WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: ‘aumento’

SP: Após STF, Haddad descarta aumento do IPTU em 2014

 

Adriana Ferraz

O prefeito Fernando Haddad (PT) disse na tarde desta sexta-feira, dia 20, que não haverá aumento de IPTU em 2014. No ano que vem haverá apenas a correção da inflação de 5,6%. A decisão foi anunciada depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter mantido a liminar do Tribunal de Justiça de Sâo Paulo que suspendeu a lei que determinava um reajuste de até 35% (no caso dos imóveis comerciais)  doimpostoi na cidade. O TJ-SP só voltará a se manifestar sobre o caso em 2014. Caso ele decida a favor da Prefeitura, o aumento só será cobrado em 2015.

TJ-SP só voltará a se manifestar sobre o caso em 2014 - Filipe Araújo/Estadão
Filipe Araújo/Estadão
TJ-SP só voltará a se manifestar sobre o caso em 2014

O prefeito creditou a decisão judicial que barrou o reajuste à “disputa entre classes”, na qual o presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, representaria a “casa grande” e a Prefeitura, a “senzala. “A casa grande não deixa a desigualdade ser reduzida na cidade”, afirmou. “Esse derrota”, disse Haddad, “não é do prefeito, é de São Paulo”. Haddad reafirmou que não vai mandar novo projeto de aumento do IPTU para a Câmara Municipal, demonstrando que vai esperar o julgamento do mérito da ação judicial – que teve a Fiesp como uma de suas patrocinadores – sobre o imposto.

Haddad anunciou ainda que terá de congelar R$ 4 bilhões em investimentos previstos no orçamento de 2014 da Prefeitura. Ao todo, a administração planejava gastar R$ 8 bilhões. Segundo o prefeito, os cortes serão necessários porque a cidade não terá, sem os recursos do IPTU, como honrar a contrapartida financeira de investimentos acertados com o governo federal.

Fonte: Estadão

Secretário da Agricultura sinaliza instalação de grande torrefadora de café na região de Vitória da

A TARDE

Governo da Bahia tem planos para incentivar o aumento na produção da comoditie no Estado.

Quinto maior produtor de café do Brasil, a Bahia prepara-se para ser a maior distribuidora do produto torrado para a região Nordeste do País. A perspectiva otimista é do secretário estadual da Agricultura, Eduardo Salles, e se sustenta na recente inauguração, em Salvador, de uma unidade do Grupo Sara Lee – reconhecida como uma das maiores torrefadoras de café do mundo – e na possibilidade de inauguração de uma segunda unidade na região de Vitória da Conquista.

Produção – “A agroindustrialização é uma realidade que vem despontando na Bahia”, anima-se o secretário. Segundo ele, durante a conversa para a implantação da unidade de Conquista, representantes da Sara Lee já solicitaram o aumento da produção de café no Estado. Com produção anual de cerca de dois milhões (a safra estimada para 2011 é de 2,25 milhões) de sacas de café, a Bahia se posiciona entre os cinco maiores produtores do Brasil.

De acordo com levantamento elaborado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção da safra cafeeira na Bahia em 2011 é superior em 8% à obtida na safra 2010. Os dados confirmam a tendência de crescimento apresentada na primeira previsão divulgada no mês de janeiro.

Coelba aprova reajuste de 5,26% da energia elétrica em residências

Os baianos já podem começar a preparar o bolso para pagar um pouco mais nas contas de água e luz nas próximas semanas. No caso da energia elétrica, o reajuste aprovado para residências é de 5,26% e passa a vigorar a partir desta quinta-feira. Já a água ficará 6,91% mais cara a partir do dia 1º de maio.

As medidas vão atingir 4,7 milhões de consumidores da Coelba e quase 2,6 milhões de consumidores que contam com serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário da Embasa. Na opinião da presidente do Sindicato das Donas de Casa, Selma Magnavita – que já ocupou a presidência do Conselho de Consumidores de Energia -, reajustes como esse sempre implicam no planejamento financeiro das famílias. “Por mais que seja uma coisa que acontece todo ano, ainda tem gente que será pego desprevenido”, avalia. :: LEIA MAIS »

ÁGUA MAIS CARA EM TODA A BAHIA EM MAIO

 A partir de 1º de maio os usuários de água em toda a Bahia passarão a pagar mais caro pelo abastecimento. O aumento, decidido pela Comissão de Regulação dos Serviços Públicos de Saneamento Básico do Estado, será de 6,91% e foi publicado no Diário Oficial no último dia 31 de março. O reajuste será aplicado pela Embasa proporcionalmente a cada faixa de consumidores em toda a Bahia

Bahia Noticias

Preço do carro zero vai aumentar

O aumento de 100% nos preços do minério de ferro, anunciado pela indústria siderúrgica, vai impactar sobre a venda de veículos. O insumo, bastante utilizado na indústria automobilística, que vinha contabilizando recordes de vendas, forçará um aumento de preço dos veículos Segundo o diretor regional da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, Fenabrave BA, Raimundo Valeriano, os aumentos vão impactar negativamente no setor que vinha em franca expansão. “Se aumentar o preço do aço, que é principal matéria prima na indústria automobilística, o preço do carro sofrerá reajuste e haverá queda  nas vendas”, afirma.

O primeiro trimestre de 2010 contabilizou vendas no porte de 31,8 mil veículos na Bahia, representando incremento de 19,13%. Segundo a Valeriano, 2009 registrou vendas de 26,727 mil veículos no Estado e a expectativa para 2010 era de incremento de 10% a 15% na Bahia. “No momento as concessionárias estão vendendo os estoques que ainda tem o IPI reduzido. Se o preço do aço subir é claro que o preço dos veículos vai subir também. Acreditamos que os consumidores devem se antecipar e comprar os veículos ainda sem os impactos dos aumentos do aço”, avisa. Segundo o diretor regional da Fenabrave BA, o setor tem notado desde 1995 um incremento nas vendas na Bahia. Apesar da indústria siderúrgica ter anunciado os aumentos eles ainda não chegaram ao mercado automobilístico. :: LEIA MAIS »

Mantega: aumento para aposentados acima de 6,14% será vetado

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta quarta-feira que vai recomendar o veto caso o Congresso aprove aumento para aposentados que ganham acima de um salário mínimo acima de 6,14%.

“Para a área econômica do governo, não é preciso aumentar esse percentual. Caso o Congresso aprove um percentual de 7%, a Fazenda vai recomendar o veto ao presidente Lula”, afirmou.

Mantega participa, na manhã desta quarta, de audiência pública na Câmara dos Deputados da CPI da Dívida Pública.

Terra

Conta de luz vai aumentar, diz Aneel

Além de toda a dor-de-cabeça que já tiveram com a falta de luz no grande blecaute no dia 10 de novembro do ano passado, os consumidores de energia das regiões Sul e Sudeste terão ainda de pagar um acréscimo em suas tarifas, que pode chegar a um ponto porcentual, em decorrência do apagão. A conta foi feita ontem, pelo diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Edvaldo Santana.

Depois do blecaute, com a fragilidade que foi verificada no sistema de transmissão de Itaipu, o transporte de energia da hidrelétrica binacional para o Sudeste foi reduzido. No relatório de fiscalização da Aneel relativo ao papel de Furnas no apagão, há um cálculo de que o uso de usinas térmicas para compensar a diminuição no despacho de Itaipu tem um custo aproximado de R$ 12 milhões por dia. Considerando que essa situação deve prosseguir até o final de abril, quando Furnas terminará de instalar os chapéus chineses que vão proteger os isoladores das chuvas é que Santana chegou à conta de que, ao todo, a geração térmica adicional deverá ter um peso de um ponto porcentual nas tarifas dos consumidores. :: LEIA MAIS »

Remédio terá reajuste médio de 4,6% no Brasil

SÃO PAULO – A indústria farmacêutica poderá aplicar um reajuste médio de 4,6% nos preços dos medicamentos a partir do próximo dia 31.

A autorização foi dada pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e será publicada amanhã no Diário Oficial da União.

O órgão definiu três faixas distintas de produtos que receberão reajustes máximos de 4,45%, 4,64% e 4,83%. A classificação teve como base a participação dos medicamentos genéricos nas vendas desses produtos. Quanto maior a participação dos genéricos, maior é o aumento permitido. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia