WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: ‘Filipinas’

Polícia abate sequestrador que matou sete reféns em ônibus nas Filipinas

do Último Segundo

Ex-policial manteve 15 pessoas dentro do veículo por cerca de 12 horas; pelo menos sete reféns morreram, segundo a polícia.

 

Rolando Mendoza é visto pela janela do ônibus antes de ser abatido a tiros pela polícia

A polícia invadiu o ônibus em que um ex-policial mantinha 15 reféns, a maioria turistas de Hong Kong, nesta segunda-feira em Manila, capital das Filipinas. O sequestrador e pelo menos sete reféns morreram, segundo a polícia.

O sequestro durou cerca de 12 horas. Armado, o ex-policial invadiu o veículo, que pertence à agência turística Hong Tai Travel, quando vinha do centro histórico de Manila e estava a apenas 150 metros de uma delegacia. Nesse momento, 25 pessoas estavam no ônibus, que ficou parado próximo ao parque de Rizal, um dos lugares mais visitados da capital filipina.

:: LEIA MAIS »

Igreja Católica mistura Pentencostalismo Protestante e Teologia da Prosperidade em suas missas

Uma reportagem veiculada no jornal norte-americano The Wall Street Journal denunciou o efeito da pregação da Teologia da Prosperidade aos cidadãos da cidade de Manila, capital das Filipinas, e a manipulação do chefe da igreja El Shaddai, o seguidor da corrente católica mariana, irmão Mike Velarde.

No alto das favelas e córregos fétidos em um bairro na cidade de Manila há uma cruz de néon gigante e um brilhante arco-íris, que estão tão altos que faz com que os arcos dourados do McDonald´s pareçam anões. Eles marcam a nova casa de El Shaddai, parte de um amplo movimento evangelista cristão que está varrendo a nação, que é predominantemente católica romana.

A igreja El Shaddai, nome de Deus em hebraico, tornou-se um dos maiores movimentos da nova geração de cristãos nas Filipinas. É uma igreja católica carismática, porém com traços pentecostais. Segundo sociólogos a constante pregação da Teoria da Prosperidade é uma maneira de estimular o desenvolvimento das empresas.

O fundador da igreja é uma pessoa excêntrica. Irmão Mike, 70 anos, é o mais conhecido televangelista das Filipinas. Muitas vezes usando uma gravata, sapatos brancos e vestindo uma corrente de ouro no pescoço, ele é um magnata e “brinca” no setor imobiliário. Além disso, ele tem a reputação de não seguir a multidão e tem influência sobre os políticos e resultados das eleições durante quase três décadas.

A igreja, que é modelada imitando a Arca de Noé, tem capacidade para 35 mil pessoas. As missas de sábado são transmitidas pela rede de TV da família Velarde e pela estação de rádio. O curioso é que a igreja foi construída em um terreno pertencente à família Velarde, portanto a El Shaddai paga aluguel à Mike.

Sobre o fato de ser pregada a Teologia da Prosperidade Mike falou que os efeitos têm sido positivos. “Antes, somente os mais pobres freqüentavam as missas da El Shaddai. Agora os estacionamentos foram preenchidos com carros próprios. Não é apenas uma transformação espiritual, mas também uma transformação econômica em suas vidas”.

Durante as missas há orações em línguas e a pregação “ore e fique rico”, misturadas às práticas católicas tradicionais. Também são incorporados rituais pagãos que invocam superstições da cultura filipina sobre o poder dos objetos inanimados.

“Eles me chamam de pregador de prosperidade porque eu tenho exposto a mensagem do evangelho às pessoas como está escrito. Eu enfatizo a importância de dar, porque é dando que recebe”, diz Velarde. Ele também escreveu um livro repleto de depoimentos de filipinos que foram inspirados por suas declarações para expandir ou abrir negócios.

Como algumas outras congregações, El Shaddai encoraja seguidores a dar o dízimo ou contribuir com 10% de sua renda. Em troca, são anotados seus pedidos de “oração” para a riqueza, saúde e boa sorte

“A Teologia da Prosperidade de El Shaddai ensina que Deus quer que as pessoas fiéis prosperem, que luta econômica pode ser de Deus e que a riqueza pode ser recompensa de Deus aos fiéis,” diz Wiegele, antropóloga.

Enquanto El Shaddai poderia ser uma ameaça a longo prazo para a igreja católica nas Filipinas, o movimento abriga sob a égide do Vaticano, incluindo a realização de reuniões de oração nas instalações da igreja católica em todo o país. É uma situação que a Igreja Católica aceita a contragosto, pois é uma forma de reduzir o número de católicos que se voltam aos movimentos protestantes.

De acordo com números oficiais do censo filipino, enquanto a proporção de filipinos que se consideram cristãos manteve-se estável em cerca de 92% ao longo do século passado, aqueles que se identificam como católicos diminuiu cerca de 10%. Entre 1960 e 2000, quando o censo mais recente ocorreu, o percentual de filipinos que se identificam como membros da igreja protestante mais do que duplicou para cerca de 10%.

Na década de 1980, “a igreja católica observou que a única maneira de impedir o êxodo para as igrejas pentecostais era dizer que as pessoas da Igreja Católica que freqüentavam movimentos protestantes estavam fora da igreja. Foi isso que eu fiz”, diz Velarde. “El Shaddai desacelerou o êxodo de católicos para o movimento nascido de novo”.

Ainda assim, algumas autoridades católicas continuam cautelosas e críticas em relação à teologia de Mike Velarde. Eles afirmam que Velarde está contaminado alguns negócios. O arcebispo emérito Oscar Cruz condena a El Shaddai, dizendo que “usa o nome católico, mas é tudo menos católico”. Ele descreve as missas como um ponto de partida, depois “ele surge com seu terno engraçado, performace circense e seu evangelho da prosperidade”.

Sobre o fato da El Shaddai ser de denominação católica, Velarde diz que “sempre sou guiado pela hierarquia da Igreja Católica”. Na prática, isso significa que ele abraça a doutrina católica sobre questões como a contracepção, aborto e o divórcio, mas é Velarde que controla totalmente a El Shaddai.

Interrogado sobre a censura crescente de filmes filipinos Velarde é firme. “Há alguns filmes que são contra nossa cultura e nossas crenças religiosas. Eles realmente devem ser censurados”.

Como Velarde tende seu rebanho no santuário ele abriga uma grandiosa ambição política. Para ele, “a Presidência das Filipinas é um sonho de infância. Mas um sonho é diferente de uma chamado”, disse.

Traduzido pelo Gospel+ do Wall Street Jornal

Bíblias mais acessíveis aos crentes das Filipinas

Duas novas traduções das Sagradas Escrituras ajudam na compreensão de 100 milhões de filipinos

 Bíblias mais acessíveis aos crentes das Filipinas

Em um esforço para manter as traduções atualizadas e alcançar ainda mais filipinos, duas novas traduções em línguas Cebuano  e Tagalog foram concluídas.

O vice-presidente do Grupo Bíblica para a Ásia, Somporn Sirikolkarn, disse que essas novas traduções substituirão as versões mais antigas. “As atuais traduções têm mais de duas décadas. Já as novas, são contemporâneas e precisas”, afirma ele.

Para conclusão do projeto foram necessários 18 anos de trabalho. Graças à tenacidade de tradutores, os filipinos podem desfrutar dessas versões da Bíblia.

As novas versões foram focadas na clareza do texto, criando uma leitura mais fácil da Bíblia para quase 100 milhões de pessoas. Existem aproximadamente 70 milhões de pessoas que falam o tagalog e 22 milhões de que falam Cebuano. “Esta é uma grande oportunidade para distribuir a Palavra de Deus na língua materna dos filipinos”, afirma Sirikolkarn. :: LEIA MAIS »

Migrantes cristãos são forçados a se converter ao islamismo

Portas Abertas

“Em minha adolescência na Arábia Saudita, testemunhei diversos migrantes cristãos filipinos aceitarem o islamismo sob pressão”, disse Joselyn Cabrera, enfermeira filipina, que trabalha no hospital Riyadh. Devido ao alto número de desempregados nas Filipinas, mais de 10 milhões de cidadãos foram buscar emprego em outros países. Todos os dias, cerca de 3.000 deixam o país. Recentemente, muitos foram para as nações árabes, 600.000 no geral, sendo 200.000 na Arábia Saudita.
“Após alguns meses, os empregadores nos dão um ultimato, dizendo que teremos que nos tornar muçulmanos se quisermos manter nosso emprego”, ela conta. “Para nós, é difícil fazer essa escolha, mas se não a fizermos, seremos vítimas de agressões.”
A enfermeira afirma ter presenciado cerca de 50 conversões forçadas em seu trabalho.
“Eu mesma já fui submetida a pressões de meus colegas muçulmanos, mas sempre me recusei a ceder, afirmando que prefiro continuar sendo cristã. Até agora, nada aconteceu comigo. Ainda.”
De acordo com a administração responsável pelos empregos de filipinos no exterior, a emigração filipina para o Oriente Médio cresceu 29,5% entre 2007 e 2008, um destino escolhido por muitos migrantes, e isso, apesar da possibilidade de conversões forçadas e abuso sexual.
O caso mais recente envolve uma mulher que foi estuprada no trabalho. Por causa do incidente, as autoridades da Arábia Saudita acusou a cristã de relações extraconjugais e a prendeu.
No mês que vem, ela terá que se apresentar ao tribunal, que pode condená-la a 100 chicotadas.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia