosa em 2021, está envolvida em uma guerra de 20 anos contra os cristãos, a qual King rotulou de genocídio.

O Talibã foi identificado pelo ICC como o grupo Perseguidor do Ano. O relatório citou o controle do Talibã sobre quem frequentava mesquitas, a invasão nas casas de cristãos e ameaças a cristãos.

O ditador norte-coreano Kim Jong Un foi escolhido como indivíduo perseguidor do ano. O relatório afirma que os Kims criaram um sistema religioso modelado na  onde existe Deus, pai e filho, sendo que Kim Jong Un seria o filho. Qualquer ameaça a este sistema ou ao “filho” é exterminada imediatamente.

“As dinastias Kim torturaram e mataram milhões de cristãos ao longo das décadas. E eu acho que estamos familiarizados que é muito comum para os Kims ou o regime deter três gerações de uma família quando eles são identificados como cristãos sérios”, concluiu King.

:: LEIA MAIS »

Alunos cristãos são espancados em escola no Egito


Bíblia e cruz

Cristãos coptas costumam usar cruz pendente (Foto: Reprodução/Unsplash)

Depois que o diretor de uma escola primária e secundária em Minya, no Egito, ordenou que alunos cristãos removessem todas as jóias que tivessem uma cruz, alunos coptas foram espancados por professores e colegas.

É comum os cristãos da comunidade copta no Egito tatuar uma cruz no pulso ou usar colares e pulseiras com uma cruz. No entanto, Al-Thawra, diretor de uma escola na área de Exbat Beshri ordenou que todos os alunos cristãos removessem tais jóias.

Contudo, alguns alunos coptas se recusaram a retirar suas joias e foram espancados por outros alunos e professores, de acordo com o International Christian Concern.

Em um desses incidentes, no início de novembro, uma professora atacou um menino e em seguida encorajou outros alunos a fazer o mesmo, pegar seu colar de cruz e destruí-la.

Perseguição

Os pais coptas reclamaram com as autoridades educacionais depois de se informarem sobre o incidente, no entanto, o ICC reportou que não está claro se alguma medida foi tomada pelo conselho educacional.

Os coptas representam cerca de 10% da população do Egito, eles são descendentes de uma longa linhagem de antigos egípcios que se converteram ao cristianismo no início do século I, segundo a Enciclopédia Britânica.

De acordo com a Portas Abertas dos EUA, o Egito é um dos 20 piores países de perseguição contra os cristãos no mundo. O estado de Minya é conhecido por ser o maior número de ataques contra os seguidores de Cristo segundo o The Christian Post.

Pastor alerta para resultados desastrosos no Brasil no Carnaval


Por Gospel Prime
Lucinho Barreto

Pastor Lucinho Barreto (Foto: Reprodução/Instagram)

 

O pastor de jovens da Lagoinha de BH, Lucinho Barreto, usou as suas redes sociais nesta segunda-feira (15) para alertar sobre resultados catastróficos caso a população brasileira decida celebrar o Carnaval, em 2022.

“Não sou profeta do caos, mas se depois de tudo que vivemos nessa pandemia os brasileiros ainda insistirem em pular carnaval em 2022, os resultados serão desastrosos para nossa nação. Por favor, printem esse tuíte”, escreveu ele no Twitter.

Lucinho BArreto

Lucinho defende que as pessoas tenham uma nova postura depois do que vivemos na pandemia da Covid-19.

O líder religioso fez diversas lives para seus seguidores durante a crise do coronavírus. Influenciador, o pastor Lucinho conta com mais de 1 milhão de inscritos no seu canal do YouTube, 425 mil seguidores no Twitter e mais de 2 milhões no Instagram.

Perseguição aos cristãos em Xinjiang vai piorar em 2022 com novo regulamento


Ilustração de homem preso China AID

Ilustração de homem preso (Foto: Reprodução/China AID)

O território autônomo no noroeste da China, Xinjiang, estabeleceu o “Regulamento sobre a Construção de Segurança Pública”, uma nova medida que entrará em vigor no dia 1º de janeiro de 2022.

Grupos estão alertando sobre a piora da violência aos cristãos. O Bitter Winter enfatizou que a liberdade religiosa e os direitos humanos estão em risco de violação, pois a vigilância do Partido Comunista Chinês (PCCh) será aumentada.

Muitos grupos de minorias étnicas, como os uigures-turcos moram na região de Xinjiang, local de desertos e montanhas. Recentemente 43 países que pertencem à ONU, pediram para que a China respeite os direitos dos uigures, pois eles estão sendo torturados e levados para “campos de reeducação” pelas autoridades comunistas.

O novo regulamento de Xinjiang

De acordo com o documento, é preciso “reprimir e prevenir as forças separatistas étnicas, forças terroristas do mal, forças extremistas religiosas e outras atividades ilegais e criminosas que colocam em risco a segurança nacional”.

Ou seja, qualquer pessoa que desobedecer os “mandamentos comunistas” da China está correndo o risco de travar uma guerra com o governo.

A leitura do novo regulamento aconteceu durante o Congresso do Povo de XUAR (Região Autônoma Uigur de Xinjiang). O Congresso que começou nesta sexta-feira (5) também é conhecido como “Assembleia Nacional Popular”, o mais alto órgão do poder estatal e legislativo do PCCh.

Uma das prioridades da nova lei é o “controle de atividades religiosas ilegais”, isto é, qualquer igreja que não seja vinculada ao PCCh, deve ser combatida. Além disso, as autoridades farão uso de inteligência artificial e câmeras de vídeos para controlar a população. Fonte: Gospel Prime

Grupo de direitos humanos aponta mais de 300 atos de perseguição na Índia


pastor, esposa e membro espancados na índia

Pastor, esposa e membro foram espancados na Índia (Foto: Reprodução/Christian Solidarity Worldwide)

Segundo grupos de direitos humanos na Índia, foram documentados mais de 300 incidentes de perseguição cristã apenas nos primeiros nove meses de 2021. Eles alertam que este ano pode ser o pior em termos do número de incidentes desse tipo na história do país.

Os nacionalistas hindus radicais têm atacado cristãos alegando punição da minoria por usar a força ou recompensas para converter hindus ao cristianismo, enquanto os cristãos compõem apenas 2,3% da população da Índia e os hindus compreendem cerca de 80%.

“Os ataques brutais ocorreram em 21 estados. A maioria dos incidentes está ocorrendo nos estados do norte e 288 casos foram de violência da máfia”, disse o coordenador nacional do Fórum Cristão Unido, A.C. Michael, disse em uma coletiva de imprensa em Deli.

De acordo com The Christian Post, a conferência foi realizada em conjunto pelo Fórum Cristão Unido, o United Against Hate e a Association of Protection of Civil Rights, que divulgou um relatório de apuração de fatos intitulado “Cristãos Sob Ataque na Índia”.

:: LEIA MAIS »

Líder de gangue ameaça matar missionários no Haiti se resgate não for pago


gangue do Haiti

A gangue sequestrou 17 missionários incluindo menores e um bebê. (Foto: Reprodução/YouTube)

Na última quinta-feira (21), o líder da gangue que sequestrou os 17 missionários no Haiti, Wilson Joseph, ameaçou matar os reféns, incluindo as crianças e um bebê caso suas exigências não sejam atendidas.

“Eu juro que se não conseguir o que estou pedindo, vou colocar uma bala na cabeça desses americanos”, disse Joseph em um vídeo postado em uma rede social.

De acordo com o ministro da Justiça do Haiti, Liszt Quitel, a gangue ligou no sábado (16) para a Christian Aid Ministries, organização dos missionários, e pediu 1 milhão de dólares, cerca de 95 milhões de reais para cada uma das 17 pessoas sequestradas.

No vídeo, o chefe da gangue também ameaçou o primeiro-ministro Ariel Henry e o chefe da polícia nacional do Haiti, ao lado de caixões abertos, possivelmente de membros da sua gangue que foram mortos recentemente.

:: LEIA MAIS »

Aliança chinesa com o Talibã é má notícia para a liberdade religiosa


China e Afeganistão

Reunião em agosto de 2021 para certificar a aliança entre China e Afeganistão. (Foto: Reprodução/China Morning Post)

Em 28 de julho, o cofundador do movimento talibã, mullah Absul Ghani Baradar, e o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, foram fotografados juntos. Na época o grupo extremista não havia tomado o poder no Afeganistão ainda, mas Pequim já havia o reconhecido como “uma força política e militar chave”.

Em seguida, o governo chinês declarou que apoiava o governo do Talibã e esperava uma transição suave para o país com uma paz duradoura.

A China reiterou o compromisso com o Afeganistão de dar assistência aos cidadãos e disse que não vai interferir nas suas questões internas, mas vai ajudar a resolver problemas e restaurar a paz no país, informou um porta-voz do Talibã à Reuters.

Em contrapartida, especialistas alertam para a ambiguidade da linguagem diplomática, ou seja, muitas questões entre a China e o Afeganistão podem envolver a violação dos Direitos Humanos, incluindo a liberdade religiosa e de expressão.

Ambos países encontram-se entre os 17 do mundo que mais atentam contra as minorias religiosas, principalmente os cristãos, segundo os dados da Portas Abertas.

Milhares de pessoas deixaram o país apenas no primeiro mês do governo do Talibã, um fato que aponta que o grupo terrorista não se importa com os direitos das pessoas no país, de acordo com o Evangelical Focus. Tal fato piora a liberdade religiosa dos cristãos e das minorias religiosas tanto no Afeganistão como na China.

“Ciência, arqueologia e história apontam para a existência de Deus”, diz autor


Eric Metaxas

Eric Metaxas (Foto: Reprodução/CBN News)

Eric Metaxas, um autor best-seller americano, diz que o ateísmo está morto. Para ele, a ciência, arqueologia e história apontam para o Criador divino. Metaxas está com seu mais novo livro: “O Ateísmo Está Morto”.

“Eu literalmente nunca estive tão animado com um livro. Eu realmente não estou particularmente comprometendo o ateísmo. Isso faz parte do livro, mas estou enquadrando-o da maneira que faço com o título O Ateísmo está Morto? particularmente porque em 1966 a Revista Time tinha este infame artigo de capa que dizia: “Deus está morto?”, disse Metaxas.

Metaxas diz que esbarrou repetidamente em evidências de Deus e apontou dois exemplos específicos. O primeiro é a descoberta bíblica de Sodoma. Há cerca de 1650 A.C. uma cidade a leste da Jordânia, Alto El-Hammam, foi destruída por um meteoro. Os cientistas acreditam que a cidade poderia ser o local de Sodoma, a antiga cidade bíblica destruída por sua maldade.

“O outro tem a ver com a ideia de onde veio a vida, para começar? Sempre falamos de evolução, mas nunca falamos sobre quatro bilhões de anos atrás vocês cientistas dizem que a vida emergiu no planeta Terra como células únicas, mas ninguém pode realmente explicar como isso aconteceu. Então as coisas começaram”, explicou ele.

Metaxas escreve sobre tudo, expondo as evidências de Deus. Ele diz que ciência, arqueologia e história simplesmente não suportam o ateísmo. Segundo ele, temos vivido com esse mito, essa mentira de que a ciência e os cientistas estão em desacordo com a fé.

“Chegamos a um lugar na ciência e na história onde podemos conhecer agora. Antes talvez não pudéssemos, mas agora podemos saber que a ciência é compatível com a fé cristã e que, na verdade, foi a fé cristã que levou à ciência moderna. Tremenda ironia quando você pensa nesta narrativa secular com a qual lidamos desde Darwin”, concluiu ele, de acordo com a CBN News.

Com 75 mil cristãos presos, Coreia do Norte exibe armas de guerra


Ditador da Coreia do Norte, Kim Jong Un

Ditador da Coreia do Norte, Kim Jong Un (Foto: Reprodução/YouTube)

A Coreia do Norte, um dos piores países para um cristão viver, continua empunhando seu poder militar em meio às dificuldades que o mundo enfrenta, incluindo 75.000 cristãos que estão trancados em prisões por todo o país.

De acordo com God TV, até mesmo mencionar o Deus cristão é um ato de traição no país. Assim, os cristãos são frequentemente perseguidos e presos por seu governo ditatorial.

Um ex oficial da inteligência norte-coreano compartilhou uma declaração sobre a situação do país. Aparentemente, o ditador Kim Jong-Un estaria “desesperado para ganhar dinheiro”.

Então, ele recorreu a tráfico de drogas, venda de armas e terror. O ditador queria manter seu poder. Além disso, ele também está ávido a se provar um guerreiro para o seu povo e para o mundo.

No 76º Aniversário do partido dos trabalhadores, a Coreia do Norte mostrou seu poder militar para o mundo. Além disso, o país também mostrou um de seus maiores hardwares militares e armas avançadas em décadas.

O ditador Kim também fez um discurso onde prometeu construir um exército invencível para combater a América. Tanques, lançadores de foguetes, mísseis balísticos e um novo míssil hipersônico de longo alcance o cercaram durante seu depoimento.

De acordo com o relatório, a Coreia do Norte testou várias armas com capacidade nuclear em setembro. Essas armas nucleares poderiam atingir alvos na Coreia do Sul e no Japão, incluindo bases militares dos EUA.

Enquanto a Coreia do Norte constrói essas armas militares, as pessoas continuam sofrendo. Devido à negligência do governo comunista com eles, eles enfrentam uma possível inanição. Além disso, seu sistema continua a torturar e prender cristãos em todo o país. As autoridades até mesmo executaram alguns deles por causa de sua .

Fonte: Gospel Prime



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia