O sistema de transporte coletivo urbano de Vitória da Conquista passará por mudanças em breve. O Governo Municipal deu início à reorganização do sistema que deverá contar, inclusive, com a operação de novas empresas. Estudos operacionais e econômicos já estão sendo elaborados para a reorganização do sistema. Uma empresa com experiência internacional na área foi contratada pela Prefeitura para fazer os levantamentos necessários e organizar o processo de licitação. “O prefeito Guilherme Menezes recomendou que tudo seja feito de forma ágil e transparente para garantir um novo salto de qualidade no transporte coletivo de Vitória da Conquista”, disse o coordenador municipal de Trânsito, Luiz Alberto Sellman.
Por isso, como parte integrante do processo licitatíorio, a Prefeitura promove na próxima quarta-feira (22) Audiência Pública sobre o Transporte Coletivo Urbano. Segundo o secretário do Simtrans, Luiz Sellmann, o objetivo da audiência é garantir a publicidade e transparência do processo licitatório de contratação de empresas para a nova concessão do transporte coletivo urbano. A audiência apresentará e disponibilizará aos interessados e à comunidade em geral todas as informações sobre o processo e ouvirá a população. “Esclareceremos todas as dúvidas e ouviremos as sugestões a fim de elaborar um edital democrático e que atenda aos anseios da comunidade”, afirmou.

O auditório do Cemae está situado na Av. Olívia Flores, nº 3000, Estrada da UESB, bairro Universitário. Informações pelo telefone (77) 3424-8952 begin_of_the_skype_highlighting              (77) 3424-8952      end_of_the_skype_highlighting.

INTEGRAÇÃO TARIFÁRIA – A reorganização do sistema prevê uma novidade: a integração tarifária. A medida vai permitir que um usuário possa fazer, por exemplo, dois deslocamentos sem pagar duas tarifas. O estudo vai definir as regras para a integração tarifária como itinerários, intervalos de tempo, entre outras questões. Para Luiz Alberto, “isso vai permitir que as pessoas utilizem mais o transporte coletivo com menos custos, favorecendo uma mobilidade urbana muito melhor”.

Reordenamento de linhas para atender as demandas da população de forma mais eficiente também será realizada com a remodelação do sistema. Todo o processo, que é amparado por lei, terá a participação da população por meio de audiências públicas. “Ouvir a população e fazer com que ela participe das mudanças no sistema de transporte coletivo são objetivos do Governo Municipal. É fundamental que a população opine e ajude a melhorar o transporte”, afirmou Luiz Alberto.

Segundo o prefeito Guilherme Menezes, “depois das grandes mudanças que foram a quebra do monopólio e a implantação de um sistema de qualidade, a partir de 1997, Vitória da Conquista vai experimentar, este ano, outra importante etapa rumo à garantia de um transporte com cada vez mais qualidade para toda a população”, afirma.

SAIBA MAIS – Nos últimos 13 anos, o transporte público em Vitória da Conquista vem experimentando sucessivos saltos de qualidade. Graças ao esforço do Governo Participativo, que tem buscado melhorar cada dia mais a qualidade de vida da população, com a oferta de um serviço que é essencial a toda cidade.

Uma das principais mudanças – a quebra do monopólio do transporte coletivo – ocorreu ainda na primeira gestão do prefeito Guilherme Menezes. A partir daí, vários problemas foram sendo gradativamente eliminados, isso porque a Prefeitura passou a gerir o sistema. Antes, sem regulamentação, o serviço era executado sem qualquer contrato entre o órgão gestor e a operadora do serviço.

Antes das intervenções do poder público municipal, os usuários dispunham de pouco mais de sessenta veículos, todos com idade média de 8,3 anos de uso. Hoje, esse número mais que dobrou: são 135 veículos, com uma idade média de pouco mais de 5 anos, um salto de qualidade que a população reconhece.

Além do aumento do número de ônibus, todos dentro de um bom padrão de qualidade, a Prefeitura ampliou o número de linhas e capacitou servidores municipais para melhor fiscalizar o serviço. Estudo realizado em 1997 mostrou que 11% da população usavam duas conduções para se deslocar de um bairro a outro. Com a criação das linhas perimetrais (bairro-bairro), este percentual foi reduzido para 4%. São 39 linhas, divididas em 24 radiais (bairro-centro); 11 diametrais (bairro-centro-bairro) e 4 perimetrais.

Com o aumento do número de linhas, os quilômetros percorridos passaram de 5.002.533, em 1997, para 11.298.103, em 2008. Além disso, apenas seis viagens por dia deixam de ser feitas, o que representa 99,7% de índice de eficiência. O crescente aumento do número de usuários do transporte coletivo também confirma as melhorias: em 1997, cerca de 17 milhões de passageiros utilizavam o serviço; no último ano, foram 22,5 milhões. Mas o pico aconteceu em 2005, quando o sistema foi utilizado por mais de 24 milhões de pessoas.

Acessibilidade – Outro avanço no transporte público foi a implantação de ônibus adaptados para pessoas com necessidades especiais. Luiz Alberto lembra: Atualmente, mais de 12% da frota é adaptada, percentual superior ao que exige a Lei nº 968/99, que prevê 10%.

Bilhetagem eletrônica – Com a implantação da bilhetagem eletrônica em 2008, foi reduzido significativamente o fluxo de dinheiro vivo nos veículos, diminuindo o número de assaltos e melhorando a agilidade no embarque e desembarque de passageiros. Outra vantagem é a melhoria das condições de compra e de utilização dos bilhetes. Também tiveram fim as fraudes e o comércio irregular de vales-transporte. Com as mudanças, os idosos passaram a ter acesso a mais cadeiras nos ônibus, viajando com mais conforto e segurança. Da SECOM/PMVC