WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: ‘missões’

Trump assina projeto que ajuda cristãos vítimas do terrorismo islâmico


Imagem: White House/Shealah Craighead

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou na terça-feira (11) um projeto de lei que vai ajudar as vítimas do genocídio cometido pelo Estado Islâmico. A iniciativa animou líderes religiosos e ativistas de direitos humanos.

O projeto intitulado por “Lei de Socorro e Responsabilidade do Genocídio no Iraque e na Síria” pode impulsionar os esforços para ajudar os cristãos e outras minorias religiosas que foram vitimadas através dos crimes cometidos pelo grupo extremista islâmico nesses países.

“Esperamos que isso signifique o início de um tempo de ajuda para as nossas minorias e que aponte para os responsáveis por tudo o que aconteceu de injusto”, disse Bashar Warda, em entrevista ao Christian Post. O padre iraquiano é responsável pela ajuda a milhares de cristãos deslocados no Curdistão.

Ele conta que a situação era difícil porque o único apoio a esses cristãos em situação de crise vinha da própria igreja e suas organizações. Mas, desde agosto, houve grandes mudanças, com a chegada do enviado especial do vice-presidente dos EUA para supervisionar o programa de ajuda no norte do Iraque. :: LEIA MAIS »

Na Coreia do Norte, alunos são estimulados a “dedurarem” que pais são cristãos


O missionário Vernon Brewer, da ONG cristã World Help, há anos de dedica a contrabandear Bíblias para a Coreia do Norte. Ele sabe que é arriscado, mas diz que “nossos irmãos e irmãs perseguidos continuam a pedir por elas”.

Conforme destaca, os cristãos norte-coreanos estão enfrentando “mais perseguição que nós poderíamos imaginar, mas ainda clamam pela Palavra do Senhor”. Em artigo recente para o site Faith Wire ele conta que ouve “trágicas histórias” sobre o que acontece na ditadura comunista.

“Ouvi o relato de um cristão chamado Eun. Sua história é de partir o coração. Anos atrás, quando estava na terceira série sua professora lhes deu uma dever de casa “diferente”.

“Quando você for para casa, quero que procure um livro”, ela disse. “Normalmente, tem a capa preta e ficam escondido. Sua mãe ou seu pai o leem quando você está dormindo. Se você procurar bastante, encontrará este livro. E se o trouxer, nós te daremos um presente”, disse a professora.

Logo que chegou em casa, Eun começou a procurar o livro. Acabou encontrando a Bíblia de seus pais. “No dia seguinte, orgulhosamente o apresentou a sua professora e recebeu um lenço vermelho como recompensa. Mas quando voltou para casa para mostrar o lenço para seus pais, eles não estavam lá. Haviam sido presos … junto com os pais de outras 14 crianças que foram “honradas” por completar aquela tarefa”, conta Vernon. :: LEIA MAIS »

Cristãos enfrentam extinção iminente no Oriente Médio”

Religioso em escombros de igreja no Iraque
Religioso em escombros de igreja no Iraque. (Foto: Getty Images)

Os cristãos no Oriente Médio estão enfrentando “extinção iminente”, advertiu neste domingo (2) o arcebispo da Cantuária, líder máximo dos cerca de 80 milhões de anglicanos do mundo. Justin Welby disse à BBC que os seguidores de Jesus estavam sujeitos à “ameaça diária de execução” e que sua situação era a pior desde as invasões mongóis do século 13.

O arcebispo pediu que o governo do Reino Unido aceite mais refugiados cristãos, que acabam preteridos em muitos países. Ele destaca que apenas um em cada 400 refugiados sírios que receberam asilo no Reino Unido no ano passado era cristão.

A Abadia de Westminster, sede da Igreja Anglicana, realizou um culto especial hoje para lembrar a perseguição religiosa. Welby disse aos fiéis que “a situação dos cristãos em muitas partes do Oriente Médio está cada vez mais difícil”. Insistiu também que “precisamos orar por eles e falar em nome deles.”

Falando ao jornal The Telegraph, acrescentou: “Os cristãos enfrentam diariamente ameaças, violência, assassinato, intimidação, preconceito e pobreza. Nos últimos anos, eles foram massacrados pelo Estado Islâmico e, em muitos países, encontram-se aprisionados em meio aos conflitos que tomam conta da região”.

O arcebispo lembra ainda que “centenas de milhares de cristãos foram forçados a sair de suas casas. Muitos foram mortos, escravizados ou convertidos [ao Islã] à força”. Destacou o Iraque como exemplo, onde a população cristã atual é menos da metade do que era em 2003. Muitas igrejas foram destruídas e não há mais cultos em diversas regiões. :: LEIA MAIS »

“Estamos sendo abatidos como animais”, denunciam pastores perseguidos

Cristãos nigerianos
Cristãos nigerianos. (Foto: Reprodução)

Dezenas de líderes da igreja nigeriana se reuniram com o presidente Muhammadu Buhari, quando condenaram o massacre de cristãos no país e as mentiras propagadas pela imprensa sobre o tema.

O pastor evangélico Dacholom Datiri, presidente da Igreja de Cristo na Nigéria, disse que entregou um relatório a Buhari, que é muçulmano, descrevendo o assassinato de 646 cristãos somente no estado de Plateau este ano.

“A devastação em termos de vidas perdidas e a destruição de propriedade é inimaginável. Milhares de cristãos, pastores e membros de igrejas, foram mortos a sangue frio, abatidos como animais ou queimados até a morte. Suas casas e empresas foram queimadas ou saqueadas e as fazendas foram destruídas”, disse ele, assegurando que são anos de sofrimento.

Milhares de outros cristãos foram deslocados dentro do país ou fugiram para nações vizinhas, desde o início de 2018, enquanto o governo nigeriano não toma providências efetivas para proteger seus cidadãos.

“A narrativa é que essas pessoas são mortas por desconhecidos, ou que é um conflito étnico entre agricultores e pastores de gado da etnia fulani”, disse Datiri em seu relatório. “Todas estas versões são enganosas e deliberadamente criadas para esconder a verdade e continuar a perpetrar o mal.”

O pastor Datiri lembra que depois dos ataques muitas igrejas são destruídas, o que não faria sentido se fosse apenas uma questão tribal. “O modo de operação em todos esses ataques, como testemunham os sobreviventes, não nos deixa dúvida do uso de armamentos militares das milícias Fulani”, ressaltou.

Como prova, ele apontou para imagens de militantes empunhando armas sofisticadas, incluindo rifles AK-47, metralhadoras e granadas, que foram usados para matar cristãos desarmados.

No relatório entregue ao presidente Buhari, Datiri apontou ainda que até 38.000 cristãos foram forçados a fugir para campos de deslocados, com 30 igrejas e 4.436 casas cristãs destruídas no estado, todas no espaço de meio ano.

Emeka Umeagbalasi, presidente da Sociedade Internacional de Liberdades Civis e Estado de Direito, disse ao The Christian Post que o governo e muitas agências de notícias estão divulgando uma narrativa falsa e que o mundo não sabe o que ocorre na Nigéria. :: LEIA MAIS »

Estudantes cristãos recebem regras rígidas do governo chinês

Estudante
Estudante

Na China, país onde prevalece a opressão comunista, professores e estudantes não têm permissão para falar sobre sua fé em locais onde são controlados pelo governo. Recentemente, autoridades fecharam um local de encontro de estudantes de uma escola no distrito de Zhoucun, na cidade de Zibo.

Os alunos do Haidu College, em Shandong, também foram advertidos a deixar de participar de reuniões cristãs, de acordo com informações do Bitter Winter, um site de notícias sobre liberdade religiosa e direitos humanos.

Em outubro, alunos do ensino médio de duas escolas na província de Zhejiang foram obrigados a preencher um formulário negando sua fé.

Instruções rígidas

O site relatou também que autoridades municipais de uma cidade na província de Hebei, no norte da China, receberam instruções sobre como lidar com estudantes e professores que expressam suas crenças religiosas. Caso sejam estrangeiros, não têm permissão para pregar ou promover religião.

Além disso, os estudantes locais são proibidos de falar com outros sobre sua religião ou incluí-los em atividades religiosas. Na província de Shandong, leste da China, os estudantes foram informados pelas autoridades escolares a renunciarem à sua fé.

Uma aluna contou à reportagem do site, que se ela mantivesse sua fé cristã, não receberia diploma. Outra estudante de uma universidade de medicina, disse que foi questionada e pressionada a desistir de sua fé. Além disso, disseram-lhe que ela poderia ser chamada para ter uma “conversa sobre ideologia” em breve.

Terrorismo islâmico provoca fuga em massa de cristãos em Moçambique

Soldados de Moçambique
Soldados de Moçambique. (Foto: AFP)

Jihadistas muçulmanos continuam deixando um rastro de violência em Moçambique. Na última sexta-feira (23), 12 pessoas, incluindo crianças e mulheres, morreram em uma localidade isolada da região norte do país. A onda de violência provocou a fuga de milhares de moradores para a vizinha Tanzânia. A maioria são cristãos que temem ser as próximas vítimas.

Os habitantes do vilarejo de Chicuaia Velha, a poucos quilômetros da fronteira tanzaniana, relatam que durante a invasão, seus parentes foram assassinados com golpes de machado ou dentro de suas casas incendiadas pelos islâmicos.

“Aconteceu um ataque contra um vilarejo do distrito de Nangane, em uma zona onde as forças de segurança não fazem patrulha. Os agressores mataram 12 pessoas”, confirmou uma fonte policial da província de Cabo Delgado à Agência France Press.

Um policial que coordena as operações contra os extremistas diz que eles “Usam estratégias de guerrilha atacando quase simultaneamente várias localidades distantes. Então é difícil controlar a situação”.

Há cerca de um ano, grupos islâmicos que defendem a aplicação literal do Alcorão, espalham o terror em Cabo Delgado, província do norte do país. Inicialmente foi divulgado que o conflito estava “fora de controle”, algo negado pelo governo. :: LEIA MAIS »

Idoso de 99 anos se entrega a Jesus, após ser evangelizado em país comunista

O nome do idoso e o país onde o fato ocorreu não foram revelados por motivos de segurança. (Foto: My Modern Met)
O nome do idoso e o país onde o fato ocorreu não foram revelados por motivos de segurança. (Foto: My Modern Met)

Um idoso de 99 anos que vive em um país comunista (não especificado por motivos de segurança), onde alguns não têm nenhuma concepção do Evangelho, declarou que quer seguir a Jesus, segundo o relato de um pastor e missionário.

Jordan Standridge, pastor de evangelismo da Igreja Bíblica Immanuel em Springfield, Virgínia, escreveu no site ‘The Cripplegate’ na última terça-feira (13) que ele conheceu o homem em questão durante uma viagem missionária a um país comunista na semana passada.

Standridge explicou que a viagem o levou a uma região remota do país, onde as pessoas estavam em grande parte isoladas do mundo exterior.

“Quando entrei na primeira casa e sentei na cadeira para começar, fomos informados pelo pai e pela filha que eles nunca haviam falado com ninguém sobre o Evangelho antes. A filha estava com pouco mais de 70 anos e o pai com 99”, disse o pastor.

“Enquanto conversávamos, parecia que as escamas caíam de seus olhos, quando a percepção de seu próprio pecado enchia seus olhos de lágrimas. Era como falar com o ladrão na cruz. Ele simplesmente pedia a Deus para perdoá-lo pecado e dar-lhe um novo coração “, continuou ele.

Enquanto se despedia daquela família, o pastor se surpreendeu ao ver relato da filha sobre o quão lúcido seu pai ainda era.

“Ao final de nosso tempo juntos, quando eu estava escrevendo alguns versos em sua nova Bíblia e escrevendo seu nome, o tradutor perguntou a sua filha se ela iria ler para ele, ela disse: ‘Ele lê melhor do que eu! Vou ler para mim!’. Era bastante óbvio o quão radiante ele estava por causa das perguntas que ele fez por toda parte”, acrescentou.

Outros desafios em falar com as pessoas na aldeia eram que muitos estavam carentes até mesmo da compreensão mais fundamental para compreender o Evangelho.

“Quando começamos a falar sobre o Evangelho, finalmente cheguei a Jesus. Quando expliquei a eles que Ele era o único mediador para nós entre Deus e os homens, estava começando a perceber que eles não tinham nenhuma pista sobre quem Jesus era”, lembrou Standridge sobre o evangelismo em outras aldeias.

“Perguntamos a eles se eles já haviam ouvido falar de um judeu chamado Jesus antes. Eles não tinham. Enquanto conversávamos, ficou claro que precisávamos voltar ao básico. No final da conversa, percebi que eles nem sabiam o que era um soldado romano ou o que era uma cruz. Foi uma experiência surreal!”, exclamou.

Refletindo sobre as lições que surgiram durante a viagem missionária, o pastor disse que “você pode entregar a sua vida a Jesus até mesmo no seu último suspiro”.

“Não importa quantos anos você tem. Não importa quantas vezes você compartilhou o Evangelho com o membro da sua família. Contanto que eles tenham o fôlego em seus pulmões, eles ainda podem receber um novo coração”, escreveu ele.

“Porque o Evangelho não depende das obras de uma pessoa, mas é um milagre instantâneo de Deus sobre o coração de um pecador, sabemos que qualquer um pode ser salvo a qualquer momento”, finalizou. Fonte: Guiame

Família de missionário morto a flechadas perdoa tribo

John Allen Chau
John Allen Chau indo à ilha North Sentinel. (Foto: Instagram / The Sun)

O missionário norte-americano John Allen Chau, morto a flechadas ao entrar em uma ilha da Índia onde habita uma tribo indígena não alcançada pelo homem, ainda não teve seu corpo resgatado pelas autoridades.

A ilha Sentinela do Norte, no arquipélago de Andamã e Nicobar, é proibida para estrangeiros. Porém, o jovem de 27 anos decidiu levar o evangelho aos nativos.

Em um comunicado publicado no Instagram de Chau, a família afirmou que ele “amava Deus, a vida, ajudar quem precisa e não tinha nada além de amor pelos Sentineleses. Nós perdoamos os responsáveis por sua morte”. Eles também pediram na postagem que as sete pessoas presas por ajudarem o missionário a chegar à ilha sejam soltas.

Seus familiares admitem que o missionário “se aventurou por conta própria e seus contatos locais não precisam ser perseguidos por suas ações”.

Segundo a polícia, o corpo dele foi arrastado pelos indígenas com a ajuda de uma corda presa ao pescoço e abandonado em uma praia. Os pescadores viram o cadáver, mas não conseguiram recuperá-lo. O resgate ainda deva levar alguns dias. :: LEIA MAIS »

Crianças chinesas são forçadas a negar sua fé

Criança chinesa na escola
Criança chinesa na escola. (Foto: Getty Images)

Mais de 300 crianças cristãs que estudam em duas escolas, na província de Zhejiang, na China, tiveram que preencher um formulário negando sua fé cristã. Na primeira escola, onde há cerca de 200 estudantes cristãos, a professora exigiu que eles reescrevessem suas respostas, afirmando que não tinham “nenhuma religião”.

Na outra escola, que tem cerca de 100 crianças, foi o coordenador da sala que forçou os cristãos a responder que não tinham nenhuma fé.

“É normal que as escolas peçam aos pais para preencher fichas onde constam perguntas sobre a fé da família quando a matrícula é feita pela primeira vez, e isso nunca foi um problema”, explicou o colaborador.

Mas, segundo ele, tudo indica que os formulários distribuídos aos alunos fazem parte de um plano para identificar os estudantes cristãos e pressioná-los. :: LEIA MAIS »

27 cristãos foram mortos em ataque islâmico no Congo


Imagem: World Watch Monitor

Na República Democrática do Congo, guerrilheiros islâmicos da Defesa Internacional Muçulmana (também conhecida como ADF na língua local) invadiram a cidade de Beni, no leste do país, no último sábado (21). Segundo fontes locais, eles atacaram os moradores usando facões e armamento pesado, causando pânico generalizado.

Um porta-voz do governo disse que o ataque, que durou até as 22h, deixou pelo menos 18 pessoas mortas. Contudo, testemunhas revelam que o número de mortos chega a 40. Algumas das vítimas foram golpeadas por facões, com requintes de crueldade.

Segundo um pastor local, pelo menos 27 vítimas são membros de igrejas locais. “Eles eram de diferentes denominações”, explica o líder evangélico que preferiu não se identificar por questões de segurança.

A ADF, que tem origem em Uganda e opera na região desde 1995, foi responsabilizada por centenas de mortes de civis nos últimos quatro anos. Eles tentam eliminar a presença cristã no nordeste do país, tendo realizado seguidos ataques, além de estupros, sequestros e assassinatos.

O ataque em grande escala no sábado surpreendeu pela intensidade e pela incapacidade do exército do país em detê-los. Um sobrevivente disse que os agressores estavam vestidos com uniformes militares da guerrilha. Isso gerou uma grande confusão entre os moradores, que pensavam se tratar de forças do governo vindo para protegê-los. :: LEIA MAIS »

Cristãos são executados por negarem-se a recitar declaração islâmica de fé


Jihadistas do Al Shabbab (imagem: Reuters)

Jihadistas do grupo terrorista Al-Shabaab executaram dois cristãos no Quênia. Eles invadiram um ônibus e forçaram todos os passageiros a recitarem a declaração de fé islâmica. Segundo a tradição, isso é o suficiente para uma pessoa ser considerada muçulmana.

A International Christian Concern explica que o ataque aconteceu na sexta-feira (14), quando sete militantes islâmicos pararam um ônibus que estava indo para Garissa. Como já haviam feito em outras ações do tipo, forçaram os passageiros a apresentar suas carteiras de identidade e os separaram em dois grupos: muçulmanos e cristãos.

Os que tinham nomes não-muçulmanos deveriam recitar a Shahada, a declaração de fé islâmica afirmando que somente Allah é Deus e Maomé seu profeta. Os dois homens que se negaram a fazê-lo foram executados no local.

“O ICC está acompanhando as famílias desses dois mártires. O intenso ódio e a violência desse grupo causaram grande dor a muitas famílias e amigos de cristãos como esses dois”, disse a ONG evangélica que monitora a perseguição religiosa.

O jornal The Star relatou o ataque, e destacou que os que aceitaram recitar a shahada foram e libertados.

O Al-Shabaab, originário da Somália, vem fazendo ataques contínuos no vizinho Quênia, sendo um dos grupos terroristas mais mortíferos da África.

 

Pastor inspira jovem a se converter durante partida de videogame

Daniel Saad
Daniel Saad. (Foto: Reprodução / Facebook)

O pastor da igreja batista Palavra Viva, de Taubaté (SP), Daniel Saad, 30 anos, que gosta de jogar videogame nas horas vagas evangelizou um desconhecido de Nova Iorque durante uma partida.

Ele conta que entrou num time com dois americanos e um haitiano. O jogo de “polícia e ladrão” como ele descreveu, já havia começado. Sua identificação como jogador era “Dan of God” (Dan de Deus).

Um dos participantes o questionou sobre o motivo da escolha do nome e eles conversaram um pouco sobre a fé. Ao descobrirem que ambos são pastores na vida real, conversaram abertamente no time, enquanto jogavam.

“Começamos a falar das tribos de Israel, no meio do jogo, de jugo desigual, do amor de Deus, do amor de Jesus”, relembra.

Jesus também está fora da igreja

O pastor conta que um dos americanos, que permanecia quieto, “entrou com voz de choro” e comentou que estava orando e conversando com Deus. Daniel reproduziu suas palavras.

Ele disse: “Se Deus existe, que fale comigo. Eu entro no jogo e vocês dois estão falando de Deus, do amor Dele e de coisas que eu precisava ouvir. Eu vou para a igreja mesmo, porque Jesus é o caminho”.

“O cara ficou convertido num jogo de videogame. Você já viu isso, alguma vez, na sua vida? Gente, quando Jesus quer, não tem hora, não tem lugar, Ele te usa onde você está”, afirmou. :: LEIA MAIS »

Após igreja ser fechada, chineses pregam nas ruas

Pastor chinês pregando nas ruas
Pastor chinês pregando nas ruas. (Foto: Reprodução / Facebook)

Membros de uma igreja doméstica fechada recentemente em Chengdu, China, decidiram sair e pregar nas ruas. Um vídeo com o trabalho evangelístico foi divulgado pela missão China Missions.

O material, publicado pelo obreiro Christopher Gregory mostra os fiéis em um parque da cidade, cantando, e pregando em público, o que é proibido no país. Em alguns momentos do vídeo é possível vê-los entoando a música “Nada além do sangue de Jesus” e anunciando o evangelho. Um dos líderes da igreja empunha uma Bíblia numa mão e o microfone na outra.

De acordo com Gregory, o pastor havia sido detido por policiais, mas foi solto e logo se juntou aos demais. Foram dois cultos em público, um pela manhã e outro no início da noite do domingo (9).

“As autoridades fecharam o templo na semana passada e pensaram que seria nosso fim, mas não foi. As pessoas levaram a mensagem do Evangelho para as ruas e fizemos cultos nos parques. Eles observavam surpresos, sem saber o que fazer”, ressalta Gregory no texto que acompanha a postagem.

“Pela primeira vez, pessoas em toda a China estão dizendo ‘NÃO’ ao que o Partido Comunista quer: controle. Querem controlar o que elas podem fazer, no que podem crer, onde podem ir e o que podem dizer. Este é mais um sinal de que algo está começando a se formar aqui na China, um chamado para a democracia”, relata Gregory. :: LEIA MAIS »

China prende pastores, destrói igrejas e queima Bíblias

Bíblias queimadas e igrejas destruídas na China.
Bíblias queimadas e igrejas destruídas na China. (Foto: Reprodução / Twitter)

O regime comunista da China está intensificando a repressão contra as congregações cristãs em Pequim e várias províncias. Além da retirada de cruzes, fechou igrejas – tendo demolido algumas – queimou Bíblias, prendeu pastores e ordenou que fiéis assinem documentos renunciando à sua fé.

A China Aid, missão evangélica que monitora a liberdade religiosa na China, vem denunciando há anos as tentativas do Partido Comunista em promover o ateísmo e censurar as manifestações religiosas não só de cristãos, mas também de muçulmanos e outras minorias. O budismo recebe maior tolerância.

A motivação da perseguição seria exigir a lealdade ao Partido Comunista e eliminar “qualquer desafio ao seu poder sobre a vida das pessoas”.

Bob Fu, presidente da China Aid, afirma que o fechamento de igrejas nas últimas semanas representam uma “escalada significativa” da repressão. “A comunidade internacional deve ficar alarmada e indignada com essa flagrante violação da liberdade de religião e crença”, escreveu ele em um comunicado à imprensa.

Ele lembra que, sob o presidente Xi Jinping, o líder mais poderoso da China desde Mao Tsé-Tung, os religiosos estão sofrendo “a mais sistemática supressão sistemática do cristianismo no país desde que a liberdade religiosa foi garantida pela constituição chinesa de 1982”. :: LEIA MAIS »

Pastor abriga venezuelanos durante protesto em Pacaraima

Pastor Gedeão e venezuelanos
Gedeão (no centro) ao lado da esposa, Sandra, e parte dos refugiados que receberam após ataques. (Foto: Emily Costa / G1)

Um grupo de brasileiros cristãos mudou a vida de 63 refugiados venezuelanos, entre eles 16 crianças. A casa de um pastor e sua esposa ficou cheia. Missionários ligados à mesma igreja também abriram as portas de suas casas para abrigá-los.

Depois do confronto entre brasileiros e venezuelanos, em Pacaraima (RR), no último dia 18, muitos venezuelanos deixaram a cidade. Outros, porém, foram acolhidos por uma família cristã, representada pelo pastor Gedeão e sua esposa Sandra Vasconcelos.

Na manhã daquele sábado, o casal percebeu a agitação da cidade. Eles ouviram o som de fogos de artifício, mas pensaram se tratar de alguma inauguração. Em pouco tempo, souberam que havia um protesto de moradores.

“Disseram que a manifestação não estava mais pacífica, que estavam expulsando venezuelanos, colocando gasolina, queimando tudo”, disse o pastor. Ele disse que ouviu “vamos para o palco” e então se preocupou. “Lá tinham crianças, famílias que nós evangelizávamos e dávamos comida”, revelou. :: LEIA MAIS »

Pastor surdo vence preconceito e planta igreja: “Deus tinha um plano”

Pastor Scott Blanchard
Pastor Scott Blanchard ministrando em sua congregação. (Foto: Divulgação)

O pastor Scott Blanchard, de Michigan (EUA) não é um líder de igreja comum. Nascido com um sério problema que restringe sua audição em 80%, é tecnicamente surdo. Tendo aceitado a Cristo aos 7 anos de idade, ele sempre entendeu que tinha um chamado.

Obviamente foram muitos os obstáculos enfrentados, pois a vida toda as pessoas duvidaram de sua capacidade de proclamar o Evangelho para um público de ouvintes. Por causa de sua condição, ele também tem muita dificuldade de articular certas palavras.

Na maior parte de sua infância e juventude, Blanchard sofreu com baixa autoestima, mas aprendeu a superar obstáculos e dúvidas até conseguir se tornar um bem-sucedido plantador de igrejas.

Em 2010, ele e a esposa deram início à Igreja Lakepointe, na cidade Macomb. O pastor já batizou mais de 150 pessoas e sua congregação atual passa de 250. Além disso, iniciou um trabalho de ação social que provê alimentos para cerca de 40 famílias carentes todo mês.

“Na minha igreja, não temos surdos – só eu. Temos crescido e continuamos a crescer… Para mim, há um lembrete constante de que estou cumprindo a palavra de Deus e que, em Cristo, tudo é possível”, disse Blanchard em entrevista ao The Christian Post. :: LEIA MAIS »

Casal de idosos sobrevive a ataque de Boko Haram

Casal de idosos sobrevive a ataque do Boko Haram 
Distribuição de roupa, alimento e roupa de cama para 300 famílias atacadas pelo Boko Haram

No norte de Camarões, a cidade de Roum é um enclave cristão em uma área predominantemente muçulmana. Em fevereiro, um ataque do Boko Haram causou um desastre na região, levando milhares de pessoas a fugir de suas casas. Amós e Esther são um casal de mais de 60 anos de idade. Eles contam que estavam sentados em frente à sua cabana quando ouviram um barulho e então viram as chamas de fogo, que já consumiam o depósito. Então, decidiram se esconder.

“Peguei minha esposa pela mão e corremos para o complexo, onde nos escondemos no ponto mais longe que podíamos alcançar. O fogo não havia chegado lá dentro ainda, então esperávamos que eles não continuassem incendiando tudo”, relembra Amós. Mas eles puseram fogo no complexo também e foram averiguar se nada estava sendo poupado. “Eles foram exatamente para os fundos, onde estávamos nos escondendo. Gritavam e olhavam para ver se havia alguém lá dentro. Mas olharam só de um lado, não olharam no lado onde estávamos. Foi Deus que nos salvou. Graças a Deus, eles não nos viram”, compartilha o cristão.

Amos e Esther ficaram no esconderijo por várias horas e quando saíram viram que todo o vilarejo estava destruído. Do outro lado da rua da casa deles é a igreja, que também foi queimada pelos rebeldes. “O fogo devorou tudo, até os arquivos da igreja, o telhado, as paredes; nós perdemos tudo”, conta um líder da igreja local.

Segundo dados recentes, cerca de 237 mil pessoas como Amos e Esther já foram deslocados por ataques do Boko Haram no norte de Camarões. Entre 2017 e janeiro de 2018, pelo menos quatro igrejas e dois lugares de adoração foram queimados pelo Boko Haram na região. A Portas Abertas quer ajudar os cristãos a responder biblicamente à perseguição e assegurar que vítimas da violência religiosa recebam apoio adequado. Visitamos cerca de 300 famílias afetadas pelos ataques de janeiro e fevereiro e, graças ao apoio de nossos parceiros, pudemos distribuir ajuda emergencial entre eles.

Pedidos de oração

  • Ore por Amos e Ester e por outros sobreviventes que, como eles, passaram por situações traumáticas, para que o Senhor os cure de todo trauma.
  • Clame para que pessoas deslocadas venham a desfrutar de uma vida normal novamente.
  • Interceda pela restauração da paz na região.

Fonte: Portas Abertas



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia