WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2017
D S T Q Q S S
« nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  


:: ‘Marina Silva’

Marina Silva será a vice de Eduardo Campos

 

A ex-senadora Marina Silva, recém-filiada ao PSB, será confirmada como vice na chapa encabeçada pelo governador de Pernambuco e presidente nacional do partido, Eduardo Campos, de acordo com informações do Bahia Notícias.

A oficialização deverá acontecer ainda até a segunda quinzena de janeiro. Fontes ligadas à cúpula socialista afirmam que a decisão “está tomada” e que o anúncio depende apenas de “alguns ajustes”. Segundo o Estadão, nos bastidores comenta-se que a decisão de Marina foi antecipada como forma de garantir a “palavra” de Campos de que o PSB não iria apoiar a candidatura do governador de São Paulo Geraldo Alckmin à reeleição.

Foto: Gospel Mais

Homenagem à Marina em Minas Gerais visa chapa do PSDB em 2014

ESTADÃO

Aécio tenta atrair Marina para projeto de 2014. Governador tucano Antonio Anastasia assinou decreto concedendo à ex-senadora o título de cidadã honorária e já planeja cerimônia.

Sem partido e com um poderoso cacife eleitoral que rendeu quase 20 milhões de votos nas eleições presidenciais de 2010, a ex-senadora Marina Silva (AC) está na mira do tucanato mineiro. Na avaliação de integrantes do PSDB, uma aproximação com a ex-verde poderia impulsionar uma possível candidatura do senador tucano Aécio Neves à Presidência em 2014, além de uma virtual empreitada para a disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte no ano que vem.

O primeiro passo dessa tentativa de aproximação foi dado pelo governador Antonio Anastasia (PSDB). Antes de embarcar no fim de semana para uma viagem oficial ao Japão, ele assinou decreto concedendo a Marina o título de cidadã honorária de Minas Gerais. O governo e a Assembleia Legislativa já planejam uma cerimônia para entrega do título à ex-senadora. ”Ainda estamos tentando contato com ela, mas haverá cerimônia com a presença do Anastasia”, disse o deputado estadual Délio Malheiros (PV), que encaminhou pedido ao governo, em abril, para a concessão do título.

:: LEIA MAIS »

Marina cria grupo para ‘democratizar’ PV, mas não descarta criar nova sigla

Roldão Arruda, de O Estado de S. Paulo

Dois dias após o prefeito Gilberto Kassab ter anunciado a criação de seu PSD, um expressivo grupo de parlamentares e líderes do PV, entre eles a ex-senadora Marina Silva, decidiu por na rua um movimento destinado a mobilizar as bases verdes para cobrar a democratização do partido. Eles querem a realização de uma convenção nacional, no prazo de seis meses, e a convocação de eleições diretas para a escolha de novos diretores. A médio prazo, se a ação não funcionar, o grupo não descarta a hipótese de o movimento, denominado Transição Democrática, desaguar no surgumento de um novo partido.

O primeiro ato político do grupo está programado para quinta-feira, 24. Líderes de diferentes regiões do País devem se reunir em São Paulo para o lançamento de um manifesto com as teses do movimento. Segundo um dos organizadores, o presidente do diretório paulista, Maurício Brusadin, na terça-feira, 22, já estava confirmada a presença de sete deputados federais – o equivalente a metade da bancada verde.

:: LEIA MAIS »

Marina Silva é indicada ao Prêmio Personalidade do Ano do GreenBest

Evangélica está entre os 10 finalistas; cerimônia de premiação acontece no dia 17 de maio

 Marina Silva é indicada ao Prêmio Personalidade do Ano do GreenBest

Marina Silva está entre os dez finalistas na categoria “Personalidade do Ano” do Prêmio de Consumo e Iniciativas Sustentáveis GreenBest. O prêmio é realizado pelo Greenvana, empresa que comercializa e orienta o consumo sustentável, e idealizado pelo empresário Marcos Wettreich, criador do prêmio iBest no Brasil, México e Espanha.
O Personalidade do Ano do GreenBest vai oferecer dois prêmios em cada categoria, um por voto popular e outro por votação oficial da Academia GreenBest, formada por especialistas no tema. A votação popular teve início na segunda quinzena de janeiro e os vencedores receberão o troféu GreenBest em cerimônia de premiação no próximo dia 17 de maio.
:: LEIA MAIS »

Conheça os melhores parlamentares de 2010 eleitos pelo Congresso em Foco

Ricardo Chapola

A noite da próxima segunda-feira, 22, terá um toque especial para 52 parlamentares federais eleitos como os melhores de 2010. Os congressistas são indicados pelos jornalistas que cobrem as atividades da Câmara dos Deputados e do Senado Federal e pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal, parceiro do projeto.

Veja a lista dos melhores parlamentares eleitos:

Senadores

Cristovam Buarque (PDT-DF) (eleito o melhor)

Marina Silva (PV-AC)

Eduardo Suplicy (PT-SP) :: LEIA MAIS »

Aécio e Marina lideram apostas para 2014

Marcelo de Moraes – O Estado de S. Paulo

Com a eleição presidencial polarizada pela petista Dilma Rousseff e pelo tucano José Serra, uma corrida política paralela foi deflagrada para garantir posições vantajosas na disputa de 2014. Assim, projetos nacionais de poder já foram incubados em várias disputas regionais.

Alguns desses movimentos foram bem claros. É o caso do ex-governador mineiro Aécio Neves (PSDB) e da senadora Marina Silva (PV-AC). Mas há outros nomes desde já de olho na disputa de 2014: os governadores eleitos de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e do Paraná, Beto Richa (PSDB), além dos governadores reeleitos de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB).

Assim como Marina e Aécio, todos representam lideranças mais jovens que aproveitaram a eleição para se consolidar e ocupar papel de destaque no cenário político nacional.

Aécio, de 50 anos, ganhou tudo em Minas. Foi eleito senador com votação expressiva, emplacou o sucessor Antônio Anastasia (PSDB) no governo e garantiu a vaga de senador para o ex-presidente Itamar Franco (PPS), derrotando na mesma eleição o ex-ministro Hélio Costa (PMDB), e o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel (PT). O resultado credencia o tucano como melhor aposta do PSDB para a sucessão presidencial daqui a quatro anos.

Marina Silva, de 52 anos, é nome consolidado para 2014. Credenciada por quase 20 milhões de votos no primeiro turno, mesmo contando com uma estrutura mínima de campanha e quase nenhum tempo de propaganda na televisão, ela se tornou a maior surpresa da corrida presidencial deste ano. Sua campanha bem sucedida formou uma base bastante sólida para a próxima eleição.

Geração. Eduardo Campos, de 44 anos, lidera o projeto nacional do PSB, que ampliou bastante sua representação no País. Cabral, de 47 anos, também se consolidou como maior liderança do Rio, deixando para trás grupos importantes representados pelo ex-prefeito Cesar Maia (DEM) e pelo ex-governador Anthony Garotinho (PR). Passa a ser mais importante ainda se o PMDB decidir bancar um projeto de candidatura presidencial descolado da parceria com o PT.

Entre os tucanos, Alckmin, de 57 anos, dá a volta por cima na sua trajetória política com a eleição para o governo de São Paulo.

Comandando o Estado mais populoso do País, passa a ter importância política para planejar uma nova campanha para o Palácio do Planalto, depois de ter sido batido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2006.

Beto Richa, de 44 anos, saiu da Prefeitura de Curitiba para o comando do governo do Paraná, derrotando o senador Osmar Dias (PDT), que tinha o apoio de Lula e do governador Roberto Requião (PMDB). Os dois tucanos, no entanto, precisariam antes superar o bom momento de Aécio dentro do partido.

Na prática, a transição entre as disputas de 2010 e 2014 representa uma espécie de troca de gerações na política brasileira. Depois de dois mandatos, Lula deixará o governo com 65 anos. Pode até tentar um novo mandato em 2014, mas já estará perto dos 70 anos. Os dois principais candidatos à sua sucessão também passaram dos 60 anos. José Serra tem 68 anos e Dilma está com 62 anos. Eleita, é candidata quase certa à reeleição.

Há ainda o caso do deputado Ciro Gomes, de 52 anos, que sonhava com sua terceira campanha presidencial, mas viu o plano ser barrado pela direção do PSB e pelo próprio Lula e não disputou nenhum cargo este ano.

Projetos regionais. Um bom resultado nas eleições, entretanto, não garante o sucesso dessas incubadoras políticas. O principal problema é que, tradicionalmente, a maioria dos partidos não desenvolve projetos de poder em nível nacional. Preferem concentrar suas atenções nas disputas regionais onde possuem lideranças expressivas. :: LEIA MAIS »

Marina diz já ter sido procurada por Dilma e Serra após primeiro turno

G1

Ela afirmou que não sinalizou apoio durante as conversas. Candidata do PV teve 19,6 milhões de votos, quase 20% do total

 

Marina Silva durante entrevista coletiva

Um dia após a confirmação de que haverá segundo turno na eleição para presidente, a senadora Marina Silva (PV) disse ter sido procurada pelos candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) para discutir seu apoio na disputa.

A candidata do PV teve 19.636.359 votos, o equivalente a 19,33% dos votos válidos, com 99,99% dos votos apurados. “Ambos me telefonaram para parabenizar pela contribuição que demos ao país, pelas propostas que apresentamos e ambos, muito rapidamente, manifestaram desejo de ter uma oportunidade de conversar, caso eu ache isso oportuno, e no momento adequado” relatou.

:: LEIA MAIS »

Marina comemora votação recebida e diz ser vitoriosa mesmo sem ir ao segundo turno

Jair Stangler/SÃO PAULO – Estadão.com.br

A candidata derrotada do PV à Presidência da República, Marina Silva, concedeu uma coletiva em São Paulo, neste domingo, 3, para agradecer a votação recebida, quase 20% dos votos válidos, que acabou levando a eleição presidencial para o segundo turno. “Somos vitoriosos, ainda que não tenhamos ido para o segundo turno, porque iremos para o segundo turno para pensar melhor”, afirmou. Emocionada, Marina agradeceu à sua família, ao seu vice, Guilherme Leal, à militância e a todos que deram apoio.

“Nós nos dispusemos a fazer um processo político e quebrar a ideia do plebiscito. Essa ideia foi vitoriosa”, afirmou. Na coletiva, Marina voltou a lamentar o pouco tempo de TV e voltou a afirmar que sua campanha era a única com plataforma de governo. “O avanço que precisamos ainda com relação a erros e acertos, os acertos sempre incorporados como conquistas a serem mantidas, e os erros, para que possamos aprender com eles”, disse.

Para Marina, Dilma e Serra evitaram confronto em debate

DAIENE CARDOSO – Agência Estado

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, afirmou hoje que o debate de ontem na Rede Globo entre os presidenciáveis foi morno porque Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) evitaram o confronto. “O debate foi importante, mas a atitude dos principais candidatos em não quererem perguntar fez com que o debate ficasse frio e morno”, avaliou. “Uma coisa interessante é que no primeiro debate havia uma ansiedade muito grande de Dilma e Serra se confrontarem.”

A candidata observou que Serra mudou de atitude em relação a ela. “O Serra mudou, ele me elogiava bastante antes, mas eu acho que ele ficou um pouco irritado em função da pergunta sobre o Renda Mínima”, disse. Ela se considera a única em condição de vencer a favorita Dilma Rousseff. “Eu sou o segundo turno viável. Eu sou a que tem efetivamente condição de disputar com a Dilma. O Serra seria a repetição de 2006.”

:: LEIA MAIS »

Marina Silva em entrevista após debate diz que vai para segundo turno com Dilma

G1

Marina: o 2º turno nas mãos dela

Agência Estado | Globo News

Animada com arrancada na reta final, candidata à Presidência pelo PV realiza eventos na capital fluminense. A chamada “Onda Verde”.

Munida de pesquisas que mostram Marina Silva (PV) tecnicamente empatada com José Serra (PSDB) no Rio de Janeiro, a campanha verde elegeu o Estado como cenário para os últimos dias da disputa por votos. A agenda fluminense de Marina foi reforçada para explorar seu potencial e usar a TV para expor ao País a imagem de uma candidata popular, aclamada pelo eleitorado e com forças para chegar ao segundo turno.

A candidata, que participou de eventos na capital fluminense no fim de semana, planeja visitar a cidade na quinta-feira e no sábado. Em uma semana, ela cresceu 6 pontos porcentuais no Rio na pesquisa Ibope/Estado/TV Globo (18% contra 19% de Serra e 50% de Dilma). Em um mês, teve alta de 8 pontos porcentuais – Serra ganhou 3 e Dilma perdeu 6.

Os eventos da campanha verde têm atraído admiradores e rendido boas imagens para o noticiário e a propaganda na TV. Para Alfredo Sirkis, presidente do PV no Rio e coordenador da campanha presidencial no Estado, as “cenas de multidão e de adesão”, em que Marina aparece rodeada de admiradores, serão o trunfo desta última semana. “A Marina provoca entusiasmo em qualquer lugar, mas, no Rio, a presença dela é altamente mobilizadora”, afirma Sirkis. A candidata diz enxergar no eleitorado fluminense – terceiro maior do País – um “antecipador de tendências nacionais”.

Cristiana Lôbo fala sobre a mudança no cenário eleitoral:

Marina Silva é entrevistada pelo Bom Dia Brasil

Do G1, em São Paulo

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, foi entrevistada na manhã desta segunda-feira (20) pelo Bom Dia Brasil. Os candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) também serão entrevistados nesta semana. A ordem das entrevistas foi definida em sorteio. Marina respondeu a perguntas dos entrevistadores durante 20 minutos.  Confira abaixo a transcrição das perguntas e respostas e veja os vídeos com as duas partes da entrevista.

Confira a agenda de Marina Silva que estará em Vitória da Conquista nesta sexta-feira

A presidenciável, Marina Silva (PV), cumpre agenda política nesta sexta-feira (17) em Vitória da Conquista.

Confira a programação:

13:30 – Desembarque de Marina Silva no aeroporto Otacílio Figueiredo
13:40 – Carreata até a Praça Barão do Rio Branco
14:00 – Coletiva para imprensa no auditório do Hotel Livramento
14:30 – Ato Político na Praça Barão do Rio Branco
15:30 – Reembarque para Salvador

Quem é Marina Silva?

“Principal líder socioambiental no Brasil, Marina Silva é exemplo de superação Em quase 30 anos de vida pública, ganhou reconhecimento dentro e fora do país pela defesa da ética, da valorização dos recursos naturais e do desenvolvimento sustentável. Uma reputação construída em mandatos de vereadora, deputada estadual e senadora – eleita sempre com votações recordes – e no período em que esteve à frente do Ministério do Meio Ambiente, entre janeiro de 2003 e maio de 2008.

Nos cinco anos e quatro meses no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou a ser vista também como gestora competente. Na pasta, uma de suas conquistas foi o Plano de Ação para Prevenção e o Controle do Desmatamento da Amazônia Legal, que contou com o esforço integrado de 14 ministérios. Graças ao projeto, o ritmo de desmatamento da Amazônia caiu 57% em apenas três anos, passando de 27 mil km² para 11 mil km² ao ano. Mais de 1.500 empresas ilega is foram desmanteladas, com a prisão de 700 pessoas. A apreensão de madeira somou um milhão de metros cúbicos.
Iniciativas como essa aumentaram sua projeção internacional. No final de 2007, o jornal britânico “The Guardian” incluiu a então ministra entre as 50 pessoas que podem ajudar a salvar o planeta. :: LEIA MAIS »

Dilma abre 8 pontos sobre Serra, aponta pesquisa do Datafolha

do Estadão

Levantamento que indica 41% para petista e 33% para tucano é o 1º divulgado após debates na TV.

A candidata petista à Presidência Dilma Rousseff tem 41% das intenções de voto e vantagem de oito pontos porcentuais sobre o tucano José Serra, segundo pesquisa Datafolha divulgada na última sexta-feira pela TV Globo.

Em relação ao levantamento anterior do mesmo instituto, feito há três semanas, Dilma subiu cinco pontos, e Serra caiu quatro. A candidata do PV, Marina Silva, permaneceu com o mesmo índice, de 10%.

A pesquisa foi a primeira a ser divulgada depois de dois eventos televisivos que colocaram os presidenciáveis sob os holofotes: o debate na Band, no último dia 6, e as entrevistas com Dilma, Marina e Serra no Jornal Nacional, da TV Globo, nos dias 9, 10 e 11, respectivamente.

O Datafolha fez as entrevistas para a pesquisa entre os dias 9 e 12 – ou seja, no universo do levantamento, a performance de Dilma no Jornal Nacional foi assistida por uma parcela maior de eleitores, em comparação a Serra. :: LEIA MAIS »

José Serra e Dilma Rousseff polarizam primeiro debate na TV, com foco em saúde e emprego

do Estadão | EBAND

Tucano criticou o abandono dos mutirões de cirurgias da época em que era ministro e a petista comparou os 14 milhões de empregos da era Lula com os 5 milhões de FHC; Marina teve participação tímida e Plínio atacou ‘bom-mocismo’ de todos os rivais.

O primeiro debate entre presidenciáveis na TV, que ontem reuniu, na Band, os candidatos José Serra (PSDB), Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), acabou se transformando em um duelo entre os dois primeiros, que Serra tentou puxar para a saúde e Dilma para números e realizações do governo Lula.

Em um dos poucos momentos mais fortes, o tucano chamou de “cruel” o abandono dos mutirões de cirurgias pelo atual governo e a petista comparou os 14 milhões de empregos da era Lula com os 5 milhões do governo FHC.

Foi um confronto morno, sem emoção, a não ser nas curtas e duras críticas de Plínio aos demais. Dilma sobreviveu, com certo nervosismo e algumas frases longas e genéricas, ao seu primeiro grande teste público. Ao final do programa – que foi moderado por Ricardo Boechat, e tendo como perguntadores os jornalistas Joelmir Betting e José Paulo de Andrade – a petista conseguiu passar os avanços do governo Lula e Serra, além de exibir sua familiaridade com a saúde, prometeu “estatizar” de novo empresas como os Correios, que em sua opinião foram aparelhados pelo PT.

Os quatro responderam sem surpresas à primeira questão, sobre qual seria sua prioridade entre saúde, educação e segurança. Plínio advertiu que nesses três “há um problema de desigualdade social” a ser enfrentado “com firmeza”. Marina, com voz rouca, ressaltou educação, “porque a desinformação é responsável pela falta de oportunidade”, mas elegeu a saúde, “porque o brasileiro não pode esperar mais nenhum momento”. Serra disse que os três “são como três órgãos do corpo humano” e já adiantou que “criará um ministério para a segurança pública”. Dilma disse que uma gestão não pode ter a prioridade pedida na pergunta, “tem de atender aos três, que são os pilares de um governo”. :: LEIA MAIS »

Marina critica Lula por elogiar Dilma durante evento oficial

 

 

 

Thiago Guimarães Do G1, em São Paulo

Marina Silva em plenária da UGT

Marina Silva em plenária da UGT
nesta quarta-feira (14) (Foto: Divulgação)

A presidenciável Marina Silva (PV) criticou nesta quarta-feira (14) o elogio feito pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva à ex-ministra-chefe da Casa Civil e candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, durante evento de lançamento do edital do trem-bala. Nesta manhã, o presidente chegou a pedir desculpas pelo elogio, que desrespeita a legislação eleitoral.
“Acho que a atitude do presidente, inclusive por ser um homem que goza de alta credibilidade, de popularidade e ter muito carisma, não pode ser usada para extrapolar a legislação eleitoral”, disse Marina.

“O exemplo tem que vir do alto. Sou muito favorável à ideia de que quanto mais é amigo do rei, mais alta é a forca. Não é o fato de ser mais ou menos aceito pela população que nos dá o direito de extrapolar a legislação eleitoral”, afirmou. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia