Noemi Flores/Tribuna

 Passar praticamente por três séculos não é para qualquer mortal. Mas, esta é a realidade do cozinheiro Deraldo Magno Santos, de 116 anos,  que nasceu no bairro do Campo Grande em 1894 (século 19), viveu todo o século 20 (de 1901 a 2000) e está no século 21 (2010). Esbanjando lucidez, sempre louvando a Deus por ter-lhe dado esta oportunidade.   

 “Vou indo aqui pedindo sempre a Deus para me dar forças”. Ele conta que as razões principais de sua longevidade é a vontade e a alegria de viver, aliadas a uma boa alimentação, “como bem porque gosto de tudo que é bom”, justificou.

 

Hoje residindo no Asilo São Lázaro, situado na Avenida Aliomar Baleeiro, 6, no km 6, em Pau da Lima (Estrada Velha do Aeroporto), um ambiente confortável que tem a supervisão de Teresinha Correia da Luz, tratada com carinho por todos como “Dona Teresinha”, “seo”  Deraldo brinca com sua longetividade, pois consciente de fazer aniversário no “Dia de Finados” diz que “os defuntos não gostam de mim porque nasci neste dia”.

É difícil imaginar que uma pessoa possa chegar a esta idade sem dar nenhum trabalho para os que cuidam dele, mas com “seo” Deraldo  é assim mesmo, confirma dona Teresinha, salientando que o idoso  tem boa saúde, não toma remédios e anda sem auxílio dos atendentes.

Com toda sua lucidez, ele diz que o que mais gostaria de ganhar de presente agora era um automóvel. “Quero ganhar um carro, pois quero passear pela cidade. Saio quando me levam para passear  e este que tem aqui tá muito velho”, revelou, causando gargalhadas nos funcionários presentes e que dirigem o único carro do asilo.

Possa ser que a afirmação de “seo” Deraldo em relação a vícios nem seja a receita de longa vida, mas pode ter contribuído em alguns aspectos : “nunca bebi como vício, só de vez em quando um vinho branco ou licor de jenipapo na época certa”, relembrando com saudade de sua mãe.”Ela dava vinho para provar quando já mocinhos eu e meus irmãos. Mas alertava que não era para chegar num lugar e aceitar de outra pessoa”, acrescentando que cerveja só provou depois de rapaz, não gostou porque achou amarga.

Em relação ao fumo, o ancião alega ter fumado charuto, mas não se considera viciado porque deixou há muito tempo, embora afirme “de vez em quando acho falta, mas é só isto, não tenho isto comigo de vício”. Já a alimentação para “seo” Deraldo é uma das coisas mais importantes da vida  e não dispensa um bom prato.

“Eu mesmo cozinhava para mim, pois trabalhei muito tempo ajudando na cozinha do quartel e quando chegava em casa eu mesmo fazia o meu pirão e todo mundo vinha olhar espantados os meus pratos”, declarou. Um dos pratos favoritos dele é omelete de batata, que pode ser feito com batatas fritas em uma frigideira e antes de tirá-las joga o ovo batido. O outro prato é o ensopado de carne com todos os legumes e verduras.

Música, política, esporte e amor

Deraldo Magno revela que nunca frequentou uma escola, o pouco que sabe aprendeu sozinho. “Não fui estudar, aprendi de cabeça, não escrevo, mas leio um pouco”, diz com orgulho e fala um pouco de seus gostos musicais que são o samba e o bolero. Indagado sobre os estilos musicais  mais recentes, principalmente na Bahia,  ele resume: “ estas coisas de hoje não sei, tem cada coisa esquisita…”.

Para “seo” Deraldo as décadas passadas são motivos de boas recordações e sempre tem uma comparação com a fase atual “naquela época era muito farto, ninguém morria de fome”. A explicação do idoso para a fartura tem um toque político “Salvador era bem melhor por causa do Getúlio Vargas. A gente passeava muito naquela época de fartura. Trabalhava e depois ia correr a cidade”, recordou. Vargas foi presidente do Brasil  de 1930 a 1945 e depois de 1951 a 1954.

Sem familiares, pois não recorda exatamente quantos irmãos teve, e também nunca se casou, o idoso confessa que nutriu uma grande paixão por uma namorada, mas não quis entrar em detalhes sobre a pessoa que amou e como terminou o romance. Ele só deu vazão a sua grande paixão atual “sou Bahia”, disse comemorando a volta do Esquadrão de Aço à Série A do campeonato brasileiro.