O aumento de tributo, que o governo vai anunciar entre hoje e amanhã, não deverá ser suficiente para compensar a perda de arrecadação prevista até o final do ano. Nesse cenário, a equipe econômica avalia com a área técnica a possibilidade de um novo corte de despesas no Orçamento que poderá chegar até R$ 2 bilhões, segundo apurou o Estadão/Broadcast. O anúncio da elevação da alta do PIS/Cofins e do relatório de avaliação de receitas e despesas deve ficar para amanhã, segundo anteciparam fontes qualificadas do governo envolvidas no assunto. A equipe econômica estava tentando antecipar a entrevista para hoje devido à viagem do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, à Argentina, mas pode não haver tempo hábil para a preparação das medidas. O governo ainda busca receitas para evitar o corte orçamentário, mas enfrenta dificuldade técnica porque cada medida que prevê de alta de arrecadação precisa ser acompanhada de nota técnica a ser encaminhada ao Tribunal de Contas da União (TCU) mostrando a viabilidade desses recursos, de fato, entrarem nos cofres do governo. O TCU emitiu na semana passada sinal de alerta para os ministérios do Planejamento e da Fazenda para o risco de descumprimento da meta fiscal de déficit de R$ 139 bilhões. Por isso, o cuidado redobrado do governo com as previsões de receitas. Leia mais no Estadão.