WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


agosto 2021
D S T Q Q S S
« jul   set »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: ago/2021

Cristãos continuam desaparecidos na Nigéria e na Malásia

Familiares e amigos de cristãos desaparecidos protestaram na Malásia em 13 de fevereiro de 2019

Familiares e amigos de cristãos desaparecidos protestaram na Malásia em 13 de fevereiro de 2019


Hoje é o Dia Internacional das Vítimas de Desaparecimentos Forçados. Segundo a Organização das Nações Unidas, o crime contra a humanidade envolve a privação de liberdade e na maioria das vezes é executado por agentes do Estado ou por pessoas agindo com conhecimento e conivência dele. Na maioria dos casos, falta o reconhecimento do sumiço da pessoa e negação de informação do paradeiro dela. Quando essa prática é comum contra um segmento específico da população, como os cristãos, os casos são considerados como violação dos Direitos Humanos e não podem ser anistiados.
Em países como a Nigéria, os cristãos são as principais vítimas de desaparecimentos forçados. Segundo grupos extremistas, como o Boko Haram, eles têm direito de capturar meninas e mulheres cristãs com o objetivo de fazer delas escravas sexuais e até mesmo vítimas de atentado suicida. A Portas Abertas acompanha as histórias de Leah Sharibu e das meninas do vilarejo de Chibok, que foram sequestradas por jihadistas em 2018 e 2014, respectivamente
As vítimas desse tipo de crime contra humanidade não são apenas as pessoas que estão desaparecidas. São todos os parentes e amigos que vivem a angústia da espera por notícias do ente querido. “Nós não sabemos onde ela está ou pelo que está passando. Nós vemos notícias nas redes sociais e jornais, mas não sabemos o que é verdadeiro ou não”, revelou Rebecca, mãe de Leah Sharibu em entrevista à Portas Abertas.
Apesar de não ter informações concretas para se apoiar, a mãe da menina de 17 anos não perde a esperança e mantém a intercessão pela filha. “Oro por ela diariamente. Agradeço a Deus pela fé que ela tem e peço que ele continue a incentivando. Eu também oro pelos sequestradores de Leah, para que eles a libertem, e também que encontrem a Cristo, porque não sabem o que estão fazendo”, completou.


Investigação é mantida na Malásia

Na Malásia, outras famílias também anseiam por notícias de cristãos desaparecidos. Susanna é uma esposa que não perdeu a esperança de encontrar o marido, o pastor Raymond Koh. Desde fevereiro de 2017, ela luta para saber o que aconteceu com o líder cristão, abordado à luz do dia por 15 homens mascarados. Durante as investigações, descobriu-se o envolvimento de integrantes do governo no sumiço de Koh e agora os familiares e amigos aguardam mais informações sobre o inquérito público, aberto pela Comissão de Direitos Humanos da Malásia (Suhakam).
Outro caso de desaparecimento que foi reaberto no país, foi do casal cristão Joshua Hilmy e Ruth Sitepu. As novas provas que estão em análise pela Suhakam sugerem que o pastor havia recebido várias ameaças por e-mail, por causa da atuação dele como ministro cristão. Os líderes cristãos foram vistos pela última vez em 30 de novembro de 2016.
Pedidos de oração

  • No Dia Internacional das Vítimas de Desaparecimentos Forçados, interceda pelos cristãos sequestrados, para que mantenham a fé em Jesus e sejam libertos o mais breve possível.
  • Clame pelos familiares e amigos que vivem a angústia da espera por notícias dos entes queridos. Que eles sejam consolados por Deus e tenham a certeza que a boa, agradável e perfeita vontade do pai será realizada
  • Ore para que os governantes dos países tenham o compromisso em solucionar os casos de desaparecimento e ajam com transparência e justiça.

Fonte: Portas Abertas

Conheça algumas verdades sobre os cristãos no Afeganistão

Estimados em um número na casa de milhares, cristãos no Afeganistão sempre estiveram vulneráveis à perseguição religiosa

Estimados em um número na casa de milhares, cristãos no Afeganistão sempre estiveram vulneráveis à perseguição religiosa

A Portas Abertas estima que existam milhares de cristãos no Afeganistão, mas por razões de segurança não é possível publicar o número exato. Quanto à presença de missionários estrangeiros no país, a Portas Abertas não tem dados a esse respeito, visto que a organização não envia missionários. Nosso trabalho é focado no apoio aos cristãos locais em países onde há perseguição. Esse apoio é feito por meio de parceiros locais, sejam organizações, igrejas ou indivíduos.

No entanto, gostaríamos de esclarecer que a notícia que tem circulado nas redes sociais sobre 229 missionários cristãos terem sido condenados à morte por radicais islâmicos no Afeganistão é comprovadamente fake news. Esse tipo de notícia não deve ser compartilhado. É necessário checar as informações antes de repassar, pois informações falsas podem colocar a vida de pessoas em risco, ao invés de ajudar.
:: LEIA MAIS »

Há 102 anos o Afeganistão se tornava independente

Com a ascensão do Talibã, a preocupação com os cristãos afegãos aumenta

Com a ascensão do Talibã, a preocupação com os cristãos afegãos aumenta


No dia 19 de agosto de 1919, o Afeganistão conquistou independência do Reino Unido, após a Terceira Guerra Anglo-Afegã e com a assinatura do Tratado de Rawalpindi. A atual República Islâmica do Afeganistão é um estado localizado na Ásia Central e o país faz fronteira com IrãTurcomenistãoUzbequistãoTajiquistão e China 
Em 1996, o Talibã assumiu o controle da capital Cabul e impôs a sharia – conjunto de leis islâmicas – até 2001, quando foi expulso do poder pela invasão militar liderada pelos EUA, após o atentado de 11 de setembro. A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) assumiu a responsabilidade pela manutenção da segurança no país em 2002. Mas, em agosto de 2021, a mesma situação de 1996 voltou a acontecer.  
Nesta semana, o Talibã novamente assumiu o controle do país e a nação foi completamente tomada pelo grupo extremista. Os jihadistas invadiram a capital Cabul, tomaram o poder do Palácio Presidencial e declararam fim à guerra de 20 anos. Desde o início da semana, tanto estrangeiros residentes no país quanto moradores nativos estão tentando deixar o Afeganistão. Em toda a mídia foram divulgados vídeos dos afegãos no aeroporto tentando embarcar em aeronaves como forma de fugir do governo do Talibã.

Como é a perseguição aos cristãos no Afeganistão? 

Não é de hoje a preocupação com os cristãos no Afeganistão porque a nação não é aberta ao cristianismo. Oficialmente, não há cristãos no país de maioria muçulmana, exceto militares internacionais, diplomatas e trabalhadores de ONGs. Os cristãos ex-muçulmanos nativos se escondem ao máximo. Existem pequenos e isolados grupos de seguidores de Cristo, mas não existe nenhuma igreja, seja de estrangeiros ou de nativos.

Com a tomada de poder pelo grupo extremista Talibã, a preocupação com o futuro dos cristãos no país aumenta. Já era difícil exercer a fé no país, por conta da perseguição extrema aos fiéis, que resulta em violência e morte, agora, a vulnerabilidade tende a aumentar. Os grupos extremistas, como o Talibã e o Estado Islâmico, são as maiores fontes de perseguição e hostilidades violentas contra os cristãos afegãos. Por isso, nossos irmãos e irmãs no país precisam das nossas orações. 
Pedidos de oração 

  • Neste Dia da Independência do Afeganistão, continue intercedendo pela situação do país, para que a luz de Cristo brilhe sobre a nação, trazendo esperança de dias melhores. 
  • Clame por coragem e proteção para os cristãos afegãos durante essa nova tomada de poder. 
  • Peça para que os jihadistas sejam visitados pelo Espírito Santo e tenham a vida transformada.  

Fonte: Portas Abertas

Qual a situação dos cristãos no Afeganistão com a ascensão do Talibã?

A tomada de poder pelo Talibã aumenta a vulnerabilidade dos seguidores de Cristo no Afeganistão (fonte: CNN Brasil)

A tomada de poder pelo Talibã aumenta a vulnerabilidade dos seguidores de Cristo no Afeganistão (fonte: CNN Brasil)


Na semana passada, a Portas Abertas contou sobre a situação do Afeganistão após a tomada de algumas cidades pelo grupo extremista Talibã. Agora, o país está completamente tomado pelos jihadistas. Hoje pela manhã, a emissora de TV Al Jazeera divulgou vídeos exclusivos de combatentes do grupo entrando em Cabul, capital do país, tomando o poder do Palácio Presidencial e declarando o fim da guerra de 20 anos. 
O presidente Ashraf Ghani fugiu do país, segundo ele para evitar derramamento de sangue e mais tragédias e mortes. Algumas fontes mencionaram que o líder poderia ter fugido para o Uzbequistão ou Tajiquistão. “Têm sido dias tristes para os cidadãos do Afeganistão, e um momento ainda mais perigoso para ser seguidor de Cristo. É uma situação incerta para todo o país, não apenas para os cristãos secretos. Nossos corações estão partidos. Sabíamos que isso poderia acontecer. Não estamos surpresos, mas isso não torna a dor menor”, conta o irmão Samuel*, parceiro da Portas Abertas na Ásia.
 
Os afegãos, bem como estrangeiros residentes no país, estão tentando deixar o Afeganistão o mais rápido possível, fazendo fila nos bancos na tentativa de retirar as economias e ir para o aeroporto de Cabul para fugir do país. A situação no aeroporto ficou caótica. Muitos moradores que passaram os últimos anos ajudando as forças americanas estão agora solicitando vistos para sair. Embora o Talibã prometa uma abordagem mais moderna e reformada para o governo, os temores permanecem sobre como eles imporão a sharia (conjunto de leis islâmicas) nos próximos dias.
 
“Os cristãos secretos no país são especialmente vulneráveis. Antes do governo Talibã, eles já tinham muita dificuldade em viver de acordo com a fé, pois tinham que mantê-la em segredo para amigos e familiares por medo da perseguição e até morte. Agora que o Talibã está no poder, a vulnerabilidade dos cristãos aumentou. Seria quase impossível ser um seguidor de Jesus no país. Estamos monitorando a situação, mas este é o momento para pedirmos a Deus que tenha misericórdia não só do seu povo, mas deste país como um todo”, finaliza Samuel.

Como orar pelos cristãos no Afeganistão? 

1. Ore pelo pequeno grupo de cristãos no país. A situação é incerta e muitos não sabem em quem confiar. Peça para que encontrem força, sabedoria e paz nas promessas de Deus. 

2. Apresente em oração os deslocados. Espera-se uma nova onda de refugiados afegãos indo para muitas partes do Oriente Médio e do resto do mundo. Clame pela proteção e provisão de Deus. 

3. Interceda pelas mulheres. Muitas mulheres temem que a regra do Talibã signifique que elas sejam despojadas de oportunidades de educação. Mulheres envolvidas na educação nos últimos anos também podem estar em risco – ore por proteção. 

4. Peça pelos doentes. Os casos de COVID-19 estão aumentando no país e os hospitais são limitados no que podem oferecer. Não há certeza de como o sistema de saúde será capaz de se sustentar com o novo governo do Talibã. Ore para que o sistema de saúde não entre em colapso. 

5. Clame para que o país não seja um paraíso para extremistas. O governo do Talibã de 20 anos atrás é conhecido por ser facilitador de organizações extremistas islâmicas. Com o controle sobre o Afeganistão, o país poderia ser palco de uma nova geração de grupos terroristas.

*Nome alterado por segurança.

:: LEIA MAIS »

Comunidades cristãs são atacadas na Nigéria

Parceiros da Portas Abertas na Nigéria compartilharam que muitos cristãos perderam casas e terras (foto representativa)

Parceiros da Portas Abertas na Nigéria compartilharam que muitos cristãos perderam casas e terras (foto representativa)


Na semana passada, militantes fulani atacaram comunidades na Área de Governo Local de Bassa (LGA, da sigla em inglês), estado do Planalto, Nigéria. Eles destruíram plantações, queimaram edifícios e atiraram em moradores locais. Edward Egbuka, comissário de polícia do estado, disse aos jornalistas: Houve ataques especificamente em Jebbu Miango na noite de sábado, 31 de julho, em que cinco pessoas foram mortas e cerca de 85 prédios queimados”. 

Um porta-voz dos Nativos do Miango, Davidson Mallison, compartilhou com os parceiros: Havia mais de 500 deles que vieram e então começaram a incendiar as casas de Zanwhra até Kpatenvie no distrito de Jebu Miango. Eles destruíram várias terras agrícolas e levaram animais e utensílios domésticos. Enquanto falo com você, as pessoas desta comunidade fugiram”. 

Um parceiro local da Portas Abertas que vive na cidade de Miango compartilhou que a situação foi controlada no domingo, 1 de agosto. A população local — a maioria cristã — perdeu muita coisa. É triste, mas agradecemos a Deus porque a situação está sob controle”, compartilha. Nas comunidades afetadas, mulheres e meninas carregavam pequenos sacos de roupas, enquanto meninos e homens guardavam as casas. 

Nem o senador Dimka nem o comissário de polícia do estado disseram quem foi o responsável pelos ataques. No entanto, o presidente nacional da Associação de Desenvolvimento, Ezekiel Bini, disse ao jornal The PunchOs pastores de cabra fulanis atacaram novamente nosso povo ontem à noite. Esse ataque em particular foi mais devastador”. A onda de violência impactou e desestabilizou as comunidades cristãs, deixando-as traumatizadas e incapazes de cuidar das famílias. 

O ataque ocorreu um mês depois que supostos militantes fulanis emboscaram o chefe distrital do Miango, Daniel Chega, que tinha acabado de voltar das reuniões de paz. Os homens armados se esconderam entre os animais e atiraram contra o veículo de Chega. O motorista conseguiu desviar o carro para longe dos atiradores e o chefe distrital não foi ferido. 

Pedidos de oração 

  • Ore pelos cristãos afetados pelos ataques e pela violência, e interceda pelos líderes da igreja na Nigéria. 
  • Clame por provisão para aqueles que perderam casas e meios de subsistência após os o incidente. 
  • Peça por todos os líderes envolvidos, para que encontrem uma solução pacífica para o conflito entre as comunidades cristãs e os pastores de cabra fulanis. 

Fonte: Portas Abertas

Abra os olhos para a América Latina

Quatro países da América Latina integram a Lista de Países em Observação 2021

Quatro países da América Latina integram a Lista de Países em Observação 2021


Ontem, a Portas Abertas contou sobre o que é a Lista de Países em Observação e quais os critérios usados para criar o ranking de países onde é mais difícil viver como cristão. A Lista Mundial da Perseguição (LMP) apresenta três níveis de perseguição aos seguidores de Jesus, sendo: extrema (81 a 100 pontos), severa (61 a 80 pontos) e alta (41 a 60 pontos).  

Como a LMP traz apenas o Top50 dos países com maior grau de perseguição, nem todos se encaixam no ranking, sendo que os outros países hostis aos cristãos ficam na Lista de Países em Observação (LPO). Hoje, falaremos sobre a perseguição aos cristãos nos países da América Latina, que tiveram grande aumento na pontuação e foram destaque na LPO. 

Quais países da América Latina estão na Lista de Países em Observação? 

Além da presença de dois países latinos na Lista Mundial da Perseguição 2021 (Colômbia e México), outros quatro países da América Latina estão presentes na LPO 2021: CubaNicaráguaHonduras e El Salvador 

Cuba e Nicarágua apresentaram um aumento significativo na pontuação e subiram mais de dez pontos em relação ao ano passado, sendo destaques na LPO 2021. Em Cuba, esse aumento está relacionado a uma maior perseguição contra líderes de igrejas e congregações. Cristãos que não concordam com as propostas para a nova Constituição, especialmente assuntos relacionados à defesa da vida e da família, são considerados oposição pelo governo. Além disso, houve mais casos relatados sobre incidentes de perseguição relacionados a censura, recusa de visto, impedimentos de deixar o país, detenções, monitoramento e outras ações conduzidas pelo governo com foco em reprimir atividades cristãs. 

Já na Nicarágua, embora tenha havido menos incidentes violentos contra cristãos do que no ano anterior, houve um aumento na pressão durante a pandemia de COVID-19. A razão é o aumento da repressão, principalmente contra líderes de igrejas. Eles são reprimidos por causa do apoio a manifestantes que são classificados pelo governo como “terroristas” por defenderem a justiça social e por causa de suas atividades em defesa dos direitos humanos. 

Em Honduras, o principal tipo de perseguição que os cristãos enfrentam é corrupção e crime organizado. As medidas de confinamento da COVID-19 têm ajudado as gangues a aumentar os domínios territoriais. Os seguidores de Jesus que se opõem às atividades criminosas podem enfrentar hostilidades através de extorsão, espancamento, ameaças de morte, assédio sexual contra as filhas ou morte. Os líderes da igreja não podem conduzir suas atividades livremente, pois são monitorados ou visados por chefes de gangues, especialmente quando os cristãos promovem uma cultura antiviolência para evitar que adolescentes ingressem na criminalidade. 

Em El Salvador o principal tipo de perseguição que os seguidores de Jesus enfrentam também é corrupção e crime organizado. Os cristãos que pregam e agem contra a influência de gangues criminosas enfrentam um ambiente hostil e não podem circular livremente ou organizar as atividades da igreja sem pedir autorização ao líder criminoso local. Eles são forçados a pagar por proteção. Além disso, os líderes cristãos que trabalham para manter os jovens fora das gangues e os pais que tentam impedir que os filhos se filiem aos grupos tornam-se vítimas de represálias; às vezes, precisam fugir da comunidade ou até mesmo o país. 

Pedidos de oração 

  • Interceda pelos seguidores de Cristo em toda a América Latina e clame para que eles se mantenham firmes na fé mesmo diante das hostilidades que enfrentam.  
  • Ore para que a luz de Cristo brilhe nessas nações e mais pessoas conheçam a palavra e entreguem a vida ao Senhor. 
  • Peça para que as autoridades dos países, grupos extremistas e as comunidades não cristãs vivenciem uma verdadeira transformação de vida. 

Fonte: Portas Abertas

Cristã idosa é abusada sexualmente na República Centro-Africana

A cristã Mama Agathe e o marido caminharam cerca de 45 km para fugir dos ataques na República Centro-Africana

A cristã Mama Agathe e o marido caminharam cerca de 45 km para fugir dos ataques na República Centro-Africana


Na noite de 4 de julho de 2021, a cristã Mama Agathe, de 61 anos, e o marido e diácono de 67 anos foram atacados em casa na República Centro-Africana. Três homens armados apareceram e agrediram o casal. Um dos homens tinha uma arma e os outros dois tinham facas e facões. “Eles a empurraram para dentro de casa. O que estava com a arma apontou para mim, e o outro com a faca estava me observando de perto enquanto o terceiro abusava sexualmente de minha esposa. No dia seguinte, eles voltaram. Aconteceu diante dos meus próprios olhos, não sei o que fizemos para merecer isso”, testemunha o marido.  

As agressões se tornaram rotina e os cristãos fugiram: “Decidimos ir embora. Não levamos nada, para não chamar a atenção para o fato de que estávamos indo embora”, disse Mama Agathe. O casal tem dois filhos falecidos, um deles foi morto durante represálias por muçulmanos em 2019, e o outro por homens armados a caminho de Bangassou em 2020. Desde então, o casal permanecia na pequena cabana, trabalhando na agricultura para sobreviver. 

No dia 12 de julho, sem dinheiro e apenas com as roupas do corpo, o casal decidiu fazer uma caminhada de 45 quilômetros até a cidade mais próxima, onde esperavam encontrar segurança. Então, em algum lugar ao longo do caminho, uma ambulância passou por eles e os levou para a cidade. A igreja local nessa nova cidade acolheu Mama Agathe e o marido e lhes deu alojamento, alguns alimentos, remédios e uma fazenda para cultivar. 

“A violência sexual na República Centro-Africana é uma arma de guerra conhecida, frequentemente usada por rebeldes, muitas vezes incluindo muçulmanos radicais. Esses atos são cometidos contra cristãs, muitas vezes na presença dos maridos, pais ou outros membros da família com o único objetivo de traumatizá-los e subjugá-los”, explica um parceiro da Portas Abertas na África Ocidental. 

Pedidos de oração 

  • Apresente em oração a vida de Mama Agathe e do marido dela na República Centro-Africana. Peça pela recuperação física, psicológica e emocional do casal.  
  • Ore para que o Senhor alcance outras pessoas por meio do testemunho do casal cristão.  
  • Interceda pela vida dos agressores radicais, para que o amor de Cristo mude a vida deles por inteiro e passem a seguir a Jesus. 

Fonte: Portas Abertas

Mulher se converte após morte da filha na Costa do Marfim

Mesmo após ver a filha ser morta por ser cristã, Mariam decidiu entregar a vida a Jesus (foto representativa)

Mesmo após ver a filha ser morta por ser cristã, Mariam decidiu entregar a vida a Jesus (foto representativa)


Mariam* é uma cristã recém-convertida que conheceu o evangelho após a morte da filha, na Costa do Marfim. A ex-muçulmana e a filha moravam com o irmão dela, que é uma figura importante no bairro onde vivem. Mas quando o tio descobriu a fé cristã da sobrinha, ficou furioso e passou a agredir a jovem.  

O muçulmano esperava se tornar líder na comunidade, mas a conversão da jovem foi uma desonra à família. Por isso, ele começou a bater na sobrinha, filha de Mariam, e só parou quando a matou. A polícia prendeu o agressor e ele foi condenado à prisão. 

Depois que Mariam viu a filha morrer por amor a Cristo, ela decidiu entregar a vida a Jesus. Agora ela começou a receber ameaças de morte dos outros irmãos e irmãs, por causar mais vergonha para a família. A cristã está segura por enquanto, mas os parceiros da Portas Abertas na região pedem apoio para ajudá-la. “Estamos com o pastor de Mariam desde as 4h30 da manhã trabalhando juntos para encontrar uma solução discretamente”, explicam.  

*Nome alterado por segurança.  

Pedidos de oração 

  • Ore para que Mariam seja confortada por Deus, enquanto vive o luto pela morte da filha. Peça que ele supra todas as necessidades dela.  
  • Interceda para que os parceiros locais da Portas Abertas tenham sabedoria para ajudar a cristã ex-muçulmana. 
  • Clame pelos familiares da cristã que a perseguem, para que Deus tenha misericórdia e mude os corações e mentes deles.

Fonte: Portas Abertas

Mulher se converte após morte da filha na Costa do Marfim

Mesmo após ver a filha ser morta por ser cristã, Mariam decidiu entregar a vida a Jesus (foto representativa)

Mesmo após ver a filha ser morta por ser cristã, Mariam decidiu entregar a vida a Jesus (foto representativa)


Mariam* é uma cristã recém-convertida que conheceu o evangelho após a morte da filha, na Costa do Marfim. A ex-muçulmana e a filha moravam com o irmão dela, que é uma figura importante no bairro onde vivem. Mas quando o tio descobriu a fé cristã da sobrinha, ficou furioso e passou a agredir a jovem.  

O muçulmano esperava se tornar líder na comunidade, mas a conversão da jovem foi uma desonra à família. Por isso, ele começou a bater na sobrinha, filha de Mariam, e só parou quando a matou. A polícia prendeu o agressor e ele foi condenado à prisão. 

Depois que Mariam viu a filha morrer por amor a Cristo, ela decidiu entregar a vida a Jesus. Agora ela começou a receber ameaças de morte dos outros irmãos e irmãs, por causar mais vergonha para a família. A cristã está segura por enquanto, mas os parceiros da Portas Abertas na região pedem apoio para ajudá-la. “Estamos com o pastor de Mariam desde as 4h30 da manhã trabalhando juntos para encontrar uma solução discretamente”, explicam.  

*Nome alterado por segurança.  

Pedidos de oração 

  • Ore para que Mariam seja confortada por Deus, enquanto vive o luto pela morte da filha. Peça que ele supra todas as necessidades dela.  
  • Interceda para que os parceiros locais da Portas Abertas tenham sabedoria para ajudar a cristã ex-muçulmana. 
  • Clame pelos familiares da cristã que a perseguem, para que Deus tenha misericórdia e mude os corações e mentes deles. 

Fonte: Portas Abertas



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia