A estudante Maysa Cordeiro Macedo, 18 anos, foi morta com um tiro no ombro disparado por um policial militar na madrugada de domingo (04) no município de Nova Canaã, a 490 km de Salvador, após ela e o motociclista, Cássio Bastos Santos, 21 anos, furarem o bloqueio de uma blitz na saída da cidade. 

Segundo informações da delegacia de Ibicuí, a PM recebeu ordens para realizar blitz na saída da cidade que dá acesso a BA 262, por conta dos constantes assaltos de motociclistas armados. Por volta das 1h30 da madrugada, os PMs pediram para duas motos pararem, sendo que uma terceira passou direto em alta velocidade, rompendo a barreira.

Como o motoqueiro não parou, os policiais dispararam para o alto como advertência para que o motoqueiro parasse e então, iniciaram a perseguição. Uum dos soldados, identificado como ‘Reginaldo’, atirou no pneu da moto com uma espingarda de calibre 12 e deu outros tiros que atingiram o pé do motociclista e a estudante. Nesse momento, Cássio parou a moto.

Quando os policiais perceberam que o ombro da jovem estava sangrando, a levaram para o hospital da cidade pensando, inicialmente, que Maysa teria sido lesionada pela queda da moto. Cássio foi algemado e levado para delegacia por estar portando uma arma de calibre 38, enquanto a jovem ficou no hospital. Ao perceberem que estava baleada, decidiram transferí-la para Itabuna, onde não resistiu ao ferimento e morreu.

No interrogatório o motociclista alegou que a arma não pertencia a ele, além de afirmar que  furou o cerco policial por medo – motivo não informado. Reginaldo, o PM acusado de efetuar os disparos, será interrogado até a quinta-feira (08). Por enquanto, apenas um policial e o sub-tenente foram ouvidos como testemunhas. A moto está na delegacia de Nova Canaã para ser periciada.

O corpo de Maysa foi enterrado às 09 de hoje em Ibicuí, cidade onde morava. O coronel da PM Ivo Santos, comandante de policiamento regional, informou que hoje cedo instaurou inquérito litar para apurar o ocorrido. Prazo para conclusão é de 40 dias. Reginaldo foi recolhido para o 9º batalhão em Vvitória da Conquista e vai ficar agora prestando serviço administrativo. Informações são da TV Santa Cruz.