WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: ‘missões mundiais’

Sudão: cristãos ganham direito de ir à igreja aos domingos

Cristãos estão autorizados a cultuar aos domingos e celebrar dias especiais no Sudão

Cristãos estão autorizados a cultuar aos domingos e celebrar dias especiais no Sudão

Nos países islâmicos, as folgas semanais acontecem na sexta-feira e no sábado. No Sudão, por exemplo, os cristãos estavam se sentindo discriminados pela dificuldade de cultuar e celebrar as datas importantes do calendário religioso. Já os muçulmanos têm direito de parar o trabalho nos horários das orações e guardar os dias sagrados. Apenas os empregadores cristãos poderiam escolher se davam ou não a folga para os funcionários irem à igreja no domingo. Em 2016, uma lei proibiu que as escolas cristãs funcionassem aos sábados, então se os alunos e funcionários quisessem guardar o domingo, teriam que trabalhar apenas de segunda a quinta-feira.

No dia 11 de novembro, o escritório do novo primeiro-ministro instruiu diversas instituições públicas a organizarem as horas de trabalho dos não muçulmanos, para dar a eles o direito de realizarem ritos e cerimônias religiosas. Com a decisão, as instituições acadêmicas ficaram proibidas de organizarem exames em 25 de dezembro e 7 de janeiro (Natal copta). Agora os que não professam a fé islâmica podem deixar o trabalho às 10h da manhã aos domingos para irem à igreja. As mudanças aconteceram a pedido do ministro de Assuntos Religiosos. :: LEIA MAIS »

México: cristã é expulsa de vila por não negar a fé

Apesar da expulsão, Rosário não guarda rancor no coração e vive nova vida em outra cidade

Apesar da expulsão, Rosário não guarda rancor no coração e vive nova vida em outra cidade

A certeza de ser filha do rei Jesus manteve Rosario Pérez Martinez firme até quando perdia a casa onde morava, no estado de Chiapas, México. Em agosto de 2017, um grupo de moradores da comunidade de Yatzil Tres Lagunas destruiu o encanamento e as instalações elétricas da casa do irmão dela, Brígido. Mais tarde, a mesma coisa foi feita na residência da cristã. Mas ela não ficou aflita pelas perdas materiais, e sim pela segurança dos filhos. Para alívio de Rosario, eles foram levados para outro lugar e estavam protegidos.

No dia seguinte, a cristã estava com o coração angustiado. “Eu disse aos meus filhos que iria fazer algumas compras, mas me senti obrigada a dizer-lhes que, se algo acontecesse comigo, eles deveriam pegar algum dinheiro e ir até a tia Hortensia, esposa do meu irmão Brígido, e ficar lá”, conta.

Então, após andar alguns metros, Rosario foi agarrada pelos braços e levada por um grupo de mulheres até as autoridades municipais. Ela ficou em um local sujo e repleto de fezes de morcego, desde as 6h da manhã até o dia seguinte. “Pedi a Deus por paciência e autocontrole. Foi muito difícil. Não pude conversar com meus filhos por várias horas. Estava muito frio e eu ainda usava as mesmas roupas. Finalmente, meu filho mais velho veio e me trouxe uma camisola”, lembra.

Enquanto a cristã estava detida, os pais dela cuidavam dos filhos. O primogênito foi a Comitán procurar ajuda para soltar a mãe, mas não encontrou. Ele resolveu fazer uma denúncia no jornal local, então os policiais prenderam o garoto também, por dois dias. A mãe e o filho foram libertados após assinarem um documento concordando em deixar a comunidade e ter a casa incendiada.  “Assinei o documento porque meus pais vieram com muitas pessoas de outra comunidade próxima que estavam dispostas a nos ajudar. Não pude voltar para minha casa, não aguentava vê-la sendo destruída”, explica.

Novas perspectivas de vida

Rosario foi cercada pelos moradores e todas as estradas também foram bloqueadas por eles. Mas o pastor da igreja que ela frequentava a ajudou a deixar o local, levando-a para a rodoviária. Finalmente, a cristã se estabeleceu em Villa de Las Rosas, cidade próxima a Comitán. O marido dela trabalha em outro estado por causa de melhores oportunidades de emprego e salário. :: LEIA MAIS »

Estudantes são presos e proibidos de adorar na Etiópia

Cristãos protestantes não podem mais fazer cultos em Debark, na Etiópia

Cristãos protestantes não podem mais fazer cultos em Debark, na Etiópia

Estudantes do estado de Amhara, na Etiópia, estão proibidos de se reunir para adoração em Debark, noticiou o site World Watch Monitor. No dia 3 de novembro, um número desconhecido de cristãos, entre eles estudantes e líderes, foi preso. Todos estavam participando de um evento da Sociedade Etíope de Estudantes Evangélicos. A polícia explicou que o motivo das detenções foi porque a região deve ser exclusiva da Igreja Ortodoxa.

Em maio, o grupo recebeu ordem para se reunir apenas em Gonder, 100 km distante de Debark. As autoridades foram informadas, para tomarem uma posição diante dessa ameaça, mas ignoraram os pedidos dos estudantes. Os membros do grupo de jovens tiveram que assinar um acordo prometendo que não fariam mais seus eventos em Debark. Após assinar o documento, eles foram liberados da prisão. Cerca de sete líderes cristãos ficaram detidos até o dia 6 de novembro e também tiveram que assinar papéis semelhantes.

A pressão na região tem aumentado bastante e, com um ataque a uma igreja em 2008, a perseguição tem feito com que os protestantes da região se desloquem para Gonder. Apesar da Constituição etíope garantir a liberdade religiosa, as divisões étnicas e religiosas se sobressaem e, por medo, poucos protestantes se mantêm em Debark.

A Etiópia foi um dos primeiros países a adotar o cristianismo como religião oficial. E por consequência disso, várias denominações têm surgido. Assim, a Igreja Ortodoxa Etíope (EOC) tem perdido a exclusividade e influência no governo. Essas mudanças reforçam ainda mais a perseguição aos cristãos na região, que já enfrentam opressão islâmica, paranoia ditatorial e antagonismo étnico. Todos os fatores colocaram o país na 28ª posição da Lista Mundial da Perseguição 2019.

Pedido de oração :: LEIA MAIS »

Igrejas domésticas são monitoradas e proibidas na Índia

Cenário religioso na Índia não favorece cristãos, mas a igreja continua crescendo

Cenário religioso na Índia não favorece cristãos, mas a igreja continua crescendo

Ser cristão na Índia tem sido um desafio desde que os extremistas hindus chegaram ao poder. Para eles, ser indiano é seguir ao hinduísmo e tudo o que for diferente dessa fé deve ser rejeitado. Além de enfrentar os ataques nas igrejas, o sul do país agora bate de frente com outro gigante: o governo. As autoridades passaram a restringir a construção de prédios para o culto cristão.

A saída encontrada pelos membros das igrejas foi a reunião doméstica. Porém, até mesmo essa decisão tem encontrado barreiras. “Quando o governo coloca restrição nos salões para adoração, os cristãos recorrem à comunhão nas casas, mas agora nós vemos que elas estão sendo cada vez mais monitoradas. Em vários distritos existem instruções oficiais da polícia para barrar a adoração nas casas”, conta um dos líderes de uma igreja parceira da Portas Abertas.

As pessoas que escolhem ir por essa via estão sujeitas a retaliação por meio de vigilância e ataques. Não há um local na Índia em que os cristãos estejam seguros. As investidas contra eles são frequentes e as autoridades não agem para protegê-los. Até mesmo um líder de alto escalão, como o ministro Mukhtar Abbas Naqvi, ignorou os dados e considerou o assunto como um problema comum de violência.

Alguém que compartilha Cristo no país é considerado agente de governo estrangeiro. Então, se uma igreja cristã auxilia pobres, ela é acusada de atrair as pessoas com dinheiro e benefícios materiais. Mesmo com tantas dificuldades, as conversões em massa acontecem e alarmam ainda mais os governantes. :: LEIA MAIS »

Cristãos sírios são preparados para fazer discípulos e resistir à perseguição

Igreja Síria se prepara para discipular e resistir à perseguição.

Igreja Síria se prepara para discipular e resistir à perseguição.

Nem só de doação de alimentos vive um cristão na Síria. Uma das maiores necessidades é capacitar uma pessoa a tornar-se um discípulo de Jesus.  Segundo Nigel*, um dos treinadores, dois tipos de cursos são oferecidos no país:

Talmatha(discipulado em árabe) ensina os princípios básicos para ser um seguidor de Jesus.  Mostra como o cristão faz um devocional, de que maneira deve responder à Bíblia, fala do propósito da vida e ensina o discipulado.

Big Picture: são três dias de curso que capacita os cristãos a enfrentarem situações difíceis, principalmente a perseguição. O objetivo é mostrar como Deus transforma dificuldades em algo belo, para a glória dele.

“Muitas igrejas têm boas atividades, mas os cristãos são imaturos. Então, nós treinamos as pessoas para serem bons mentores. Elas devem servir aos outros, por isso ensinamos o método do curso”, explica Nigel. Em 2019, 20 pessoas na faixa etária de 30 a 40 anos foram treinadas e estão prontas para voltar às igrejas para discipular outros cristãos.

Após o treinamento de discipulado, outro grupo de 35 cristãos ex-muçulmanos, todos curdos, participaram do Big Picture. Houve uma mistura entre os novos crentes e outros mais experientes. “Eles responderam positivamente, ficaram muito engajados durante as lições. O material era novo para eles e ficaram interessados em ouvir e participar”, conta o colaborador. :: LEIA MAIS »

Bolsonaro cita a Bíblia e glorifica a Deus em discurso na ONU

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, diz à Assembléia Geral da ONU que a floresta amazônica é território soberano (Foto: Carlo Allegri/Reuters)

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, diz à Assembléia Geral da ONU que a floresta amazônica é território soberano (Foto: Carlo Allegri/Reuters)

O presidente Jair Bolsonaro discursou nesta terça-feira (24) pela primeira vez como chefe de Estado na 74ª edição da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York, nos EUA.

Em sua fala onde disse que o Brasil ali estava para reestabelecer a verdade, Bolsonaro tratou de diversos temas, entre os quais democracia, economia, regimes políticos na América Latina, direitos humanos, causa indígena, paz, meio ambiente, Amazônia e liberdade religiosa.

Com duração de cerca de 30 minutos, o discurso de Bolsonaro destacou a “defesa intransigente” do Brasil com relação à liberdade religiosa” e questões relacionadas à soberania do país, à família e direitos individuais, como à crença e fé.

Bolsonaro também fez a citação bíblica de João 8:32, que tem sido uma “marca” de sua atuação desde a campanha presidencial. “Tudo o que precisamos é contemplar a verdade seguindo João 8:32: ‘E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará’”, disse.

O presidente falou do episódio em que sofreu atentando ao ser esfaqueado por Adélio Bispo em 6 de setembro de 2018, em Minas Gerais. “Só sobrevivi por um milagre de Deus”, disse Bolsonaro. “Mais uma vez agradeço a Deus pela minha vida”.

Bolsonaro finalizou seu discurso dizendo que dizendo que “agradeço a todos pela graça e pela glória de Deus”.

Crianças, ideologia e Deus

O presidente disse que “durante as últimas décadas nos deixamos seduzir, sem perceber, por sistemas ideológicos de pensamento que não buscavam a verdade, mas o poder absoluto.” Ao falar sobre ideologia, que segundo disse, instalou-se “no terreno da cultura, da educação e da mídia”, ela afetou até mesmo as crianças.

“A ideologia invadiu nossos lares para investir contra a célula mater de qualquer sociedade saudável, a família”, declarou Bolsonaro. O presidente disse que essa ideologia de gênero “tenta ainda destruir a inocência de nossas crianças, pervertendo até mesmo identidade mais básica e elementar, a biológica”.

O presidente disse também que a “ideologia invadiu a própria alma humana para dela expulsar deus e a dignidade com que Ele nos revestiu”.

Liberdade Religiosa

“A perseguição religiosa é um flagelo que devemos combater de forma incansável. Nos últimos anos testemunhamos, em diferentes regiões, ataques covardes que vitimaram fiéis, congregados em igrejas, sinagogas e mesquitas”, disse Bolsonaro.

O presidente disse que “o Brasil condena energicamente todos esses atos e está pronto a colaborar com outros países para a proteção daqueles que se veem oprimidos por causa de sua fé”.

Bolsonaro destacou que “preocupam o povo brasileiro, em particular, a crescente perseguição, a discriminação e a violência contra missionários e minorias religiosas em diferentes regiões do mundo”. Nesse sentido, o presidente disse que o país apoia o Dia Internacional em Memória das Vítimas de Atos de Violência baseados em Religião ou Crença, comemorado em 22 de agosto. “Nesta data recordaremos, anualmente, aqueles que sofrem as consequências nefastas da perseguição religiosa”, disse o presidente.

Discurso americano

Na mesma linha, o presidente americano Donaldo Trump, que discursou após Bolsonaro, disse que 80% da população vivem em países onde a liberdade religiosa inexiste e que os EUA nunca se cansarão de apoiar a liberdade de culto e de religião.

Trump falou ainda sobre aborto ao dizer que os americanos não se cansarão de defender vidas inocentes. “Criança nascida e não nascida são um presente sagrado de Deus e os EUA não podem permitir que entidades internacionais se metam em direitos dos cidadãos”, disse.

Bolsonaro agradeceu o apoio de Israel no combate aos incêndios na Amazônia.

Primeira-dama

A primeira-dama Michelle Bolsonaro acompanhou o presidente na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas.

À tarde, Michelle deverá participar de um evento promovido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

O evento será na Biblioteca Pública de Nova York e trata, conforme o Planalto, do “bilhão excluído da cobertura universal de saúde: crianças e pessoas com dificuldades no desenvolvimento e deficiências”.

Michelle tem atuação em trabalhos sociais, principalmente nos destinados à comunidade de surdos e mudos. A primeira-dama, inclusive, discursou na posse de Bolsonaro em libras (Língua Brasileira de Sinais).

No governo, a primeira-dama preside o conselho do programa Pátria Voluntária, que incentiva ações de trabalho voluntário no país.

Assista:

Fonte: Guiame

Missões Mundiais forma novos missionários

Por Sérgio Dias/JMM

Em culto realizado no dia 25 de junho, na capela do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, no Rio de Janeiro/RJ, Missões Mundiais celebrou a formatura de 10 vocacionados ao ministério missionário, que seguirão para a África, Sudeste Asiático e América do Sul. Na ocasião, cerca de 100 pessoas, entre parentes, amigos, pastores e funcionários da JMM, estiveram presentes. :: LEIA MAIS »

Missões mundiais: Notícias do Leste Europeu

Por Sérgio Dias


O Pr. Hans Behrsin e família, missionários de Missões Mundiais da CBB, estão em Riga, capital da Letônia, há cerca de três anos, e trabalham em intensa parceria com a União da Igrejas Batistas da Letônia (UIBL), no projeto de plantação de 100 novas igrejas em 10 anos, além de supervisionarem seis obreiros da terra – um na Estônia, três na Letônia e dois na Lituânia. Em recente contato, o missionário relata sobre o avanço da obra missionária na Estônia, onde esteve em março, e na Letônia, fazendo uma análise sobre o atual momento daquele país europeu.
A Letônia e os outros dois países Bálticos (Estônia e Lituânia), todos ex-Repúblicas comunistas, são países em reconstrução. Desde 2004 fazem parte da chamada União Europeia, e desfrutam de incentivos econômicos e fiscais. Com isso, grandes investimentos em infraestrutura, além da aporte de bancos e empresas internacionais de vários segmentos têm garantido crescimento àquelas nações. Porém, segundo informações do missionário da JMM, junto com o desenvolvimento vem também o secularismo e a indiferença aos mandamentos de Deus. “Certo dia, enquanto estava na fila do supermercado, pude notar que tanto uma senhora já idosa quanto dois jovens carregavam, em suas cestas, garrafas de bebidas alcoólicas juntamente com outros produtos. O que vi não foi uma exceção, mas quase uma regra. Parece que o álcool é um produto de primeira necessidade por aqui”, conta o Pr. Hans. :: LEIA MAIS »

Missões mundiais: Nova congregação resgata famílias na Espanha

A Espanha, um país tradicionalmente cristão, nos últimos anos tem adotado medidas longe de serem consideradas agradáveis aos olhos de Deus. A preocupação atual é com a nova Lei do Aborto, aprovada recentemente de forma definitiva e que autoriza a mãe a matar o feto até a 14ª semana de gestação; além disso, ela permite que meninas maiores de 16 anos não precisem de autorização dos pais para abortar. É nesta atmosfera de ataque direto à vida e à família que os missionários de Missões Mundiais em Barcelona, Pr. Gelson e Cláudia Nogueira, desenvolvem estratégias para salvar vidas, resgatando-as para o Senhor Jesus. :: LEIA MAIS »

Paticipe do projeto POR UM NOVO HAITI!

Diante da devastação da capital haitiana Porto Príncipe, causada pelo tremor de 7 graus na escala Richter que atingiu o país na última terça-feira, mais do que nunca se faz necessário o comprometimento dos crentes brasileiros com o Projeto Por um Novo Haiti.
Ações humanitárias emergenciais já estão sendo enviadas ao país por diversas nações e órgãos internacionais como a ONU. Mas as notícias que vêm do Haiti deixam clara que a necessidade para sua reconstrução será a longo prazo. Portanto, as doações aos nossos missionários e obreiros da terra precisam ser constantes. Esta é a forma com a qual o povo de Deus, sensibilizado com a atual situação dos haitianos, pode colaborar com a reestruturação da obra missionária naquele país.
Devido à falta de comunicação com o Haiti, ainda não sabemos até que ponto o templo e a casa do pastor e dos obreiros foram afetados. As necessidades do Projeto Por um Novo Haiti, que já eram muitas (ampliação do número de missionários, transporte para os obreiros, preparação de líderes, estudo e merenda para as crianças e construção de um centro de saúde), cresceram consideravelmente. Por isso, o projeto necessita, além da fidelidade de seus atuais adotantes, do comprometimento de mais pessoas dispostas a investir na reconstrução da obra de Deus nesse que já era considerado o país mais pobre das Américas. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia