Tribuna da Bahia

PTC anuncia apoio à chapa de Geddel

Evandro Matos

O PTC anuncia hoje, oficialmente, o seu apoio à pré-candidatura do ex-ministro Geddel Viera Lima (PMDB) ao governo do estado. O anuncio será formulado na sede do PMDB, às 10h, com a presença de Geddel, do presidente nacional Daniel Tourinho, do prefeito João Henrique, e da cúpula dos dois partidos. Com a decisão do PTC, este é o décimo partido a integrar a aliança liderada pelo PMDB, que conta ainda com PR-PTB-PSC-PPS-PSDC-PMN-PRP e PTdoB.

Ontem a executiva estadual do PTC se reuniu na sua sede para avaliar a posição que adotaria na eleição deste ano. Segundo o presidente da legenda, Rivailton Pinto, o apoio à pré-candidatura de Geddel foi aprovado em razão de o partido já fazer parte da administração do prefeito João Henrique, em Salvador. “O nosso presidente nacional, Daniel Tourinho, recomendou o apoio em função do trabalho que o partido já faz com PMDB, participando da administração municipal”, explicou.

Rivailton alega que a decisão pesou ainda em razão de um pedido feito por João Henrique e pela disputa na chapa proporcional. “Além do bom êxito com que participamos da administração municipal, a direção nacional achou por bem caminhar com a candidatura de Geddel, onde já tem outros partidos emergentes na aliança, além de ser o melhor caminho para eleger os nossos deputados estaduais e federais”, pontuou.

Na prefeitura o PTC tem o próprio Rivailton e Ricardo Gray como assessores especiais do prefeito, além do ex-presidente da Câmara, Valdenor Cardoso, que é o Ouvidor do Município. O partido conta ainda com outros cargos de menor expressão em órgãos da prefeitura.

O presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima, disse que ainda restam três partidos sem definição – PTN, PHS e PSL – e não descartou que eles também possam integrar a aliança em torno da candidatura de Geddel. “Os partidos ainda não se decidiram e as conversas vão continuar acontecendo”, frisou. Sobre a formação da chapa a ser encabeçada pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima, o peemedebista falou que não existe mais pressa.

“Quando César Borges veio para cá, acabou a pressa”, brincou. Após confirmar os nomes de Geddel para o governo e César Borges para uma das vagas ao Senado, Lúcio disse que o partido vai definir com calma as outras duas vagas para completar a chapa majoritária. “Temos os nomes de Edvaldo Brito e Edmundo Pereira para o Senado ou a vice, e os de Herzem Gusmão (de Vitória da Conquista) e Misael Aguilar (ex-prefeito de Juazeiro) para a vice”, frisou.

PMDB se reúne em Salvador

Atento ao processo eleitoral deste ano, ontem o PMDB reuniu lideranças de diversas regiões do estado no Hotel Porto Belo, em Salvador. O encontro serviu para fazer uma avaliação do quadro político no estado, com o objetivo de colher subsídios destinados à elaboração do programa e definição de estratégias para a campanha eleitoral de outubro. O pré-candidato ao governo, Geddel Vieira Lima, não perdeu a oportunidade de estimular a todos rumo à “vitória” em 2010.

“Percebemos em cada município, a motivação que vai tomando conta da Bahia em favor do projeto do PMDB”, frisou o pré-candidato. Geddel destacou também a união das lideranças e militância do PMDB e o apoio dos demais partidos políticos que estão se integrando ao projeto peemedebista.

Ele acrescentou que a Bahia precisa de respostas para vencer o caos que tomou conta de setores essenciais, como a segurança, saúde e educação, e convocou os participantes do encontro a sairem às ruas para defender as propostas do partido.

“Temos o melhor discurso, que é o da esperança e o da fé no futuro e temos comprovado, por onde passamos, que os baianos acreditam na nossa capacidade de tornar as nossas propostas e compromissos em realidade”, disse.

Aliado a isso, ontem, o ex-ministro, solidário ao movimento dos médicos em defesa de melhores condições de atendimento à população, na rede pública de saúde, reafirmou a decisão do seu partido em enviar a Assembleia Legislativa, já no primeiro mês de governo, caso seja eleito em outubro, o plano criando a carreira de profissionais de medicina no Estado.