Eduardo Bresciani e Alexandro Martello Do G1, em Brasíliaelei

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que, até as 14h deste domingo (3), 368 pessoas já foram presas por crimes eleitorais em todo o país. Ao todo, o tribunal registrou 963 ocorrências no país. Os dados foram repassados ao TSE pelos tribunais regionais e dizem respeito somente a pessoas que não são candidatos. Os candidatos presos até as 14h30 foram 26 no país, segundo o TSE

Segundo o balanço, divulgado pelo ministro Arnaldo Versiani, do TSE, 199 pessoas foram presas por boca de urna, 97 por divulgação de propaganda, 25 por transporte ilegal de eleitores, 3 por fornecimento ilegal de alimentação, 22 por compra de votos e 22 por outros motivos.

De acordo com Versiani, o estado de Pernambuco foi o que registrou o maior número de prisões, com 44. Na sequência vem o Espírito Santo, com 42 presos.

O levantamento mostra ainda que foram realizadas 40 prisões no Rio de Janeiro, 34 em Minas Gerais, 28 em Alagoas, 25 na Bahia, 24 em Mato Grosso e 23 no Paraná. De acordo com o balanço, no Amapá, Maranhão, Paraíba, Rondônia e Roraima não foram informadas prisões até o horário da divulgação do balanço parcial.

Em número de ocorrências sem prisão, o Rio Grande do Sul lidera as estatística com 176. Na sequência vem Minas Gerais (115) e Rio de Janeiro (55).

Urnas eletrônicas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que 1.141 urnas eletrônicas (0,285% do total de 400.001) apresentaram problemas e foram substituídas neste domingo (3) de eleições.