por Bruno Luiz

Em encontro, lideranças reforçam apoio a Pedro Tavares no comando do PMDB

Ao meio, Pedro Tavares | Foto: Divulgação

Em crise após a nova prisão de Geddel Vieira Lima e até com deputados estaduais cogitando a possibilidade de desfiliação  (leia aqui), a executiva do PMDB da Bahia se reuniu na tarde desta segunda-feira (18) para aparar as arestas e discutir estratégias que ajudem na retomada do equilíbrio interno. No encontro, as lideranças da sigla reafirmaram o apoio ao presidente estadual, deputado Pedro Tavares, alvo de especulações de que perderia o cargo para o vice-prefeito Bruno Reis, que estaria articulando assumir o comando do partido. Reivindicação de figuras peemedebistas como o prefeito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão, a abertura da legenda para novos nomes também foi aprovada na reunião. De acordo com participantes do encontro ouvidos pelo Bahia Notícias, no entanto, aqueles que quiserem se aninhar ao PMDB não poderão estabelecer condicionantes. “Não existe condicionante para quem quiser vir para o partido ir para a chapa majoritária, querer vir para a presidência do partido. Se se agregar às bandeiras partidárias, ajudar no crescimento do partido, logicamente que estaremos de portas abertas”, afirmou uma liderança à reportagem. Alguns dos nomes especulados para ingressar na agremiação são o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), o deputado federal Arthur Maia (PPS) e o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB). Algo também aprovado no encontro é o fortalecimento de novas lideranças. “Tem o prefeito de Serrinha, Itapetinga, Aramari, de Mutuípe, lideranças na faixa dos 30 anos de idade. Vamos fortalecer ainda mais essa renovação partidária”, disse a fonte. O fato de o comando do partido estar, até pouco tempo, inteiramente ligado ao clã dos Vieira Lima, não permitindo o surgimento de novas lideranças, era criticado internamente. Para além destas medidas, a executiva estadual também acordou a realização de reuniões quinzenais, até que a crise criada pelo “furacão Geddel” seja amenizada.