BRASÍLIA. Uma falha no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) – que usa as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para preencher vagas em universidades públicas – levou estudantes, no último domingo, a pensar que tinham sido aprovados. Mas a alegria logo deu lugar à frustração, depois que o Ministério da Educação (MEC) corrigiu o problema, 20 minutos depois.

MEC altera relação de candidatos aprovados na lista de espera do Sisu

A pane ocorreu por volta das 14h de domingo. Segundo o MEC, tudo começou quando seis candidatos conseguiram liminares na Justiça e tiveram os nomes inseridos manualmente no Sisu. O sistema não entendeu o comando e criou vagas indevidamente. Com isso, quem não tinha sido selecionado apareceu na lista de aprovados. O MEC detectou pelo menos quatro casos em que estudantes incluídos equivocadamente viram seus nomes pela internet e deram início à comemoração.

Você foi prejudicado pela alteração da relação de candidatos aprovados na lista de espera do Sisu?

O MEC não divulgou detalhes das ações judiciais. Elas teriam sido movidas por candidatos que tiveram a matrícula recusada pelas instituições de ensino, por causa de problemas na documentação.

Um dos estudantes que comemoraram em vão disputava uma vaga no curso de medicina da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Após três rodadas de inscrições, sobraram duas vagas nesse curso. No domingo, o Sisu selecionava os candidatos que deixaram seus nomes na lista de espera. Quando houve o problema, o sistema passou a considerar que havia três vagas para medicina na UFMA. O “Jornal Nacional”, da TV Globo, mostrou que o candidato Felipe Paiva chegou a cortar os cabelos.

O MEC divulgará hoje o balanço final das inscrições. As vagas que sobrarem poderão ser preenchidas pelas próprias instituições de ensino, que terão liberdade para definir critérios de seleção. Ontem, o MEC monitorava o andamento das matrículas nas universidades vinculadas ao Sisu. A torcida era para que candidatos selecionados não fizessem a matrícula, dando lugar aos quatro estudantes que comemoraram em vão, no domingo. O MEC admitiu, porém, que o número de “falsos aprovados” pode ter sido maior.

O Sisu seleciona candidatos para 51 instituições públicas, sendo 23 universidades federais. Das 47.913 vagas oferecidas, só 26.612 foram preenchidas nas duas primeiras rodadas de inscrições. Ao constatar a sobra de 21.701 vagas em aberto, o MEC criou listas de espera.

O Globo