WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  


:: ‘missões’

Ministério que realiza estudos bíblicos na Casa Branca inicia reuniões em Brasília

Pastor Ralph Drollinger fala a parlamentares no lançamento do Capitol Ministries no Brasil. (Foto: Facebook/Deputado Silas Câmara)

Pastor Ralph Drollinger fala a parlamentares no lançamento do Capitol Ministries no Brasil. (Foto: Facebook/Deputado Silas Câmara)

Capitol Ministries, fundado nos Estados Unidos com a missão de fazer discípulos de Jesus na arena política em todo o mundo, iniciou na terça-feira passada (3) estudos bíblicos no Congresso Nacional em Brasília.

Cinco senadores e cerca de 30 deputados federais participaram da primeira reunião, além de pastores, líderes e empresários cristãos. O estudo bíblico foi realizado no gabinete do deputado federal Marcelo Brum (PSL-RS).

O lançamento oficial do projeto aconteceu na Câmara dos Deputados na semana anterior, no dia 29 de agosto, com a presença do presidente do ministério, o pastor Ralph Drollinger, e sua esposa, Danielle Drollinger.

O Capitol Ministries foi fundado pelo casal em 1996 para parlamentares da Califórnia. Em 2010, Drollinger estabeleceu estudos bíblicos semanais em Washington, capital americana. Em 2017, após a eleição presidencial de Donald Trump, reuniões passaram a ser feitas com altos membros da Casa Branca.

De acordo com a organização, pela primeira vez em 100 anos, o gabinete dos EUA tem um grupo de estudo da Bíblia. Já no Brasil, cultos e reuniões com a mensagem cristã são frequentes, mas podem ser ainda mais fortalecidos no governo de Jair Bolsonaro.


Pastores e parlamentares no lançamento do Capitol Ministries no Brasil. (Foto: Facebook/Deputado Silas Câmara)

“O presidente Bolsonaro é sem dúvida o presidente mais amigável com pastores da história do Brasil”, disse em entrevista exclusiva do Guiame o pastor Raul José Ferreira Jr., diretor regional do Capitol Ministries em Brasília.

“O presidente tem recebido líderes e comitivas de diversas denominações quase semanalmente. Esses líderes o visitam em geral para manifestar apoio e orar pelo presidente, segundo o ensino do apóstolo Paulo em I Timóteo 2:1-3”, acrescentou.

O Capitol Ministries viu a oportunidade de iniciar os estudos no Palácio do Planalto após um encontro com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. De acordo o pastor, os detalhes estão sendo acertados. :: LEIA MAIS »

Extremistas hindus estupram filha de 4 anos de pastor que insistiu em evangelizar vizinhos

Cristãos protestam contra o extremismo religioso na Índia. (Foto: Reuters/Adnan Abidi/file)

Cristãos protestam contra o extremismo religioso na Índia. (Foto: Reuters/Adnan Abidi/file)

Extremistas hindus estupraram a filha de 4 anos de um pastor na região central da Índia porque ele se recusou a parar de pregar e evangelizar, relatou um missionário local.

O pastor Samuel, um parceiro da Missão Portas Abertas dos EUA na Índia, disse ao site ‘The Christian Post’ que, ao longo dos anos, seu ministério acompanhou centenas de cristãos perseguidos por causa de sua fé no país do sul da Ásia.

Ele compartilhou a história de um pastor e sua esposa, que pouco depois de se casarem, decidiram se mudar para uma pequena cidade no centro da Índia para iniciar um ministério para crianças.

“Eles compartilhavam o Evangelho com essas crianças que foram deixadas na casa deles”, disse Samuel. “Em pouco tempo, essas crianças começaram a se sair bem na escola e a mudar seu comportamento, de modo que seus pais ficaram curiosos e perguntaram sobre Jesus”.

Vendo o interesse crescente da comunidade pelo cristianismo, o pastor e sua esposa decidiram iniciar uma pequena igreja em sua casa. Naquela época, sua filha começou o jardim de infância na escola local.

Pouco tempo depois do início da igreja, um grupo de extremistas hindus encurralou o pastor e ordenou que ele parasse de evangelizar. :: LEIA MAIS »

Boko Haram já sequestrou cerca de 8.000 crianças para usar como terroristas suicidas

Boko Haram tem sequestrado crianças e as doutrinado para realizarem ataques suicidas com bombas em locais públicos, restaurantes e igrejas. (Foto: African Media Agency)
Boko Haram tem sequestrado crianças e as doutrinado para realizarem ataques suicidas com bombas em locais públicos, restaurantes e igrejas. (Foto: African Media Agency)

No dia 17 de junho, duas garotas e um menino entraram em uma casa de chá no norte da Nigéria. Elas estavam vestindo coletes suicidas. Quando os coletes foram detonados, pelo menos 30 pessoas morreram na explosão. Mas por que três crianças fariam uma coisa tão horrível? Essas crianças foram sequestradas pelo Boko Haram e forçadas a se tornarem armas humanas da maneira mais maligna que se possa imaginar. É uma tática terrorista impensável e não é uma história rara.

A ONU declarou recentemente que, desde 2009, cerca de 8.000 crianças foram raptadas pelo Boko Haram. E de acordo com um relatório da UNICEF, pelo menos 117 dessas crianças foram usadas em ataques suicidas desde 2017 – e mais de 80% delas são meninas.

O colunista da Portas Abertas (EUA), Robert Kenna comentou a situação dessas crianças e confessou que como pai, sente seu coração apertado ao saber desses fatos.

“Eu mal posso permitir que minha mente imagine os momentos antes da explosão, quando os militantes do Boko Haram colocaram os coletes nessas crianças e as forçaram a entrar na casa de chá lotada, antes de apertarem o botão para acabar com suas próprias vidas – e a vida de tantas outras pessoas”, escreveu. “É tão desafiador pensar sobre essas coisas. Especialmente como pai. Mas é importante saber que isso está acontecendo”.

Robert contou que fez uma viagem recentemente à Nigéria e que teve a oportunidade de conhecer pessoas que vivem esse contexto de intolerância e perseguição, mas também de determinação e vontade de viver.

“Voltei recentemente de uma viagem ao norte da Nigéria, onde conheci muitas mulheres e crianças nigerianas. Crianças rindo, cozinhando, jogando futebol e garotas trançando o cabelo umas das outras; mulheres cuidando de suas terras, costurando vestidos, pegando água, muitas vezes com bebês em uma bolsa nas costas”, disse.

Ele fotografou crianças que foram sequestradas pelo Boko Haram e conseguiram se libertar, mas carregam consigo as marcas do cativeiro e da doutrinação do grupo terrorista.

“Todas as crianças [fotogradas] foram perseguidas por extremistas, principalmente do Boko Haram. Alguns tiveram suas aldeias atacadas. Outras tiveram suas casas destruídas, seu pais mortos, mães ou irmãos sequestrados, suas igrejas incendiadas. Suas vidas mudaram para sempre de uma forma ou de outra”, afirmou. “É um poderoso lembrete de que a batalha espiritual em que estamos é real. Tão real quanto os coletes suicidas que Boko Haram prepara e coloca sobre crianças inocentes”.

Robert explicou que no Norte da Nigéria, a ameaça de outro ataque ao Boko Haram “continua a pairar como a névoa nas montanhas que cercam suas aldeias”.

“Algumas das aldeias que visitamos foram atacadas até três vezes nos últimos anos”, contou.

O impacto do Boko Haram

De acordo com o Global Conflict Tracker do Council on Foreign Relations, estima-se que 37.500 pessoas morreram como resultado da violência do Boko Haram e 2,4 milhões de pessoas foram deslocadas desde 2011. O nome real, Boko Haram, significa “educação ocidental é proibida”. O grupo extremista islâmico se levantou para combater a influência do Ocidente – o que inclui os ensinamentos do cristianismo.

Robert destacou que o contexto de violência e perseguição religiosa promovido por grupos terroristas como o Boko Haram só comprovam a batalha espiritual vivenciada pelos cristãos em todo o mundo.

“Está claro que temos um inimigo. Satanás é ativo neste mundo e ele trabalha através de sistemas, poderes e pessoas para roubar, matar e destruir. O Boko Haram é apenas uma de suas ferramentas na batalha para destruir a igreja”, destacou. “Mas como crentes, sabemos que não é aí onde a história termina”.

O outro lado da história

Robert reconheceu que quem vê as igrejas bombardeadas na Nigéria, “pode facilmente pensar as trevas estão ganhando”. Mas destacou que este cenário de destruição é uma parte do quadro como um todo.

“Quando você vê o que está acontecendo ao lado dos escombros, isso muda tudo”, lembrou. “As estatísticas obscuras sobre o Boko Haram contam um lado da história, mas há outro lado que está se movendo com força e beleza em meio ao sofrimento”.

“As famílias ainda estão seguindo a Jesus – em meio a ameaças e violência perigosas; pastores estão pastoreando seu povo em abrigos improvisados ??perto de igrejas incendiadas e bombardeadas; famílias estão orando e aprendendo a ler suas Bíblias juntas; casas estão sendo reconstruídas; igrejas estão sendo levantadas de volta; inimigos estão sendo orados e o nome de Jesus está sendo levantado”, acrescentou.

Robert finalizou seu artigo, pedindo que os cristãos não deixem de orar pela Igreja perseguida.

“Então, por favor, não desvie o olhar quando vir ou ouvir sobre o terror e a perseguição que sua família cristã está passando em lugares como a Nigéria. Em vez disso, convido-os a entrar em suas histórias completamente – para orar, apoiar, defender e fazer parceria com eles para espalhar o Evangelho. Porque, como um crente, cuidar do perseguido já está no seu DNA”, destacou. Fonte: Guiame

Idoso sul-coreano é preso no Nepal por distribuir Bíblias

Cristãos nepaleses participam de um culto na aldeia da Lapa em Dhading, a noroeste de Katmandu. (Foto: Reprodução/AFP)
Cristãos nepaleses participam de um culto na aldeia da Lapa em Dhading, a noroeste de Katmandu. (Foto: Reprodução/AFP)

Um cristão idoso que foi preso no Nepal por distribuir bíblias precisou ser internado no hospital depois de passar duas semanas traumáticas na cadeia.

Líderes cristãos no Nepal estão fazendo pedidos de unidade contra a perseguição, que está subindo para níveis de quase genocídio em algumas partes do mundo, como praticado pelos terroristas do Boko Haram.

O norte-coreano Cho Yusang, de 73 anos, foi preso em 23 de julho por convencer os nepaleses a receber literatura cristã.

Após sua prisão do Sr. Yusang, a polícia invadiu o quarto e confiscou todas as Bíblias e literatura cristã que encontrou.

O pastor Sagar Baiju, um líder cristão no Nepal, adverte que a polícia e os políticos estão mirando os cristãos: “Quando viajo para países estrangeiros, carrego minha identidade de nepalês e de cristão, então eu sempre carrego minha Bíblia”.

O pastor diz que essa atitude é criminosa no Nepal. “É crime, quando turistas estrangeiros vêm ao Nepal para visitar o país ou amigos e trazem sua Bíblia”, disse.

Após a prisão do Sr. Yusang, a polícia invadiu seu quarto e confiscou todas as Bíblias e literatura cristã que encontrou.

O pastor Baiju disse que os cristãos estão sendo “guetizados” como criminosos no Nepal.

“Nas escolas dirigidas por hindus, eles fazem as crianças realizar Saraswati Vandana [um mantra hindu comum] em sua devoção matinal, e ninguém se opõe a isso”, compara.

“Então, por que é um crime, se uma escola cristã faz as crianças dizerem a Oração do Senhor?”, questiona. “Por que as objeções são levantadas e os cristãos são guiados como criminosos?”, continua.

O pastor diz que “há uma necessidade de cristãos [de todo o mundo] se unirem e levantar a questão com voz única” no Nepal.

Criminoso

A polícia prendeu o idoso Yusang junto com outros dois estrangeiros que também estavam distribuindo material religioso. O sul-coreano foi preso sob a acusação de abusar de seu visto, já que estava no país com um visto específico para negócios.

Apesar de ter sido libertado da prisão, o Sr. Yusang está sofrendo com várias complicações de saúde e precisará de algum tempo para se recuperar.

Tanka Subedi, presidente do Fórum de Liberdade Religiosa do Nepal (RLFN), disse à Star News: “Embora ele estivesse fora do hospital, ele também estava se sentindo tonto esta manhã. Sua saúde ainda não é boa. Ele não quer voltar para o hospital, porque não tem muito dinheiro sobrando.

A acusação de “tentativa de conversão” sob o Artigo 158 (1) do Código Penal do Nepal de 2017 prevê cinco anos de prisão e ou uma multa de até 50 mil rúpias nepalesas (US$ 445), de acordo com Subedi.

Nepal ficou em 32º lugar na lista de observação cristã World Doors, em 2019, dos países onde é mais difícil ser cristão. Fonte Guiame

Maior livraria flutuante do mundo chega ao Brasil com milhares de Bíblias

Maior livraria flutuante do mundo chega ao Brasil em agosto. (Foto: Operation Mobilisation)
Maior livraria flutuante do mundo chega ao Brasil em agosto. (Foto: Operation Mobilisation)

No dia 24 de agosto, o navio MV Logos Hope, considerado a maior livraria flutuante do mundo, irá atracar no Porto de Santos (SP), com mais de cinco mil títulos, entre literatura cristã e Bíblias.

O MV Logos Hope é operado pela organização alemã GBA Ships e pela Operação Mobilização (OM), como parte de um movimento internacional de evangelismo. A viagem ao Brasil terá parceria com a organizações cristãs locais,

O navio estará aberto ao público em Santos, no Cais Outeirinhos 2 (Cais da Marinha), entre 24 de agosto e 15 de setembro, e ficará fechado às segundas-feiras.

Depois percorrerá outros quatro portos brasileiros: no Rio de Janeiro (RJ), de 19 de setembro a 6 de outubro; Vitória (ES), de 10 a 20 de outubro; Salvador (BA), de 25 de outubro a 10 de novembro; e Belém (PA), de 19 de novembro a 5 de dezembro.

Além de uma ampla gama de livros a preços especiais, o Logos Hope leva consigo cerca de mil exemplares de publicações da SBB, como edições da Bíblia em diferentes traduções e literatura bíblica para todas as idades.

A SBB também irá apresentar uma edição personalizada da Bíblia desenvolvida especialmente para o Logos Hope.

“Para a SBB, esse projeto surgiu como um complemento do trabalho que realizamos com o Barco da Bíblia, maior livraria flutuante de literatura bíblica da Região Amazônica. Por isso, consolidamos esta parceria, agradecendo a Deus pela oportunidade de disponibilizar e divulgar a Palavra de Deus a todos aqueles que visitarem o Logos Hope em sua estadia no Brasil”, afirma Márcia Carneiro, gerente de Comunicação Social da SBB.

Além da livraria, aberta ao público, a equipe promove eventos e conferências a bordo. Para isto, o navio conta com um moderno teatro com capacidade para 400 pessoas e uma sala de conferências, capaz de comportar até 300 pessoas. Em cada porto, a programação busca motivar os cristãos locais em sua caminhada com Cristo.

Operado pela GBA Ships, o Logos Hope dá continuidade ao trabalho iniciado pelos navios Logos, Doulos e Logos II. Essas embarcações já visitaram mais de 160 países e territórios desde 1970, recebendo 46 milhões de pessoas a bordo. O Logos Hope iniciou seu serviço em 2009 e é o maior navio da organização, transportando uma equipe de 400 voluntários, de mais de 60 nacionalidades diferentes.

Segundo a coordenadora de Projeto para a visita do Logos Hope a Santos, Ester Hansen, esta será a primeira visita do MV Logos Hope ao Brasil, mas outras embarcações já percorreram portos brasileiros: 1979, 1981 e 1983 (Doulos) e 1991, 1994 e 1999 (Logos II).

“Pode-se dizer que são 20 anos de expectativas construídas, especialmente no meio cristão, pelo retorno de uma das embarcações da organização. A própria tripulação também está ansiosa para conhecer o Brasil e a cultura hospitaleira da qual tanto se fala. Sabemos que as igrejas brasileiras têm um grande potencial missionário, muito maior do que tem sido colocado em prática”, disse Hansen.

O preço de entrada é de R$ 5,00. Adultos com mais de 65 anos de idade e crianças menores de 12 anos, desde que acompanhadas por um adulto, têm entrada gratuita.

História

O Logos Hope foi construído em 1973 e chamado inicialmente de “Gustav Vasa”. Originalmente construído como uma balsa, a embarcação navegou pelas rotas do Atlântico Norte. Em 1983 o navio mudou de mãos sendo adquirido pela Smyril Line. Foi renomeado como “Norröna” e navegou entre as Ilhas Faroe e a Dinamarca.

Em 2004, a GBA Ships e.V. (GBA: Good Books for All, “Bons livros para todos”) conseguiu levantar fundos para comprar o Norröna como substituto do Logos II. A embarcação foi completamente renovada para seu papel como o novo “navio livraria” e renomeado como “Logos Hope”.

A palavra Logos, de origem grega, é tradicionalmente traduzida como “palavra, pensamento, princípio ou discurso”. Na Bíblia, é usada para se referir à pessoa de Jesus Cristo. Todos os tripulantes do Logos Hope seguem o exemplo de Cristo em suas vidas.

A GBA Ships e.V. é uma organização sem fins lucrativos, de origem cristã e sediada na Alemanha. Ela opera embarcações que navegam pelo mundo compartilhando conhecimento, ajuda e esperança. Desde 1970, os navios conhecidos por suas livrarias flutuantes fizeram mais de 1.500 visitas a portos em mais de 150 países e territórios e receberam mais de 46 milhões de visitantes a bordo. Fonte: Guiame

A perseguição cresce, mas a igreja secreta no Irã também

Neste Dia Internacional da Juventude, lembramos da igreja secreta no Irã que cresce, principalmente, entre os jovens

Neste Dia Internacional da Juventude, lembramos da igreja secreta no Irã que cresce, principalmente, entre os jovens

Todos os dias os muçulmanos no Oriente Médio chegam a Cristo unindo-se a uma enorme igreja invisível: a igreja secreta. Neste Dia Internacional da Juventude, queremos contar a história de Nava*, que tem 21 anos. Ela é uma das cristãs secretas no Irã e conta como Deus se revelou de uma maneira especial.

“Embora tenha havido cristãos na minha família muçulmana nominal durante anos, Cristo nunca me interessou realmente”, Nava começa a compartilhar. “Mas a cruz mudou completamente a minha vida. Há  um ano eu tive um sonho. Tudo começou como um pesadelo. Havia pessoas más se aproximando de mim que queriam arrancar as roupas do meu corpo. Mas, então, eu chamei por Jesus”, conta.

“Eu não sei porque eu fiz isso. Eu não era cristã na época, embora minha mãe fosse. Jesus veio, me abraçou e disse: não tenha medo. Ele me deu um lenço. Quando abri, vi que continha uma cruz em um colar”. Assustada e confusa com o sonho, Nava foi ao joalheiro no dia seguinte, ela conta: “Eu perguntei se eles tinham um colar de cruz, mas eles não tinham. Um homem na rua me ouviu perguntando isso e me disse que ele tinha um colar de cruz, mas que eu deveria pagá-lo e só abrir de volta para casa. Então eu paguei a ele”. :: LEIA MAIS »

No Irã, juiz chama cristãos de apóstatas e diz que Bíblia foi fabricada

Principal entrada da prisão de Evin, na capital Teerã, onde muitos cristãos estão presos. Evin é conhecida por torturas e maus-tratos aos detidos

Principal entrada da prisão de Evin, na capital Teerã, onde muitos cristãos estão presos. Evin é conhecida por torturas e maus-tratos aos detidos

No dia 28 de julho, quatro cristãos compareceram para audiência no tribunal, acusados de ameaçar a segurança do Estado e de promover sionismo. O sionismo se refere àqueles que defendem o direito à autodeterminação do povo judeu e à existência de um Estado nacional judaico independente e soberano no território onde existiu o antigo reino de Israel.

Os quatro cristãos foram presos em várias batidas policiais na cidade de Rasht, no norte do Irã, em janeiro e fevereiro deste ano. O juiz disse que a Bíblia foi fabricada e que eles eram apóstatas, segundo informa o site Christian Solidarity Worldwide (CSW). Os quatro cristãos são membros da mesma igreja, a Igreja do Irã, cujo pastor, Youssef Nadarkhani, foi condenado a dez anos de prisão em julho de 2017.

Em outro julgamento que aconteceu quatro dias antes, outros cinco membros de igrejas foram enviados de volta à prisão sob fiança ainda maior. Um deles era Abdorelza Ali Haghnejad, cujo caso temos acompanhado. Isso porque eles se recusaram a substituir o advogado deles por um advogado designado pelo tribunal, como informa o site Middle East Concern.

No país de maioria muçulmana, os cristãos são considerados uma “influência ocidental” e uma ameaça à identidade islâmica do país. O governo tem tentado impedir o crescimento da igreja. Como resultado, os cristãos são proibidos de compartilhar a fé com não cristãos e não podem frequentar cultos cristãos. Isso os força a participar de igrejas domésticas informais. Cristãos ex-muçulmanos são particularmente vulneráveis por serem considerados apóstatas e não têm proteção legal sob a lei iraniana. :: LEIA MAIS »

“Uma vida salva é melhor que 10 Oscars”, dizem produtores de cinema

Nos Estados Unidos os filmes dos irmãos Alex e Stephen Kendrick têm feito muito sucesso nas bilheterias. “A Prova de Fogo” (2008) e “Corajosos” (2011) ficaram no Top 4 entre os mais assistidos. Já “Quarto de Guerra” (2015) conquistou o primeiro lugar em dois finais de semana.

Apesar do sucesso nas telonas, os longas cristãos não receberam nenhuma premiação e isso, para os irmãos Kendricks, não é importante, pois a salvação de pessoas com as mensagens dos filmes é o alvo.

:: LEIA MAIS »

Igrejas protestantes em Cuba lançam aliança evangélica

Igreja em Cuba. (Foto: Portas Abertas)

Por não se sentirem representados, sete denominações protestantes cubanas resolveram se juntar e criar a Aliança Evangélica das Igrejas Cubanas, formada por igrejas que se opuseram às mudanças da nova constituição daquele país.

Criada em 11 de junho, a criação da aliança acontece após um referendo realizado no início do ano onde os cubanos votaram a favor de uma nova constituição e onde os cristãos de diferentes denominações se encontraram em oposição a certos elementos do projeto de lei.

“Nesse processo tornou-se mais evidente que o Conselho Cubano de Igrejas não agiu a favor da doutrina da Igreja, mas a favor dos interesses particulares e políticos do regime”, disse Rosanna Ramirez, analista de perseguição da Portas Abertas, organização que pesquisa a perseguição aos cristãos e apoia cristãos perseguidos no mundo.

Recentemente um pastor e sua esposa foram presos por ensinar seus filhos em casa porque não querem que eles sejam expostos a ensinamentos comunistas do Estado. A prisão tem aproximado as igrejas aliadas que, ao contrário do conselho existente, não apoiam a forma como o governo comunista tem tratado os cristãos.

“As igrejas que são membros da aliança são conhecidas por serem os principais grupos que se opuseram às mudanças da nova Constituição, especialmente em relação ao tratamento da liberdade religiosa. Elas foram os que ousaram desafiar o regime e mostrar seu desacordo abertamente, sem medo de represálias”, disse Ramirez.

O regime já negou todos os vistos religiosos solicitados pelas igrejas que se juntaram à nova aliança, disse uma fonte local à Portas Abertas sob condição de anonimato para garantir a segurança. Após o referendo constitucional, as cinco maiores igrejas protestantes disseram que o governo os impediu de receber visitantes do exterior. :: LEIA MAIS »

Relatório indica que cristãos são os mais perseguidos “e está piorando”

Bíblias queimadas e igrejas destruídas na China.

Bíblias queimadas e igrejas destruídas na China. (Foto: Reprodução / Twitter)

A perseguição religiosa ao redor do mundo está piorando. O relatório anual da Comissão dos EUA sobre Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF) oferece uma visão clara dos lugares mais difíceis do mundo para ser cristão.

Myanmar, República Centro-Africana, China, Eritréia, Irã, Nigéria, Coréia do Norte, Paquistão, Rússia, Arábia Saudita, Sudão, Síria, Tadjiquistão, Turcomenistão, Uzbequistão e Vietnã são as nações onde as pessoas de fé enfrentam as formas mais agressivas e violentas de perseguição.

Gary Bauer, um dos comissários da USCIRF, destaca que “os cristãos são o grupo religioso mais perseguido do mundo e está se acelerando”.

Ele destaca a presença da China na lista por causa da influência que exerce.

“Trata-se de uma potência em ascensão. A economia está crescendo a cada ano, suas forças armadas estão se expandindo. Os chineses têm ambições mundiais e em continua promovendo perseguição”, disse ele à CBN News.

Em alguns países a perseguição é mais disfarçada, onde há maior conivência do governo, como Bahrein, Cuba, Egito, Índia, Indonésia, Iraque, Cazaquistão, Laos, Malásia e a Turquia. Este último recentemente ocupou as manchetes internacionais por manter preso o pastor Andrew Brunson por quase dois anos, sob falsas acusações de terrorismo. :: LEIA MAIS »

Contra fatos, não há argumentos: os cristãos são o grupo religioso mais perseguido do mundo

Pessoas mortas após atentado em igreja de Santo Antônio em Colombo, Sri Lanka, neste domingo 21).  (Foto: AFP)

Depois do ocorrido neste último domingo (21), você ainda tem alguma dúvida de que o incêndio criminoso da Catedral de Notre-Dame foi motivado por perseguição religiosa? Eu não tenho dúvida. Agora, temos não um incêndio criminoso, mas um atentado terrorista que vitimou quase 800 pessoas, entre mortos e feridos.

Contra fatos, não há argumentos: os cristãos são (disparado) o grupo religioso mais perseguido do mundo e, ainda que boa parte do ocidente negue este dado da realidade, precisamos acima de tudo repercutir e suscitar uma reflexão sobre este assunto.

Creio que o reconhecimento daquilo que de fato acontece no mundo com relação ao povo que professa a fé em Jesus Cristo não deve nos fazer pensar que isso é algo a ser meramente abordado no âmbito político da coisa. Não. Devemos falar disso também no âmbito escatológico considerando que, se estamos no caminho do martírio, estamos no caminho certo.

Podem queimar os templos. A fé continuará inabalável e o Cristo mais soberano do que nunca. Sua igreja não será impedida por nenhum terrorista ou político ou seja lá qual for a personalidade poderosa ou influente. As portas do Inferno não prevalecerão…

Não estamos alicerçados em prédios feitos por homens, mas sim na Pedra Viva e Angular, aquela que foi rejeitada há mais de dois mil anos atrás: Jesus Cristo, a Rocha Inabalável onde fomos vivificados e estamos num processo permanente de edificação e santificação.

Sabemos em quem temos crido. Ele nos preservará até o fim e glorificará os seus santos mártires.

No entanto, deixamos claro para cada um que acessar este artigo a verdade de que a Igreja Cristã é e continuará sendo o maior alvo de perseguição religiosa em todo o mundo. Antes de nos acusarem de preconceituosos, intolerantes, incitadores do ódio e da violência, lembrem-se de que o sangue mais derramado nesta terra caída é o sangue de gente que abraçou o sofrimento juntamente com Cristo a fim de que, juntamente com Ele, possam alcançar a ressurreição e a glória. :: LEIA MAIS »

Terrorista do Estado Islâmico se converte após ouvir a voz de Deus em bombardeio

Homem mascarado em vídeo divulgado por militantes do Estado Islâmico em 2014. (Foto: Reuters/FBI)

Homem mascarado em vídeo divulgado por militantes do Estado Islâmico em 2014. (Foto: Reuters/FBI)

Com apenas 17 anos, Shuhaib* foi recrutado pelo grupo terrorista Estado Islâmico para atuar no Afeganistão. Seu aversão pelas pessoas que não seguiam o Islã nasceu em sua própria casa — sua família, que seguia a vertente mais extrema do islamismo, fazia parte da liderança do Talibã.

Durante seu governo no Afeganistão, entre 1996 e 2001, o Talibã cometeu massacres contra milhares de pessoas e destruiu inúmeras ??igrejas. Quando forças lideradas pelos Estados Unidos atacaram o país em 2001, Shuhaib, com apenas 4 anos, viu serem mortos três de seus irmãos e sua mãe.

Shuhaib escapou junto com seu pai e sua irmã, Sameera, com o apoio de soldados americanos. Eles conseguiram reconstruir a vida mas, diante das perdas, a raiva dos cristãos aumentou.

Cerca de um ano e meio atrás, o pai de Shuhaib morreu em um acidente e sua irmã, Sameera, se converteu ao cristianismo após ser curada por Jesus. Enquanto Shuhaib continuava com sua missão terrorista, ela orava fervosoramente para que ele também tivesse um encontro com Deus. :: LEIA MAIS »

200 famílias cristãs atacadas por radicais islâmicos no Paquistão, em nova onda de violência

Uma multidão de radicais islâmicos atacaram cerca de 200 famílias cristãs no Paquistão. Elas foram expulsas de suas casas depois que quatro mulheres cristãs foram falsamente acusadas de blasfêmia, na semana passada.

International Christian Concern (ICC), organização que monitora a perseguição contra cristãos em vários locais do mundo, denunciou a onda de violência ocorrida em Karachi, quinta cidade mais populosa do Paquistão. A ICC revelou que uma mulher muçulmana chamada Samina Riaz acusou quatro mulheres cristãs com idades entre 14 e 30 anos de profanarem o Alcorão.

A acusação foi feita após o cristão Amjad Dildar, pedir que Riaz e seu marido desocupassem a casa que estavam alugando porque o casal muçulmano estava “causando problemas entre as famílias cristãs da comunidade”. Como vingança, Riaz acusou três das filhas de Dildar e outra mulher cristã de danificar uma cópia do Alcorão, o livro sagrado do Islã.

As acusadas ??de blasfêmia são Soneha Amjad (14 anos), Sophia Amjad (18), Sunaina Amjad (22) e Sophia Qamar (30).

Embora sem nenhum tipo de prova, a notícia de que mulheres cristãs haviam tentando destruir um Alcorão espalharam-se rapidamente, o que fez com que uma multidão de moradores muçulmanos do bairro passassem a atacar várias propriedades cristãs na área e uma igreja local.

A casa de Dildar fo bastante danificadas por pedras jogadas pela multidão. O grupo armado também matou animais de estimação e gado.

Posteriormente, uma investigação policial mostrou que foi a própria Riaz que mergulhou o livro sagrado do Islã em água suja, para simular a tentativa de destruição. Riaz e seu marido foram presos e a mulher admitiu que ela orquestrou a coisa toda.

A reação desproporcional mostra como as leis antiblasfêmia paquistanesas são usadas por muçulmanos radicais como desculpa para a perseguição de cristãos. Em especial por conta da absolvição recente de Asia Bibi, uma cristã acusada de blasfêmia em 2009 que foi condenada à morte, mas acabou absolvida no ano passado pela Suprema Corte do país justamente por falta de provas.

Apesar da absolvição de Bibi, há muitos outros cristãos que foram falsamente acusados ??de blasfêmia. A ICC informa que, nos últimos 30 anos, 1.500 indivíduos foram acusados ??de cometer blasfêmia no Paquistão, país que ocupa a quinta posição no ranking de perseguição religiosa da Missão Portas Abertas. Fonte: Gospel Prime

Venezuelanos choram ao receber comida de missionários em Roraima

Um grupo de missionários que está em Roraima para ajudar refugiados flagraram crianças venezuelanas chorando ao receberem alimentos.

Uma foto compartilhada pela Aliança de Misericórdia mostra uma menina chorando ao receber um sanduíche no último domingo (24), durante uma visita que os missionários fizeram às ruas e abrigos de Boa Vista.

“A criança chorou quando deu a primeira mordida. Meu coração [chorou] muito mais”, contou a missionária Maria Clara, ao divulgar o depoimento na página do grupo católico no Facebook.

A menina fica em um abrigo voltado para crianças de até 13 anos. Eles vivem em barracas e recebem apenas uma refeição por dia. Segundo relatos, mães e pais dessas crianças passam a maior parte do dia pedindo esmolas pelas ruas e, alguns casos, até mesmo se prostituindo.

A equipe enviada para Roraima conta com cinco padres e 28 missionários vindos do Ceará e São Paulo. Para o padre José Vicente dos Santos, da Diocese do Crato (CE), que faz parte da ação missionária, a  situação dos refugiados é dramática.

“O momento é de tensão, choro e fome. Precisamos realmente ajudar porque a situação está muito caótica”, disse ele em entrevista ao UOL.

Trump assina projeto que ajuda cristãos vítimas do terrorismo islâmico


Imagem: White House/Shealah Craighead

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou na terça-feira (11) um projeto de lei que vai ajudar as vítimas do genocídio cometido pelo Estado Islâmico. A iniciativa animou líderes religiosos e ativistas de direitos humanos.

O projeto intitulado por “Lei de Socorro e Responsabilidade do Genocídio no Iraque e na Síria” pode impulsionar os esforços para ajudar os cristãos e outras minorias religiosas que foram vitimadas através dos crimes cometidos pelo grupo extremista islâmico nesses países.

“Esperamos que isso signifique o início de um tempo de ajuda para as nossas minorias e que aponte para os responsáveis por tudo o que aconteceu de injusto”, disse Bashar Warda, em entrevista ao Christian Post. O padre iraquiano é responsável pela ajuda a milhares de cristãos deslocados no Curdistão.

Ele conta que a situação era difícil porque o único apoio a esses cristãos em situação de crise vinha da própria igreja e suas organizações. Mas, desde agosto, houve grandes mudanças, com a chegada do enviado especial do vice-presidente dos EUA para supervisionar o programa de ajuda no norte do Iraque. :: LEIA MAIS »

Na Coreia do Norte, alunos são estimulados a “dedurarem” que pais são cristãos


O missionário Vernon Brewer, da ONG cristã World Help, há anos de dedica a contrabandear Bíblias para a Coreia do Norte. Ele sabe que é arriscado, mas diz que “nossos irmãos e irmãs perseguidos continuam a pedir por elas”.

Conforme destaca, os cristãos norte-coreanos estão enfrentando “mais perseguição que nós poderíamos imaginar, mas ainda clamam pela Palavra do Senhor”. Em artigo recente para o site Faith Wire ele conta que ouve “trágicas histórias” sobre o que acontece na ditadura comunista.

“Ouvi o relato de um cristão chamado Eun. Sua história é de partir o coração. Anos atrás, quando estava na terceira série sua professora lhes deu uma dever de casa “diferente”.

“Quando você for para casa, quero que procure um livro”, ela disse. “Normalmente, tem a capa preta e ficam escondido. Sua mãe ou seu pai o leem quando você está dormindo. Se você procurar bastante, encontrará este livro. E se o trouxer, nós te daremos um presente”, disse a professora.

Logo que chegou em casa, Eun começou a procurar o livro. Acabou encontrando a Bíblia de seus pais. “No dia seguinte, orgulhosamente o apresentou a sua professora e recebeu um lenço vermelho como recompensa. Mas quando voltou para casa para mostrar o lenço para seus pais, eles não estavam lá. Haviam sido presos … junto com os pais de outras 14 crianças que foram “honradas” por completar aquela tarefa”, conta Vernon. :: LEIA MAIS »

Cristãos enfrentam extinção iminente no Oriente Médio”

Religioso em escombros de igreja no Iraque
Religioso em escombros de igreja no Iraque. (Foto: Getty Images)

Os cristãos no Oriente Médio estão enfrentando “extinção iminente”, advertiu neste domingo (2) o arcebispo da Cantuária, líder máximo dos cerca de 80 milhões de anglicanos do mundo. Justin Welby disse à BBC que os seguidores de Jesus estavam sujeitos à “ameaça diária de execução” e que sua situação era a pior desde as invasões mongóis do século 13.

O arcebispo pediu que o governo do Reino Unido aceite mais refugiados cristãos, que acabam preteridos em muitos países. Ele destaca que apenas um em cada 400 refugiados sírios que receberam asilo no Reino Unido no ano passado era cristão.

A Abadia de Westminster, sede da Igreja Anglicana, realizou um culto especial hoje para lembrar a perseguição religiosa. Welby disse aos fiéis que “a situação dos cristãos em muitas partes do Oriente Médio está cada vez mais difícil”. Insistiu também que “precisamos orar por eles e falar em nome deles.”

Falando ao jornal The Telegraph, acrescentou: “Os cristãos enfrentam diariamente ameaças, violência, assassinato, intimidação, preconceito e pobreza. Nos últimos anos, eles foram massacrados pelo Estado Islâmico e, em muitos países, encontram-se aprisionados em meio aos conflitos que tomam conta da região”.

O arcebispo lembra ainda que “centenas de milhares de cristãos foram forçados a sair de suas casas. Muitos foram mortos, escravizados ou convertidos [ao Islã] à força”. Destacou o Iraque como exemplo, onde a população cristã atual é menos da metade do que era em 2003. Muitas igrejas foram destruídas e não há mais cultos em diversas regiões. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia