O secretário de Habitação de Jandira, Wanderley Aquino, foi transferido na noite desta quinta-feira (16) para um presídio em Carapicuíba, na Grande São Paulo. Aquino foi preso durante a manhã por crime contra a administração pública. Por causa da acusação, ele foi exonerado do cargo que ocupava.

O secretário também é investigado pela morte prefeito de Jandira, Braz Paschoalin, que foi assassinado no dia 10 deste mês. O secretário foi detido quando chegava para trabalhar na prefeitura da cidade. De lá, foi encaminhado para o Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), em Santana de Parnaíba, também na região metropolitana.

Houve, no entanto, uma demora de nove meses para o cumprimento do mandado de prisão. Segundo o Jornal Nacional, a polícia de São Paulo informou que não tinha recebido a ordem judicial.

Morte de prefeito
Segundo a polícia, Aquino pode ter ligação com os quatro homens presos até agora por suposto envolvimento no crime. Nesta quinta, policiais civis da Seccional de Carapicuíba foram até seu gabinete e sua casa. Lá, eles apreenderam documentos, um computador e um saco contendo papel picado.

O advogado de Aquino nega o envolvimento com a morte do prefeito da cidade. “De forma alguma, pelo contrário, é aliado do prefeito, isso é uma heresia”, disse o defensor William Rueda.

Em depoimento à polícia, testemunhas teriam dito que Aquino estava intimidando parentes do prefeito e funcionários da prefeitura. Segundo a investigação, antes e depois do assassinato do prefeito, os suspeitos presos falaram ao telefone com pessoas próximas ao secretário. Foram identificadas ainda muitas ligações para ramais da prefeitura usados pelo secretário.

‘Vacilo’
Em entrevista ao SPTV na quarta-feira (15), Aquino disse que Paschoalin “vacilou” e não deveria ter saído sem carro blindado. Quando foi assassinado a tiros, o então prefeito chegava a uma emissora de rádio da cidade, como fazia todas as sextas-feiras. Anabel Sabatine (PSDB) já assumiu o posto de prefeita.

“O prefeito era uma pessoa de muita consideração nossa. É um momento bastante triste. Eu quase não estou ficando na Prefeitura porque você fica aqui você lembra dele. Então é bastante complicado”, disse Aquino, na ocasião.

“Eu acho que (Paschoalin) deveria ter cuidado da segurança. Falei várias vezes para ele que deveria contratar mais seguranças. Enfim, é uma coisa lamentável, completou o secretário de Habitação.

O secretário também comentou sobre a motivação do crime e disse não acreditar em motivação política. “Pela maneira que aconteceu, eu não acredito em crime político. Eu acredito em execução.” Ele chegou a dizer que o “mandante” seria preso. “O crime do prefeito vai ser elucidado com toda certeza. E o mandante com certeza será preso.” Do G1