WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2020
D S T Q Q S S
« nov    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  


:: ‘PSB’

PSB e Rede podem se separar em Estados, diz Marina

 

por Laís Alegretti | Agência Estado

PSB e Rede podem se separar em Estados, diz Marina
A ex-ministra Marina Silva reconheceu neste domingo (15), em evento da Rede Sustentabilidade, que, no âmbito regional, militantes da agremiação e do PSB podem apoiar candidatos diferentes para as eleições de 2014. O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), por outro lado, destacou que tem informação de que em 20 dos 26 estados e Distrito Federal já há entendimento entre os dois grupos. “Mais de 20 estados já caminham muito aplainado, muito tranquilo, entre militância da Rede e o PSB, inclusive do ponto de vista do debate eleitoral regional”, afirmou. “A nossa aliança não é verticalizada. Ela não estabelece para a lógica dos estados a mesma do plano federal”, completou Marina, ao destacar, entretanto, que a estratégia é discutir um plano nacional para depois compor os planos regionais. “Não teremos como ter um bom programa no plano nacional que não se reflita nos estados”, pontuou. Para Campos, mesmo nos estados onde existirem “composições diversas” haverá coligações com coerência. “Se procurar nas outras [alianças], não verá esse nível de unidade entre a campanha nacional e as campanhas regionais”, comentou. Segundo Marina, ela e o pernambucano participarão de eventos nos dias 18 e 19 na Bahia.

Derrotado na disputa pelo governo de SP, Mercadante será ministro de Ciência e Tecnologia

Vera Rosa e João Domingos / BRASÍLIA – O Estado de S.Paulo

O líder do PT no Senado, Aloízio Mercadante (SP), será o ministro de Ciência e Tecnologia no governo de Dilma Rousseff. A presidente eleita formalizou o convite para Mercadante na sexta-feira, em reunião na Granja do Torto. Candidato derrotado ao Palácio dos Bandeirantes, o senador é autor de um projeto que prevê a instalação de internet banda larga nas escolas públicas rurais e urbanas do País.

O atual ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende – filiado ao PSB -, é cotado para assumir a presidência da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). Na partilha dos cargos, o aliado PSB também ficará com o Ministério da Integração Nacional, hoje comandado pelo PMDB. O nome citado para a pasta é o de Fernando Bezerra Coelho, indicado pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos. :: LEIA MAIS »

Sorrindo à toa: Lula libera R$ 6,6 mi para emenda de Ciro Gomes

Uma emenda do deputado federal Ciro Gomes (PSB) –preterido na disputa presidencial após acordo de seu partido com Lula– obteve, até 21 de maio, a liberação de R$ 6,6 milhões em recursos.

Segundo reportagem de Matheus Leitão e Lucas Ferraz, publicada na Folha desta terça-feira, o valor é o mais alto pago individualmente a um congressista no ano e sua autorização ocorreu no mesmo dia em que o PSB confirmou seu apoio a Dilma Rousseff (PT).

O valor total da emenda (a única proposta por Ciro em 2009) é de R$ 10 milhões. Uma parte (R$ 3,3 milhões) foi paga em 2009 em duas parcelas iguais, de quase R$ 1,7 milhão cada uma. A outra, paga em 21 de maio, foi creditada no Orçamento deste ano como restos a pagar. :: LEIA MAIS »

Aliados de Ciro Gomes coordenam campanha de Serra no CE

Adriano Ceolin, enviado a Juazeiro do Norte (CE), IG

Os dois coordenadores da campanha do PSDB na região do Cariri, sul do Ceará, são aliados históricos de Ciro Gomes (PSB), deputado federal impedido pela cúpula do seu partido de concorrer pela terceira vez ao Palácio do Planalto. O candidato tucano à Presidência da República, José Serra, chega esta segunda-feira ao Ceará para uma visita de dois dias.

Prefeito do Crato, Samuel Araripe (PSDB) irá coordenar a campanha tucana no leste Cariri, região formada por 27 municípios no sul ao Ceará. Ex-prefeito de Barbalha, Romell Feijó (PTB) ficará com a parte oeste. Em 2002, ambos estiveram ao lado de Ciro Gomes na sua segunda tentativa de chegar à Presidência.

“Naquela época, eu estava filiado inclusive ao PPS, mesmo partido de Ciro”, contou Araripe. “Este ano a gente iria fazer campanha para ele de novo, mas agora vamos apoiar o Serra para presidente. Para governador, vamos apoiar o Cid Gomes [irmão de Ciro]”, completou o prefeito. :: LEIA MAIS »

CASO APLB: Deputada Lídice da Mata passa por sufoco em Porto Seguro

Em público, professora municipal segura no braço da deputada do PSB e a acusa de ser culpada pela morte dos professores

CASO APLB: Deputada Lídice da Mata passa por sufoco em Porto Seguro

Foto de Lídice no palanque

PORTO SEGURO – Durante a breve visita do governador Jaques Wagner a Porto Seguro na última sexta, a deputada do PSB Lídice da Mata, que veio na comitiva do governador, ficou visivelmente constrangida, e muito nervosa, ao ser abordada por uma professora do município que a acusou de ser culpada pela morte dos professores da APLB.

“Foi você quem mandou aquele mostro para Porto Seguro [numa referência a Edésio Lima]. Ele matou dois pais de família; dois professores que lutavam pela educação. E você é culpada, ele era do seu partido e você era chefe dele. Foi você quem mandou ele pra cá”, disse a professora, segurando no braço de Lídice. :: LEIA MAIS »

Eduardo Cunha oferece queixa-crime contra Ciro por suposta difamação e injúria

O deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ofereceu ao STF (Supremo Tribunal Federa) queixa-crime contra Ciro Gomes (PSB-CE) por suposta prática de difamação e injúria. Os crimes teriam ocorrido em dezembro de 2009 durante palestra dada por Ciro no Centro Cultural Oboé, em Fortaleza.

De acordo com a queixa-crime, Ciro teria se referido a Cunha como “trambiqueiro” e “inútil”. Ciro teria comparado o peemedebista a uma tribo indígena.

“Quando Ciro Gomes chamou Eduardo Cunha de uma espécie de ‘pajé’ do PMDB, o insultou com a frase de que o querelante ‘costuma lançar feitiços na direção das arcas de Furnas'”, afirmou o advogado.

Ajuntamento de bandidos

Em entrevista ao programa “É Notícia” (Rede TV!), Ciro atacou o PMDB, chamando a legenda de “ajuntamento de assaltantes”. Michel Temer, presidente do partido e o nome mais cotado para vice da pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, foi considerado por ele “chefe dessa turma de pouco escrúpulo”. DA Folha

Ciro diz que decisão de tirá-lo da corrida presidencial foi “erro tático”

>> Leia a íntegra da nota oficial do PSB

Após ter sido afastado oficialmente da disputa ao Palácio do Planalto, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) publicou na noite desta terça-feira, 27, em seu blog  (www.cirogomes.com), nota em que avalia como um “erro tático” a decisão do PSB de não lançar candidatura própria à Presidência da República. Em texto intitulado “Ao Rei Tudo, Menos a Honra”, o parlamentar considera uma “deserção” aos deveres do País a posição tomada pelos pessebistas, mas ponderou: “É preciso respeitar e submeter-se à decisão. É assim que se deve proceder mesmo que os processos sejam meio tortuosos.”

Ainda na nota, o parlamentar se negou a entrar em confronto com o PSB. Ciro afirmou que não é mais hora “de repetir os argumentos já tão repetidos”, mas atacou mais uma vez o atual cenário político brasileiro. “Falta projeto estratégico de futuro, com a deterioração ética generalizada de nossa prática política, com a potencial e precoce esclerose de nossa democracia”, salientou.  

O anúncio de que o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) estaria fora da corrida presidencial deste ano foi feito nesta tarde pelo presidente do PSB, governador  (PE). “A comissão Executiva Nacional do Partido Socialista Brasileiro reuniu-se nesta data em sua sede em Brasília para avaliar o quadro político- eleitoral do País e deliberar, depois de ouvidos os diretórios estaduais, sobre o papel a ser desempenhado pelo PSB na sucessão presidencial. Decidiu, por maioria de voto, não apresentar candidatura própria à Presidência da República”, disse o presidente do partido, ao ler nota oficial elaborada pela Executiva.

Presidente do partido, Eduardo Campos, anunciou decisão de tirar  Ciro do páreo (Foto: Valter Campanato | Ag. Brasil)

Para embasar a decisão partidária, a Executiva Nacional do PSB já havia consultado 27 diretórios regionais, dos quais 20 foram contra a candidatura própria e sete endossaram o nome de Ciro Gomes para disputar a sucessão de Lula. Hoje, na reunião da Executiva Nacional, 21 membros foram contra a candidatura própria e apenas dois favoráveis. A Executiva é formada por 30 integrantes, mas só 23 votaram.

Eduardo Campos informou que, antes de dar a notícia à imprensa, telefonou para Ciro Gomes para anunciar a decisão da Executiva do partido. Segundo o governador, Ciro Gomes recebeu o comunicado com muita calma e contou que está elaborando uma nota para ser distribuída à imprensa. Campos fez questão de ressaltar que os esforços de Ciro Gomes ao se lançar pré-candidato à presidência “não foram em vão”. “Administrador vitorioso em diversos níveis de governo, homem de ideias e de atos em favor do País, Ciro Gomes engrandeceu o debate republicano”. :: LEIA MAIS »

Nos jornais: Ciro agora chama o PMDB de quadrilha

O Globo

Ciro agora chama o PMDB de quadrilha

Em sua terceira entrevista às vésperas de ser preterido pelo PSB na corrida presidencial, por imposição do presidente Lula ao partido, o ex-ministro e deputado federal Ciro Gomes (PSB) aumentou o tom dos ataques contra setores do PMDB, que classificou de “ajuntamento de assaltantes”. Disse que o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), cotado para ser vice na chapa de Dilma Rousseff (PT), é o “chefe da turma de pouco escrúpulo”.

Ciro disse acreditar que Dilma estaria “rendida” se vencer com o apoio de aliados desonestos.

— O PMDB, como partido, não tem problema. O PMDB tem tantas virtudes e defeitos como qualquer outro. O problema é a hegemonia. O problema é que quem manda no PMDB não tem nenhum escrúpulo, nem ético, nem republicano nem compromisso público.

Nada. É um ajuntamento de assaltantes, na minha opinião — disse Ciro Gomes, continuando: — O Michel Temer hoje é o chefe dessa turma, dessa turma de pouco escrúpulo. Sem dúvida.

Ataque também a institutos de pesquisa

Além do PMDB, do presidente Lula, dos presidenciáveis Dilma Rousseff e José Serra, o deputado Ciro Gomes criticou também os institutos de pesquisa: — O Ibope e o Sensus fazem qualquer negócio. O Datafolha é o único instituto que não se aluga a partidos e empresas — afirmou na entrevista à Rede TV!. Para Ciro, as pesquisas de intenção de voto não deveriam definir o lançamento de candidaturas.

— O importante é não entregar nem ao Datafolha, muito menos ao Ibope e ao Sensus, que fazem qualquer negócio, a consciência do futuro, do destino da nossa pátria — disse o deputado. :: LEIA MAIS »

PSB formaliza hoje saída de Ciro da corrida eleitoral

Eugênia Lopes e Denise Madueño, BRASÍLIA – O Estado de S.Paulo

A Executiva Nacional do PSB formaliza hoje a retirada da pré-candidatura de Ciro Gomes (CE) à Presidência. Com a saída do deputado da corrida presidencial, o PSB deverá oficializar, em junho, o apoio à candidatura da petista Dilma Rousseff à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 A fim de ter argumentos para defenestrar Ciro Gomes da disputa, a cúpula do PSB fez levantamento nos 27 diretórios do partido sobre a candidatura presidencial do deputado. A tendência ontem era de que a maioria se posicionasse contra a candidatura de Ciro, optando pelo apoio a Dilma. Um balanço preliminar indicava que apenas “entre cinco e seis diretórios” eram favoráveis à manutenção de candidatura própria à Presidência, segundo um dos integrantes da cúpula do partido.

O clima no PSB é de irritação com Ciro. Na semana passada, ele criticou dirigentes do partido e afirmou que o candidato tucano à Presidência, José Serra, é mais preparado do que Dilma. Integrantes da cúpula socialista abriram fogo amigo contra Ciro e, nos bastidores, defenderam o afastamento do ministro Pedro Brito da Secretaria de Portos. Brito é homem de confiança do deputado.

:: LEIA MAIS »

Ciro vira alvo de fogo amigo no PSB e pode perder seus cargos no governo

A um dia de perder a legenda para disputar a Presidência da República, o deputado Ciro Gomes (CE) transformou-se em alvo de fogo amigo do próprio PSB. Em retaliação às críticas desferidas pelo deputado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao PSB, integrantes da cúpula partidária defendem que Ciro perca os cargos que possui no governo.

 Na mira dos dirigentes socialistas está a Secretaria de Portos, que tem status de ministério, sob o comando de Pedro Brito, homem de confiança de Ciro Gomes. A Secretaria de Portos comanda sete Companhias Docas pelo Brasil e foi criada pelo presidente Lula, em 2007, para atender à reivindicação do PSB de mais espaço no governo.

Secretário executivo de Ciro Gomes no Ministério da Integração Nacional, no primeiro mandato de Lula, Brito ganhou o cargo por indicação do deputado. Antes, ele ocupou por quase um ano a titularidade da pasta da Integração Nacional, com a saída de Ciro Gomes para disputar uma cadeira na Câmara, em 2006. O sucessor de Brito na Integração Nacional foi o peemedebista Geddel Vieira Lima, hoje candidato ao governo da Bahia. :: LEIA MAIS »

Ciro repete à Folha o que disse ao iG

Em entrevista ao jornalista Breno Costa, publicadas na edição deste sábado, 24 de abril, da Folha de S.Paulo, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) repetiu afirmações feitas em entrevista concedida na noite de quinta-feira, 22, ao iG.

 Veja as principais declarações de Ciro Gomes ao iG

 

Arquivo/ AE
Ciro
Ciro, magoado com decisão do PSB

Costa o entrevistou após aparição ao vivo do político no telejornal SBT Brasil, quando o deputado já havia reafirmado algumas declarações polêmicas feitas ao iG. Voltou a fazê-lo na entrevista à Folha.

Antes ao iG a agora à Folha, Ciro reservou críticas ao PSB, que decidiu abandonar sua candidatura à presidência para apoiar Dilma Rousseff. Nas duas entrevistas, amparou as críticas recorrendo à palavra “nivel”  e ao atual momento histórico. Segundo declarou ao iG, os líderes pessebistas “não estão no nível que a História impõe a eles”. À Folha afirmou: “Talvez o momento histórico colocou a encruzilhada complexa demais para o nível de experiência de alguns companheiros, mas são gente boa.”

O ponto mais polêmico da entrevista concedida ao iG, e repetido à Folha de São Paulo, foi a afirmação feita por Ciro de que o candidato tucano é mais preparado do que a candidata petista. Ao iG, Ciro havia declarado: “Dilma é melhor do que o Serra como pessoa. Mas o Serra é mais preparado, mais legítimo, mais capaz.”

À Folha de São Paulo, Ciro confirmou a declaração: “O que eu digo a todo mundo que me pergunta é que a Dilma é uma pessoa muito melhor do que o Serra, mas infelizmente para nós outros, o Serra é mais preparado do que ela, mais legítimo do que ela.” No programa SBT Repórter, Ciro repetiu a afirmação. Segundo reportagem das jornalistas Vera Rosa e Tânia Monteiro, publicada na edição deste sábado de O Estado de S. Paulo, o elogio ao candidato tucano foi a declaração que mais incomodou o presidente Lula.

:: LEIA MAIS »

Sem Ciro, presidente do PSB discute alianças estaduais com Lula

Presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, evitou nesta sexta-feira polemizar com o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) sobre as declarações dadas ao iG, mas disse que Ciro terá de aceitar a decisão do partido sobre o impasse envolvendo a sua candidatura.

AE
Presidente do PSB, Eduardo Campos, chega para reunião com Lula
Campos ao chegar para reunião com Lula

Na tentativa de diminuir o mal estar pelo vazamento da decisão, Campos afirmou que Ciro “não está fora do páreo”. No entanto, segundo o iG apurou, durante encontro nesta manhã com o presidente Lula, no Palácio do Alvorada, foi iniciada a discussão sobre as alianças entre o PSB e o PT nos Estados beneficiadas com a saída de Ciro da disputa presidencial.

O PSB espera uma contrapartida do PT e quer apoio do partido nos Estados do Espírito Santo, Piauí, Amapá e no Distrito Federal. O caso do deputado federal Rodrigo Rollemberg serve de exemplo. Ele quer sair candidato ao Senado no Distrito Federal numa chapa encabeçada pelo PT. O ex-ministro Agnelo Queiroz vai disputar o governo e Geraldo Magela ficará com outra vaga para o Senado. 

Outro caso similar é do senador Renato Casagrande, que pretende disputar o governo do Espírito Santo pelo PSB. Como o PT prefere a aliança com o PMDB, ele planeja fazer uma coligação com o PR. O problema é que esse partido quer apoiar Dilma como candidata a presidente .“É uma realidade que se impõe”, afirmou Rollemberg.

Atualmente, há quatro Estados em que os pré-candidatos do PSB estudam formar aliança com o PSDB, partido de oposição ao governo federal. São os diretórios socialistas de Alagoas, Amazonas, Paraíba e Paraná. Quase vinte diretórios do PSB preferem o partido na campanha de Dilma, para não ter de dividir palanques, enquanto só oito sustentavam Ciro, sem exigir contrapartidas.

:: LEIA MAIS »

Ciro afirma ao iG que José Serra tem mais chance do que Dilma

Na entrevista que concedeu ao iG na noite desta quinta-feira, o deputado federal, Ciro Gomes (PSB-CE), afirmou que, com sua saída da corrida presidencial, o candidato tucano tem mais chances de vencer a eleição do que Dilma Rousseff.

 Em entrevista ao iG, Ciro fala sobre política e seu futuro  

Fora da disputa, Ciro manda recados a Lula, Dilma e PMDB 

Ciro diz ao iG que tinha um papel a cumprir nesta eleição
“Minha sensação agora é que o Serra vai ganhar esta eleição. Dilma é melhor do que o Serra como pessoa. Mas o Serra é mais preparado, mais legítimo, mais capaz. Mais capaz inclusive de trair o conservadorismo e enfrentar a crise que conheceremos em um ou dois anos.”

As palavras reservadas por Ciro a Serra impressionam. Impressionam porque a relação entre os dois é reconhecidamente conflituosa – e se situa num grau de agressividade elevadíssimo. As ofensas mútuas publicadas na imprensa dispensam repetição e podem ser conferidas numa pesquisa rápida em sites de busca na internet. :: LEIA MAIS »

Ciro Gomes deixa claro que não desiste da disputa eleitoral à Presidência da República

Em nota enviada para imprensa, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) desmentiu que tenha retirado sua candidatura à Presidência da República. Ciro afirma que continua candidato, que considera sua postulação importante para o PSB e para o país, e que jamais desistirá de concorrer à Presidência. Se o seu partido decidir por não apresentar candidatura própria que assuma o ônus da decisão, que ele respeitará como filiado.

Para PSB, Ciro aceitou desistir de candidatura à Presidência

 cúpula do PSB acredita que convenceu o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) a não mais insistir em sua candidatura a presidente da República. Pela manhã, Ciro foi chamado para uma conversa com o presidente do partido e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, na casa do vice-presidente nacional da legenda, Roberto Amaral.

Os dois argumentaram que o PSB precisa começar a fechar seus palanques estaduais e que a candidatura própria estava atrasando esse processo. Após o encontro na casa de Roberto Amaral, Ciro foi almoçar em uma churrascaria em Brasília com sua mãe, Ana. Depois, ele viajou para São Paulo e não quis falar com a imprensa. Contatado pelo iG por telefone, Ciro atendeu educadamente, mas insitiu que nada falaria sobre sua candidatura.

Na prática, o partido isolou-se, sem que Ciro tenha avançado nas pesquisas além dos 8% a 10% das intenções de voto. Por isso, a maioria dos diretórios regionais já prefere apoiar a candidata do PT, Dilma Rousseff, indicada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

AE
Lula deve se reunir com Ciro
 Ciro deve anunciar desistência na terça

O deputado argumentou que não pode carregar sozinho o ônus da desistência de sua candidatura. Ficou combinado que a formalização da decisão na reunião da Executiva do PSB, no próximo dia 27, servirá para que o ônus da retirada da candidatura seja dividido por todos no partido.

Um grupo encarregado de ouvir os diretórios estaduais levará à Executiva uma carta com a proposta de arquivamento da candidatura própria, previamente combinada com Ciro, mas que terá que ser oficialmente encampada pela Executiva. Em outras palavras,  a direção do PSB assume a responsabilidade pela desistência da candidatura própria, e Ciro ganha uma saída honrosa.

Ciro disse aos dirigentes do PSB que, depois da reunião da Executiva, pretende tirar uma licença da Câmara de Deputados e sair de circulação. Acenou, inclusive, que voltaria a tempo de ajudar o partido nas campanhas estaduais. Principalmente em São Paulo, onde o candidato ao governo deverá ser Paulo Skaf.

No ano passado, Ciro transferiu seu título eleitoral para a capital paulista. Na época, havia a possibilidade de ele firmar aliança com o PT e disputar o Palácio dos Bandeirantes.

A cordialidade com que o até então candidato recebeu as argumentações e aceitou as propostas deu aos dirigentes do PSB a sensação de que está tudo resolvido. Mas, na verdade, em relação ao temperamento do deputado cearense, não há quem tenha certeza de que ele seguirá o script. :: LEIA MAIS »

PSB alega que falta de alianças inviabiliza candidatura de Ciro

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) se reuniu nesta quinta-feira, 22, em Brasília, com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que também é presidente do PSB, e com o vice-presidente do partido, Roberto Amaral. Durante o encontro, eles apresentaram a Ciro mapas dos Estados mostrando que o partido não tem alianças, o que inviabiliza a candidatura do deputado.

Na próxima terça-feira, 27, haverá uma reunião da executiva do PSB para sacramentar a retirada da candidatura de Ciro. Interlocutores do Planalto afirmam que Ciro “não ajudou”, ou seja, não conseguiu tirar votos de José Serra (PSDB-SP). Além disso, não há hipótese, avaliam os mesmos interlocutores, de Ciro ser o vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff (PT-RS). :: LEIA MAIS »

PSB começa a negociar retirada de Ciro Gomes

A cúpula do PSB começa as negociações para a retirada da pré-candidatura do deputado Ciro Gomes da corrida presidencial. A pretexto de participar de comemoração pelos 50 anos de Brasília, o presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, deve desembarcar na capital para um conversa com Ciro. ” Daqui a uma semana, dia 27, a Executiva Nacional do PSB pretende bater o martelo sobre a candidatura de Ciro à sucessão de Lula. Na contabilidade do PSB, a renúncia dele pode virar moeda de troca na negociação com o PT em alguns Estados. A candidatura de Ciro, que já dividia o partido, perdeu força nos últimos dias após nota do deputado pressionando o PSB a decidir seu futuro. A avaliação de parte da cúpula do partido é que a nota de Ciro foi “grosseira” e “deselegante”. No entanto, o vice-presidente do PSB negou que o partido esteja “negociando” com o PT a retirada da candidatura de Ciro Gomes em troca do apoio de petistas em alguns Estados. Informações do G1



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia