WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2017
D S T Q Q S S
« nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  


:: ‘José Serra’

Texto de Serra, sem aval conjunto do PSDB, ataca ‘herança maldita’ do PT

ESTADÃO

Análise da conjuntura foi discutida quarta-feira pelo Conselho Político, presidido pelo tucano, e contém duros ataques a Dilma, cujo governo é classificado de ‘incompetente e autoritário’.

Serra e FHC após a primeira reunião do Conselho Político do PSDB, na quarta-feira, em Brasília

Documento elaborado pelo ex-governador José Serra e apresentado por ele ao Conselho Político do PSDB, órgão partidário que o tucano preside, afirma que “a incompetência e o autoritarismo são as marcas” do governo de Dilma Rousseff, e ressuscita o termo “herança maldita”. O termo era usado pelos petistas para atacar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas agora foi aplicado aos governos do PT. O texto divulgado na sexta-feira, 1º, no site do tucano não contou com o aval de todos os integrantes do conselho, entre eles o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que, procurado, preferiu não se manifestar.

Sem o aval de todos à íntegra do texto, dirigentes tucanos disseram não reconhecer o documento como uma peça partidária, sobretudo constrangidos com o fato de a divulgação ter ocorrido menos de 24 horas após a homenagem aos 80 anos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Na festa, vários petistas compareceram e foi novamente lembrada por FHC a carta enviada por Dilma a ele na qual a petista reconhece avanços ocorridos no País durante a gestão do tucano. :: LEIA MAIS »

Serra deve presidir instituto tucano

Christiane Samarco, de o Estado de S.Paulo

BRASÍLIA – O PSDB já tem a fórmula para não entregar a presidência nacional do partido ao candidato derrotado José Serra, nem tampouco forçar a aposentadoria do expoente tucano, deixando-o sem tribuna. Para preservar aquele que arrebanhou 43,7 milhões de votos e valorizar o “racha” do eleitorado pela oposição, Serra deverá assumir a presidência do Instituto Teotônio Vilela (ITV) de estudos e pesquisas do PSDB.

Esta é a alternativa que os tucanos vislumbram para reservar a Serra um espaço confortável na estrutura partidária, que lhe permita agir como oposição tucana e não afronte as resistências à ideia de abrigá-lo na presidência da legenda, como ocorreu depois da eleição de 2002.

O tucanato avalia que a saída tem múltiplas vantagens, a começar por livrar Serra do título de “candidato derrotado”, conferindo-lhe um posto de “presidente” sem aprofundar o racha entre paulistas e mineiros ligados ao senador eleito Aécio Neves (PSDB-MG). :: LEIA MAIS »

‘Até logo’ de Serra desagrada a tucanos, que defendem renovação no partido

Roberto Almeida e Julia Duailibi, de O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO – A declaração do candidato derrotado à Presidência da República, José Serra (PSDB), que em discurso sobre o resultado de anteontem disse que não dava um “adeus”, mas um “até logo”, causou polêmica entre tucanos e aliados, que reservadamente defendem uma renovação dos quadros da oposição nos próximos anos.

Serra, ao reconhecer a vitória da candidata do PT, Dilma Rousseff, sinalizou que não sairá da vida pública, embora não tenha mencionado se pretende voltar a disputar algum cargo eletivo. Houve repercussão negativa da declaração junto a aliados que se incomodaram com a frase “o povo não quis que fosse agora”, usada por ele para falar da derrota. :: LEIA MAIS »

Em Vitória da Conquista, reunião define ações para última semana da campanha de Serra

Ascom | Conquista é Serra

Aconteceu na noite desta sexta-feira (22), na sede do PTN, a quarta reunião do grupo que apóia José Serra, candidato a presidência da República pelo PSDB, em Vitória da Conquista. Além de vereadores e ex-vereadores, participaram do encontro lideranças políticas de diversos partidos, entre eles, PR, PDT, PMN, DEM, PSDB, PTN, PMN, PTBe PMDB.

As lideranças iniciaram a reunião mostrando-se indignados com os atos de violência que Serra sofreu no Rio de Janeiro na última quarta-feira. Em seguida, fizeram um balanço das ações desenvolvidas até o momento, que foram consideradas bastante relevantes e inovadoras e, por fim, foi definido o roteiro de mobilizações nos próximos dias. :: LEIA MAIS »

CNT/Sensus: José Serra cresce em intenção de votos em todo o País

Terra

Levantamento CNT/Sensus divulgado nesta quinta-feira (14) aponta crescimento do candidato tucano à presidência da República, José Serra, em todas as regiões do Brasil. A maior vantagem do tucano é na região Sul, onde ocupa a dianteira da preferência do eleitorado com quase 20 pontos de vantagem. Em setembro, o ex-governador de São Paulo tinha vantagem de 4,8 pontos percentuais entre os sulistas e ampliou a margem para 19,6 pontos.

Para o presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Clésio Andrade, a queda de Dilma em todas as regiões brasileiras é resultado de um novo processo sociológico a que os pesquisadores atribuem como resultado de uma suposta onda de difamação contra a ex-ministra do governo Lula. “Não estamos vendo outra explicação a não ser isso”, disse Clésio. :: LEIA MAIS »

Serra defende união civil de homossexuais

Anne Warth, da Agência Estado

SÃO PAULO – O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, nesta quinta-feira, 14, ser favorável à união civil de homossexuais. De acordo com o tucano, a questão envolve o Direito, diferente do casamento, que está ligado às igrejas. “A união em torno de direitos civis já existe, inclusive na prática, pelo Judiciário. E eu sou a favor para efeito de Direito”, afirmou, após se reunir com integrantes do Fórum de ONG-Aids do Estado de São Paulo, na capital paulista. “Outra coisa é o casamento, que tem um componente religioso das igrejas”, explicou. “E aí cada igreja define sua posição.”

Serra foi questionado sobre o que pensava das posições da sua adversária, Dilma Rousseff (PT), que deve divulgar nos próximos dias carta na qual se compromete a vetar, caso seja eleita presidente, a ampliação do direito ao aborto, o casamento de pessoas do mesmo sexo e a mudança no registro civil para transexuais. Serra ironizou as opiniões da petista. “Ela tem lá os problemas dela. Diz uma coisa e outra hora diz outra. Deixa ela encaminhar os problemas dela”, afirmou.

No primeiro debate do segundo turno, Dilma e Serra fazem duelo aberto

Rodrigo Alvares e Jair Stangler/Estadão

 debate_ernesto_rodrigues_ae_10102010.jpg
Dilma surpreendeu no debate e partiu para o ataque, colocando a questão do aborto logo no primeiro bloco

No primeiro debate direto do segundo turno, promovido pela TV Bandeirantes, os candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) partiram para o confronto aberto. Antes do debate, esperava-se que os candidatos adotassem uma postura “paz e amor”. Mas a candidata petista sepultou essa possibilidade já no primeiro bloco, partindo para o ataque e abordando de imediato o tema que vem sendo apontado como responsável por a campanha ter ido ao segundo turno, a polêmica sobre o aborto.

Em suas primeiras falas, Dilma afirmou que foi Serra quem regulamentou a prática do aborto em casos específicos quando era ministro da Saúde. Disse ainda que concorda com a regulamentação, porque “não pode deixar de atender a mulher” que aborta. E reclamou também de declarações da mulher de José Serra, Monica Serra, que declarou ainda no primeiro turno, que Dilma era a favor de “matar criancinhas”. Serra rebateu dizendo nunca ter defendido a legalização do aborto. “Você defendeu e de repente passa e dizer outra coisa”, acusou.

A petista ainda acusou o tucano de realizar sua campanha fazendo calúnias contra Dilma. “Essa forma de fazer campanha, que usa o submundo, é correta?” Serra respondeu que se solidariza com quem recebe ataques pessoais. “Eu tenho recebido muitos ataques por toda a campanha, como nos blogs que levam o seu nome. Nós somos responsáveis por aquilo que pensamos. A população quer saber o que a pessoa fez na vida pública. Vocês confundem matérias de jornais com ataques”, declarou, citando o escândalo da Casa Civil e a polêmica sobre o aborto. :: LEIA MAIS »

José Serra em Conquista

O ex-governador do Estado de São Paulo, candidato a presidência da república, José Serra (PSDB), chegará nesta 6ªfeira (8), a cidade de Vitória da Conquista, devendo desembarcar no aeroporto Pedro Otacílio de Figueiredo às 14 Horas. O presidente do PSDB local, Claudionor Dutra, iniciou contatos telefônicos convidando lideranças da cidade e região para o encontro. A programação está sendo preparada cuidadosamente. Serra venceu em território conquistense e pretende repetir a façanha no 2º turno.

Marina diz já ter sido procurada por Dilma e Serra após primeiro turno

G1

Ela afirmou que não sinalizou apoio durante as conversas. Candidata do PV teve 19,6 milhões de votos, quase 20% do total

 

Marina Silva durante entrevista coletiva

Um dia após a confirmação de que haverá segundo turno na eleição para presidente, a senadora Marina Silva (PV) disse ter sido procurada pelos candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) para discutir seu apoio na disputa.

A candidata do PV teve 19.636.359 votos, o equivalente a 19,33% dos votos válidos, com 99,99% dos votos apurados. “Ambos me telefonaram para parabenizar pela contribuição que demos ao país, pelas propostas que apresentamos e ambos, muito rapidamente, manifestaram desejo de ter uma oportunidade de conversar, caso eu ache isso oportuno, e no momento adequado” relatou.

:: LEIA MAIS »

Gabeira do PV confirma apoio a Serra no 2º turno

Luciana Nunes Leal, de O Estado de S.Paulo

RIO – Derrotado no primeiro turno pelo governador Sérgio Cabral (PMDB), o candidato do PV ao governo do Rio de Janeiro, deputado Fernando Gabeira, confirmou na manhã desta segunda-feira, 4, que vai apoiar o tucano José Serra no segundo turno presidencial. A participação de Gabeira na campanha de Serra dependerá de uma conversa do deputado com a senadora Marina Silva (PV), terceira colocada na eleição presidencial. “Minha posição é de apoiar Serra não só porque ele me apoiou como porque o considero o melhor candidato”, afirmou Gabeira.

Sobre o engajamento na campanha tucana, Gabeira disse que “depende do que eles (tucanos) quiserem”. “No meio da semana vou conversar com a Marina. Não quero causar constrangimento a ela de maneira alguma”, afirmou o parlamentar do PV. Os próprios tucanos acreditam que Marina optará pela neutralidade. A posição oficial do PV será decidida em plenária do partido, nos próximos dias. “Tenho uma certa independência. Recebi o apoio do Serra e dei a entender que o apoiaria. Vou honrar minha palavra”, afirmou Gabeira.

Coordenador financeiro de Serra nega falta de recursos

ANA CONCEIÇÃO – Agência Estado

O coordenador financeiro da campanha de José Serra (PSDB) à Presidência da República, José Henrique Reis Lobo, negou que existam problemas de arrecadação para o candidato e disse que o engenheiro Paulo Vieira de Souza não tinha autorização para angariar recursos para o partido. A edição da revista IstoÉ desta semana traz matéria em que cita dirigentes tucanos, como o ex-ministro Eduardo Jorge, vice-presidente nacional do PSDB, acusando Souza de arrecadar cerca de R$ 4 milhões junto a grandes empreiteiras para as campanhas eleitorais de 2010. Ex-diretor da Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), estatal paulista responsável pelo Rodoanel e outras obras bilionárias, o engenheiro teria fácil acesso a essas empresas. Segundo a denúncia da revista, os recursos não chegaram ao caixa da campanha presidencial de José Serra. :: LEIA MAIS »

Dilma abre 8 pontos sobre Serra, aponta pesquisa do Datafolha

do Estadão

Levantamento que indica 41% para petista e 33% para tucano é o 1º divulgado após debates na TV.

A candidata petista à Presidência Dilma Rousseff tem 41% das intenções de voto e vantagem de oito pontos porcentuais sobre o tucano José Serra, segundo pesquisa Datafolha divulgada na última sexta-feira pela TV Globo.

Em relação ao levantamento anterior do mesmo instituto, feito há três semanas, Dilma subiu cinco pontos, e Serra caiu quatro. A candidata do PV, Marina Silva, permaneceu com o mesmo índice, de 10%.

A pesquisa foi a primeira a ser divulgada depois de dois eventos televisivos que colocaram os presidenciáveis sob os holofotes: o debate na Band, no último dia 6, e as entrevistas com Dilma, Marina e Serra no Jornal Nacional, da TV Globo, nos dias 9, 10 e 11, respectivamente.

O Datafolha fez as entrevistas para a pesquisa entre os dias 9 e 12 – ou seja, no universo do levantamento, a performance de Dilma no Jornal Nacional foi assistida por uma parcela maior de eleitores, em comparação a Serra. :: LEIA MAIS »

José Serra e Dilma Rousseff polarizam primeiro debate na TV, com foco em saúde e emprego

do Estadão | EBAND

Tucano criticou o abandono dos mutirões de cirurgias da época em que era ministro e a petista comparou os 14 milhões de empregos da era Lula com os 5 milhões de FHC; Marina teve participação tímida e Plínio atacou ‘bom-mocismo’ de todos os rivais.

O primeiro debate entre presidenciáveis na TV, que ontem reuniu, na Band, os candidatos José Serra (PSDB), Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), acabou se transformando em um duelo entre os dois primeiros, que Serra tentou puxar para a saúde e Dilma para números e realizações do governo Lula.

Em um dos poucos momentos mais fortes, o tucano chamou de “cruel” o abandono dos mutirões de cirurgias pelo atual governo e a petista comparou os 14 milhões de empregos da era Lula com os 5 milhões do governo FHC.

Foi um confronto morno, sem emoção, a não ser nas curtas e duras críticas de Plínio aos demais. Dilma sobreviveu, com certo nervosismo e algumas frases longas e genéricas, ao seu primeiro grande teste público. Ao final do programa – que foi moderado por Ricardo Boechat, e tendo como perguntadores os jornalistas Joelmir Betting e José Paulo de Andrade – a petista conseguiu passar os avanços do governo Lula e Serra, além de exibir sua familiaridade com a saúde, prometeu “estatizar” de novo empresas como os Correios, que em sua opinião foram aparelhados pelo PT.

Os quatro responderam sem surpresas à primeira questão, sobre qual seria sua prioridade entre saúde, educação e segurança. Plínio advertiu que nesses três “há um problema de desigualdade social” a ser enfrentado “com firmeza”. Marina, com voz rouca, ressaltou educação, “porque a desinformação é responsável pela falta de oportunidade”, mas elegeu a saúde, “porque o brasileiro não pode esperar mais nenhum momento”. Serra disse que os três “são como três órgãos do corpo humano” e já adiantou que “criará um ministério para a segurança pública”. Dilma disse que uma gestão não pode ter a prioridade pedida na pergunta, “tem de atender aos três, que são os pilares de um governo”. :: LEIA MAIS »

Serra visita Ilhéus e promete duplicar BR-101 no trecho até a Bahia

do Correio*

José Serra caminhou pelo centro de Ilhéus, cumprimentou populares e conversou com a imprensa (foto: Pimenta na Muqueca)

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, disse neste sábado (17) em Ilhéus, no sul do estado, que, se eleito, investirá em obras de infraestrutura que ajudarão a Região Nordeste. Entre elas, a duplicação da BR-101. “Comigo [a duplicação da BR-101] chegará à Bahia, porque até agora não chegou. A BR-101 e outras muito importantes”, afirmou.

Serra criticou a falta de estrutura do Aeroporto de Ilhéus, que ontem (16) não pôde receber vários voos devido às condições climáticas. Situação que levou os passageiros de companhias comerciais a ter que desembarcar em Salvador e percorrer 446 quilômetros de ônibus, aproximadamente sete horas, para chegar à cidade.

:: LEIA MAIS »

Via Twitter, Índio ataca Dilma e Lula

do Último Segundo

O candidato a vice de José Serra afirmou na internet que Lula tentou barrar o Ficha Limpa e acusou Dilma de fugir do debate. Presidente disse ontem que não sabe quem ele é.

Menos de 24 horas depois de ser anunciado candidato a vice de José Serra à Presidência, o deputado Indio da Costa (DEM-RJ) criticou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua candidata, Dilma Rousseff.

Ele rebateu as declarações dadas pelo presidente ao ser questionado sobre o anúncio do nome de Indio ao cargo. Pelo Twitter, Indio afirmou: “Lula diz que não me conhece. Esqueceu que tentou barrar o #fichalimpa, mas não conseguiu”.

Ontem, ao ser abordado por jornalistas para opinar sobre a escolha tucana, Lula devolveu a pergunta com a seguinte indagação: “De onde ele é?”. Em seguida, disse não saber quem era Indio da Costa. Lula participava de uma conferência em Brasília para formandos do Programa Universidade para Todos (ProUni). :: LEIA MAIS »

Deputado federal de 39 anos é a escolha do DEM para vice de José Serra

do G1

Deputado Índio da Costa, do Rio de Janeiro, foi oficializado como vice da chapa tucano-democrata. Indicação aconteceu após série de conversas e até anúncio de outro nome. ‘Foi surpresa para mim também’, disse ele após indicação.

DEM indica Indio da Costa (com o braço erguido) para a vaga de vice ao lado de José Serra

 O deputado Índio da Costa (DEM-RJ) disse nesta quarta-feira (30) ter sido surpreendido com sua indicação para o posto de candidato a vice-presidente na chapa de José Serra (PSDB). A oficialização da aliança aconteceu nesta quarta cerca de uma hora após o anúncio do nome do deputado do Rio de Janeiro.

O parlamentar discursou na convenção do DEM logo após ter seu nome aprovado por aclamação. “É com muito orgulho que aceito essa tarefa em nome do Democratas. Foi surpresa pra vocês, mas foi surpresa para mim também.” Índio da Costa disse que “não tinha como recusar” o convite. Ele classificou Serra como “ o mais preparado para governar o país” e criticou o “loteamento da máquina pública” no governo federal.

O candidato a vice agradeceu ao ex-prefeito do Rio de Janeiro, César Maia (DEM), que o lançou na política, e outras lideranças do partido. O discurso de Índio foi rápido –durou cerca de cinco minutos.

Desfecho da crise :: LEIA MAIS »

PSDB já ensaia discurso para tirar Álvaro Dias da vice

da Folha

O PSDB já está ensaiando um discurso para tirar o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) da vice na chapa do tucano José Serra sem causar estragos à imagem do parlamentar.

O presidente do PSDB, Sérgio Guerra, afirmou hoje, antes de embarcar para Pernambuco, que conversou com Serra durante a madrugada e que o candidato teria sustentado a defesa de Dias no posto, mas que iria ouvir as ponderações dos aliados.

Uma crise eclodiu entre DEM e PSDB depois que os tucanos escolheram Dias para
a vaga, em detrimento de um democrata.

Guerra disse que um pouco mais tarde seu telefone tocou, ele não atendeu, mas poderia ser Serra novamente.

“Não tenho a menor dúvida que Álvaro Dias é o melhor candidato, até dias atrás tínhamos o Aécio [Neves], que era um nome forte, porque seria uma chapa com dois presidenciáveis. Álvaro é bom pela sua capacidade de comunicação. De todos os citados, ele se destaca, é um grande líder de oposição do Brasil”, disse o presidente do PSDB.

Guerra também falou sobre o lançamento de Osmar Dias (PDT) ao governo do Paraná, dando palanque no Estado à candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff (PT). Ele fez críticas a Osmar, que é irmão de Álvaro. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia