A Tarde

Na avaliação de Alice, é natural que as principais lideranças do PCdoB apareçam no programa gratuito

O PP baiano ingressou na última sexta-feira com dois recursos junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Uma das ações acusa a deputada federal e pré-candidata à Prefeitura de Salvador Alice Portugal (PCdoB) de fazer propaganda eleitoral antecipada, enquanto o  segundo recurso solicita à Justiça Eleitoral que analise as atividades de possíveis candidatos que porventura possam configurar-se como propaganda eleitoral antecipada.

De acordo com o secretário-geral do PP na Bahia, Jabes Ribeiro,  a decisão de ingressar com as ações partiu de uma análise do partido sobre a propaganda partidária dos comunistas. E confirma que a articulação para ingressar com os recursos foi feita pelo vice-presidente estadual do PP e secretário municipal da Casa Civil, João Leão –  apontado como possível candidato pepista ao Palácio Thomé de Souza no ano que vem.

“Particularmente, eu não vejo nada demais na decisão de acionar a Justiça”, avalia Jabes. Em viagem pelo interior do Estado, o secretário João Leão não foi localizado pela reportagem.

A deputada Alice Portugal considerou a decisão dos pepistas intempestiva e imprópria, já que ambos os partidos fazem parte da base aliada do governador Jaques Wagner. “Achei intrigante esta preocupação deles. Apenas articulamos uma pré-candidatura e já querem me tirar do vídeo”, avalia a deputada.

Na avaliação de Alice, é natural que as principais lideranças do PCdoB apareçam no programa partidário gratuito . “Não  veiculamos qualquer conteúdo de natureza eleitoral. Fiz apenas uma explanação sobre os avanços do Brasil e sobre a necessidade de solução para os problemas em Salvador”, explica.