Priscilla Borges, iG Brasília

O Ministério da Educação abre nesta quinta-feira inscrições para a segunda edição do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), criado no fim do ano passado para selecionar estudantes de uma só vez a vagas em diferentes universidades públicas. Serão oferecidas 16 mil vagas em 35 instituições de ensino superior, de acordo com o MEC. 

Oito novas instituições públicas de ensino superior, sendo dois institutos federais de educação, ciência e tecnologia; quatro universidades federais e duas universidades estaduais farão parte do SiSU. A Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS) e a Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) também vão oferecer vagas pelo processo de seleção unificada.

Desta vez, os estudantes encontrarão regras diferentes para a inscrição. Eles só têm um período para se candidatar às vagas oferecidas – e não três como na seleção passada – que vai de 10 a 14 de junho. Em compensação, podem escolher mais de um curso. Cada candidato pode selecionar até duas graduações, elegendo prioridade. 

Vale lembrar que, durante todo o período de inscrições, as opções podem ser refeitas, para que o candidato escolha um curso que tenha chances reais de ser aprovado. Como da outra vez, um balanço com as notas de corte de cada curso será divulgado ao final de cada dia.

A outra mudança será na quantidade de convocações dos aprovados. O MEC fará três chamadas de aprovados. Depois, os estudantes entrarão em uma lista de espera e as possíveis convocações serão feitas pelas próprias instituições. Os aprovados na primeira opção serão automaticamente retirados do sistema e não serão convocados de novo, mesmo que não tenham realizado a matrícula. Com isso, o MEC espera dar agilidade ao processo e evitar que os candidatos “brinquem” de se inscrever no sistema, mesmo que sem interesse em se apresentar às vagas.

Leandro Tessler, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e ex-coordenador da Comissão de Vestibulares da instituição, acredita ser muito difícil um sistema do porte do SiSU utilizar poucas convocações para preencher todas as vagas. Ele discorda das críticas recebidas pelo SiSU nesse sentido durante a última seleção. “Na Unicamp, oferecemos 3 mil vagas e fazemos dez chamadas. Acho que não tem como evitar isso”, afirma.

O especialista defende o sistema. “Acho a ideia muito legal. O Brasil ainda está aprendendo a trabalhar com esse tipo de instrumento. Os processos serão melhorados. Espero que o MEC resolva os problemas operacionais para que o sistema não trave, funcione corretamente”, pondera. Para ele, o ideal é que o Enem seja realizado mais vezes ao ano para que a cada seleção conquistem as vagas os mais preparados.

Vagas reduzidas

Como muitas universidades fazem processo seletivo no meio do ano, o número de vagas dessa edição está reduzido. O número é quase um terço do que foi oferecido no início do ano. No primeiro semestre, 52 instituições participaram do SiSU somando 47,9 mil vagas disponíveis.

A primeira chamada será divulgada no dia 17 de junho e as matrículas terão de ser feitas nos dias 21 e 22. A segunda chamada sairá no dia 26, com matrículas no dia 30 de junho e 1º de julho. A terceira chamada será no dia 7 de julho, com matrículas nos dias 12 e 13. A lista de espera será liberada dia 19.