WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: ‘missões’

Muçulmano encontra a verdade ao estudar a Bíblia

 

A verdade é encontrada na Bíblia 
Ore para que o Senhor alcance os filhos de Moussa e Mariam (Foto representativa)

Moussa é um cristão ex-muçulmano de 31 anos que mora no Chade. Ele foi rejeitado pela família e forçado a se separar da esposa e dos dois filhos após se converter a fé em Cristo. Moussa ouviu o evangelho por meio de um amigo no final do ano passado que deu a ele uma cópia do Novo Testamento em árabe. “Eu descobri alguns versículos que eram opostos ao que eu aprendi no islamismo. Cada vez que procurava explicações dos imãs (pregadores de mesquitas), as respostas eram insatisfatórias”, conta.

Depois de estudar o Novo Testamento, Moussa encontrou a verdade na Bíblia. Porém, antes mesmo de fazer a confissão de fé, a perseguição começou. Ele, a esposa Mariam, de 24 anos, e os filhos de 1 e 7 anos viviam com familiares. Os parentes descobriram que ele tinha interesse pelo evangelho e dúvidas sobre o islamismo. Por conta disso, ele deveria deixar a casa. Os pais de Mariam também agiram rapidamente e levaram ela e as crianças para viver com um irmão mais velho, que morava bem afastado.

Moussa não perdeu apenas a família, mas todos os meios de obter renda ao confiscarem suas duas motos e a comida que estava na dispensa. Então ele pediu ajuda em uma igreja, que o acolheu, colocando-o em um curso básico de discipulado. Ali ele decidiu oficialmente dedicar a vida a Jesus. A igreja alugou um quarto e também providenciou algumas roupas. Porém pouco tempo depois, um grupo de membros da família invadiu o quarto e queimou todos os pertences de Moussa. Após isso, a igreja alugou outro local.

Mariam, que se interessou pelo evangelho, também começou a enfrentar perseguição. Após a separação forçada, ela enviou uma carta para Moussa dizendo que gostaria de mais informações. A igreja ajudou a conseguir uma cópia do Novo Testamento e outros materiais de literatura cristã para ela. Como era muito perigoso manter isso em casa, ela os escondeu em uma montanha para ler secretamente. Mas o irmão desconfiava dela e um dia ele a seguiu e a pegou lendo a Bíblia. Ele arrancou um galho de uma árvore próxima e começou a bater nela, quebrando seu braço direito.

Milagrosamente a família permitiu que Moussa visitasse Mariam e as crianças. Ele conseguiu oferecer alguma ajuda emocional e financeira para os cuidados médicos, mas quer ter uma renda para que ela volte a morar com ele. Moussa está perseverando na fé apesar da zombaria, humilhação e ameaças que enfrenta constantemente. “Ore por aqueles que nos perseguem. Que Deus possa transformar seus corações e abrir seus olhos para a verdade”, ele pediu.

Pedidos de oração

  • Agradeça ao Senhor pela salvação de Moussa. Peça que ele continue crescendo espiritualmente.
  • Ore pela cura física e emocional de Mariam e que ela continue crescendo no conhecimento de Cristo.
  • Ore por provisão para todas as necessidades físicas e emocionais de Moussa e Mariam. Que essa família esteja reunida em breve.

Fonte: Portas Abertas

Cristã norte-coreana conta como sobreviveu ao regime ditador

Kim Yong Sook
Kim Yong Sook* recebendo oração de colaboradores do Portas Abertas. (Foto: Portas Abertas)

Kim Yong Sook* nasceu numa família norte-coreana muito pobre. Sua história é trágica e triunfante ao mesmo tempo. A família toda foi deportada do país quando o regime ditador descobriu que seu avô pertencia a um pequeno grupo de cristãos. No começo, Sook achava que esses cristãos tinham destruído sua vida, mas depois ela percebeu que Deus estava escrevendo sua história.

“Eu queria poder voltar no tempo e reviver aqueles dias, assim eu poderia amar as pessoas que estavam ao meu redor”, disse ela. Quando sua família decidiu voltar para a Coreia do Norte, Sook tinha sete anos de idade, mas tanto na China quanto na Coreia o comunismo estava em alta. As fronteiras entre os dois países estavam abertas, então todos podiam viajar com facilidade.

O governo norte-coreano encorajou os coreanos da China e do Japão a “voltarem para casa”. “Nossa família morava na China há vinte anos, mas nossa nação era a Coreia, então meu pai achou boa a ideia de retornar”, ela conta. A cristã também se lembra que na época ainda não havia aulas de ideologia nas escolas e que a doutrinação e a lavagem cerebral começaram somente a partir dos anos 60.

“Meus avós falavam sobre a segunda vinda de Cristo e sobre como Esaú vendeu sua primogenitura por um prato de comida. Eu pensava comigo ‘deve ter sido um guisado muito, muito bom’”, disse ela. Mas os tempos mudaram, a perseguição aos cristãos chegou ao país, o pai e o avô de Sook foram presos. “Meu pai voltou para casa mais morto do que vivo. Ele nunca nos contou sobre suas experiências na prisão, mas ele retornou de lá um homem diferente, calado e deprimido”, lamentou. :: LEIA MAIS »

ENCONTRO INTERNACIONAL TRATA SOBRE LIBERDADE RELIGIOSA

Encontro internacional trata sobre liberdade religiosa
 Um dos depoimentos no evento foi da esposa de pastor preso que atuava em Mianmar (Foto representativa)

Na semana passada, ocorreu na capital dos Estados Unidos a abertura do primeiro Ministerial para Avanços na Liberdade Religiosa. O encontro, que durou três dias, reuniu 350 delegados de 80 países, além de representantes de diversas fés, líderes governamentais, políticos e sociedade civil. De acordo com Sam Brownback, embaixador americano para Liberdade Religiosa Internacional, o objetivo era trabalhar juntos para melhorar a questão ao redor do mundo.

Em seu discurso, Brownback falou que a liberdade religiosa está sob ataque e sua falta “em qualquer lugar é uma ameaça à paz, prosperidade e estabilidade”. Os participantes puderam ouvir algumas vítimas da perseguição. Uma delas foi Jamie Powell, esposa de um pastor chinês sentenciado a sete anos de prisão. Ele estava envolvido com trabalho humanitário em Mianmar. Segundo ela, o marido já perdeu quase 23kg e não é capaz de falar com a família. “Meu filho e eu viajamos até lá, cerca de 16.000 km, e não tivemos permissão de vê-lo”.

Também foi abordada a situação dos uigures e cazaques na província de Xinjiang, no nordeste da China. A informação é que centenas de milhares – podendo chegar a mais de um milhão – de homens têm sido detidos e levados para “campos de reeducação”, onde ficam presos por semanas ou meses. Famílias e comunidades têm sido separadas e muitas crianças acabam em orfanatos.

O Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, foi quem anunciou a iniciativa em maio e disse desejar que o encontro seja mais que “apenas conversa”. “Nós acreditamos que apenas colocando pessoas de todo mundo em uma sala e falando sobre esse tópico as capacitaremos a voltar para seu país de origem e defender a liberdade religiosa também”, concluiu.

Pedidos de oração

  • Ore por cada um dos participantes desse encontro. Que eles possam ser usados por Deus para trabalhar por mais liberdade religiosa em seus países.
  • Apresente a Igreja Perseguida, que eles possam estar firmados em Cristo para enfrentar a perseguição.
  • Interceda pelo marido de Jamie, que o Senhor possa ajudá-lo no período em que estiver na prisão e que ele possa ser liberto.
  • Fonte: Portas Abertas

Arqueólogo diz ter encontrado relicário de restos mortais dos apóstolos

Relicário
Relicário encontrado em el-Araj, esculpido em rocha basáltica. (Foto: Mordechai Aviam)

Mordechai Aviam, arqueólogo e professor na Faculdade Acadêmica Kinneret, descobriu um bloco de 661 quilos de basalto, com três compartimentos no topo, nas ruínas de el-Araj, onde seria a antiga cidade israelense de Betsaida. Foi também achado um relicário que pode ter sido usado para guardar os restos mortais dos apóstolos Pedro, André e Filipe.

A cidade é mencionada na Bíblia em João 1.44 como a cidade natal dos três apóstolos. Aviam admitiu que ainda deve acontecer uma avaliação por outros pesquisadores para entender se el-Araj é de fato a antiga Betsaida, mas já adiantou que há uma grande possibilidade. Enquanto um grupo de arqueólogos cavavam as ruínas de uma igreja que existia naquela cidade, o relicário foi encontrado.

“Não encontramos na escavação, mas nos escombros de uma casa de dois andares, construída por um homem rico de Damasco”, disse o professor. Ele explicou que aquela casa fazia parte do terreno que esse homem possuiu no final do século XIX. De acordo com as evidências, o relicário pode ter sido colocado no piso abaixo do altar da igreja, já que o fundo da pedra era áspero e não esculpido como no topo. :: LEIA MAIS »

Governo “declara guerra” à Igreja da Nicarágua

Bispos protestam na Nicarágua
Silvio José Báez, com microfone, e o cardeal Leopoldo Brenes, se dirigiram aos moradores de Masaya, na Nicarágua. (Foto: Getty)

A Igreja Católica está na linha de frente de um conflito crescente entre o governo ditatorial do presidente Daniel Ortega e os movimentos populares que pedem sua renúncia. Em um país onde a igreja sempre teve participação na política, os sacerdotes acabaram se tornando peças importantes no meio da crise que assolou o país nos últimos três meses e ceifou mais de 300 vidas.

“Continuamos a ser pastores e um autêntico pastor da Igreja nunca se colocará ao lado dos executores”, disse o monsenhor Silvio José Báez. “Ele sempre estará com as vítimas.”

Nos primeiros dias em que os manifestantes tomaram as ruas, Ortega apelou aos bispos para serem “mediadores” nas conversações com a oposição, um grupo heterogêneo que inclui movimentos estudantis, associações empresariais e organizações de agricultores. Mas, à medida que o governo intensificou sua repressão e os paramilitares que o apoiam começaram a matar cidadãos, Ortega deixou de tratar os bispos como árbitros neutros. Logo começaram os ataques contra sacerdotes e a invasão de igrejas.

O governo “declarou guerra à Igreja”, disse Juan Sebastián Chamorro, um dos líderes oposicionistas. Nos últimos dias, monsenhor Báez acabou se tornando a principal face da oposição, especialmente por causa de suas publicações nas mídias sociais, denunciando os abusos do governo sem reservas.

“O que há aqui é um estado armado contra um povo desarmado”, disse ele em uma entrevista no seminário onde mora, na capital Manágua. “Esta não é uma guerra civil”.

Ao mesmo tempo, igrejas se tornaram locais de abrigo para quem foge dos soldados e dos grupos paramilitares que perseguem e agridem todos que se manifestam contra Ortega.

Questionado sobre sua postura, monsenhor Báez, 60 anos, disse que não havia contradição entre suas duas posições. “Uma coisa que deve ficar clara é que ser mediador de um diálogo não nos torna neutros diante da injustiça, das violações dos direitos humanos e da morte de inocentes”, disse ele. :: LEIA MAIS »

Levante sua voz em favor do pastor Raymond Koh e de outras pessoas sequestradas na Malásia

Destaques - Página inicial

No dia 13 de fevereiro de 2017, o pastor Raymond Koh foi sequestrado perto de casa em Petaling Jaya, na Malásia. Ele foi levado em uma ação coordenada, em que sequestradores mascarados em três vans cercaram seu carro e desde então não se tem notícias dele. Além do pastor Koh, os cristãos Joshua Hilmy e a esposa, Ruth Sitepu, e o ativista Amri Che Mat também desapareceram em circunstâncias parecidas em novembro de 2016.

No último dia 9 de maio, um novo primeiro ministro foi eleito na Malásia, derrotando a coalizão que governava o país há 60 anos, desde a independência da Grã-Bretanha. Alguns sinais indicam que o novo governo pode ser mais favorável aos cristãos. Logo após a posse do novo primeiro ministro, a Comissão de Direitos Humanos da Malásia reabriu o inquérito sobre o desaparecimento do pastor Raymond Koh.

Um delator da polícia se pronunciou denunciando evidências do envolvimento de uma parte da força policial da Malásia nos sequestros de Koh e do ativista Mat. Esses fatores combinados abriram a oportunidade para a ação de advocacy (ação em que um grupo de pessoas se mobiliza para trazer uma mudança na lei em favor de uma causa que julgam legítima).

Por isso, pessoas de todo o mundo estão enviando cartas às embaixadas da Malásia em cada país, pedindo para que os representantes da Malásia em diferentes países se posicionem, fazendo da libertação do pastor Raymond Koh um clamor mundial. Aqui no Brasil, através da Portas Abertas, você tem a oportunidade de fazer parte desse movimento, assinando a carta abaixo que será enviada ao embaixador da Malásia no Brasil.

Preencha o formulário com seus dados para assinar a petição em favor de Raymond Koh, Joshua Hilmy e esposa, Ruth Sitepu, e Amri Che Mat, todos desaparecidos que precisam de nosso apoio e oração para que possam voltar em segurança para às famílias.

É só clicar no link abaixo e assinar:

https://www.portasabertas.org.br/categoria/destaques/peticao-pastor-koh

Fonte: Portas Abertas

“Gênio” de 11 anos se forma e declara: “vou provar pela ciência que Deus existe”

William Maillis
William Maillis em sua formatura. (Foto: CNN)

Um menino de 11 anos, que se formou na faculdade no sábado (21), revelou que irá se tornar um astrofísico para provar a existência de Deus.

William Maillis é o aluno mais jovem a se formar no St. Petersburg College, na Flórida. Ele já tem garantido uma vaga na Universidade de South Florida para aprofundar seus estudos.

Maillis começou a faculdade em 2016, depois de se formar no ensino médio com apenas nove anos de idade. Seu pai – que é um padre ortodoxo, revelou que seu filho mostrava habilidades incomuns para a matemática desde os dois anos de idade.

“Todo mundo recebe dons de Deus. Eu fui dotado de habilidade para ciência e história”, disse o menino gênio à CNN. “Quero provar que Deus existe através da ciência. Para que o mundo todo possa saber.”

Seu objetivo é concluir o doutorado quando tiver 18 anos.

Inteligência impressionante

A história do menino teve grande repercussão na imprensa. O evangelista Franklin Graham o elogiou por que, além da “inteligência impressionante”, William “não hesitou em falar sobre Deus”.

“Obrigado William, por querer que as pessoas conheçam a Deus. A infinita criação de Deus é um sinal para a humanidade de Sua existência e testifica do Seu poder e grandeza. Espero que você sempre mantenha seu foco nEle”, escreveu em seu perfil do Facebook, lembrando ainda da passagem de Provérbios 3:5-6: “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas”.

Ex-muçulmano relata que sonhos e milagres estão levando milhões a Jesus


Imagem: Mohsin Raza

Um pastor que já ajudou a plantar centenas de igrejas no Paquistão, narra sua jornada de fé e sobrevivência à intensa perseguição em um novo livro. Fundador da missão Grito da Igreja Perseguida, o pastor M El Masih relata que milagres como curas divinas e sonhos proféticos estão levando muitos muçulmanos a Jesus Cristo.

O paquistanês conta que nasceu seguiu os ensinamentos do Alcorão por muitos anos e chegou a ser professor em uma escola islâmica. Porém, a desesperança e a falta de paz sempre o acompanharam. Até que, em 1993, ele conheceu um pastor que compartilhou com ele o Evangelho.

Após decidir se tornar cristão, enfrentou uma forte perseguição e foi perseguido num país onde a quase toda a população é muçulmana. Mesmo assim, continuou pregando. Ele relata em seu livro que, embora o Islã esteja crescendo em todo o mundo devido às altas taxas de natalidade, todos os anos mais de 6 milhões de muçulmanos se tornam cristãos em países islâmicos.

Segundo Masih, muitos muçulmanos não têm acesso a uma Bíblia nem podem ouvir pregações, mas crescem os relatos que o próprio Jesus os visitou, através de sonhos e visões. Ele vem ouvindo esse tipo de testemunho de outros cristãos que vivem em regiões onde há grande perseguição.

No livro, que não tem previsão de lançamento no Brasil, Masih fala como testemunhou o poder de Deus em de vários milagres de cura durante suas cruzadas. O pastor diz que, pela em nome de Jesus, mulheres paralisadas se levantarem e começarem a andar; e um homem quase cego, teve a “visão restaurada imediatamente”.

“As pessoas que vivem no Oriente muitas vezes são analfabetas e incapazes de ler a Bíblia, então Deus usa esse método para alcançá-las. Os orientais veem os sinais e milagres como prova que a Palavra de Deus é verdadeira”, explica. :: LEIA MAIS »

Depois de fechar 700 igrejas, Ruanda quer impedir ação de pastores

Evangélicos em Ruanda
Evangélicos em Ruanda. (Foto: AP / Ben Curtis)

Depois de fechar mais de 700 igrejas desde o início do ano, o governo de Ruanda mudou as diretrizes sobre como os grupos religiosos devem operar no país. Oficialmente, 93,6% da população é cristã (56,5% de católicos e 37,1% de evangélicos).

O presidente Paul Kagame mandou ao Parlamento um projeto de lei que exige que sacerdotes de todas as religiões, incluindo muçulmanos, tenham um diploma universitário em “estudos religiosos” para poder pregar nos templos.

Evalister Mugabo, bispo da Igreja Luterana em Ruanda, lembra que a maioria dos pastores do país tem apenas certificados de escolas bíblicas locais, que não são reconhecidos pelo governo. “As missões globais devem considerar isso como uma emergência”, aponta.

Ainda segundo ele, “a Igreja Católica Romana terá o domínio em Ruanda, pois não temos muitas Universidades evangélicas e dificilmente poderemos oferecer um diploma para todos os pastores em pouco tampo”.

Caso aprovada, a exigência da nova lei é que as Igrejas seriam obrigadas a instituir um órgão interno de resolução, que responderia ao governo por qualquer denúncia. A medida, segundo funcionários do governo, trará ordem entre as igrejas, algumas das quais são suspeitas de enganar as pessoas.

Judith Uwizeye, ministra do gabinete do presidente Kagame, justifica: “Era possível acordar de manhã e chamar outras pessoas para começar uma igreja, nada impedia. Queremos criar uma melhor organização sobre o modo de trabalho dessas organizações religiosas”. :: LEIA MAIS »

Igreja faz campanha de doação de sangue e ajuda a salvar 4.600 vidas

Igreja Gateway, em Southlake
Igreja Gateway, em Southlake. (Foto: Fox News)

Os membros da Igreja Gateway, em Southlake, Texas, participaram de uma campanha de doação de sangue que salvou mais de 4.600 vidas. A iniciativa foi coordenada pelo pastor Robert Morris, que teve uma grave hemorragia interna e quase morreu.

Logo que voltou ao púlpito, em 2 de junho, quase dois meses depois ter sofrido a hemorragia, ele encorajou os membros de sua megaigreja a doar sangue para ajudar os outros, enfatizando: “Alguém que doou sangue salvou minha vida”.

Durante vários finais de semana a Carter BloodCare colocou uma unidade móvel para coleta nos templos ligados à igreja. Mais de 1.500 fiéis responderam ao apelo e doaram sangue suficiente para salvar pelo menos 4.600 vidas.

Phil Buchanan, um dos doadores, falou sobre a experiência: “Foi algo que me fez sentir muito bem, vimos que somos capazes de nos unir como um corpo de crentes e fazer um bem para a comunidade”.

A diretora de relações públicas da Carter BloodCare, Linda Goelzer, disse que o esforço da igreja era “notável”. “Acabamos sendo capazes de ajudar também alguns outros bancos de sangue da região, embora geralmente não temos estoque.”

Ainda segundo Goelzer, o tempo da campanha surpreendeu. “A Gateway realizou seis semanas de doações de sangue – aos sábados e domingos – em cada um dos seus seis templos. Além da coleta em cada local da igreja, membros da Gateway também foram para a sede da Carter BloodCare doar”, explica. :: LEIA MAIS »

Arqueólogos escavam a antiga Siló: “A Bíblia não é mitologia”

Scott Stripling
Scott Stripling, líder das escavações em Siló. (Foto: CBN)

Geograficamente no coração do Israel bíblico, Siló – que hoje é um sítio arqueológico – foi a capital do país durante cerca de 300 anos. O motivo de sua importância para a história do país é que este é o lugar onde Josué distribuiu a Terra Prometida para as 12 tribos de Israel. E onde o Tabernáculo permaneceu, fazendo com seja considerada “solo sagrado”.

O Dr. Scott Stripling, arqueólogo que lidera as escavações arqueológicas em Siló, explica que: “Esta foi a primeira capital do antigo Israel. É um local sagrado porque o Mishkan [Tabernáculo] estava aqui, para onde as pessoas vinham esperando se conectar com Deus”.

“Estamos lidando com pessoas reais, lugares reais, eventos reais”, continuou ele. “Os relatos [bíblicos] não são mitologia. As moedas que escavamos hoje são de Herodes, o Grande; Pôncio Pilatos; Thestos; Félix; Agripa I e Agripa II. A Bíblia fala sobre essas pessoas. Nós temos a imagem bem aqui”.

Escavações em Siló
Escavações em Siló. (Foto: CBN)

Essa “imagem” que ele se refere inclui um muro fortificado construído pelos cananeus. A equipe de arqueólogos encontrou um verdadeiro tesouro de artefatos ali, que inclui moedas antigas e cerca de 2.000 peças de cerâmica.

“Agora, este foi de ontem”, disse ele. “Essas são as alças dos vasos de pedra. Lembra do primeiro milagre de Jesus em Caná? Havia jarros de pedra cheios de água. Essa era a cultura ritual da pureza do primeiro século”.

Mesmo um arqueólogo como Dr. Stripling acredita que escavar locais bíblicos pode mudar sua vida. “Você pode ler a Bíblia, você pode andar pelos lugares da Bíblia, mas o último passo é cavar a Bíblia”, compara. “A areia está em nosso corpo, nossa boca e nariz… Ela se torna quase uma parte de você. É como se ao cavamos o solo, nos conectamos com Deus e uns com os outros, penso eu, de uma maneira muito importante.”. :: LEIA MAIS »

Missionários alcançam tribos “escondidas” há 500 anos

Final Frontiers
Final Frontiers em Rio Arriba. (Foto: God Reports)

Nos últimos seis anos, a missão Final Frontiers tem ministrado aos índios Tolupan, de Hondura. Eles são considerados o último “grupo de não alcançados” naquele país.

Várias organizações cristãs já tentaram levar o evangelho a eles, mas as aldeias mais remotas nas montanhas permaneciam alheias ao mundo moderno. “Ninguém visitou todas as 45 aldeias que estão no alto das montanhas, acessíveis apenas por trilhas de mulas”, diz John Nelms, fundador da Final Frontiers.

A maioria só visitou as duas aldeias “acessíveis” desta tribo, que está dividida, explica o experiente missionário. As dificuldades vão além da geografia. “Em grande parte eles não aceitam estrangeiros com medo de sermos outra leva de conquistadores brancos, que, como fizeram nossos predecessores, vieram pilhar, estuprar, assassinar … e escravizá-los.”

Em várias ocasiões, quando um estrangeiro se aproximou, os Tolupan ateavam fogo em sua aldeia e fogem para as montanhas. “Tem sido assim há cerca de 500 anos”, reitera Nelms.

Somente agora a Final Frontiers está conseguindo evangelizar completamente os tolupans que vivem nessas aldeias remotas. “Em breve eles passarão de não alcançados a saturados com o Evangelho!”, comemora.

O ‘segredo’ para isso foi a amizade feita com alguns chefes do passado de ambos os ramos. Foi assim que os missionários receberam permissão para viajar a cada aldeia para pregar e distribuir materiais cristãos a todas as famílias da tribo. :: LEIA MAIS »

Igrejas são queimadas na Índia, em nova onda de intolerância contra cristãos

Igreja Cristã do Advento
Igreja Cristã do Advento. (Foto: Morning Star News)

Três igrejas foram incendiadas em seis semanas no estado de Tamil Nadu, no sul da Índia. Trata-se do maior número de ataques contra cristãos neste ano, parte de uma nova onda de intolerância religiosa por parte dos extremistas hindus.

O templo de uma dessas igrejas, em Seekanankuppam, foi vítima de um incêndio criminoso depois que os cristãos se recusaram a doar para um festival hindu anual. Os membros da Igreja do Reino de Deus voltavam para casa depois de um culto noturno dia 11 de junho quando foram avisados que seu prédio fora incendiado.

O pastor Arul Ruben, de 37 anos, disse que correu para o local, mas em 20 minutos, o fogo já havia se espalhado pela estrutura de madeira e palha e não conseguiram apagar. Somente quando os bombeiros chegaram as chamas foram controladas, porém era tarde demais.

Segundo o pastor, os hindus radicais da aldeia ficaram furiosos após nenhuma das 25 famílias cristãs que frequentavam sua igreja aceitaram contribuir para o tradicional festival hindu realizado em maio. “Eles humilharam os cristãos e ameaçaram destruir a igreja se nós não contribuíssemos para a celebração anual de sua divindade”, relata. :: LEIA MAIS »

Artigo: Deus existe?

 

 

 

 

 

 

 

 

(por Marilyn Adamson)

Pelo menos uma vez na vida, você não adoraria que alguém simplesmente lhe mostrasse a prova da existência de Deus? Sem quebra-de-braço, sem afirmações como: “Você tem que acreditar”. Bem, tentaremos apresentar aqui algumas das razões que sugerem a existência de Deus.

Mas, considere que, se alguém se opõe radicalmente à possibilidade de Deus existir, então qualquer prova ou explicação apresentada aqui poderá ser imediatamente refutada. Ou seja, isso seria como se uma pessoa se recusasse a acreditar que o homem andou na lua. Nenhuma informação, por melhor que fosse, iria mudar o seu modo de pensar. Imagens via satélite de homens andando na lua, entrevistas com os astronautas, pedras lunares… todas as provas seriam sem valor porque a pessoa já concluiu que o homem não pode ir à lua.

Quanto à existência de Deus, a Bíblia diz que há pessoas que têm prova suficiente de que Ele existe, mas encobrem essa verdade (Romanos 1:19-21). Por outro lado, há aquelas que querem saber se Deus existe; a essas Ele diz: “Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo coração. Eu me deixarei ser encontrado por vocês…”. (Jeremias 29:13-14) Antes que você olhe para os fatos relacionados à existência de Deus, pergunte-se: “Se Deus realmente existe, eu gostaria de conhecê-lo?”.

1. Deus Existe? Durante a história, em todas as culturas do mundo, as pessoas vêm sendo convencidas de que há um Deus.

Podemos dizer, com algum grau de confiança, que todas essas pessoas estiveram ou estão erradas? Bilhões de pessoas, que representam diversos compostos sociológicos, intelectuais, emocionais, educacionais etc., todas chegaram à mesma conclusão de que há um Criador, um Deus para ser adorado:

Pesquisas antropológicas atuais indicam que entre os povos primitivos mais distantes e remotos, existe uma crença universal em Deus. E, nas primeiras lendas e histórias dos povos de todo o mundo, o conceito original era de um único Deus, o qual foi o Criador. Um Deus altíssimo e original parece ter, uma vez, estado em suas consciências, mesmo naquelas sociedades que hoje se apresentam politeístas (Paul E. Little, Saiba O Porquê Você Acredita, Victor Books, 1988, pág. 22).

2. Deus Existe? A complexidade do nosso planeta aponta para um Desenhista, que, intencionalmente, não apenas criou nosso universo, mas também o sustenta hoje.

Poderiam ser dados muitos exemplos mostrando o desenho que Deus fez da criação, e, possivelmente, não chegaríamos ao fim desse desenho. Mas aqui estão alguns traços dele: :: LEIA MAIS »

Missões: Igreja Batista constrói 20 casas para membros da comunidade

Casas construídas pela igreja
Casas construídas pela igreja. (Foto: Reprodução / WBIR)

A atitude da Igreja Batista Crossroads Community, sediada em McCreary, Kentucky (EUA), vem chamando a atenção de toda a cidade. Eles estão construindo 20 pequenas casas para ajudar membros da comunidade que lutam para se recuperar do vício em drogas e estão desempregados.

Seu líder, o pastor Grant Hasty, lembra que 32% da população de McCreary vive abaixo da linha da pobreza. “Quando alguém quer ajuda e não tem uma rede de apoio por trás… facilmente têm problemas de recaída”, explica o líder religioso.

A decisão da igreja foi construir as casas de madeira em um terreno que compraram anos atrás e acabou não sendo utilizado. Além de ajudar os dependentes a permanecerem sóbrios, desenvolveram um programa para ajudá-los a se recuperar financeiramente.

A voluntária do programa, Vicki Kidd, disse que o desejo da igreja é ajudar quem precisa de “um recomeço”. “Eles não tinham muita esperança”, avalia, deixando claro que o espaço é para que eles possam morar até conseguirem se refazer na vida. Por isso, a igreja não cobra aluguel nem despesas de água e luz. Quando uma família sair, dará espaço para outra entrar. :: LEIA MAIS »

Nigéria é o local mais mortífero do mundo para ser cristão, denuncia ativista

Emmanuel Ogebe

Emmanuel Ogebe em entrevista à CBN (Foto: Reprodução)

Na Nigéria, uma nova onda de ataques do jihadistas da etnia fulani contra cristãos levou um proeminente ativista pelos direitos humanos a pedir que os Estados Unidos iniciem uma investigação sobre o assunto.

Segundo a denúncia do advogado Emmanuel Ogebe, “A Nigéria é hoje o lugar mais mortífero do mundo para os cristãos”. Conforme destaca, “o que testemunhamos é um genocídio. Eles estão tentando expulsar os cristãos, tentando tomar suas terras e impor sua religião aos ‘infiéis’ e ‘pagãos’, como eles chamam os cristãos”.

Duas semanas atrás, 238 pessoas foram mortas em um massacre nas aldeias na região centro-norte da Nigéria. Seis parentes de Ogebe estavam entre as vítimas.

“Pelas informações que conseguimos reunir”, explica, “enquanto um homem tentava tirar sua esposa grávida da sua casa durante a invasão… eles se depararam com os fulani, que atiraram nos dois e depois entraram na casa deles, mataram o filho de quatro anos e a filha de seis, que que estavam dormindo em suas camas.”

Ogebe lamenta que as autoridades não permitiram que os cadáveres de seus parentes fossem enterrados da maneira correta. Acabaram sendo jogados em uma vala coletiva, junto com as outras vítimas.

Conforme vem sendo denunciado, há uma escalda da violência contra os cristãos nos últimos meses. O governo insiste na narrativa que é um conflito étnico, uma vez que os fulani são um povo seminômade, que leva seus rebanhos de gado pelo país, eventualmente entrando em conflito de terras com os fazendeiros cristãos. A maioria dos órgãos da imprensa internacional repete essa narrativa. :: LEIA MAIS »

“Testemunho de Lukaku”, destaque da Bélgica, viraliza nas redes

Lukaku
Lukaku agradecendo a Deus após jogo.

Um dos destaques da surpreendente Bélgica, que eliminou o Brasil nesta sexta (6), o atacante  Romelu Lukaku, foi visto orando no gramado após os jogos ou apontando para os céus após marcar gols. Católico devoto, ele já falou várias vezes sobre a importância da fé em sua vida.

Enquanto disputa a vaga de artilheiro nesta edição da Copa do Mundo, ele valoriza ainda mais o seu passe. Atualmente no Manchester United, tem salário de aproximadamente 9,6 milhões de libras por ano (R$ 50 milhões). Sua contratação custou 75 milhões de libras aos cofres do clube, mas sua vida nem sempre foi fácil.

Logo que a Copa começou, uma carta-testemunho, escrita pelo atacante falando sobre sua infância, viralizou nas redes sociais do mundo inteiro. O camisa 9 contou nela como conviveu com a pobreza antes de ser um atleta profissional.

“Eu me lembro do momento exato em que soube que estávamos quebrados. Ainda consigo visualizar minha mãe na geladeira e o olhar no rosto dela”, contou ele logo no início da carta, narrando eventos que aconteceram quando ele tinha apenas seis anos de idade.

“Naquele dia, cheguei em casa e entrei na cozinha, onde vi minha mãe na geladeira com uma caixa de leite, como sempre. Mas, naquela vez, ela estava misturando algo. Ela estava balançando, sabe? Eu não entendi o que estava acontecendo. Ela trouxe o almoço e estava sorrindo, como se tudo estivesse bem. Mas eu percebi na hora o que estava acontecendo. Ela estava misturando água no leite”, continuou. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia