A Tarde

Com ofertas de internet “pré-paga” a partir de 33 centavos ao dia, TIM, Claro e Vivo disputam clientes no estado.

O acesso à internet 3G a partir de R$ 0,33 por dia – valor que atualmente dá para comprar duas balas e R$ 0,03 de troco – é sinal de que as operadoras de telefonia móvel estão voltando a atenção para um público que era desprezado até pouco tempo. Os créditos dos clientes pré-pagos são a bola da vez no mercado de dados e ofertas prometem se tornar cada vez mais generosas.

Enquanto a Claro aposta na disseminação dos smartphones, com ofertas a partir de R$ 300; a TIM  promete investir R$ 140 milhões nos próximos três anos em rede; enquanto a Vivo planeja encerrar 2011 com 200 municípios atendidos na Bahia, o que representaria um crescimento de 526% em relação às 38 cidades atendidas pela empresa.

O alvo é a preferência de gente como Josiel Santos, 32 anos. O analista de suporte tem computador em casa e no trabalho, mas usa o aparelho celular pré-pago para manter-se atualizado das mensagens de e-mail que recebe, bem como das novidades nas principais redes sociais. “Não dá para baixar um filme, mas consigo trocar mensagens com colegas de faculdade e conversar com meus contatos”, explica. Serve para os serviços básicos, resume.

O básico oferecido pelas operadoras é justamente o acesso a serviços de e-mail e páginas de redes sociais. De acordo com pesquisa do Ibope Nielsen Online, 86% dos usuários de internet do Brasil acessam páginas como Orkut, Twitter, Facebook, entre outras. Para mais da metade desse público, acessar uma vez por dia é pouco.

Os clientes dos serviços pré-pagos representam 90% do total na Bahia. São 11,6 milhões de pessoas, de acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações. “Este mercado está migrando para o smartphone, e o cliente não quer mais saber de falar apenas”, explica o diretor territorial da Vivo na Bahia e Sergipe, Fábio Avellar.

Última das três operadoras que oferecem o serviço a ingressar no mercado, a Vivo aposta no preço mais baixo entre as três, de R$ 0,33 por dia, e na oferta da tecnologia 3G para ganhar mercado. “O cliente do pré-pago tem uma imensa demanda reprimida em relação ao 3G. A tecnologia anterior é mais lenta, o que causa a irritante espera pela abertura das páginas”, diz, antes de garantir conexão de até 1 megabite por segundo: “Mas do que suficiente para redes sociais e e-mails”.

Pioneira na navegação ilimitada para pré-pagos, por R$ 0,50 ao dia, a TIM aposta na proposta na facilidade de não exigir nenhum tipo de adesão. Além de facilitar o acesso a usuários que não possuem smartphones, por meio de um navegador próprio.