WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov   jan »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: 18/dez/2019 . 10:47

[VÍDEO] Bolsonaro “aceita Jesus” em culto no Palácio do Planalto

Por Gospel Prime

Silas Câmara, Jair e Michelle Bolsonaro. (Foto: Carolina Antunes / PR)

Em culto de ação de graças alusivo ao Natal realizado no Palácio do Planalto, o presidente Jair Messias Bolsonaro declarou publicamente aceitar Jesus.

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, é evangélica da Igreja Batista Atitude e Bolsonaro, mesmo católico, sempre teve um bom relacionamento com líderes evangélicos.

Na celebração, promovida pela Frente Parlamentar Evangélica, vários ministros de Estado e mais de 600 pastores e líderes evangélicos entoaram hinos cristãos e fizeram orações pelo Brasil.

Culto de Ação de graças no Palácio do Planalto. (Foto: Isac Nóbrega / PR)

Em sua fala, o presidente afirmou que pode “ser o chefe mais importante da República, mas o ‘homem’ do Brasil é Jesus” e relacionou o tempo de sua vida parlamentar com a vida de Jacó.

Também afirmou estar honrado em participar daquela reunião e fez questão de declarar publicamente que estava aceitando Jesus “naquela casa” – o Palácio do Planalto.

 

Vamos orar: Na Ásia Central, cristãos ex-muçulmanos enfrentam dupla perseguição

O Turcomenistão é um dos países da Ásia Central onde os cristãos ex-muçulmanos são mais perseguidos

O Turcomenistão é um dos países da Ásia Central onde os cristãos ex-muçulmanos são mais perseguidos

No DIP 2020, que acontecerá no dia 7 de junho, vamos concentrar nossas orações e ações em favor dos cristãos ex-muçulmanos de todo o mundo. Um grande número deles se encontra na Ásia Central. Essa região é formada por Azerbaijão, Cazaquistão, Turcomenistão, Uzbequistão, Tajiquistão e Quirguistão e passou por um impressionante avivamento nos anos 90, com muitos muçulmanos indo a Cristo.

Nesses países, estima-se que de uma população de 322.700 protestantes, o número de cristãos ex-muçulmanos seja em torno de 320 mil. Um dos aspectos mais positivos é que eles estão bem integrados às igrejas protestantes da região. Conversões massivas ocorreram na época de abertura, mas se encerraram depois de 1998, quando houve um significativo êxodo de missionários e ministérios estrangeiros devido a restrições governamentais.

Para evitar confrontos com o governo, a Igreja Ortodoxa Russa mantém-se distante e há padres que frequentemente denunciam aqueles que se convertem do islã ao cristianismo. Nesse contexto, os cristãos podem ser pegos em uma rede de acusações, tais como: “você faz parte de uma seita”, “você não é muçulmano”, “você não é do nosso país”, “você é um traidor”.

A tendência é que a situação piore na região, à medida que os governos desses países se debatem em busca de uma nova legitimidade e não podem se abster de tentar usar o islã para reforçar seu governo. Isso cria uma dupla perseguição para os cristãos ex-muçulmanos – por parte do Estado, uma vez que estão fora do controle do governo e não podem recorrer a ele para ajuda, e dos líderes muçulmanos, pelo fato de terem abandonado o islã. Isso pode resultar em questões práticas relevantes, como por exemplo, não terem permissão para fazer enterros, visto que todos os cemitérios são controlados por clérigos islâmicos. :: LEIA MAIS »

Celebrações públicas de Natal são canceladas no Iraque

O Iraque enfrenta clima de instabilidade política e social e tem sido local de muitas mortes durante as manifestações

O Iraque enfrenta clima de instabilidade política e social e tem sido local de muitas mortes durante as manifestações

Os protestos da população iraquiana contra o governo resultaram na morte de 430 pessoas e no ferimento de outras 20 mil. Em solidariedade à situação instável, as celebrações públicas de Natal foram canceladas. O líder cristão Martin pediu que a igreja internacional se junte a eles em oração. Os jovens cristãos também protestaram e prestaram assistência médica aos manifestantes. “Temos muitos conflitos sectários em nosso país, mas desta vez há uma unidade entre diferentes grupos religiosos”, testemunha Martin.

As reinvindicações do povo são por empregos e serviços básicos e pelo fim da corrupção. Os protestos acontecem na capital Bagdá e em várias cidades do Sul. “Pedimos solidariedade com os manifestantes iraquianos. Por favor, ajude-nos a expressar nossa voz à comunidade internacional, às organizações de direitos humanos, à Nações Unidas e ao mundo inteiro. Queremos viver em liberdade e dignidade, e que a corrupção em nosso país termine”, pede o cristão.

O Iraque ocupa o 13º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2019, e uma das responsáveis pela violência contra os cristãos é a ideologia extremista propagada pelo Estado Islâmico que, mesmo derrotado, encontrou simpatizantes na população. Apesar do país ser berço do cristianismo, os que professam a fé em Jesus enfrentam ataques físicos e mentais, são ameaçados e muitos perdem a vida. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia