Entre tantos assuntos que subiram e desceram do Trending Topics ao longo deste ano, o Twitter divulgou nessa segunda-feira (13) a lista que aponta os mais comentados.

O vazamento de petróleo no Golfo do México, segundo o relatório, foi o assunto mais falado no site neste ano. Seguem no topo a Copa do Mundo (2°) e o filme “A Origem” (3°). O terremoto no Haiti, a vuvuzela, o iPad, o Google Android, Justin Bieber, o filme “Harry Potter & the Deathly Hallows” e o polvo Paul, completam a lista.

Ainda no estudo, que analisou 25 milhões de tuítes enviados em 2010, outras oito categorias (notícias, pessoas, filmes, televisão, tecnologia, Copa do Mundo, esportes e hashtag) foram avaliadas e o Brasil ocupou alguns lugares de destaque. Na Categoria pessoas, a presidente eleita Dilma Rousseff aparece como a segunda mais comentada. O “cala a boca, Galvão”, ocupa o 4° lugar da categoria Copa do Mundo.

“A lista dos tópicos mais comentados reflete o que está acontecendo em nosso mundo, demonstra o poder de transformar qualquer acontecimento ou história em uma experiência compartilhada, e ressalta o valor do Twitter como uma rede de informação em tempo real”, escreveu a porta-voz do Twitter no blog da empresa.

Para ver a lista, clique aqui.

Dos mais comentados aos desejos dos internautas

Entre um tuíte e outro, a consultoria em mídias sociais e.Life monitorou em agosto as mensagens que continham a frase “quero comprar”. Foram 15.387. Em novembro, a empresa refez a pesquisa para a Folha de S. Paulo e o resultado apontou um aumento de 35% (20.795 tuítes).

A pesquisa, além de descobrir o que as pessoas estão falando no microblog, ainda revelou a tendência de consumo dos internautas. No ranking, somando 19% das citações, sete produtos apareceram como os mais requisitados – livro, ingresso, CD, roupa, DVD, celular e camiseta.

Para o presidente da e.Life, Alessandro Barbosa Lima, “a partir da curva de menções ela [a empresa] pode prever ou esperar um incremento da curva da demanda. Nem todo mundo está falando, mas quem está representa intenções inclusive de pessoas que não falaram”.

No mês passado, o Ibope realizou um estudo com 8.561 internautas de onze regiões metropolitanas do país que revelou que as redes sociais, como Twitter e Facebook, influenciam na decisão de compra de 25% dos internautas. Com informações da Folha de S. Paulo