WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov   jan »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: 17/dez/2019 . 7:54

Vamos orar: Em mais de 50 países, cristãos enfrentam ataques e outras formas de hostilidade

A Igreja Sião, em Batticaloa, foi uma das três igrejas cristãs atacadas na Páscoa, no Sri Lanka (foto: redes sociais)

A Igreja Sião, em Batticaloa, foi uma das três igrejas cristãs atacadas na Páscoa, no Sri Lanka (foto: redes sociais)

Diariamente, diversos ataques contra cristãos são registrados no mundo inteiro. Eles enfrentam situações que vão desde insultos a casos mais extremos, como proibições, prisão e até morte. A perseguição contra nossos irmãos da fé vem crescendo nos últimos anos e, com isso, está cada vez mais comum que cristãos sejam vítimas de ataques por conta de sua escolha de seguir o cristianismo.

Segundo dados da Portas Abertas*, mais de 245 milhões de cristãos no mundo enfrentam algum tipo de oposição como resultado de sua identificação com Jesus Cristo.

 

Ataques contra cristãos no mundo

Os ataques contra cristãos se intensificam perto de datas comemorativas da religião cristã. Isso porque o principal tipo de perseguição que afeta a maior parte dos países onde existe perseguição é o extremismo islâmico. Exemplo disso é o que aconteceu no domingo de Páscoa de 2019, no Sri Lankaem que 290 pessoas foram mortas e outras 500 ficaram feridas após ataques a igrejas cristãs e hotéis no país.

Outro exemplo, é o atentado de 2017, no Egitoquando duas igrejas foram atacadas durante a comemoração pascoal, em que 50 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas. Atentados como esses, contra igrejas cristãs, seguem como reflexo do que a Igreja Perseguida ao redor do mundo enfrenta em lugares onde os direitos à liberdade religiosa são restringidos por meio da perseguição e violência de grupos extremistas. :: LEIA MAIS »

Cazaquistão precisa de intercessão da igreja brasileira

O governo e o extremismo islâmico são os inimigos dos cristãos no Cazaquistão

O governo e o extremismo islâmico são os inimigos dos cristãos no Cazaquistão

Desde 1991, o Cazaquistão comemora no dia 16 de dezembro a independência. O país pertencia à União Soviética e foi o último a declarar a soberania como república. Os governantes conseguiram fazer uma transição econômica satisfatória nesses períodos de mudanças. Há também uma abertura para cooperar com a comunidade internacional. Porém, essa aceitação não significa que ser cristão no país é algo desprovido de perseguição. Desde 2010, com a ocupação do poder por Nursultan Nazarbayev, a nação enfrentou políticas repressivas, controle da mídia e restrições legislativas e na esfera religiosa.

Apesar do cristianismo ter chegado no país entre os séculos 7 e 8, a rede atual de igrejas fica concentrada nas minorias étnicas. Dos 4,6 milhões de cristãos, apenas 15 mil são cazaques. Segundo a Agência de Assuntos Religiosos (ARA), existem 3.563 associações ou comunidades cristãs registradas no país. Mas a presença dos seguidores de Cristo não garante a liberdade religiosa. Há dois grandes perseguidores de cristãos no país: o governo e o extremismo islâmico. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia