Do Globo Amazônia, em São Paulo

 
Foto: Divulgação

Agente mede quelônio apreendido vivo: os animais em boas condições foram devolvidos à natureza. (Foto: Divulgação)

 Fiscalização na confluência dos Rios Negro e Branco, no Amazonas, levou à apreensão de cerca de 850 quilos de peixe e 32 animais silvestres mortos e vivos (quelônios e porcos-do-mato), segundo informações divulgadas nesta segunda-feira (17) pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam). A ação contra a caça e a pesca ilegal aconteceu graças a denúncias. Os infratores receberam mais de R$ 66 mil em multas.

A área fiscalizada se estende entre os municípios de Manaus e Barcelos e inclui partes da Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro, Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Negro, Parque Estadual Rio Negro, Parque Nacional Anavilhanas, Reserva Extrativista do Rio Unini e Parque Nacional do Rio Jaú.

Os animais vivos foram soltos no Rio Negro e os abatidos (20 porcos-do-mato) foram doados às comunidades ribeirinhas de Remanso, Moura, Caioezinho e Bacaba. A ação ocorreu entre 30 de abril e 8 de maio.

 Se você vive ou viajou para a Amazônia e tem denúncias ou ideias para melhorar a proteção da floresta, entre em contato com o Globo Amazônia pelo e-mail [email protected] . Não se esqueça de colocar seu nome, e-mail, telefone e, se possível, fotos ou vídeos.