WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


agosto 2022
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  


:: ‘senado’

Ministro Alfredo Nascimento será convidado a dar explicações no Senado

Último Segundo

Outros integrantes da cúpula da pasta também foram convidados a explicar denúncias sobre suposto esquema de cobrança de propina.

A Comissão de Meio Ambiente Fiscalização e Controle do Senado aprovou nesta terça-feira requerimento conjunto dos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Pedro Taques (PDT-MT) convidando o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, a prestar esclarecimentos sobre as denúncias envolvendo a existência de um suposto esquema de propina na pasta.

A comissão, cuja decisão eleva as pressões sobre o ministro trazidas por reportagem da revista Veja do fim de semana, também aprovou a ida ao Senado do diretor-geral do Departamento Nacional Infraestrutura de Transportes (Dnit). Luís Antônio Pagot, do chefe de gabinete Mauro Barbosa da Silva, do assessor do gabinete, Luís Tito Bonvini, e do diretor-presidente da empresa pública de ferrovias Valec, José Francisco das Neves. Todos eles foram afastados de seus cargos pela presidenta Dilma Rousseff assim que as denúncias sobre o suposto esquema de corrupção vieram à tona.

Em meio às negociações, aliados do ministro dos Transportes preferiram se antecipar aos pedidos da oposição. Mais cedo, o senador Blairo Maggi (PR-MT) já havia apresentado um requerimento. Segundo ele, o comparecimento do ministro ao Senado havia sido previamente acordado.

:: LEIA MAIS »

PMDB segura CPI contra Palocci e faz Planalto refém

Christiane Samarco, Eduardo Bresciani e Rosa Costa, de O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA – Pressionado pelo Planalto, o PMDB fez um pacto temporário com sete senadores rebeldes da sigla para evitar que sejam favoráveis à instalação de uma CPI que investigue o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, deixando o Palácio do Planalto totalmente refém dos humores do partido. Dirigentes da sigla aproveitaram, ainda, para avisar a presidente Dilma Rousseff que não aceitarão retaliações por terem confrontado o governo na votação do Código Florestal.

Na aritmética da pressão, se os sete senadores peemedebistas, que normalmente divergem da orientação da cúpula do partido, se somarem aos 19 senadores de oposição (PSDB, DEM, PPS e PSOL) e demais insatisfeitos da base, a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito contra Palocci passa a ser factível. São necessárias pelo menos 27 assinaturas na Casa para abrir uma investigação.

“Se contemporizando já está difícil, não é hora de colocar combustível nessa relação. Não dá para aceitar isso”, diz um cacique do partido, sobre as ameaças verbalizadas por Palocci nesta semana ao vice-presidente da República, Michel Temer, de demitir ministros do PMDB diante de infidelidade do partido na votação do Código Florestal. :: LEIA MAIS »

Senado instala comissão para reforma política

Rosa Costa

BRASÍLIA – Na presença do vice-presidente da República, Michel Temer e de outras autoridades do Executivo e do Judiciário, realiza-se nesta terça-feira, 22, no plenário do Senado o ato de instalação da Comissão que no prazo de 45 dias vai propor mudanças na estrutura política do País. De acordo com o senador Francisco Dornelles (PP-RJ), que preside a comissão, serão examinados 11 temas estratégicos que já são alvo de propostas na Comissão de Constituição e Justiça da Casa. Entre eles o financiamento público das campanhas eleitorais ; alteração nas regras de escolha dos suplentes dos senadores e o voto distrital.

Participam da solenidade, além do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP)que criou a comissão, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o presidente da Câmara dos Deputados, Marcos Maia e o ministro do STF, José Antonio Tofolli, que preside a comissão de reforma eleitoral, instalada no ano passado no Senado. Do Estadão

Senado aprova texto do novo Código de Processo Penal

Felipe Recondo – Agência Estado

O texto do novo Código de Processo Penal (CPP) foi aprovado hoje pelo plenário do Senado e será encaminhado para a Câmara. Um dos pontos que o Senado aprovou e o governo pretende alterar refere-se à prisão preventiva. O texto aprovado permite que os juízes decretem a prisão preventiva de acusados de crimes de “extrema gravidade” ou em caso de reincidência.

 Essas duas hipóteses, propostas pelo senador Demóstenes Torres (DEM-GO), não eram previstas no código de 1941 e no texto original do novo CPP. O governo não conseguiu alterar o texto e vai tentar mudá-lo na Câmara.

O projeto estabelece também que o juiz que cuidar da instrução do processo – que autoriza interceptações telefônicas, quebra de sigilos e produção de provas – não será responsável pelo julgamento dos envolvidos. É uma tentativa de evitar que o magistrado se envolva de tal forma com a investigação que sua imparcialidade fique comprometida.

:: LEIA MAIS »

TCU aponta desvio de recursos no Senado de R$ 180 mi

ROSA COSTA – Agência Estado

Auditoria aprovada hoje pelos ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta desvio de recursos públicos no pagamento indevido de servidores do Senado, inclusive de horas extras, além do acúmulo de cargos públicos, existência de gratificações ilegais e funcionários com jornada de trabalho inferior ao permitido por lei. O descaso na administração da Casa causou um prejuízo de cerca de R$ 180 milhões, na avaliação dos auditores.

 De acordo com o TCU, há na instituição 464 servidores recebendo remuneração cuja soma está acima do teto constitucional, de R$ 26,7 mil, e 83 funcionários incorporando gratificações sem que tenham sido designados para exercer função comissionada.

  :: LEIA MAIS »

Lula sanciona plano de carreira de servidores do Senado

da Folha

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta quarta-feira, com vetos, o plano de cargos e salários dos funcionários do Senado. O projeto beneficia cerca de 6.000 concursados e comissionados com reajuste médio de 25% nos salários.

Lula vetou três pontos do plano: o que estabelecia gratificação para servidores que participassem de comissões, cursos e concursos; outro que elevava ao teto da carreira o salário de funcionários indicados para exercer cargo comissionado.

O terceiro ponto vetado estabelecia uma tabela de gratificação por desempenho que poderia variar de 40% a 100% sobre o salário-base do servidor. A avaliação do presidente para o veto foi que a regra poderia levar remunerações na Casa a superarem o teto do funcionalismo que é de R$ 26,7 mil (salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal).

De acordo com o projeto original, o impacto anual na folha de pagamento do Senado será de R$ 217 milhões em 2010 e de R$ 464 milhões no próximo ano. O plano foi aprovado pelo Congresso sob pressão dos servidores.

Senado homenageia igreja batista de Brasília

O Senado realizou ontem sessão especial em homenagem à Igreja Memorial Batista de Brasília, pela passagem dos 50 anos de sua fundação na capital ¿ considerando a data oficial, já que os primeiros missionários chegaram à cidade em fins de 1956.

Marconi Perillo (PSDB-GO), autor do requerimento propondo o ato solene, também presidiu os trabalhos. Ao saudar os batistas brasileiros, ele destacou as ações dos membros da igreja local, tanto na propagação do Evangelho como no resgate social de famílias da capital federal e do Entorno.

”A igreja homenageada é resultado da vontade de semear a palavra e arrebanhar ovelhas para o caminho do Senhor. O trabalho na capital federal tem frutificado de diversas formas e em múltiplas direções, como uma mão que se estende ao próximo em solidariedade” afirmou Marconi Perillo. :: LEIA MAIS »

Senado aprova PEC do Divórcio

da Agência Brasil

Brasília – Os senadores aprovaram hoje (7), em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Divórcio, que elimina a necessidade de separação judicial por mais de um ano ou de separação de fato por mais de dois anos para a efetivação do divórcio.

A chamada PEC da Juventude também foi aprovada hoje, em primeiro turno. A matéria trata de direitos econômicos, sociais e culturais dos jovens. A proposta altera o capítulo da Constituição Federal que trata dos interesses da família, da criança, do adolescente e do idoso, incluindo também os jovens. :: LEIA MAIS »

Exclusivo: Irma Lemos pode ser suplente de Edvaldo Brito ao senado

da redação

Faltando alguns dias para terminar o prazo de registro das candidaturas para as eleições de outubro, os partidos políticos correm contra o tempo e trabalham para fechar as últimas configurações eleitorais. Como era de se esperar, as lideranças do interior da Bahia têm sido assediadas e procuradas, pelos líderes da capital, para compôr o quadro nos pleitos majoritários e legislativos. que pode ser uma grande contribuição nos votos devido ao enorme colégio eleitoral.

A exemplo disso está a ex-vereadora, presidente do MDC – Conquista (Movimento das Donas de Casa e Consumidores de Vitória da Conquista e Região Sudoeste da Bahia) e empresária de Vitória da Conquista  Irma lemos, que preside atualmente o PTB no município, e em exclusividade ao Blog do Wal Cordeiro, acaba de informar que foi convidada pelo presidente do PTB na Bahia Jonival lucas para compôr, como suplente, a chapa do candidato ao senado Edvaldo Brito (PTB).

Segundo Irma Lemos, após consultar a familia e amigos, ela  aceitou o convite e na próxima semana estará convocando a imprensa para fazer o comunicado oficial. Ressaltou que será uma uma honra poder contribuir com o pleito na Bahia. :: LEIA MAIS »

Líderes de doações são os mais afetados pela Ficha Limpa

Marcelo de Moraes / BRASÍLIA – O Estado de S.Paulo

 Levantamento feito pelo Estado mostra que os políticos que correm maior risco de ser atingidos pela Lei da Ficha Limpa receberam doações expressivas na campanha anterior, em 2006. O grupo inclui três candidatos a governos estaduais, três ao Senado, um à Câmara dos Deputados e dois à Câmara do DF.

Ao todo, esse grupo movimentou R$ 23 milhões em receitas arrecadadas junto a doadores para suas campanhas e que foram registradas na Justiça Eleitoral.

O alcance eleitoral da nova lei produzirá impacto nas doações de campanha deste ano. A dúvida jurídica se os principais atingidos terão condição ou não de concorrer nas próximas eleições já dificulta a formação de alianças e começa a causar problemas na captação de recursos.

:: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia