WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  


:: ‘indiciamento’

Atropelador de filho de Cissa é indiciado por homicídio doloso

Talita Figueiredo – O Estado de S. Paulo

RIO – Rafael Bussamra, que atropelou e matou Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, foi indiciado por homicídio doloso (quando há intenção de matar pela delegada Bárbara Lomba, da 15ª Delegacia de Polícia. Bussamra trafegava em alta velocidade dentro do túnel Acústico (Gávea, zona sul) que estava fechado ao trânsito. No local, Mascarenhas andava de skate com dois amigos. O acidente aconteceu em 20 de julho.

Segundo a delegada, ele foi indiciado por homicídio doloso porque há indícios de que estivesse disputando um racha com Gabriel Henrique de Sousa Ribeiro, seu amigo que estava em outro carro e também foi indiciado por homicídio doloso. “Os motoristas sabiam que o túnel estava interditado e os laudos apontam excesso de velocidade”, disse a delegada. :: LEIA MAIS »

Sangue encontrado em colchão não é de Eliza Samudio, diz polícia

Eliane Souza, especial para O Estado

BELO HORIZONTE- A Polícia Civil de Minas Gerais informou nesta sexta-feira, 23, que o sangue encontrado em um colchão no sítio do goleiro Bruno Souza, em Esmeraldas (MG), é de uma mulher, mas não de Eliza Samudio, ex-amante do jogador desaparecida desde o início de junho. O material foi encontrado em perícia realizada em 13 de junho.

O delegado Edson Moreira afirmou que a prova pode ter sido “plantada”. “Na primeira vistoria feita não tinha sangue. Na segunda vistoria, foi encontrada uma grande mancha de sangue, que pode ser para tumultuar as investigações”.

Segundo o delegado, o sítio não poderia ter sido interditado já que a legislação Brasileira não permite esse tipo de lacre, para ficar o tempo todo à disposição da polícia. Moreira disse ainda que a possibilidade de o corpo carbonizado encontrado no interior de São Paulo ser de Eliza é “praticamente zero”. Os restos mortais foram achados no dia 26 de junho em Cachoeira Paulista e estão em análise na capital paulista. :: LEIA MAIS »

Sem corpo, polícia diz que pode indiciar Bruno com base em relatos de testemunhas e na aparição do bebê

do Terra | Globo.com

Advogado Jader Marques, da familia de Eliza, diz que polícia está no caminho certo nas investigações 

O delegado-chefe do Departamento de Investigação de Homicídios e de Proteção à Pessoa de Belo Horizonte, Edson Moreira, disse no final da tarde desta segunda-feira que o goleiro Bruno, do Flamengo, e outras pessoas que supostamente estão envolvidas no desaparecimento de ex-amante do jogador Eliza Silva Samudio, 25 anos, podem ser indiciados pelo crime de homicídio mesmo que o corpo da estudante não seja encontrado.

“A gente (polícia) quer achar a materialidade direta da prova (o corpo). Se for não possível, as investigações indicam a materialidade indireta. Nós temos provas testemunhais, vestígios e o principal, o filho dela que foi encontrado. Uma mãe jamais vai soltar um filho desse jeito. A criança é o cerne da questão”, disse o delegado. As investigações da polícia indicam desaparecimento com provável homicídio seguido de ocultação de cadáver.

O delegado confirmou ainda que as manchas avermelhadas encontradas pela perícia no jipe de Bruno, por meio da substância Luminol, são de sangue humano. O material colhido está sendo analisado e comparado com o DNA do pai de Eliza e do bebê, de 4 meses, que seria filho de Bruno. Quando a criança foi localizada, o Instituto de Criminalística colheu saliva do bebê e do avô.A policia confirmou ainda que o par de sandálias e de óculos encontrados dentro do carro de Bruno foram reconhecidos por testemunhas como sendo de Eliza. O goleiro e o amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, serão intimados até no máximo a próxima semana para prestar depoimento no Departamento de Investigação, em Belo Horizonte.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia