WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


outubro 2020
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


:: ‘deputada estadual’

Bandas com letras maliciosas podem deixar de receber verba pública do Governo da Bahia, diz deputada

O Globo

“Não se pode naturalizar a violência e o desrespeito”, defende deputada. “É só uma brincadeira”, argumenta vocalista de banda de pagode.

Banda LevaNoiz: Lei na Bahia impedirá que bandas com músicas de duplo sentido recebam patrocínio público.

“Olha, mulher é igual a lata, um chuta e outro cata, um chuta e outro cata…eu chutei, você catou”. Músicas como esta, que fazem o sucesso de várias bandas de pagode na Bahia, estão na mira da Assembleia Legislativa.

A deputada estadual Luiza Maia (PT-BA) impetrou um projeto na Casa que prevê a proibição de financiamento público para bandas e artistas que incentivem a violência e o preconceito contra as mulheres.

Se o projeto for aprovado, o Governo do Estado e as prefeituras baianas ficarão proibidos de contratar artistas com repertório que desvalorize ou exponha as mulheres a constrangimentos. Ela já ganhou o apoio de dez deputadas da Casa e mantém um abaixo-assinado na internet para pedir apoio ao projeto. “Você não pode estar deixando normalizar, como se fosse natural a violência, o desrespeito e a desvalorização da mulher”, defende a deputada.

Os músicos não concordam com o projeto lei e argumentam. De acordo com Robson Costa, vocalista da banda Black Style, tudo não passa de uma brincadeira. “As mulheres interpretam de uma forma assim, como uma brincadeira, sabe? Zoar uma da outra. É sempre uma brincadeira de dançar e de coreografar”, acredita. :: LEIA MAIS »

DF: Eurides Brito, a “deputada da bolsa”, descarta renunciar para se livrar de cassação

R7

A deputada distrital Eurides Brito (PMDB) disse, por meio de sua assessoria, que não vai renunciar ao cargo e vai enfrentar o processo por quebra de decoro parlamentar que foi aceito nesta quinta-feira (25) pela Comissão de Ética da Câmara Legislativa do Distrito Federal. Além de Eurides, a comissão abriu inquérito contra o ex-presidente da Câmara, Leonardo Prudente (ex-DEM, sem partido) e Júnior Brunelli (PSC). Eles são suspeitos de participar do mensalão do DEM, esquema de corrupção no governo do DF investigado na operação Caixa de Pandora.

Eurides foi flagrada em vídeo recebendo dinheiro de Durval Barbosa, ex-secretário do governo, delator do suposto esquema, e colocando em uma bolsa. A deputada nega as acusações e, na época da denúncia, disse que a gravação foi deturpada. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia