WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


outubro 2020
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


:: ‘combustível’

Protesto: Comerciantes vendem gasolina sem impostos por redução de carga tributária

Vinícius Konchinski
 Agência Brasil

São Paulo – Oito postos de combustível de diferentes cidades do país estão vendendo hoje (25) gasolina com o preço calculado sem a cobrança de impostos. A ação faz parte de um manifesto pela redução da carga tributária.

O ato está sendo organizado pelo Movimento Endireita Brasil e o Instituto Mises Brasil. Postos de São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Vitória, do Rio de Janeiro e mais duas cidades participam da manifestação.

Em São Paulo, por exemplo, o ato reduziu o preço do litro da gasolina de R$ 2,49 para R$ 1,18 em um posto da capital. Seis mil litros do combustível foram postos à disposição dos motoristas, que fazem fila no local. :: LEIA MAIS »

Preço do etanol sobe 8,66% nos postos em SP mas cai em 14 estados

SÃO PAULO – Os preços do etanol hidratado praticados nos postos brasileiros voltaram a subir 8,66% no Estado de São Paulo e 2,58% no Paraná, de acordo com dados coletados pela Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na semana terminada em 16 de abril. No Mato Grosso, os preços registraram queda de 2,31% e no Mato Grosso do Sul eles recuaram 1,08%.

No total, o preço do etanol recuou em 14 estados. As cotações subiram em 12 estados e no Distrito Federal. A maior alta foi em São Paulo. O preço médio em São Paulo ficou em R$ 1,531 por litro ante R$ 1,409 na semana anterior. No Paraná, o preço médio ficou em R$ 1,430 (R$ 1,394 na semana anterior). :: LEIA MAIS »

Falta de álcool ameaça abastecimento na Bahia

Apesar do início do período de safra da cana de açúcar, as distribuidoras estão restringindo o abastecimento de álcool em alguns estados brasileiros, provocando a falta do produto nos postos revendedores.

De acordo com o SindCombustíveis, a Shell, a segunda maior distribuidora no Brasil, já anunciou aos revendedores que quando normalizar o abastecimento poderá haver aumento de R$ 0,10 no valor do produto. Nos postos da Bahia o abastecimento já está ameaçando e pode prejudicar diretamente o consumidor.

Ibahia

Bahia é o 3º Estado com maior número de postos autuados

Um balanço feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostra que a Bahia foi o terceiro Estado do País que mais teve postos autuados ou interditados por deficiências na qualidade dos combustíveis, superando apenas São Paulo e Rio de Janeiro.

Nos últimos cinco anos, foram penalizados 108 postos revendedores em 51 municípios do Estado. Destes, 35 foram interditados. A capital baiana foi a campeã em autuações, sendo penalizada 18 vezes. Na sequência, vêm os municípios de Feira de Santana, com 12, e Amélia Rodrigues, com seis penalidades.

Sinônimo de problemas no desempenho do carro e dor de cabeça para o consumidor, as deficiências na qualidade do combustível podem ser o resultado de erros na produção, armazenamento ou distribuição do produto. Neste caso, o produto é considerado em não-conformidade com as especificações da ANP.  Em fevereiro, a fiscalização da ANP apontou que 3,7% das amostras de óleo diesel,  2% de etanol e  0,3% de gasolina analisadas na Bahia estavam em não-conformidade. :: LEIA MAIS »

Adulteração do álcool triplica no Estado e supera a média nacional

A Tarde

No último trimestre de 2009, o índice de álcool combustível adulterado na Bahia triplicou, passando de 0,9% em outubro para 2,7% em dezembro, o que fez o Estado superar a média nacional, que é de 1,8%.  O aumento da adulteração coincide com a elevação nos preços do produto nas bombas.

Cuidado na hora de abastecer, é o alerta aos motoristas. “Não é uma coincidência o aumento da adulteração neste momento. Na verdade, uma coisa está ligada à outra”, acredita o consultor do mercado de agronegócios e bioenergia, Paulo Costa. O produto está saindo mais caro das usinas por causa da procura atual, explica o especialista. “O custo do álcool adulterado acaba ficando mais barato para os distribuidores e postos de combustíveis”, explica.

Na busca do lucro ilegal, maus empresários substituem parte do álcool por outros produtos como a água, além do limite permitido. Nos últimos dias, a Agência Nacional de Petróleo (ANP) encontrou álcool sendo vendido com metanol em postos do Estado de São Paulo. A substância é nociva ao ser humano e ao meio ambiente. Houve postos em que o percentual de metanol na composição chegou a 95%. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia