Líderes do PSDB, PPS e DEM voltaram a discutir a possibilidade de Aécio Neves ser candidato a vice na chapa encabeçada por José Serra. De forma reservada, o assunto tomou força no fim de semana após a postura do ex-governador mineiro no lançamento da pré-candidatura tucana. Aos gritos de “vice, vice, vice”, ele fez um discurso de forte teor oposicionista.

“Combinamos que ninguém vai falar disso agora. Vai ficar para a segunda quinzena de maio”, disse o presidente nacional do DEM, Rodrigo Maia. “Mas todos sabemos que nenhum outro nome tem mais impacto que o do Aécio. Só o tempo é que vai resolver isso. Se ele tiver convencido, ele será o vice”, disse Maia.

AE
Serra lançca candidatura, no sábado, ao lado de Aécio 

O presidente do PPS, Roberto Freire, já defendeu publicamente, por diversas vezes, o nome de Aécio como vice.  “Sempre fui otimista, mas agora sou realista. Eu acredito, mas isso só será definido mais adiante. Agora não é um bom momento”, disse. “De qualquer forma, o discurso dele [no sábado] foi muito importante”, completou.

Em dezembro passado, Aécio anunciou publicamente que disputaria ao Senado, retirando-se da disputa com Serra pela vaga de candidato a presidente. Na oportunidade, ele ressaltou que não tinha intenção de integrar a chapa como vice. De lá para cá, os partidos aliados a Serra deixaram o assunto de lado. Mas ao mesmo tempo não lançaram nenhum outro nome.

O coordenador–geral da campanha de Serra, senador Sérgio Guerra (PE), prefere trabalhar em silêncio em relação às discussões sobre vaga de vice. A ordem é não tocar no assunto.  “No entanto, eu sempre soube que, de uma forma ou de outra, Aécio quer ajudar muito o Serra. O discurso dele mostrou isso”, disse.

Em silêncio, os tucanos traçam estratégias para preparar o ingresso de Aécio na chapa. Em primeiro lugar, Serra tem de subir mais nas pesquisas para que o mineiro se sinta seguro. A ideia é retardar a escolha do vice na chapa de Serra.

O prazo final é junho, quando os partidos são obrigados por lei a realizar suas convenções. Se der tudo certo, os tucanos querem transformar o ingresso de Aécio na chapa “um grande fato político”.

No sábado, Aécio chegou ao local do evento do PSDB enquanto o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso discursava. FHC teve de interromper sua fala diante dos aplausos para o ex-governador mineiro. O ex-presidente disse que Aécio “era o futuro do Brasil”.

O ex-governador foi muito aplaudido principalmente quando disse que ajudaria Serra em Minas ou “onde fosse convocado”. Por ora, pelo menos publicamente, Aécio tem mantido firma a intenção de disputar o Senado. Ele viajará para fora do país por duas semanas.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), afirmou que seu partido não deve reivindicar a vaga de vice.  “Essa escolha tem de ser discutida. Não precisa ser feita agora”, disse Kassab. “Os partidos saberão encontrar um perfil adequado, com experiência, credibilidade e potencial eleitoral”, completou o prefeito.

Pré-candidato a vice na chapa de Geraldo Alckimin (PSDB) em São Paulo, o ex-deputado Afif Domingos (DEM) afirma que a chapa paulista com a presença dos dois partidos não precisa ser reproduzida em nível nacional. “É outra coisa. Ainda está começando e depende de outros fatores”, disse.

Último Segundo