Para evitar a repetição dos problemas do início do ano, a rodada de inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) terá mudanças. Em junho, o Ministério da Educação (MEC) abre nova seleção, que distribuirá vagas do segundo semestre em universidades federais. A nota do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) de 2009 servirá de base para a escolha.
Em vez de três etapas, a nova rodada terá apenas uma. Cada aluno poderá se inscrever em, no máximo, três opções diferentes de cursos. O ministério também criará uma lista de espera. Por meio dela, serão chamados sucessivamente os alunos inscritos para preencher as vagas em aberto.

– O objetivo é superar todas as dificuldades, de modo a permitir que 100% das vagas sejam preenchidas – afirmou Alan Barbiero, presidente da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

O MEC acredita que a lista poderá acabar com o problema de vagas não preenchidas. As mudanças e o calendário do Sisu foram definidos ontem em reunião, que durou mais de quatro horas, entre o ministro da Educação, Fernando Haddad, e os reitores das instituições federais de ensino superior. Os dois lados concordaram que o sistema atual, apesar de democrático, era fonte de diversos problemas que ameaçavam tornar o programa inviável. Permitia, por exemplo, que os estudantes testassem opções desnecessárias, saturando o sistema, mesmo que não fossem assumir as vagas.

O Sisu, segundo a secretária de Ensino Superior, Maria Paula Dallari Bucci, está consolidado como conceito, mas do ponto de vista operacional é um processo em construção que ainda precisa de aperfeiçoamentos.

– A maior prova do seu êxito como política pública é que sua aceitação está mantida entre as instituições que já estavam e vem se ampliando entre as que ainda estão de fora – afirmou a secretária.

Tire suas dúvidas

Por que o MEC fará uma nova edição do Sisu?

A intenção do ministério é preencher as vagas que serão abertas pelas universidades federais no segundo semestre do ano.

Quem poderá participar do processo?

Somente quem participou do Enem de 2009. A nota da prova será a base para a distribuição das vagas.

Quantas vagas estarão em disputa na edição de junho?

O Ministério da Educação ainda não tem a informação. Sequer sabe quantas instituições participarão da seleção de junho, já que nem todas fazem processos seletivos duas vezes ao ano. Na primeira edição, 51 instituições integraram o sistema.

Como funcionará a distribuição das vagas?

Em maio, serão abertas as inscrições de alunos. Em junho, será fechada a lista de classificação dos estudantes inscritos, com base na qual serão chamados os selecionados para matrícula. Paralelamente, será montada uma lista de espera para preenchimento das vagas restantes.

Como será montada a lista de espera?

Ela será elaborada conforme a segunda e terceira opção de cada aluno. Dessa forma, as vagas não ocupadas no primeiro período de inscrição serão preenchidas por meio de uma lista classificatória organizada a partir das notas dos estudantes no Enem.

Universidades que não participaram da primeira edição do Sisu poderão se inscrever para o processo de junho?

Sim. O MEC acredita que o sistema ganhará novas adesões. Até maio, as instituições poderão se inscrever para participar do processo.

O Sisu de junho também selecionará estudantes para 2011?

Não. Isso só ocorrerá no próximo ano, após a realização de um novo Enem. A prova só deverá ocorrer após as eleições. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) avalia as datas, que devem ser anunciadas até junho.

ZERO HORA