A decisão sobre o pedido de prisão dos policiais militares reconhecidos por testemunhas como envolvidos nos crimes de Vitória da Conquista deve ser emitida na segunda-feira. Isso porque o juiz titular da vara do júri da cidade, Reno Viana Soares, pediu que o Ministério Público Estadual (MPE) se manifeste sobre o pedido antes que ele tome sua decisão.

Um integrante da equipe que investiga as quatro mortes e três desaparecimentos ocorridas após a morte do policial militar Marcelo Márcio Lima Silva, 32 anos, garantiu que o MPE vai analisar o pedido de prisão apenas na segunda. A Polícia Civil de Conquista, ainda segundo a mesma fonte, pediu a prisão de apenas três dos quatro policiais reconhecidos.

Os PMs foram apontados por quatro testemunhas, em auto de reconhecimento, como responsáveis pelo sequestro dos menores Jocafre Marques Souza, 17, e Mateus de Jesus Santos, 14. Os policiais foram afastados preventivamente do policiamento em Conquista e foram designados para atividades administrativas em Salvador.

A Associação de Praças da Polícia Militar entrou ontem na Justiça com um pedido de habeas-corpus preventivo para os PMs. Na segunda-feira, a força-tarefa do MPE retorna à cidade. Outras três exumações de corpos de vítimas serão realizadas para buscar provas.

Um suspeito de envolvimento na morte do policial Marcelo Márcio, no dia 28 de janeiro, se entregou ontemà polícia. Alessandro Santo Paes, 20, estava com a prisão temporária decretada desde fevereiro. Ele nega as acusações. Movimentos sociais e religiosos de Conquista fizeram uma manifestação ontem na cidade pedindo paz e a apuração dos crimes.
Correio*