WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  


:: ‘entrevista’

Veja repercussão da entrevista do ministro Antonio Palocci

Governistas e oposicionistas comentaram na noite desta sexta-feira (3) a entrevista concedida à TV Globo pelo ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci (leia os principais trechos exibidos pelo Jornal Nacional).

Confira abaixo o que eles disseram:

ACM Neto, deputado federal (BA) e líder do DEM na Câmara
“A entrevista não fala nada, não acrescenta nenhuma informação, ele é vazio nos pontos que interessa, nas empresas que contrataram os seus serviços e a origem do recurso. Ele falar foi inútil, não deveria ter passado por essas, falou, falou e não disse nada. Ficou no ar numa nebulosa grande. Reforçou a necessidade de ele ir à Câmara, se defrontar com os deputados sobre as coisas graves que a empresa dele fez.”

Alvaro Dias, líder do PSDB no Senado
“A entrevista dele pode ser usada mais como peça de acusação do que de defesa. Em alguns momentos ele foi ingênuo, em outros foi inconsistente e não verdadeiro. Não respondeu às questões essenciais. Se escondendo atrás da tese de que os contratos são confidenciais, não revela nomes e valores, então não revela nada. Como homem público, tem dever da transparência e da publicidade, e não da confidencialidade. Quem o contratou o fez sabendo quem era Palocci, ex-ministro da Fazenda e deputado federal, com compromisso com a visibilidade. Não há a eliminação de nenhum dos indícios, ele tem que ir ao Congresso, e se não for, vamos continuar tentando a CPI.”

Cândido Vaccarezza, deputado federal (PT-SP) e líder do governo na Câmara
“Acho importante a entrevista porque ele deixou claro que era um problema dele, que não fez tráfico de influência e nem usou informações privilegiadas. Quero centralizar o debate sobre o ‘Brasil Sem Miséria’ e os projetos importantes para o Brasil. [A entrevista] facilita a discussão [sobre a convocação do ministro para dar explicações no Congresso]”. :: LEIA MAIS »

”Toda vez que se faz uma campanha de desarmamento, os homicídios caem”, diz ministro da Justiça

Estadão

“A campanha por si só já é válida. Mas a ideia é ir além e enfrentar essa cultura do armamento.”

O ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, acredita que a tragédia no Rio ajuda a jogar luz sobre o Estatuto do Desarmamento. Depois do massacre, ele pretende antecipar a campanha do desarmamento, programada para junho, e iniciar as discussões sobre a restrição de posse de armas no País imediatamente.

Na Grã-Bretanha e na Austrália, depois de massacres em escolas como a de Realengo, foram tomadas medidas restritivas em relação à posse de armas por civis. A tragédia contribui de alguma forma para a discussão?
Acho que sim. Temos de debater com a sociedade quais pessoas têm condições de usar armas e em que condições. O próprio Estatuto do Desarmamento tem de ser discutido sob a ótica que estamos vivenciando. O número de homicídios e de vítimas feridas em situações de arma de fogo, voluntariamente ou por acidentes, está subindo. Por isso, temos de discutir a questão do porte, quem deve ter, para que possamos ter uma política mais restritiva de posse de arma.

Na quinta-feira, depois de saber dos ataques, o senhor falou sobre a importância de apressar a campanha do desarmamento. Quais são os planos?
Haverá um encontro em Brasília na segunda-feira com integrantes do Viva Rio, representantes da sociedade civil e parceiros do governo. Queremos agora definir o cronograma. O plano original era junho, criando novos postos de entrega e preparando o pessoal para receber as armas. Mas queremos acelerar e lançar antes, para aproveitar as reflexões que infelizmente foram provocadas pela tragédia. Vimos pelo Mapa da Violência que toda vez que se faz uma campanha de desarmamento há uma redução nas taxas de homicídio. A campanha por si só já é válida. Mas a ideia é ir além e enfrentar essa cultura do armamento. Além de outras perspectivas para aperfeiçoar a legislação em vigor.

:: LEIA MAIS »

Maurício Telles, novo secretário de segurança, fala sobre desafios que tem pela frente

Correio

O secretário recebeu o diretor de redação, Sergio Costa, e o editor-executivo Oscar Valporto, em seu gabinete. A seguir, trechos da entrevista concedida na sexta-feira.

“Não temos tempo a perder”, diz Telles

Índice de homicídios na Bahia e, principalmente, em Salvador e sua Região Metropolitana, é muito alto; a capital baiana tem áreas controladas pelo narcotráfico; a maior facção do crime organizado de São Paulo tem ramificações no estado e é a principal fornecedora de drogas para os traficantes locais, inclusive de outras facções.

Autor deste diagnóstico assustador, o novo secretário da Segurança Pública,Maurício Teles Barbosa, mostra que não tem medo de reconhecer o desafio que tem pela frente nem de assumir que vai precisar de ajuda de outras áreas e de outras esferas de Poder para reduzir os índices de criminalidade da Bahia. “Temos que usar as experiências que deram resultados em outros lugares e fazer as adaptações necessárias à realidade do nosso estado”, afirma Teles, 34 anos, delegado da Polícia Federal.

:: LEIA MAIS »

Ex-presidente acusa o vice por rombo de R$ 2,5 bi no Grupo Silvio Santos

Estadão

Luiz Sandoval, ex-presidente do grupo, aponta pela 1ª vez os nomes dos supostos responsáveis por fraude. ‘O vice-presidente de finanças do banco mandou o contador maquiar o balanço’, revelou Sandoval, em entrevista exclusiva.

Principal executivo do Grupo Silvio Santos até o mês passado, Luiz Sandoval (foto) aponta, pela primeira vez, os nomes de dois supostos responsáveis pela fraude bilionária no Panamericano: o ex-vice-presidente financeiro Wilson Roberto de Aro e o contador Marco Antônio Pereira da Silva.

Em entrevista exclusiva ao Estado, Sandoval conta que, quando o caso foi descoberto pelo Banco Central (BC), em setembro, o contador admitiu ter maquiado os balanços do banco para esconder um rombo de R$ 2,5 bilhões e disse ter agido a mando de Aro. Ao ser confrontado sobre a acusação, afirma Sandoval, o ex-vice admitiu ter dado a ordem “para salvar o banco”.

O ex-vice e o contador podem não ser os únicos responsáveis pela fraude contábil. Mas foram os únicos, na versão de Sandoval, a admitir participação no episódio, durante reunião com a presença de outras pessoas. Procurado, Aro não quis se pronunciar. Pereira da Silva não foi localizado.

Na última quinta feira, antevéspera do Natal, Sandoval depôs na Polícia Federal. Foi espontaneamente, apresentou sua versão e abriu mão dos sigilos bancário e fiscal.

:: LEIA MAIS »

Pai de estudante acusada de racismo no Twitter acha que a filha deve pagar pelos seus atos

Correio

Empresário paulista Antonino Petruso, 53 anos, afirmou que discorda das declarações e disse que estima os nordestinos.

Caso Mayara: pai da jovem fala sobre polêmica

O empresário paulista Antonino Petruso, 53 anos, pai da estudante de Direito Mayara Petruso, 21, desabafou ontem em entrevista ao CORREIO. Após a eleição de Dilma Rousseff (PT), a universitária postou no twitter e facebok comentários preconceituosos contra nordestinos. Antonino disse que, como pai, lhe custa acreditar que Mayara seja a real autora das postagens, mas defende sua punição, caso ela seja culpada.

“A Justiça é lenta, mas ela chega. E quando chega, ela dói. Se ela errou, vai ter que pagar”. Ele frisou que não tem as mesmas opiniões da filha. “Eu não penso como ela. Tenho estima muito grande pelos nordestinos. Tenho muitos amigos nordestinos”, lamentou. Petruso ficou conhecido em São Paulo, quando, em 2002, foi sequestrado, conseguiu fugir do cativeiro, foi baleado e quase morreu.

:: LEIA MAIS »

Repórter pergunta se Dilma é ‘homossexual’

Ela lamentou os falsos boatos de que teria um relacionamento de 15 anos com uma ex-empregada

Em viagem a Teresina, no Piauí, a presidenciável Dilma Rousseff (PT) decidiu conceder entrevista coletiva à imprensa local quando visitava um centro de reabilitação de deficientes. Quando falava sobre o compromisso que assumira com pastores evangélicos em relação ao aborto e à união entre pessoas do mesmo sexo, foi surpreendida por uma pergunta inusitada. Um repórter local quis saber se ela é homossexual. “Meu querido, eu não vou responder a isso. Não vou responder. Tenho uma filha e sou avó, pelo amor de Deus. Não vou discutir nesse nível. Me desculpa, mas esse tipo de discussão, eu não vou ter aqui”, condenou. Ela lamentou os falsos boatos de que teria um relacionamento de 15 anos com uma ex-empregada. “Isso não contribui em nada para o desenvolvimento do país”, lamenta. Informações do blog de Josias de Souza. Do Bahia Noticias

Dilma fala após debate! Assista

G1

Erenice jogou fora chance de ser uma grande funcionária pública, diz Lula

Equipe AE

SÃO PAULO – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que a ex-ministra-chefe da Casa Civil Erenice Guerra “jogou fora uma chance extraordinária de ser uma grande funcionária pública deste País”, na segunda parte da entrevista exclusiva ao portal Terra. Sobre José Serra (PSDB), adversário de sua candidata Dilma Rousseff (PT) nessa eleição presidencial, Lula comentou: “Está hoje na situação em que eu estive nas duas eleições que perdi”, destacando que foi muito difícil ser um candidato contra o Plano Real, em 1994.

Apesar da afirmação contra a ex-chefe da Casa Civil, Lula afirmou que as denúncias precisam ser investigadas e disse não acreditar que este episódio possa ter algum impacto no resultado das eleições presidenciais, cuja liderança é de Dilma Rousseff, segundo as pesquisas de intenção de voto. De acordo com o presidente, o povo percebe se essas denúncias estão sendo manipuladas eleitoralmente e percebe também se são verdadeiras. “O povo aprendeu a julgar, isso é uma coisa interessante.” :: LEIA MAIS »

Marina Silva é entrevistada pelo Bom Dia Brasil

Do G1, em São Paulo

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, foi entrevistada na manhã desta segunda-feira (20) pelo Bom Dia Brasil. Os candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) também serão entrevistados nesta semana. A ordem das entrevistas foi definida em sorteio. Marina respondeu a perguntas dos entrevistadores durante 20 minutos.  Confira abaixo a transcrição das perguntas e respostas e veja os vídeos com as duas partes da entrevista.

Empresário abre o jogo e solta o verbo: Grana do lobby era para Dilma, Erenice e Hélio Costa

G1

Empresário Rubnei Quícoli, pivô de escândalo, dá entrevista ao G1. Todos os citados por ele negam irregularidades.

O empresário Rubnei Quícoli, de 49 anos, que acusa pessoas ligadas a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra de tráfico de influência e cobrança de propina, disse em entrevista na tarde desta quinta-feira (16), que parte do dinheiro que o grupo tentava arrecadar para interceder por um empréstimo junto ao BNDES tinha como objetivo saldar dívidas da candidata à Presidência Dilma Rousseff, de Erenice e do ex-ministro e candidato ao governo de Minas Gerais Hélio Costa.

Em nota, Costa diz que a denúncia é caluniosa. Dilma e Erenice também negam a acusação. E o PT informou que deseja que a Polícia Federal investigue a acusação de que o dinheiro iria para campanha. Em e-mail recebido pela reportagem às 18h, Costa divulgou a seguinte nota: “O senador Hélio Costa repele a tentativa de um indivíduo de reputação comprometida por envolvimento com roubo de carga e receptação de dinheiro falso de envolver o nome da ex-ministra Dilma Rousseff e o dele, Hélio Costa, numa denúncia caluniosa. ‘A quem interessa essa calúnia a duas semanas da eleição?’, questiona Costa. O senador afirma que vai processar o caluniador. Assessoria de Comunicação da coligação ‘Todos Juntos por Minas’”.

A ligação de Quícoli com o caso começou na parceria que ele conta ter feito há mais de dois anos com a empresa EDRB, de Campinas, para buscar interessados na construção de uma usina de energia solar. Ele disse que a proposta de pagar R$ 5 milhões para obter o empréstimo de R$ 9 bilhões do BNDES ocorreu em 2010, alguns meses após ele ter se negado a assinar um contrato com a empresa Capital, consultoria ligada a Israel e Saulo Guerra, filhos de Erenice. “O Marco Antônio (ex-diretor dos Correios) chegou para mim e falou que esses R$ 5 milhões eram para apagar o incêndio da turma, dívidas da Dilma, da Erenice e do Hélio Costa”, disse.

“Depois que eu falei que não ia entregar esse dinheiro, o Israel se manifestou através do Vinícius (ex-assessor da Casa Civil) e do Marco, dizendo que, se não colocasse o dinheiro disponibilizado, que não teria mais o aporte financeiro para a EDRB. E foi exatamente isso que aconteceu.” Nos últimos dias, a reportagem tenta localizar Marco Antônio, mas não obteve sucesso.

:: LEIA MAIS »

Mãe de Joanna pede a testemunhas que liguem para Disque-Denúncia

do G1

Ela deu entrevista no programa Ana Maria Braga nesta manhã. Delegado responsável pelo caso classifica investigação como ‘dificílima’.

A mãe da menina Joanna Cardoso Marcenal Marins, de 5 anos, Cristiane Marcenal, fez um apelo, na manhã desta terça-feira (17), às testemunhas do caso, para que liguem para o Disque-Denúncia, a fim de ajudarem a esclarecer o caso da morte da menina. Cristiane, que é médica cardiologista, deu entrevista ao programa Mais Você da apresentadora Ana Maria Braga.

“Todas as pessoas que estiveram com ela no período em que eu não a vi, se viram qualquer coisa, alguma testemunha se ela se machucou, que por favor denunciem, tem o Disque-Denúncia”, pediu ela.

Joanna passou quase um mês em coma e morreu no início da noite de sexta-feira (13). Desde o nascimento da menina, os pais brigaram na Justiça para ficar com a filha. O pai, o funcionário público André Marins, estava com a guarda desde maio.O padrasto de Joanna, Ricardo Ferraz, acompanhou a mulher no programa. Cristiane voltou a afirmar que a menina nunca teve convulsões, como o pai afirma.

Segundo ela, nenhum dos três hospitais pelos quais a menina passou registrou os ferimentos no corpo de Joanna. Cristiane viu as lesões quando a filha já estava em coma. “Só quando eu fui vesti-la é que vi que ela estava machucada”, disse. A reportagem telefonou para o advogado Luis Guilherme Vieira, que representa André, mas não obteve retorno. :: LEIA MAIS »

Dunga pede desculpas à torcida por palavrões e se emociona com pai

do Globoesporte.com

Técnico se retratou depois de ter balbuciado palavras fortes em coletiva no último domingo. Pai do treinador está internado no Rio Grande do Sul

Nesta quinta-feira, Dunga falou pela primeira vez depois de ter xingado um jornalista durante a coletiva de imprensa pós-jogo com a Costa do Marfim – vitória por 3 a 1. O comandante da seleção brasileira, porém, pediu desculpas somente ao torcedor brasileiro pelos palavrões e reivindicou mais tranquilidade para exercer o seu trabalho.- Quero pedir desculpas ao torcedor brasileiro, porque ele tem sempre nos apoiado e não tem nada a ver com os meus problemas pessoais ou alguma outra situação. Como brasileiro e como todo torcedor, só quero que me deixem trabalhar. O torcedor tem de estar feliz com a seleção – disse.

No último domingo, o problema de Dunga foi com Alex Escobar, apresentador e comentarista da TV Globo. Enquanto respondia a uma pergunta sobre Luis Fabiano, o técnico viu o jornalista balançar a cabeça. Ele parou de responder, perguntou a Escobar o que estava acontecendo e depois começou a sussurrar palavrões, captados pelos microfones e transmitidos ao vivo para todo o mundo. :: LEIA MAIS »

Atacante Adriano fala sobre polêmicas em entrevista a TV

Do R7, com Domingo Espetacular

De malas prontas para a Itália, onde vai assinar contrato com a Roma e tirar férias, Adriano abriu o jogo em uma entrevista exclusiva à Rede Record em sua casa, no Rio de Janeiro. O atacante falou sobre as polêmicas em que se viu envolvido nos últimos meses, sobretudo as fora de campo.

O atacante também disse o tamanho da decepção que sentiu ao não ser convocado pelo técnico Dunga para a seleção brasileira que disputa a Copa do Mundo da África do Sul. Na Itália, Adriano espera “pagar uma dívida” deixada quando se desligou da Inter de Milão. Na Velha Bota, espera dar a volta por cima e fazer jus ao título de Imperador.

Longe do Rio, ele espera também diminuir o grau de interesse que a sua vida pessoal ganhou, sejam nas colunas sociais, sejam nas páginas policiais.

– Me critica dentro de campo, mas não começa a colocar coisas que estou fazendo fora. Da minha vida privada sei eu e as pessoas que estão comigo – diz Adriano, em um dos trechos da entrevista.

Veja a entrevista completa do jogador à Record:

Em Nova York, Dilma se irrita e “demite” tradutora

FOLHA/ANA FLOR
enviada especial a Nova York

Problemas com uma tradutora na coletiva de imprensa irritaram nesta sexta-feira a pré-candidata petista em Nova York. Dilma Rousseff chegou a chamar a tradutora de “minha santa”.

Dilma, que preferiu falar em português, chegou a elogiar o primeiro tradutor. A partir da metade da entrevista, a tradução ficou por conta da angolana Marísia Lauré.

Perguntada sobre o delicado tema da autonomia do Banco Central, Dilma falou da “autonomia operacional” do órgão. Lauré esqueceu uma das palavras e Dilma completou, em inglês: “operational autonomy”. Em seguida, repreendeu a tradutora. “Eu peço para você traduzir literalmente, porque é complicado [o tema]”.

Dilma passou a falar sobre privatizações e as empresas que acredita que deviam permanecer públicas, como Petrobras, Eletrobras, as do setor elétrico e bancos públicos. A tradutora esperou que a convidada concluísse a frase para traduzir. Ao final, Dilma conferiu com a platéia: “Não faltou [o trecho] da Petrobrás?”.

:: LEIA MAIS »

Razões do mal: a confissão da bruxa

da Revista Veja

A procuradora Vera Lúcia, acusada de torturar a menina que pretendia adotar, tenta justificar sua crueldade culpando a criança. Uma testemunha afirma que ela também batia na mãe. Como uma bruxa má, não demonstra nenhum arrependimento e sua lógica é a da desrazão

 Os contos de fadas, cujos heróis enfrentam bruxas malvadas e lobos maus, inevitavelmente acabam bem. São uma forma de as crianças encararem e exorcizarem seus medos e angústias, dizem os psicanalistas. Mas, só no Brasil, há milhares de meninos e meninas que descobrem, desde muito cedo, que bruxas malvadas e lobos maus podem existir de verdade – e, pior, habitar a casa onde eles moram. A procuradora aposentada Vera Lúcia de Sant’Anna Gomes, de 66 anos, é uma dessas bruxas malvadas de carne e osso. Presa de número 323?010 do Complexo Penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro, ela se entregou à polícia depois de passar oito dias foragida, acusada de torturar com frieza e fúria uma menina de 2 anos que estava sob sua guarda. Na semana passada, Vera Lúcia falou a VEJA.

 

A PROCURADORA VERA LÚCIA admitiu ter chamado T.E. de “cachorra”: “Ela estava se recusando a comer e ainda por cima sujava a roupa toda de leite. Perdi a paciência”

Estava vestida com o uniforme das presidiárias – blusa branca de malha, calça azul e chinelos de dedo -, tinha o cabelo pintado de loiro em desalinho e as unhas cor de vinho. Com os olhos fixos e a voz exaltada, ela negou a série de maus-tratos de que é acusada de infligir a T.E., a menina que estava prestes a adotar – mas assumiu sem nenhum fio de remorso a humilhação a que submeteu a criança. “Chamei a garota de cachorra mesmo”, afirmou. E acrescentou: “Mas chamar alguém de cachorro não é ofensa. Os cães são mais amigos e leais do que muito ser humano por aí”. Durante os 29 dias em que a pequena T.E. ficou sob os seus cuidados provisórios (os papéis para formalizar a adoção estavam correndo na Justiça), a procuradora a manteve trancafiada em um quarto. T.E., afirmam testemunhas, era alvo de xingamentos constantes e recebeu tantas surras que mal conseguia abrir os olhos, de tão inchados. Foi nesse estado que representantes do conselho tutelar a encontraram quando foram à casa de Vera Lúcia, movidos por uma denúncia anônima. T.E. passou três dias no hospital para tratar dos ferimentos. Hoje, de volta ao abrigo de menores onde vivia, ela pouco come e quase não fala. Quando um estranho chega perto, assusta-se e foge.

:: LEIA MAIS »

Transformação: “Sou a Regina Pentecostes”

Presidente do PTB de Vitória da Conquista oficializa apoio a Geddel Vieira Lima

Por Rodrigo Ferraz

A presidente do PTB de Vitória da Conquista, ex-vereadora Irma Lemos (foto), participou da Resenha Geral desta quinta-feira (06) para convocar a imprensa e lideranças políticas da região a um encontro que será realizado na sua residência na noite da próxima sexta (07). Durante o evento, ela irá oficializar o seu apoio a pré-candidatura do ex-Ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima para o governo do estado.

Segundo Irma Lemos, essa iniciativa visa fortalecer ainda mais o nome do atual deputado federal na maior cidade do sudoeste baiano. “Será um grande prazer receber o grande líder do PMDB na minha residência, juntamente com sua comitiva”.

Também devem marcar presença o presidente e vice  do PTB baiano, respectivamente Jonival Lucas e Benito Gama, o presidente do PMDB no estado, Lúcio Vieira Lima, o pré-candidato a deputado federal e presidente do PMDB de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão, dentre tantas outras lideranças. Do Blog da Resenha



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia