Por Wal Cordeiro

Hoje acontece a Assembléia Itinerante em Vitória da Conquista. Fato histórico para a cidade. Primeiro, porque serão debatidos temas importantes para a região. Segundo, porque será um momento de votação de projetos, e espera-se que seja colocado na pauta o projeto de autoria do deputado Marcelino Galo (PT) que propõe a transformação de Vitória da Conquista em região metropolitana. Espera-se que o assunto seja pelo menos debatido! Se isso não acontecer, é um desrespeito ao nosso povo e está provado que existem duas Bahias e precisamos repensar, de fato, a nossa força política regional, que nem toca num assunto de tamanha relevância para o desenvolvimento sustentável do sudoeste baiano. As vezes me sinto como uma voz que clama, sozinha, no deserto!

A primeira Bahia é a Bahia da capital; das forças imediatas, onde agiliza o que quer e na hora que quer, e consegue o que quer, quando quer. A exemplo disso está Feira de Santana (bem próxima à capital), quando aconteceu a última Assembléia Itinerante, com a participação das lideranças locais, onde os deputados discutiram, votaram e aprovaram a cidade como região metropolitana.

Se a mesma ação não se repetir aqui em Vitória da Conquista, podemos imaginar que Feira de Santana ganha maior destaque do que Vitória da Conquista, e de fato é mais importante do que a nossa cidade (distante 500 km de Salvador), pelo menos do ponto de vista governamental.

A segunda Bahia (a esquecida), é a nossa do lado de cá; que se encontra distante da capital, e tudo para acontecer leva tempo, muito tempo (o novo aeroporto). Está na hora da população acordar e assumir o papel de sociedade organizada, onde não deve se calar e cobrar os investimentos que tanto merecemos.

Reflita: O que Feira de Santana tem? é mais importante do que Vitória da Conquista?

Conclamo à imprensa e aos movimentos sociais para entrarem comigo nesta luta!!!