WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


novembro 2020
D S T Q Q S S
« out    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  


:: ‘ministério da defesa’

Dilma decide futuro de Jobin ainda hoje

ESTADÃO

Presidente avalia se tira Nelson Jobim do Ministério da Defesa. Nova declaração com críticas ao governo da presidente pode custar a permanência do ministro; dessa fez, alvo foi Ideli Salvati, que seria ‘fraquinha’ na articulação política.

A presidente Dilma Rousseff vai avaliar ao longo da manhã desta quinta-feira, 4, se mantém ou não Nelson Jobim no cargo de ministro da Defesa. Em uma entrevista à revista Piauí, Jobim chama o governo Dilma de “atrapalhado”, diz que a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvati, é “fraquinha”, e que Gleisi Hoffmann, ministra-chefe da Casa Civil, “não conhece Brasília”. Se a presidente decidir mesmo antecipar a demissão de Jobim, um dos nomes cotados é o do atual ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo.

Por conta de outras declarações, Jobim já estava na lista dos auxiliares de Dilma que ela deve tirar do governo na primeira reforma ministerial, no final deste ano ou no início de 2012. Agora, com a entrevista à revista, que chega nesta sexta-feira, 5, às bancas e tem o conteúdo editado no estadão.com.br, a presidente pode decidir pela demissão imediata de Jobim, desistindo da ideia de não mexer no governo enquanto não assentar a poeira da base aliada levantada pela crise política no Ministério dos Transportes, Dnit e Valec.

O ministro viajou na noite desta quarta-feira, 3, para São Gabriel da Cachoeira (AM). Nesta manhã, ele partiu para Tabatinga (AM), onde, ao lado do vice-presidente da República, Michel Temer, assina um plano de vigilância de fronteiras entre Brasil e Colômbia. Pela agenda oficial, Jobim deixa a base do Cachimbo (AM) às 20h30, devendo chegar a Brasília no final do dia.

:: LEIA MAIS »

Exército confirma 11 militares brasileiros mortos no Haiti

BBC Brasil

O Exército confirmou, na tarde desta quarta-feira, que 11 militares brasileiros morreram por causa do terremoto que atingiu o Haiti na terça-feira. Ainda segundo o Exército, outros nove membros da força ficaram feridos no incidente e sete continuam desaparecidos.

 Em nota divulgada à imprensa de manhã, o Ministério da Defesa informou que soldados brasileiros que participam da missão de paz da ONU no país (Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti, ou Minustah, na sigla em francês) atravessaram a madrugada trabalho de resgate de “companheiros soterrados em desabamentos de edificações”.

 “Uma dessas instalações, denominada ‘Ponto Forte 22’, um sobrado de três andares, desabou completamente”, diz o comunicado.

 Segundo o general Carlos Alberto Neiva Barcellos, chefe de Comunicação Social do Exército, é difícil estimar o número de desaparecidos por causa das dificuldades de comunicação e transporte no Haiti neste momento.

 “O deslocamento motorizado está inviabilizado”, afirmou ele, em entrevista coletiva em Brasília.

 Visita

 O Ministério da Defesa informou ainda que soldados brasileiros também estão “prestando auxílio” à população local e às autoridades haitianas.

 O ministro da Defesa, Nelson Jobim, embarcou nesta quarta-feira rumo ao Haiti, acompanhado do embaixador brasileiro no país, Ygor Kipman.

 O Brasil chefia a Minustah, que conta com cerca de 7 mil integrantes. Segundo o Ministério da Defesa, 1.266 militares brasileiros servem na força. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia