da Agência Brasil

Rio de Janeiro – Serviços ligados à infraestrutura são o grande gargalo das prefeituras fluminenses para a Copa do Mundo de 2014, disse à Agência Brasil o presidente da Associação Estadual de Municípios do Rio de Janeiro (Aemerj), Vicente Guedes, prefeito de Valença.

Hoje (15), dirigentes municipais de todo o estado participam do Encontro de Prefeitos do Rio de Janeiro para debater a infraestrutura do interior fluminense para a Copa. A reunião faz parte do Brazil  International Tourism Exchange (Brite), maior evento de turismo receptivo da América Latina. O encontro será aberto oficialmente pelo ministro do Turismo, Pedro Novais, esta tarde, no Píer Mauá.

Vicente Guedes destacou, entre os principais problemas, a questão da logística de rodovias e de telefonia e da internet no interior.  “São pontos cruciais para a infraestrutura. O que a gente está discutindo, tanto no âmbito do governo estadual quanto do federal, é a preparação dos municípios para atender de maneira adequada ao substancial número de visitantes que o Brasil  vai receber para a Copa do Mundo e, principalmente, para as Olimpíadas”.

O presidente da Aemerj afirmou que um dos principais objetivos da entidade no Brite é buscar o reconhecimento do Ministério do Turismo para os destinos indutores no estado. Atualmente, são cinco os municípios considerados indutores do turismo: a capital Rio de Janeiro, Petrópolis, Paraty, Angra dos Reis e Armação de Búzios. “Nós precisamos ampliar esse número. Estamos buscando esse reconhecimento”.  

Guedes  acredita que a divulgação internacional dos destinos indutores para fomentar o turismo local é o grande desafio das prefeituras. Lembrou, entretanto, que “para qualificar o destino indutor, o município deve ter  infraestrutura básica, ou seja, serviços públicos essenciais funcionando adequadamente e a infraestrutura turística”.