WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


agosto 2020
D S T Q Q S S
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  


:: ‘gaeco’

MPE aponta desvio de quase R$ 600 mil na Câmara de Guarulhos

estadão.com.br

SÃO PAULO – Agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Guarulhos, na Grande São Paulo, cumprem nexta-feira, 16, mandados de busca e apreensão na Câmara Municipal da cidade. A operação foi deflagrada pelo Ministério Público Estadual (MPE) após denúncias de prestação de contas irregulares na Câmara. O MPE já tem provas do desvio de cerca de R$ 588 mil em verbas.

Foram expedidos 19 mandados de busca e apreensão contra 12 vereadores dos 34 que compõem a Câmara de Guarulhos, a segunda maior cidade do Estado. Há ainda seis ex-vereadores envolvidos. Entre os alvos estão o presidente da casa, Alan Neto, e demais membros da mesa diretora. Outras sete pessoas são investigadas.

O esquema consistia no uso de empresas fantasmas e notas frias para justificar pagamentos supostamente feitos pelos políticos por meio de seus gabinetes. A operação apreendeu documentos e computadores tanto nas residências dos vereadores como na Câmara Municipal. :: LEIA MAIS »

Comandante da PM em Conquista convoca articulador de manifestações na cidade

Juscelino Souza | Sucursal de Vitória da Conquista*

Neia Rosseto | AG. A TARDE

Articulador de manifestações contra prisões de PMs se apresenta no 9º Batalhão da PM em Conquista

Articulador de manifestações contra prisões de PMs se apresenta no 9º Batalhão da PM em Conquista

O comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar (PM) de Vitória da Conquista, Jorge Ubirajara Pedreira, determinou, nesta quinta-feira, 13, que o diretor do órgão de defesa dos PMs no município (AJUSPM), David Salomão, se apresente na sede do Comando. Salomão é um dos principais articuladores das manifestações de parentes do policiais presos acusados de participação em 11 homicídios e três desaparecimentos.

Salomão, que é advogado e PM, resistiu a acompanhar o capitão Pinheiro e mais quatros PMs que tinham ordem de encaminhá-lo para o 9º Batalhão. Além disso, um grupo de manifestantes cercou a viatura do capitão, impedindo o cumprimento da determinação. Salomão seguiu em carro próprio para o Comando, onde se apresentou por volta de 10h50, depois que os policiais que deveriam conduzi-lo retornaram ao 9º Batalhão.

Cerca de 70 familiares e amigos de PMs aguardam do lado de fora do comando uma posição sobre a convocação de Salomão. A PM ainda não se posicionou oficialmente sobre o motivo do chamado, mas fontes no 9º Batalhão informaram que Salomão foi chamado para depor porque teria faltado a escala de plantão nesta quinta no distrito de Batuque, zona rural de Vitória da Conquista.

O policial alega que trabalhou na noite desta quarta e que, portanto, não teria cometido crime militar de abandono de serviço. Salomão, antes de seguir para o Batalhão, disse que temia que a convocação fosse transformada em prisão administrativa por insubordinação.
:: LEIA MAIS »

amigos e parentes de PMs presos prometem fechar Rio-Bahia hoje (13)

Ainda continua a grande insatisfação por parte dos amigos e parentes dos 10 policias de Conquista que se encontram presos em Salvador, desde o dia 05. Segundo informações, está marcada para hoje uma grande manifestação que vai culminar na interdição da Rio-Bahia, no trecho próximo ao Atacadão.

Veja as fotos da última manifestão realizada no centro de Conquista!

Promotor avalia indiciar outros policiais em Vitória da Conquista

A Tarde

O promotor de justiça Marcelo Pinto declarou que a prisão dos 10 policiais militares cumprida na quarta-feira, 5, está mantida e que já analisa a necessidade de novos indiciamentos na ação civil pública. A declaração foi feita um dia após Marcelo Pinto substituir a promotora da Vara do Júri, Genísia Oliveira, e assumir o comando das apurações do envolvimento de policiais na morte de 11 pessoas e no desaparecimento de três adolescentes em Vitória da Conquista, a 509 km de Salvador, logo após o assassinato do soldado PM Marcelo Márcio Lima Silva, 32 anos, em 29 de janeiro.

Genísia Oliveira, autora da ação civil pública que pediu o indiciamento e a prisão dos 10 policiais, entrou em férias dia 11, aproveitou para deixar o caso e deve participar de cursos em São Paulo e no exterior. A promotora deixa o caso logo depois de denunciar ameaças de morte a seus familiares, por meio de ligações anônimas e um provável atentado à bala. :: LEIA MAIS »

Polêmica: Familiares de policiais presos prometem paralisar a Rio-Bahia em Conquista

Por Rodrigo Ferraz

Familiares dos policiais que estão presos provisoriamente em Salvador prometem fazer uma grande manifestação em Vitória da Conquista na manhã da próxima quinta-feira (13). A concentração acontece na Praça da Saudade a partir das 09h. Logo depois o aglomerado de pessoas irão se dirigir a Rio-Bahia, nas proximidades do Atacadão. A comunidade promete barrar o trecho por tempo indeterminado, o que promete causar um grande congestionamento.

O diretor da JUSPM (Centro de Assistência ao Policial Militar), David Salomão (foto), convidou à todos para que compareçam e protestem com relação a onda de violência que tem tomado conta da cidade. “Já avisamos aos órgãos e entidades civis. Esperamos que a manifestação cumpra os seus objetivos. O governo da Bahia precisa agir de alguma forma”. Do Blog da Resenha

Pedido de férias de promotora em Vitória da Conquista é acatado

Valmar Hupsel Filho l A TARDE

Vitória da Conquista – O pedido de férias da promotora de justiça da promotoria regional de Vitória da Conquista, Genísia Oliveira, foi aceito pelo Ministério Público. A partir desta quarta-feira, 12, a promotora se afasta oficialmente das investigações sobre a autoria da morte de 11 pessoas e desaparecimento de três adolescentes em Vitória da Conquista. O promotor Marcelo Pinto assumirá as investigações.

Na manhã desta terça, 11, cerca de  60 familiares, amigos e colegas de corporação dos 10 policiais presos preventivamente saíram novamente às ruas de Vitória da Conquista para protestar contra a prisão dos PMs. Fizeram paradas de 15 minutos para discursos Uma terceira manifestação está agendada para quinta, 13, com a promessa de fechar a BR-116, que corta o município.

“Vamos parar o Brasil para protestar contra estas prisões arbitrárias”, bradou o presidente da Associação de Policiais, Praças e Bombeiros Militares (Aspra), Marcos Prisco. Ele questionou a operação feita pela Secretaria da Segurança Pública para prender os policiais, na última quarta-feira. “Utilizaram a tropa de choque para prender policiais que se entregaram voluntariamente”, disse.
:: LEIA MAIS »

Exclusivo: Fotos da passeata (11) de parentes e amigos dos PMs presos em Conquista

Movimento contra a prisão de PMs toma força em Conquista

Parentes e amigos dos policiais presos em Vitória da Conquista na última semana, fizeram mais uma passeata nesta Terça (11) pelas ruas do centro da cidade. Desta vez o movimento teve apoio da sociedade conquistense, que está se sentindo insegura com a onda de homicidios na região.

A passeata é em protesto às declarações da Promotora Genísia  que estava à frente do caso e pediu afastamento sob a informação de que estava sofrendo ameaças e um possível atentado.

Polêmica em Conquista: Promotora deixa o caso da acusação contra policiais

Valmar Hupsel l A TARDE

Lúcio Távora l Agência A TARDE

Genísia Oliveira disse que sofreu ameaças desde que começou a investigar envolvimento de PMs

Genísia Oliveira disse que sofreu ameaças desde que começou a investigar envolvimento de PMs

A promotora de Justiça da promotoria regional de Vitória da Conquista, Genísia Oliveira, não coordena mais as investigações do Ministério Público que apuram a responsabilidade de policiais em 11 homicídios e sumiço de três adolescentes ocorridos no dia 29 de janeiro, no Alto da Conquista.

Em ofício enviado ao MP, ela pediu afastamento do caso no mesmo dia em que entra em férias, justificando que faria cursos em São Paulo e no exterior. O procurador-geral de Justiça em exercício, José Gomes Brito, já acusou recebimento do pedido, mas ainda não divulgou decisão nem informou quem irá substitui-la.

O pedido foi protocolado no último sábado, 8. Na véspera, A TARDE informou com exclusividade que a promotora disse ter sofrido atentado e que vinha recebendo ameaças desde 30 de janeiro – dia seguinte à chacina. No sábado, ela retificou a versão e divulgou que dois homens em uma motocicleta dispararam contra o veículo de seu marido. :: LEIA MAIS »

Conquista: Promotora que chefiava força tarefa pede afastamento

CORREIO

A promotora que chefiava a força tarefa que resultou na prisão de 10 policiais militares em Vitória da Conquista informou nesta segunda-feira (10) que pediu afastamento do cargo. Genisia Oliveira disse que vai tirar férias e realizar cursos de especialização no exterior.

A promotora do Ministério Público informou na semana passada que estava sofrendo ameaças desde que começou a investigar o envolvimento de PMs na morte de onze jovens e no desaparecimento de três adolescentes em Vitória da Conquista. Na última quarta-feira (5), dez policiais foram presos após determinação da justiça.

Genisia Oliveira chegou a pedir proteção policial para sua família após seu marido ter sofrido uma tentativa de homicídio. Ele teve o carro alvejado por disparos de arma de fogo calibre 38 feitos por dois homens em uma moto. O marido de Genísia não foi atingido.

Essa é a segunda mudança na chefia da força tarefa. Em março, todo comando das investigações foi substituído e a promotora Ana Rita Nascimento foi substituída por Genisia Oliveira. De acorodo com a assessoria do Ministério Público Estadual (MPE), o pedido para afastamento da promotora está sendo analisado.

Polêmica em Conquista: Perícia não acha projéteis no carro de promotora

Valmar Hupsel Filho | A TARDE

O Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Vitória da Conquista não encontrou projétil nem vestígios de disparos no veículo do marido da promotora Genísia Oliveira.

Segundo ela, dois homens montados numa moto se aproximaram do veículo, dirigido por seu marido, e efetuaram três disparos na noite da última segunda-feira (3).

Um deles teria atingido o para-choque. A promotora supõe que tenha sido um atentado, uma vez que vem recebendo ameaças dirigidas à sua pessoa e familiares devido às investigações envolvendo policiais militares na morte e sumiço de jovens.

“Até o momento, não podemos afirmar que o veículo foi alvo de um atentado”, informou um graduado policial que participou da perícia e pediu para não ser identificado.

Segundo ele,um pedaço do para-choque do veículo foi retirado e está em poder da promotora para ser utilizado como prova. “Ela não quis ser ouvida hoje. Aguardamos sua presença e que ela nos traga o material para análise”, disse.

Gravação O policial informou ainda que foram analisadas as câmeras de segurança de um supermercado localizado em frente ao local onde teriam acontecido os disparos, na Avenida Rosa Cruz, por volta das 23h30. O local e hora são indicados como os do suposto atentado. “Vemos o veículo passando, mas sem moto por perto”, disse.

O policial informou que ontem mesmo foi aberto um inquérito policial para apurar a existência ou não do suposto atentado.“ Pode ter sido uma tentativa de assalto, mas vamos apurar todas as alternativas”, disse. :: LEIA MAIS »

Contradições: Promotora contesta declarações de César Nunes

A peça do carro da promotora Genísia Oliveira, vítima de um suposto atentado em Vitória da Conquista vai ser periciada em Salvador. O carro dela foi atingido por tiros na madrugada da última terça-feira (4).

A promotora contesta a declaração feita pelo secretário de Segurança Pública, César Nunes, sexta-feira (7), ao BATV, de que não há indícios de que ela estaria sofrendo ameaças.

Os promotores do grupo de operações especiais do Ministério Público chegaram sexta-feira a Vitória da Conquista. A equipe veio apurar a denúncia de atentado contra a promotora Genísia Oliveira.

Dois soldados da assistência militar do Ministério Público também estão na cidade para fazer a segurança particular da promotora. Genísia Oliveira está à frente do inquérito que investiga a participação de policiais militares na morte de 11 pessoas e no desaparecimento de três adolescentes no mês de janeiro.

Na última terça-feira, véspera da prisão de dez policiais que teriam participação nos crimes, e que já foram transferidos para a região metropolitana de Salvador, a promotora teria sofrido um atentado.

Ontem, o secretário de Segurança Pública do estado falou sobre o caso. ‘Até agora, não há nenhuma evidência concreta, nenhuma evidência firme de que ela esteja sofrendo ameaças. Determinamos de imediato que ela fosse ouvida, que fossem ouvidas as testemunhas desse suposto atentado. O carro não tem marca de bala nenhuma. As diligências estão sendo realizadas também pela Polícia Civil de Conquista’, afirmou o secretário de Segurança.

A promotora Genísia Oliveira contestou as declarações do secretário e apresentou o para-choque do carro com as marcas dos tiros. ‘Ele foi incauto quando ele disse que a perícia do meu veículo não constatou nenhum tiro. O tiro não foi no veículo, foi na lataria do carro e essa retirada foi feita do veículo porque logo depois dos tiros meu marido bateu o carro, em virtude do susto que ele tomou. Para cautelar provas, nós tiramos a parte desse material da lataria do veículo, que está aqui conosco. Portanto, os dois tiros estão aí. Se foi atentado, se foi tentativa de assalto ou se foi uma brincadeira, eu não sei’, afirma a promotora.

:: LEIA MAIS »

MP envia equipe para garantir investigações de crimes em Conquista

A TARDE On Line

O Ministério Público da Bahia (MP) envia nesta sexta-feira, 7, uma equipe com cinco pessoas para Vitória da Conquista. O objetivo é garantir a continuidade das investigações do órgão sobre o envolvimento de dez policiais militares na morte de 11 pessoas e desaparecimento de três adolescentes.

A medida foi tomada após a promotora Genísia de Oliveira denunciar que estava sendo ameaçada e seu marido sofreu um atentado em consequência do seu trabalho na força-tarefa que apura o caso.

Os policiais militares José Benjamim da Purificação e Leônidas Sena Farias, membros da Assistência Militar do MP, viajaram de manhã para Vitória da Conquista. No turno da tarde, seguem para lá o coordenador do Núcleo de Inteligência Criminal (NIC), o promotor de Justiça Luís Cláudio Cunha Nogueira, o assessor-especial do Procurador-Geral de Justiça, promotor de Justiça José Vicente Lima e o chefe da Assistência Militar do Ministério Público, tenente coronel Miguel Angelo Silva Oliveira.

O comandante de policiamento da Regional Sul da PM, coronel Ivo Silva Santos, e integrantes do Batalhão de Choque e da Companhia Especial da Polícia Militar também estão na cidade para reforçar a segurança no município.

Os crimes em Vitória da Conquista começaram após a morte do soldado Marcelo Márcio Lima.

Promotora que mandou prender 10 PMs é ameaçada de morte

Valmar Hupsel Filho l A TARDE

Lúcio Távora l Agência A TARDE

Promotora chega ao MP tensa e sem qualquer proteção

Promotora chega ao MP tensa e sem qualquer proteção

A promotora de Justiça da comarca de Vitória da Conquista Genísia Oliveira teve sua caminhonete importada de cor prata alvejada na noite da última terça-feira, 4, por um disparo de pistola ponto 40, arma de calibre de uso exclusivo de policiais. Horas depois, ela já estava em casa quando recebeu ameaça de morte, por meio de um telefonema anônimo a seu telefone celular pessoal.

O atentado e a ameaça ocorreram no mesmo dia do cumprimento de dez mandados de prisão de policiais militares do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), de Vitória da Conquista, acusados da participação em 11 homicídios e desaparecimento de três adolescentes na madrugada do dia 29 de fevereiro deste ano, no Alto da Conquista. A chacina teria ocorrido em retaliação ao assassinato do policial Marcelo Márcio Lima da Silva, ocorrida três horas antes.

Genísia Oliveira é a responsável pelas investigações sobre o caso e a suposta existência de um grupo de extermínio na cidade e integra a força tarefa de promotores que representaram na Justiça contra 35 PMs acusados de participapação nos assassinatos no Alta da Conquista. O juiz da 2ª Vara Crime de Vitória da Conquista, Reno Soares, acatou o pedido de prisão temporária e pediu aprofundamento das investigações.

Proteção – Na quinta, 6, a promotora fez contato com representantes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MP (Gaeco). Ela ameaçou abandonar a investigação caso não fossem destacados policiais de Salvador para sua sua segurança. :: LEIA MAIS »

“Advogados de defesa dos policiais estão impedidos de ter acesso aos autos”, afirma diretor geral da JUSPM

Por Rodrigo Ferraz

O Diretor da JUSPM (Centro de Assistência ao Policial Militar), David Salomão (foto), foi um dos entrevistados da Resenha Geral desta quinta-feira (06). Ele revelou ao apresentador Herzem Gusmão que os advogados de defesa dos policiais levados para o batalhão da capital não estão tendo acesso aos autos para que solicitem os habeas corpus dos profissionais.

Salomão também disse que a categoria está revoltada com o que aconteceu na manhã de ontem (quarta-feira). “Não estão seguindo a lei. A cidade está intranqüila e é preciso que alguma atitude seja tomada. Ninguém pode ser julgado antes de ser realizado todo o processo tradicional”.

O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) – Subseção de Vitória da Conquista, Gutemberg Macêdo Júnior, concedeu entrevista por telefone e salientou que a entidade está acompanhando os casos de perto. “Estamos buscando as devidas providências, pois a cidade nunca passou por um período tão violento. A comunidade clama por tranqüilidade”. Do Blog da Resenha

Operação de guerra: Mortes em Conquista levam 10 PMs à cadeia

do A Tarde

A polícia realizou uma operação de guerra para cumprir 10 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão determinados pelo juiz titular da comarca do Júri de Vitória da Conquista, Reno Viana Soares, como desdobramento das investigações que apuram a suposta autoria de policiais em 11 homicídios e desaparecimento de três adolescentes. Os crimes teriam sido cometidos no Alto da Conquista, na madrugada entre os dias 28 e 29 de janeiro, supostamente para vingar o assassinato do PM Marcelo Márcio Lima Silva, ocorrido no local horas antes.

Ao todo, cerca de 150 policiais, distribuídos em 50 veículos das polícias Civil e Militar, além do Centro de Operações Especiais (COE), Rondas Táticas Motorizadas (Rotamo) e Coordenadorias de Polícias do Interior (Corpins) dos municípios de Brumado, Jequié, Itapetinga e Vitória da Conquista foram mobilizados. Eles iniciaram a operação nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira, 5, e atuaram de forma segmentada (cada equipe era responsável por uma missão e não tinha conhecimento do que o restante estava fazendo).

Durante o dia chegava material apreendido no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep). “Será feita uma triagem e o material será analisado pelo Departamento de Polícia Técnica, em Salvador”, informou a promotora do MP, comarca de Vitória da Conquista, Genísia Oliveira. Ao todo seis computadores, documentos, agendas, cadernos, CDs e DVDs, munições e armas foram apreendidos. Até o final da tarde havia equipe chegando com material coletado nos bairros de Patagônia, Brasil, Alto do Maron, Esplanada, Ibirapuera, Guarani e Vila América. :: LEIA MAIS »

Vitória da Conquista: Novos mandados de prisão de policiais podem ser acionados

Por Rodrigo Ferraz

A equipe da força-tarefa do Ministério Público realizou uma coletiva no final da manhã desta quarta-feira (05) com o intuito de esclarecer para a imprensa local e estadual o andamento das prisões dos 10 policiais que podem estar envolvidos nos homicídios após a morte do PM Marcelo Márcio.

De acordo com a promotora de justiça, Genísia Oliveira, novos mandados de prisão podem ser acionados. “Não podemos descartar essa possibilidade neste momento”, revela.

O coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e de Investigações Criminais), Maurício Cerqueira, também esteve presente no momento dos depoimentos. Ele revela que todo o material coletado será levado para o departamento de Polícia Técnica, em Salvador, com o intuito de realizar as devidas investigações. “Vale salientar que todos os policiais que serão encaminhados ao batalhão de Salvador se apresentaram espontaneamente e já foram interrogados. Vamos aguardar as perícias para que novos fatos sejam divulgados”. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia