WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


março 2020
D S T Q Q S S
« fev    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: ‘missões’

Ore por Mianmar no Dia da Independência

Os cristãos do país enfrentam perseguição de extremistas budistas e de muçulmanos

Os cristãos do país enfrentam perseguição de extremistas budistas e de muçulmanos

Desde 1948, nesta data, é comemorado o Dia da Independência de Mianmar. O país, que também é conhecido como Birmânia, era uma colônia britânica pertencente ao território indiano até 1937. Em 1962 houve um golpe de Estado e o território passou a ser governado por militares. A maioria da população do país é budista, por isso o nacionalismo religioso é um grande inimigo dos cristãos. Hoje, a nação ocupa a 18ª posição Lista Mundial da Perseguição 2019.

Há uma forte ideologia no país contra a minoria muçulmana rohingya. O governo é acusado de promover uma limpeza étnica em 2017, quando forçou mais de 740 mil pessoas a abandonar as próprias casas. A perseguição duplica quando algum rohingya tem um encontro com Jesus, porque ele passa a enfrentar tanto a retaliação do governo, como dos familiares para voltar ao islamismo.

A perseguição aos seguidores de Jesus acontece em maior frequência nas regiões como Kachin e o norte do estado de Shan, em consequência de intensos combates. É comum que cristãos sejam presos, mortos e forçados a fugir para os campos de refugiados, onde vivem em intensa miséria. A vulnerabilidade aumenta quando muitos deles tentam empregos em  países vizinhos e acabam tornando-se escravos. :: LEIA MAIS »

Os desafios de ser cristão secreto na Coreia do Norte

Seguir a Jesus é uma decisão que precisa ser mantida em segredo

Seguir a Jesus é uma decisão que precisa ser mantida em segredo

Ser cristão na Coreia do Norte é algo sigiloso. Onde o inimigo que pode denunciar ao Estado mora dentro da mesma casa, ou na residência vizinha. A Revista Portas Abertas de janeiro conta a realidade de irmãos e irmãs que vivem no país em primeiro lugar na Lista da Perseguição 2019. O número de seguidores de Jesus no país é estimado entre 200 a 400 mil, com 50 a 70 mil presos por causa da fé. Quando um deles é descoberto, o governo obriga-o a passar por um campo de reeducação e trabalho forçado, para que a ideologia inimiga seja extirpada. Já que o cristianismo é visto como uma religião americana, logo, inimiga.

Nesta edição, Kyung-so* conta como aconteceu o encontro com Deus. Foi por meio de um amigo, um cristão secreto que arriscou tudo para fazer o nome de Cristo conhecido. Já Kim Sang Hwa* revela como descobriu que os pais eram seguidores de Jesus e enfatiza a necessidade de falar dos fundamentos da fé para as crianças norte-coreanas, sem correr o risco delas contarem acidentalmente.

Além disso, é possível entender o porquê de a Índia ser um país diverso, porém ocupar a 10ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2019. E ainda ficar por dentro dos principais acontecimentos que afetaram os cristãos de diferentes regiões no mundo. Você vai aprender como é o processo de visita da Portas Abertas às igrejas do Brasil, e ainda pode refletir sobre a soberania de Deus por meio do devocional. Outros destaques são a visita de um correspondente internacional da Colômbia, as viagens programadas para 2020 e os motivos de oração diários no Vamos Orar. :: LEIA MAIS »

Pastor Wang Yi é condenado a 9 anos de prisão na China

O pastor Wang Yi reconheceu a autoridade do governo chinês, mas admitiu que será fiel aos preceitos de Deus

O pastor Wang Yi reconheceu a autoridade do governo chinês, mas admitiu que será fiel aos preceitos de Deus

Dia 30 de dezembro de 2019, o pastor Wang Yi foi condenado a 9 anos de prisão na China, informou o jornal The New York Times. Ele foi detido no dia 28 de dezembro de 2018, juntamente com outros 100 membros da igreja clandestina Early Rain Covenant Church. O líder cristão é acusado de subversão do poder estatal e de fazer operações de negócios ilegais. Além da prisão, o cristão também teve os direitos políticos destituídos e US$ 7.200 apreendidos.

Em uma carta às autoridades, escrita 15 meses antes da sentença, Wang Yi reconheceu a desobediência às ordens do governo chinês quando fossem contrárias aos ensinamentos bíblicos. Ele legitimou as autoridades chinesas como permitidas por Deus e também declarou seu propósito de vida. “A mudança de todo sistema social e político não é a missão do meu chamado, nem o propósito do evangelho dado ao povo de Deus. Porque toda a feiura da realidade, as injustiças políticas e as arbitrariedades da lei mostram que a cruz de Jesus Cristo é a única salvação que todo chinês deve ter”, justificou no documento.

Wang Yi foi um blogueiro famoso na China antes da conversão ao cristianismo em 2005. Envolveu-se em assuntos polêmicos ao criticar os abortos forçados e o massacre de 2 a 3 mil pessoas na Praça Celestial, em 1989. Após o encontro com Jesus, ele e mais outros dois conterrâneos foram convidados pelo presidente George W. Bush para uma reunião em Washington com o tema liberdade religiosa.

A China ocupa a 27º posição da Lista Mundial da Perseguição 2019. Apesar da Constituição chinesa garantir a liberdade religiosa, a nova liderança, sob o comando de Xi Jinping, tem fechado o cerco para as minorias religiosas, como cristãos e muçulmanos. Para funcionar no país, a comunidade cristã precisa ser registrada e atender às exigências governamentais, muitas delas contrárias aos preceitos bíblicos. :: LEIA MAIS »

Sudão sai da lista de violadores de liberdade religiosa

Governo do Sudão anuncia medidas de tolerância religiosa aos cristãos do país

Governo do Sudão anuncia medidas de tolerância religiosa aos cristãos do país

Após 30 anos de perseguição durante o regime de Omar al-Bashir, os cristãos do Sudão celebraram as vitórias anunciadas durante o governo de transição neste último mês do ano. Algumas das decisões comemoradas foram a declaração do dia 25 de dezembro como feriado e a permissão à Igreja Evangélica Bahri de fazer uma Marcha para Jesus, no dia 23 de dezembro.

Outro ponto de destaque foi um discurso durante o Natal feito pelo ministro de Assuntos Religiosos, Nasredin Mofreh. O líder pediu desculpas aos cristãos pelas “políticas injustas” que atingiram a todos que professam a fé em Cristo durante o regime do ditador Bashir, deposto em abril de 2019. No pronunciamento, ele reconheceu alguns dos prejuízos enfrentados como opressão e dano infligido aos cristãos, destruição dos templos, roubo de propriedades e pelas prisões, acusações e confisco de prédios da igreja. Ressaltou ainda a importância da liberdade religiosa, já que os objetivos gerais das crenças são preservar a dignidade e a vida e defender os valores de justiça, paz e amor.

No dia 27 de dezembro, o governo dos Estados Unidos retirou o Sudão da lista de países envolvidos em violação de liberdade religiosa, gerada pela Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos (USCIRF, na sigla em inglês). A punição para as nações listadas envolve sanções e ações diplomáticas contra os governos e autoridades do país. Porém, nunca houve uma medida consistente para reprimir os violadores das leis internacionais. O país ainda está na “Lista de Observação Especial”, que indica que já foi envolvido ou consentiu com a intolerância religiosa. :: LEIA MAIS »

Cristã secreta testemunha encontro com Jesus no Norte da África

Islèm encontrou a Cristo por meio de um grupo de cristãos no Facebook

Islèm encontrou a Cristo por meio de um grupo de cristãos no Facebook

A Portas Abertas contou a história de Islèm* no Norte da África. Ela ouviu falar de Jesus enquanto assistia a um filme na escola. Desde então, passou a pesquisar mais sobre Cristo, principalmente no Facebook e Youtube. Por um momento ela desistiu de entender mais sobre o cristianismo, até que os problemas em casa começaram. “Meu pai estava saindo muito de casa e não era legal com minha mãe, ele era agressivo”, conta. Nessa época, a jovem começou a fumar e se tornou violenta. “Tentei cometer suicídio tomando um remédio exagerado e cortando os pulsos. Psicologicamente, eu estava uma bagunça, tudo que conseguia pensar era em morrer”, lembra.

Islèm foi levada ao hospital, e ficou internada por causa de infecção nos rins. De acordo com os médicos, o problema de saúde era consequência dos hábitos que ela estava cultivando. Nos dois meses internada, a jovem via apenas o noivo, que também era muçulmano. Durante uma noite, ela olhou para a janela do quarto em que estava e perguntou a Deus o porquê de viver aquela situação. Pediu para ele revelar o propósito da vida dela. “No dia seguinte, o médico disse que eu poderia sair do hospital. A primeira coisa que disse à minha mãe foi que ela deveria se divorciar do meu pai, porque ele a tratava mal. Ela fez isso, e quando saí do hospital nos mudamos para a casa dos meus avós. Tirei meu véu porque queria começar uma nova vida com a minha mãe. Também acabei com o relacionamento com meu noivo”, testemunha.

A primeira coisa que Islèm fez ao chegar em casa foi acessar o Facebook pelo smartphone e procurar uma página de cristãos do país dela. Ela fez o primeiro contato, mas as pessoas ficaram com medo dela ser uma extremista, já que a página da jovem estava relacionada ao islamismo. Mais tarde, ela entrou em contato com um pastor, que também tinha dúvida sobre a conversão genuína da garota. Ele enviou uma adolescente com uma Bíblia para entregar à Islèm. “Ela pensou que me daria a Bíblia e partiria. Mas para mim era uma coisa nova encontrar cristãos, então não queria que ela fosse embora. Perguntei para onde ela e seu irmão estavam indo. Responderam que iam à igreja. Perguntei se poderia ir com eles e ela disse que sim.” Na igreja, ela leu a palavra pela primeira vez e o pastor explicou o versículo de João 14.6. Tudo passou a fazer mais sentido, já que as palavras do líder cristão respondiam às perguntas que Islèm fez a Deus enquanto estava internada. A partir daí passou a frequentar os cultos, e depois de dois anos foi batizada. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Cristãos encontram esperança em meio à perseguição

Esperança nasce mesmo em meio à perseguição e dá frutos de perdão e alegria

Esperança nasce mesmo em meio à perseguição e dá frutos de perdão e alegria

Como os demais anos, 2019 trouxe desafios aos cristãos perseguidos. Igrejas e casas dos membros foram queimadas, mais pessoas tiveram que fugir por causa das guerras, governos se levantaram contra os valores do reino de Deus, e até ataques ceifaram a vida de muitos cristãos. Outros perderam todo o apoio da família e o respeito da comunidade onde viviam, e agora lutam pelo suprimento das necessidades básicas. Entretanto, nenhum desses irmãos e irmãs ficaram sem a consolação e paz dadas por Cristo. A Portas Abertas relembra histórias que trazem esperança, em que Deus transformou as situações adversas em bênçãos.

Mesmo sem as pernas para correr atrás do sonho de serem jogadores de futebol, três meninos da República Centro Africana, mostraram que é possível sonhar após terem a perspectiva de futuro frustrada. Eles foram vítimas de explosões de bombas durante um culto e desde então recebem apoio de cristãos ao redor do mundo com educação e tratamento médico. Ao invés de rancor e ódio no coração, Jeovanni, Dieu e Steven deixaram o perdão brotar. “Eu os perdoo por atirarem a granada, porque eles não sabem o que estavam fazendo. O que eles fizeram foi muito ruim, mas eu não posso ter raiva”, afirmou Steven.

Sharda* é outra cristã que entendeu seu propósito e desde então leva esperança para as mulheres e crianças do Norte da Índia por meio de um trabalho de desenvolvimento social. Ela enfrentou a violência doméstica, fugiu do marido, mas foi encontrada pelo sogro e levada de volta para casa. As mudanças no comportamento da cristã foram nítidas e as consequências disso foram o respeito dos familiares do marido e da comunidade local. “Eu não era rebelde como antes, e eles perceberam isso. Então, compartilhei com eles sobre o amor de Cristo, e mesmo não aceitando a verdade, eles me permitiram continuar com a minha fé”, compartilhou. :: LEIA MAIS »

Retrospectiva 2019: novas leis aprovadas têm impacto na vida dos cristãos

Sudaneses ganham direito de ir à igreja aos domingos

Sudaneses ganham direito de ir à igreja aos domingos

A Portas Abertas traz à memória notícias da Igreja Perseguida que trazem esperança. Cristãos de diferentes países do mundo intercederam por irmãos e irmãs para que resistissem à perseguição e se mantivessem firmes em Cristo. Algumas decisões governamentais pareceram não favorecer os cristãos, outras soaram como grandes bênçãos. Mas em todos os momentos a certeza é que o nome de Deus continua sendo anunciado e que ele pode transformar qualquer situação em bênção. Relembre alguns fatos que foram motivos de oração e incentivaram a criação de projetos para apoiar os cristãos envolvidos.

Perseguição do governo aumenta na Índia

Desde que o partido Bharatiya Janata (BJP) chegou ao poder na figura do primeiro–ministro Narendra Modi, o cerco se fechou contra os cristãos. Porque para ser cidadão indiano, deve-se professar a fé hinduísta. Além de enfrentarem ataques de grupos extremistas pró-governo, os seguidores de Jesus foram proibidos de se reunir em prédios específicos para adoração, e tiveram os cultos domésticos monitorados e também barrados.

Nova lei promete mais liberdade aos cristãos no Laos

Um decreto aprovado recentemente pelo governo do Laos indica que os cristãos do país estarão mais protegidos quando o assunto for intolerância religiosa. Um líder cristão da região norte participou de uma reunião com as autoridades para entender como as novas ações funcionarão na prática. Muitos vilarejos desconhecem as novas decisões governamentais e mantém a cultura de perseguição aos cristãos. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Presenteie cristãos secretos com Bíblias

Doe Bíblias e literatura cristã e fortaleça cristãos secretos na Ásia

Doe Bíblias e literatura cristã e fortaleça cristãos secretos na Ásia

Mesmo sendo responsáveis pela manutenção da ordem ditatorial da Coreia do Norte, os soldados não são bem tratados pelo governo. Alguns são forçados a ir para as montanhas para procurar comida para si próprios. Porém, existem outros soldados secretos no mesmo país que trabalham para manter o reino de Deus vivo. Eles não desejam o reconhecimento dos governantes, apenas anseiam pela comunhão uns com os outros e pela liberdade de compartilhar a Cristo.

Os cristãos secretos da Coreia do Norte convivem com o medo de serem descobertos, interrogados e levados a campos de trabalho forçado, podendo até ser mortos. A segurança para professar a fé em Jesus é arriscada até mesmo dentro de casa, já que é comum os familiares denunciarem os seguidores de Cristo como traidores da nação. O cristianismo é visto como uma religião ocidental, mais precisamente, americana.

O ambiente restritivo do país dificulta a confirmação do número de cristãos existentes. Porém, a Portas Abertas estima que exista cerca de 300 mil discípulos de Jesus no território. A comunidade de convertidos atual é composta por ex-comunistas. Alguns tiveram encontro com Jesus quando atravessaram a fronteira para a China, durante a grande fome na década de 90. Eles foram recebidos e evangelizados pelas igrejas chinesas, e ao retornarem a Coreia do Norte, mantém a fé em Cristo e estão responsáveis por espalhar as boas-novas a outros norte-coreanos. :: LEIA MAIS »

Presenteie cristãos afegãos com o evangelho

Cristãos afegãos são cada vez mais raros, mas os que ainda permanecem no país precisam ser encorajados pelo evangelho

Cristãos afegãos são cada vez mais raros, mas os que ainda permanecem no país precisam ser encorajados pelo evangelho

Professar a fé em Cristo vivendo no Afeganistão é algo impensável de se fazer. Importar ou possuir Bíblias e demais literaturas cristãs também são atos arriscados, resultando até em morte. É cada vez menor o número de seguidores de Jesus no país, por isso é difícil o desenvolvimento de projetos de ajuda aos cristãos. Na realidade, eles vivem a fé em segredo.

Se para as pessoas que são de famílias cristãs a situação é delicada, quando envolve a conversão de um muçulmano as coisas tornam-se ainda piores. Alguns são mortos quando a nova fé é descoberta, outros são internados em clínicas psiquiátricas, muitos têm as propriedades destruídas ou transferidas para outros. O Afeganistão ocupa a 2ª colocação na Lista Mundial da Perseguição 2019, ficando atrás apenas da Coreia do Norte.

Nesse contexto, a evangelização comum feita por meio de distribuição de materiais cristãos, testemunhos em lugares públicos e até reuniões para comunhão não são possíveis. Outro fator que também dificulta levar Cristo até os afegãos é o monitoramento severo da internet. A perseguição atual torna difícil acreditar que o cristianismo possa ter chegado no Afeganistão no século 2. :: LEIA MAIS »

Extremismo islâmico pode crescer nas Filipinas

Cristã perdeu as pernas e uma filha durante o ataque de extremistas islâmicos (foto representativa)

Cristã perdeu as pernas e uma filha durante o ataque de extremistas islâmicos (foto representativa)

Um ataque suicida deixou 20 mortos e mais de 100 feridos em uma igreja em Jolo, ilha ao sul das Filipinas. Duas bombas explodiram no dia 27 de janeiro de 2019, e desde então o medo e a dor da perda de pessoas queridas fazem parte da rotina dos cristãos locais. Na mesma data, Mark completou mais um ano, porém, a namorada dele perdeu a mãe. “Eu não sei se celebro meu aniversário ou lamento as nossas perdas”, explica o jovem.

O responsável pelo atentado foi o grupo extremista Abu Sayyaf, afiliado ao Estado Islâmico. De acordo com o analista de perseguição da Portas Abertas, Thomas Muller, a probabilidade de acontecerem outros ataques de mesmas proporções é grande, por isso é necessário estar preparado.  “Infelizmente, há um crescimento no número de relatórios sugerindo que o Estado Islâmico está usando o sudeste da Ásia como área para refúgio e reorganização, especialmente após perder o domínio na Síria e Iraque”.

A Portas Abertas encontrou muitas vítimas do ataque, tanto adultos como crianças, e ouviu os relatos deles. “Apesar da reunião começar com um jogo divertido e gargalhadas, lágrimas tomaram conta da sala, porque os participantes colocaram para fora as emoções. Eles descreveram o que aconteceu dentro da catedral após ela explodir”, conta um colaborador da Portas Abertas.

Uma das testemunhas foi uma mãe de quatro filhos; ela perdeu as duas pernas na explosão. Porém, o problema maior não foi o prejuízo causado pelas faltas dos membros do corpo, mas a morte de uma filha tem sido a maior fonte de dor.  “As pessoas me dizem que as coisas estão bem porque meus outros três filhos estão vivos, e eu devo ser grata por isso… mas eu perdi uma filha”, lamenta. :: LEIA MAIS »

Pastor testemunha os desafios da Igreja Perseguida na Colômbia

O pastor Enrique já foi ameaçado de morte pelo trabalho feito com os colombianos

O pastor Enrique já foi ameaçado de morte pelo trabalho feito com os colombianos

Quem lê os relatos de cristãos perseguidos em países árabes e asiáticos pode não imaginar que há irmãos e irmãs da América Latina enfrentando violenta oposição por causa da fé em Jesus. O pastor Enrique Machado vem ao Brasil para testemunhar como é fazer parte da Igreja Perseguida na Colômbia. Entre os dias 18 de janeiro e 2 de fevereiro, o líder cristão percorrerá o território nacional para compartilhar os feitos de Deus na nação dele.

A Colômbia está em 47ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2019. Um dos grandes responsáveis pela violência contra os seguidores de Cristo são os conflitos entre grupos criminosos e dissidentes das FARC. Os valores bíblicos expressam visões sociopolíticas contrárias às ideologias dos grupos armados, por isso existe violenta oposição. Este é o contexto de atuação do pastor Enrique há 21 anos. Atualmente, ele ocupa a diretoria nacional do abrigo para crianças Visão Ágape, fundado pela Portas Abertas no país. :: LEIA MAIS »

Boko Haram mata 71 soldados do Níger, invade vilas e mata cristãos

Boko Haram ataca vilarejos na região do Sahel com o objetivo de implantar o islamismo radical

Boko Haram ataca vilarejos na região do Sahel com o objetivo de implantar o islamismo radical

O grupo extremista Boko Haram atacou mais uma vez no dia 11 de dezembro no Níger. Desta vez, as vítimas fatais foram 71 soldados e outros 12 ficaram feridos, no vilarejo de Inates. O acontecimento foi considerado um dos mais mortais contra as Forças Armadas nigerinas em anos. Os militantes islâmicos têm expandido os domínios sobre as regiões de Tillabéri e Tahoua, que fazem fronteira com o Mali e Burkina Faso. O resultado das ofensivas já descolocou 80 mil pessoas. Isso representa a segunda maior crise nas fronteiras de um país.

No Mali, mais de 100 soldados foram mortos nos últimos três meses. Eles estavam lutando contra a crescente violência na região. Já no leste e sul de Camarões, o Boko Haram matou ao menos 275 pessoas, incluindo 225 civis. Alguns cidadãos foram mutilados e outros sequestrados. O grupo extremista tem aterrorizado a região do Sahel para implantar um islamismo radical, que torna proibido o relacionamento político ou social com o Ocidente. Os impedimentos incluem votar nas eleições, restrições de vestimentas e receber educação que não seja muçulmana. :: LEIA MAIS »

Pastor Bahrom é liberto da prisão no Tajiquistão

O pastor Bahrom vai passar as comemorações do Natal livre, com a família

O pastor Bahrom vai passar as comemorações do Natal livre, com a família

Hoje, na manhã do dia 18 de dezembro, o pastor Bahrom Kholmatov foi liberto da prisão no Tajiquistão. Isso era esperado para acontecer em março de 2020. O líder da Igreja Sou Min Sum Bogim foi acusado falsamente de extremismo religioso em 10 de abril de 2017, na cidade de Yavan. Desde então, estava recluso sem autorização para receber visitas dos membros da igreja e tinha proteção especial, para impedir que compartilhasse o evangelho com outros presos. Mas essas medidas não foram suficientes para calar o discípulo de Cristo. A Portas Abertas agradece a todos os irmãos e irmãs que oraram e participaram da campanha de cartões para encorajar Bahrom e seus familiares.

Os momentos de reclusão foram muito estressantes para todos os envolvidos no caso. No início, a esposa dele, Gulnora, só podia falar com o marido pelo telefone. Depois foi autorizada a visitar o pastor, mas durante uma das idas até a prisão, teve convulsões e precisou ser levada até um hospital. A cristã estava depressiva com toda a situação que viviam. Além disso, alguns parentes a consideravam culpada pelo esposo estar no cárcere. Já os membros da igreja chegaram a tentar entregar presentes ao líder cristãos, mas foram impedidos pelas autoridades. :: LEIA MAIS »

[VÍDEO] Bolsonaro “aceita Jesus” em culto no Palácio do Planalto

Por Gospel Prime

Silas Câmara, Jair e Michelle Bolsonaro. (Foto: Carolina Antunes / PR)

Em culto de ação de graças alusivo ao Natal realizado no Palácio do Planalto, o presidente Jair Messias Bolsonaro declarou publicamente aceitar Jesus.

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, é evangélica da Igreja Batista Atitude e Bolsonaro, mesmo católico, sempre teve um bom relacionamento com líderes evangélicos.

Na celebração, promovida pela Frente Parlamentar Evangélica, vários ministros de Estado e mais de 600 pastores e líderes evangélicos entoaram hinos cristãos e fizeram orações pelo Brasil.

Culto de Ação de graças no Palácio do Planalto. (Foto: Isac Nóbrega / PR)

Em sua fala, o presidente afirmou que pode “ser o chefe mais importante da República, mas o ‘homem’ do Brasil é Jesus” e relacionou o tempo de sua vida parlamentar com a vida de Jacó.

Também afirmou estar honrado em participar daquela reunião e fez questão de declarar publicamente que estava aceitando Jesus “naquela casa” – o Palácio do Planalto.

 

Vamos orar: Na Ásia Central, cristãos ex-muçulmanos enfrentam dupla perseguição

O Turcomenistão é um dos países da Ásia Central onde os cristãos ex-muçulmanos são mais perseguidos

O Turcomenistão é um dos países da Ásia Central onde os cristãos ex-muçulmanos são mais perseguidos

No DIP 2020, que acontecerá no dia 7 de junho, vamos concentrar nossas orações e ações em favor dos cristãos ex-muçulmanos de todo o mundo. Um grande número deles se encontra na Ásia Central. Essa região é formada por Azerbaijão, Cazaquistão, Turcomenistão, Uzbequistão, Tajiquistão e Quirguistão e passou por um impressionante avivamento nos anos 90, com muitos muçulmanos indo a Cristo.

Nesses países, estima-se que de uma população de 322.700 protestantes, o número de cristãos ex-muçulmanos seja em torno de 320 mil. Um dos aspectos mais positivos é que eles estão bem integrados às igrejas protestantes da região. Conversões massivas ocorreram na época de abertura, mas se encerraram depois de 1998, quando houve um significativo êxodo de missionários e ministérios estrangeiros devido a restrições governamentais.

Para evitar confrontos com o governo, a Igreja Ortodoxa Russa mantém-se distante e há padres que frequentemente denunciam aqueles que se convertem do islã ao cristianismo. Nesse contexto, os cristãos podem ser pegos em uma rede de acusações, tais como: “você faz parte de uma seita”, “você não é muçulmano”, “você não é do nosso país”, “você é um traidor”.

A tendência é que a situação piore na região, à medida que os governos desses países se debatem em busca de uma nova legitimidade e não podem se abster de tentar usar o islã para reforçar seu governo. Isso cria uma dupla perseguição para os cristãos ex-muçulmanos – por parte do Estado, uma vez que estão fora do controle do governo e não podem recorrer a ele para ajuda, e dos líderes muçulmanos, pelo fato de terem abandonado o islã. Isso pode resultar em questões práticas relevantes, como por exemplo, não terem permissão para fazer enterros, visto que todos os cemitérios são controlados por clérigos islâmicos. :: LEIA MAIS »

Celebrações públicas de Natal são canceladas no Iraque

O Iraque enfrenta clima de instabilidade política e social e tem sido local de muitas mortes durante as manifestações

O Iraque enfrenta clima de instabilidade política e social e tem sido local de muitas mortes durante as manifestações

Os protestos da população iraquiana contra o governo resultaram na morte de 430 pessoas e no ferimento de outras 20 mil. Em solidariedade à situação instável, as celebrações públicas de Natal foram canceladas. O líder cristão Martin pediu que a igreja internacional se junte a eles em oração. Os jovens cristãos também protestaram e prestaram assistência médica aos manifestantes. “Temos muitos conflitos sectários em nosso país, mas desta vez há uma unidade entre diferentes grupos religiosos”, testemunha Martin.

As reinvindicações do povo são por empregos e serviços básicos e pelo fim da corrupção. Os protestos acontecem na capital Bagdá e em várias cidades do Sul. “Pedimos solidariedade com os manifestantes iraquianos. Por favor, ajude-nos a expressar nossa voz à comunidade internacional, às organizações de direitos humanos, à Nações Unidas e ao mundo inteiro. Queremos viver em liberdade e dignidade, e que a corrupção em nosso país termine”, pede o cristão.

O Iraque ocupa o 13º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2019, e uma das responsáveis pela violência contra os cristãos é a ideologia extremista propagada pelo Estado Islâmico que, mesmo derrotado, encontrou simpatizantes na população. Apesar do país ser berço do cristianismo, os que professam a fé em Jesus enfrentam ataques físicos e mentais, são ameaçados e muitos perdem a vida. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Em mais de 50 países, cristãos enfrentam ataques e outras formas de hostilidade

A Igreja Sião, em Batticaloa, foi uma das três igrejas cristãs atacadas na Páscoa, no Sri Lanka (foto: redes sociais)

A Igreja Sião, em Batticaloa, foi uma das três igrejas cristãs atacadas na Páscoa, no Sri Lanka (foto: redes sociais)

Diariamente, diversos ataques contra cristãos são registrados no mundo inteiro. Eles enfrentam situações que vão desde insultos a casos mais extremos, como proibições, prisão e até morte. A perseguição contra nossos irmãos da fé vem crescendo nos últimos anos e, com isso, está cada vez mais comum que cristãos sejam vítimas de ataques por conta de sua escolha de seguir o cristianismo.

Segundo dados da Portas Abertas*, mais de 245 milhões de cristãos no mundo enfrentam algum tipo de oposição como resultado de sua identificação com Jesus Cristo.

 

Ataques contra cristãos no mundo

Os ataques contra cristãos se intensificam perto de datas comemorativas da religião cristã. Isso porque o principal tipo de perseguição que afeta a maior parte dos países onde existe perseguição é o extremismo islâmico. Exemplo disso é o que aconteceu no domingo de Páscoa de 2019, no Sri Lankaem que 290 pessoas foram mortas e outras 500 ficaram feridas após ataques a igrejas cristãs e hotéis no país.

Outro exemplo, é o atentado de 2017, no Egitoquando duas igrejas foram atacadas durante a comemoração pascoal, em que 50 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas. Atentados como esses, contra igrejas cristãs, seguem como reflexo do que a Igreja Perseguida ao redor do mundo enfrenta em lugares onde os direitos à liberdade religiosa são restringidos por meio da perseguição e violência de grupos extremistas. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia