WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


:: ‘Arábia Saudita’

Ex-membro da Al-Qaeda revelou bombas que geraram alertas na sexta-feira

Explosivos estavam dentro de impressoras endereçadas aos EUA

 Um ex-membro da Al-Qaeda ajudou as autoridades a descobrirem dois pacotes explosivos endereçados a sinagogas dos Estados Unidos, segundo informações obtidas pela BBC nesta segunda-feira.

 Os dois pacotes, interceptados na sexta-feira na Grã-Bretanha e em Dubai (Emirados Árabes Unidos), partiram do Iêmen e desencadearam alertas nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha e no Oriente Médio.

 Um funcionário de alto escalão do governo britânico informou à BBC que o saudita Jabr Al-Faifi, que se entregou para autoridades sauditas há duas semanas, foi quem relatou a existência das bombas a autoridades sauditas.

  :: LEIA MAIS »

Arábia Saudita prende 113 suspeitos de planejar atentados

O Ministério do Interior da Arábia Saudita anunciou nesta quarta-feira que 113 suspeitos de ligação com a rede extremista Al-Qaeda foram presos no país, sob a acusação de estarem planejando ataques contra instalações de petróleo sauditas.

Segundo o governo, eles estavam divididos em três grupos independentes. O maior deles era formado por 101 pessoas, 51 deles cidadãos do Iêmen, 47 sauditas e o restante de outros países. :: LEIA MAIS »

A perseguição não diminuiu na Arábia Saudita

Portas Abertas

A Arábia Saudita foi da segunda para a terceira posição na Classificação de países por perseguição. Isso não significa que a situação da liberdade religiosa no país tenha melhorado. O número menor de pontos foi causado pela ausência de relatos de cristãos assassinados ou agredidos. Houve só um caso de prisão: um pároco estrangeiro sentiu-se obrigado a abandonar o país depois de receber ameaças de morte, algumas da própria mutaween, a polícia religiosa saudita.
Não há liberdade religiosa existe no reino saudita, onde só se permite que cidadãos tenham uma religião: o islamismo. Não há garantias legais de liberdade religiosa. O sistema legal é baseado na sharia (lei Islâmica). A apostasia (converter-se a outra religião) é punível com morte se o acusado não se retratar.
Embora o governo reconheça o direito dos não muçulmanos de cultuar em particular, o culto público não muçulmano é proibido.
Os não muçulmanos que realizam tais atividades correm risco de serem detidos, açoitados, deportados e, às vezes, torturados. Ex-muçulmanos também correm risco de serem mortos pelos próprios parentes, para limpar o nome da família. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia