Uma forte réplica de 6,2 graus foi registrada na madrugada desta segunda-feira, 1°, no centro do Chile, informou o Centro de Geofísica dos Estados Unidos, após o terremoto de 8,8 graus de sábado, 27. O epicentro do tremor secundário foi localizado 109 quilômetros ao nordeste de Talca, a 35 quilômetros de profundidade. Ainda não há informações sobre as consequências desse novo tremor.

A noite deste domingo, 258, também foi de susto, três novas réplicas de 5,8, 5,4 e 5,1 graus de magnitude na escala  Richter sacudiram as duas regiões mais castigadas pelo terremoto do sábado passado, segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS).

Os dois tremores mais potentes, de 5,8 e 5,4 graus, foram registrados às 22h10 e 23h44 respectivamente, a 95 e 30 quilômetros de Talca, na região do Maule. O epicentro do primeiro foi localizado a 35 graus latitude sul e 72,6 graus longitude leste, a 26 quilômetros de profundidade sob o nível do mar.

Enquanto o segundo foi localizado a 35,1 graus latitude sul e 71,7 graus longitude leste, a 42,6 quilômetros de profundidade sob o nível do mar. Um terceiro movimento telúrico, de 5,1 graus, foi registrado às 0h07, a 80 quilômetros de Chillan, na região de Bío-Bío.

Seu epicentro foi localizado a 36,1 graus latitude sul e 72,7 graus longitude leste, a 40 quilômetros de profundidade sob o nível do mar. A maioria das 708 mortes até o momento causadas pelo terremoto que na madrugada do sábado sacudiu o Chile se concentram nas regiões do Maule e de Bío-Bío. 

O Maule foi a região mais castigada pelo tremor de 8,8 graus de magnitude na escala Richter, com 541 vítimas fatais enquanto no Bío-Bío, o número de mortos chegou a 64. A presidente do Chile, Michelle Bachelet, anunciou no domingo um plano de emergência para ajudar os dois milhões de desabrigados pelo terremoto e declarou zona em estado de catástrofe as regiões do Maule e de Bío-Bío.

A Tarde