WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


janeiro 2021
D S T Q Q S S
« dez   fev »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  


:: jan/2021

Líder muçulmano tem encontro com Jesus na Ásia Central

O líder aceitou Jesus junto com a família, após a visita de parceiros, na Ásia Central (foto representativa)

O líder aceitou Jesus junto com a família, após a visita de parceiros, na Ásia Central (foto representativa)

Em dezembro de 2020, uma equipe de parceiros da Portas Abertas na Ásia Central viajou para montanhas com o objetivo de distribuir presentes de Natal para as crianças. A equipe retornou da viagem há uma semana e compartilhou as dificuldades, principalmente por causa das condições climáticas e características locais. Abaixo, o relato de um dos parceiros que integrou a equipe.

Distribuímos 500 presentes de Natal na área onde as pessoas nunca ouviram falar de Jesus e as crianças nunca receberam presentes de Natal e Ano Novo. Organizamos programas de celebração nas escolas – músicas, performances, jogos.

Em uma das escolas, policiais dos serviços de segurança locais vieram e prenderam nossa equipe, fomos detidos na cela durante várias horas e ameaçaram nos aprisionar por “atividade religiosa ilegal com crianças”. Mas graças a Deus, depois de várias horas, fomos soltos, pagamos uma multa e saímos daquele lugar. 

Também alcançamos famílias pobres com ajuda humanitária – pacotes de alimentos com farinha, óleo, produtos de massas e outros itens necessários, também compartilhamos o evangelho com essas pessoas.

Uma das famílias visitadas foi a de um mulá, um líder religioso muçulmano. Durante nossa visita, o mulá e a família aceitaram Jesus como filho de Deus e salvador. Nossa oração é por ele e pela família, pois é tão difícil e perigoso ser cristão lá, especialmente quando se é cristão ex-muçulmano.

É difícil manter o ministério naquele lugar. Durante o ano passado, visitamos o local várias vezes e agora podemos ver os resultados – muitas famílias e crianças ouvindo sobre Jesus e muitos convertidos. Somos muito gratos a Deus e já planejamos a próxima viagem para lá, por isso precisamos de apoio e oração. :: LEIA MAIS »

O DESENVOLVIMENTO DO BAIRRO DE ONDINA EM SALVADOR

 

Artigo - WalCordeiro foto ondina salvador

Créditos: Flickr – JHR Silva

Saiba como é a vida em um dos bairros que mais crescem em Salvador, o Ondina.

Salvador está entre as 5 melhores capitais brasileiras para se viver, e qualidade de vida é uma coisa que encontramos de sobra por estas terras baianas. A capital da Bahia possui uma série de benefícios que ajudam a melhorar a qualidade de vida de seus moradores como uma infraestrutura completa e um dos melhores turismos do país, mas muito além disso, os bairros da cidade também possuem benefícios particulares, por assim dizer, e se você está pensando em se mudar para lá, chegou a hora de conhecer o Ondina, uma das áreas que mais se desenvolve na cidade.

A BELEZA DE ONDINA: Se você está em busca de um bom apartamento para aluguel em Ondina ou até mesmo um apartamento à venda em Ondina, saiba que o local é um paraíso histórico e natural para se viver em Salvador. Toda a sua extensão é banhada pelo mar e o bairro possui uma série de árvores em suas redondezas. No Ondina é possível ter acesso ao maior campus da UFBA – Universidade Federal da Bahia – bem como ao Parque Zoobotânico que é um dos mais bonitos do país e do mundo.

INFRAESTRUTURA: Mesmo que, à primeira vista, o aluguel em Ondina possa parecer caro, ele realmente vale o investimento. O bairro do Ondina é um dos mais completos de Salvador e possui um excelente índice de segurança, além disso, é possível encontrar em suas principais avenidas – Garibaldi e Oceânica – uma série de serviços como clínicas, hotéis, bares, restaurantes e comércio em geral.

O MELHOR CARNAVAL DO BRASIL: Se você pensa em investir em um apartamento à venda em Ondina, saiba que este é um dos bairros que mais fazem sucesso durante o carnaval de Salvador. Alguns dos circuitos mais famosos da folia tem como seu ponto de chegada o Ondina e normalmente saem do bairro da Barra – outro ponto histórico da cidade – em direção ao local. :: LEIA MAIS »

Como é a perseguição às crianças cristãs?

As crianças cristãs enfrentam diversos tipos de perseguição e também são fortemente afetadas pela perseguição aos pais

As crianças cristãs enfrentam diversos tipos de perseguição e também são fortemente afetadas pela perseguição aos pais

Em todo o mundo, muitas crianças se encontram em situação de vulnerabilidade, garante a Convenção sobre os Direitos da Criança, destinada a proteger as crianças; esse tratado é um dos mais assinados de todos os tempos. No entanto, as crianças continuam a enfrentar perseguição quando estão inseridas em uma minoria religiosa, como a cristã. O departamento de pesquisa da Portas Abertas realizou um estudo para entender como os pequenos seguidores de Jesus enfrentam a perseguição.

Quais as consequências da perseguição religiosa para as crianças?

As crianças são afetadas direta e indiretamente por discriminação religiosa, assédio e intolerância. Tudo dependerá se são meninos ou meninas e de onde vivem. Isso tem um impacto severo em toda a vida. As pesquisas apontam que as crianças são indiretamente atingidas pela opressão de pais e parentes. Prisão, viuvez, divórcio forçado e custódia negada de crianças levam à separação de filhos dos pais cristãos. Isso é traumático para elas e também tem efeitos nocivos a longo prazo. A discriminação contra famílias e comunidades cristãs também afeta as crianças no acesso a cuidados de saúde e suprimentos básicos, como comida e água.

Restringir as atividades das igrejas e dos pais cristãos leva à discriminação contra as crianças e as priva de aprender mais sobre Jesus. Sem acesso ao apoio comunitário, os meninos e as meninas cristãos podem enfrentar as pressões da intolerância ou da rejeição da comunidade sozinhos. Por exemplo, na China, crianças menores de 18 anos são proibidas de frequentar cultos da igreja ou receber qualquer educação religiosa.  :: LEIA MAIS »

Quais os impactos da COVID-19 na Lista Mundial da Perseguição 2021?

A pandemia da COVID-19 aumentou a vulnerabilidade dos cristãos que já conviviam com a discriminação e a violência

A pandemia da COVID-19 aumentou a vulnerabilidade dos cristãos que já conviviam com a discriminação e a violência

A pandemia da COVID-19 impactou o mundo todo, e muitos governos exploraram esse contexto para intensificar a opressão às minorias religiosas, aumentando a vulnerabilidade dos cristãos perseguidos. O departamento de pesquisa da Portas Abertas realizou um estudo sobre os principais impactos que a pandemia trouxe para os seguidores de Jesus hostilizados por causa da fé.

As descobertas iniciais foram confirmadas durante a elaboração da Lista Mundial da Perseguição 2021, onde todos os países do Top50 obtiveram a classificação de perseguição extrema e severa, os índices mais altos da pesquisa. Os países com perseguição extrema, obtiveram entre 81 e 100 pontos, e os países com perseguição severa tiveram pontuação entre 61 e 80. Isso mostra que a pandemia aumentou o grau de perseguição em muitos países. Entenda como é feita a Lista Mundial da Perseguição.

Uma outra tendência global fortemente percebida durante o período, foi que os cristãos passaram a ser vistos como culpados pela pandemia e pela transmissão do vírus. Levando à disseminação de discursos de ódio e ataques físicos contra os seguidores de Cristo, nos quais funcionários do governo, membros da comunidade e grupos extremistas participaram. Muitas igrejas também foram atacadas por socorrer as comunidades nas principais necessidades.

Os cristãos têm, constantemente, o acesso às necessidades básicas negadas, já que a comunidade os vê como diferentes e muitas vezes como traidores. Durante a pandemia, eles continuaram a ser privados de ajuda humanitária, alimentos e até água, aumentando a vulnerabilidade e prejudicando a saúde das famílias. Grupos extremistas, governos e comunidades passaram a pressionar ainda mais os seguidores de Jesus durante a pandemia, realizando ataques diretos aos cristãos e igrejas. :: LEIA MAIS »

A cura e perseguição de uma cristã na Índia

Após a cura, Ruby se manteve firme na fé, mesmo diante da perseguição na Índia

Após a cura, Ruby se manteve firme na fé, mesmo diante da perseguição na Índia

Durante muitos anos, Ruby* lutou contra dores abdominais que pareciam não ter cura. Ela visitou inúmeros hospitais na Índia, foi a muitos centros e feiticeiros da aldeia local, mas não encontrou cura em nenhum lugar. Então, a indiana foi apresentada a uma igreja, onde cristãos oraram por ela. Ela se sentiu à vontade e passou a frequentar as reuniões de oração. Ruby gradualmente foi curada das dores que a acompanhavam há anos.

Esse encontro fez Ruby aceitar Jesus e frequentar a igreja. Como os vizinhos da cristã perceberam a conversão da mulher, passaram a ameaçar tanto Ruby quanto a família dela. Apesar de serem pressionados a abandonar a nova fé, eles continuaram frequentando a igreja.

Então, os moradores da aldeia ficaram furiosos e convocaram uma reunião para que o marido de Ruby, Kishore*, impedisse a esposa de frequentar os cultos. Devido à pressão constante que Kishore sofreu dos moradores, ele começou a agredir a esposa para que abandonasse a fé cristã. Mas, após ter experimentado uma cura milagrosa, Ruby manteve-se forte.  :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Pastor é agredido por multidão no Sri Lanka

Os budistas radicais visam enfraquecer a igreja liderada pelo pastor Nalaka no Sri Lanka

Os budistas radicais visam enfraquecer a igreja liderada pelo pastor Nalaka no Sri Lanka

No dia 14 de janeiro, um pastor que servia nas regiões montanhosas da província de Uva, no Sri Lanka, foi atacado por uma multidão. O pastor Nalaka*, a esposa dele e um casal que os acompanhava também foram hostilizados pelos extremistas. Eles participavam de um evento na casa de um cristão na aldeia vizinha.

“Cerca de 200 pessoas nos cercaram e um monge daquela aldeia as liderava. Os golpes vieram de todos ao meu redor, eu não conseguia nem descobrir exatamente onde doía”, compartilhou o pastor Nalaka com um parceiro da Portas Abertas. A esposa do pastor foi atingida por um guarda-chuva, e o casal que os acompanhava também recebeu golpes. No entanto, o homem que acompanhava o líder cristão ficou mais ferido “Eles o cercaram e bateram nele com paus. Ele ainda está com dor e nem é cristão, mas isso não importou”, acrescentou o pastor.

Quando os moradores receberam a notícia de que o pastor e a família haviam sido atacados, eles comemoraram. “Os moradores soltaram fogos até o anoitecer. Eles nunca são hostis em nossa frente, mas secretamente são fortemente contra a igreja”, explicou a esposa do pastor. De acordo com o líder cristão, o grupo extremista budista Bodu Bala Sena (BBS) vem pressionando os templos locais da área para se opor à igreja. “Os monges desta área pertencem ao grupo extremista Sinhale. Eles estão sendo pressionados pelo BBS para se livrarem da igreja. A BBS disse a eles que, se não fizerem nada, ela cuidará disso sozinha”, contou.

Inimigos extremistas

No passado, a BBS foi responsável por realizar ataques contra igrejas. Promovendo a ideologia nacionalista sinhalese, o grupo incentivava a população a se opor aos cristãos e promovia vários incidentes de violência física também em 2019. Com o ressurgimento desse grupo, pastores como Nalaka, as famílias deles e funcionários da igreja continuam enfrentando a ameaça de mais perseguição em partes rurais do país. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: “Sobreviverei a isso?”, perguntou cristã presa na Coreia do Norte

Na Coreia do Norte, os cristãos que são descobertos podem ser mortos, presos e enviados para campos de trabalho forçado

Na Coreia do Norte, os cristãos que são descobertos podem ser mortos, presos e enviados para campos de trabalho forçado

Ao escolherem seguir Cristo, os cristãos norte-coreanos enfrentam perseguições extremas vindas do governo, de familiares, amigos e até da comunidade onde moram. A hostilidade resulta em agressões, mortes e prisões para os seguidores de Jesus. As prisões de cristãos têm aumentado, principalmente na Coreia do NorteEritreia e Irã. Por isso, mobilizamos a igreja brasileira para interceder e agir em favor dos cristãos presos no Domingo na Igreja Perseguida (DIP) 2021.

Como vivem os cristãos norte-coreanos presos?

Por meio do relato de uma cristã da Coreia do Norte, podemos entender um pouco mais sobre as dificuldades enfrentadas pelos seguidores de Cristo encarcerados. O relato abaixo, é real e foi feito por uma cristã norte-coreana enviada para a prisão e depois para um campo de reeducação. Leia abaixo o testemunho da Prisioneira 42 sobre a rotina na prisão:

Seu nome é a primeira coisa que eles tiram. Então eles tomam a liberdade.

Eles tiram a saúde, a presença de outras pessoas, as roupas dos presos e até o cabelo. E, finalmente, tiram a luz do dia.

Meu nome é Prisioneira 42. Claro, esse não é meu nome verdadeiro. Mas é o nome que me foi dado quando entrei nesta prisão na Coreia do Norte.

Todas as manhãs, às 8h, eles chamam a “42”. Quando me levanto, não posso olhar para os guardas. Tenho que me levantar, colocar minhas mãos atrás das costas e segui-los até a sala de interrogatório. Posso ver as sombras dos guardas, mas tenho o cuidado de nunca parecer que estou olhando para eles. :: LEIA MAIS »

Cristãos lutam para manter a fé na Colômbia

Os filhos dos cristãos perseguidos em Cauca e em toda a Colômbia também vivem no contexto de perseguição

Os filhos dos cristãos perseguidos em Cauca e em toda a Colômbia também vivem no contexto de perseguição

O departamento de Cauca, na Colômbia, abriga duas das mais antigas igrejas cristãs indígenas. As congregações tiveram que suportar o peso da perseguição, rejeição e violência por décadas. Na região, os grupos armados ilegais e o crime organizado lutam pelo poder e controle de um vasto território. Há também corrupção, falta de presença do Estado e um confronto contínuo com as lideranças indígenas.

Os cristãos evangélicos em Cauca estão no meio dos conflitos de terras e são uma minoria religiosa local. Por isso, eles agarram-se à esperança em Jesus Cristo. Um cristão indígena mais velho disse a um parceiro da Portas Abertas no local:

“Confiamos no verdadeiro Deus; sofremos e não temos terra, mas Deus tem um lugar bonito para nós no paraíso”.

Juntamente com outras 25 famílias, o homem e a família foram expulsos recentemente das comunidades por se recusarem a participar de rituais animistas ancestrais. É um desafio contínuo para os cristãos em todos os cantos de Cauca. A crescente pressão que os cristãos sentem vem de funcionários corruptos do governo local, grupos católicos e líderes indígenas tradicionais que não toleram a presença de outras religiões.

Mas há também a tensão causada pela imprevisibilidade de conflitos violentos entre grupos armados ilegais e a violência sempre presente que ameaça a missão dos líderes religiosos e sociais. Só em 2020, cerca de 254 ativistas de direitos humanos foram mortos na Colômbia, 83 deles na região de Cauca. :: LEIA MAIS »

Cristãos são retirados de escombros na Indonésia

As filhas do parceiro saíram com vida dos escombros, mas a esposa não resistiu e faleceu na Indonésia (foto: AntaraNews)

As filhas do parceiro saíram com vida dos escombros, mas a esposa não resistiu e faleceu na Indonésia (foto: AntaraNews)

No dia 15 de janeiro, a Portas Abertas noticiou sobre um terremoto que deixou muitos mortos e feridos na Indonésia. O terremoto de magnitude 6,2 atingiu a ilha de Sulawesi e deixou mais de 80 cidadãos mortos, de acordo com atualizações dadas ontem, 18 de janeiro, por parceiros locais. Alguns cristãos estavam soterrados dentre os escombros e foram retirados, mas a esposa de Axel Fong, parceiro da Portas Abertas e membro da Igreja GBI Puncak, não resistiu e faleceu, após ficar soterrada por três dias.

As filhas de Axel, Angel e Katrin, chamada anteriormente de Katherine, foram retiradas com vida dos escombros e estão recebendo acompanhamento para os ferimentos. Além das meninas, outro familiar de Fong foi resgatado com vida. Milhares de famílias permanecem desabrigadas e socorristas continuam trabalhando para encontrar cidadãos vivos sob os destroços do terremoto.

A Agência Nacional de Gestão de Desastres realizará testes rápidos de COVID-19 para os refugiados, a fim de evitar a transmissão da doença nos locais de evacuação. A Indonésia ocupa a 47ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2021, onde os cristãos enfrentam perseguição por parte do governo, comunidade, amigos e até familiares.    :: LEIA MAIS »

Cristão ex-muçulmano é agredido por vizinho nas Filipinas

O vizinho tentou golpear a mulher do cristão, mas ele entrou na frente e teve a mão cortada (foto representativa)

O vizinho tentou golpear a mulher do cristão, mas ele entrou na frente e teve a mão cortada (foto representativa)

Jimmy*, um cristão ex-muçulmano, estava conversando com o vizinho sobre os fios de eletricidade, na comunidade que vivem, nas Filipinas. Quando o vizinho envolveu a fé do cristão na conversa e começou a gritar com Jimmy e a esposa dele. O vizinho tirou uma faca do bolso e tentou golpear a cristã, mas Jimmy colocou a mão na frente para protegê-la e foi cortado.

Como um cristão ex-muçulmano vivendo em uma comunidade islâmica, é inevitável que Jimmy e a família enfrentem perseguição verbal e até física. Sempre que os vizinhos os veem andando pela comunidade indo à igreja, muitos gritam e zombam deles por causa da fé. A família cristã continua perseverando nas promessas de Deus.

“Mesmo quando problemas como este acontecem em minha vida, eu não dou a mínima. Eu sei em meu coração que Jesus é meu Salvador e que ele é meu Senhor”

A esposa de Jimmy conheceu a Jesus antes do marido e logo foi batizada. Logo, o cristão também decidiu passar pelo batismo. Além disso, os filhos do casal também estão se juntando a eles para ir à igreja e estão ajudando no culto doméstico. A família está usando a própria casa como uma igreja onde adora e tem comunhão com outros cristãos.

Muitos como Jimmy enfrentam a perseguição todos os dias e também suportam a dor da rejeição. Apesar das circunstâncias, o cristão e a família continuam compartilhando o evangelho com outros e frequentam um estudo bíblico com outros cristãos ex-muçulmanos. Durante a pandemia, o testemunho de Jimmy aos familiares afetou toda os parentes do casal, que agora também querem saber mais sobre Jesus.  :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Número de cristãos mortos no mundo aumenta em 60%

Os cristãos ao redor do mundo enfrentam diversos tipos de violência, através de mortes, prisões e ataques a casas e igrejas

Os cristãos ao redor do mundo enfrentam diversos tipos de violência, através de mortes, prisões e ataques a casas e igrejas

Muitos cristãos são alvos de violência por não negarem Jesus. Na Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2021*, o nível de violência é medido pelo monitoramento do número total de incidentes contra os seguidores de Cristo em cada país. Eles podem ser de: cristãos mortos, cristãos presos e igrejas e casas de cristãos atacadas.

Em muitos países e regiões, é difícil ter acesso aos números exatos de incidentes, mas, através de fontes indiretas, pode-se saber que há violência contra cristãos. Sendo assim, em alguns casos, os índices trazidos pela pesquisa da LMP são estimados.

Quantos cristãos foram mortos por causa da fé?

Por não abandonarem o evangelho, muitos seguidores de Cristo são mortos, o que torna esse tipo de incidente um dos principais indicadores da violência contra os cristãos. O número de cristãos mortos apresentou aumento de 60% na Lista Mundial da Perseguição 2021 com 4.761 casos, se comparada à edição anterior. A Nigéria apresentou o maior número de irmãos e irmãs assassinados, com 3.530 incidentes.

Quantos cristãos foram presos por seguir Jesus?

Cerca de 4.277 cristãos foram condenados ou detidos por causa da fé, no período de pesquisa. O número de cristãos condenados aumentou em 5% em comparação à LMP 2020, com 1.464 casos. Já o número de cristãos detidos, diminuiu em 18% e foram registrados 2.813 incidentes. A África e a Ásia são os continentes que apresentam os maiores números de cristãos condenados e detidos, e a Eritreia tem o maior número de incidentes desse tipo. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Mais de 500 casas são queimadas em Bangladesh

A causa do incêndio no acampamento de refugiados em Bangladesh ainda é desconhecida, mas alguns moradores acreditam que o fogo começou a partir de um fogão a gás

A causa do incêndio no acampamento de refugiados em Bangladesh ainda é desconhecida, mas alguns moradores acreditam que o fogo começou a partir de um fogão a gás

No dia 13 de janeiro, por volta das 2h da manhã, pelo menos 500 pessoas tiveram os lares queimados em Bangladesh. O fogo se originou no bloco E do acampamento Noyapara Rohingya, de acordo com Mukul Kumar Nath, oficial do Serviço de Bombeiros de Teknaf. O acampamento abriga o povo rohingya, refugiados vindos de Mianmar. Alguns cristãos estão entre as vítimas das chamas.

Duas unidades de combate a incêndios de Teknaf e Ukhya chegaram prontamente ao local e controlaram as chamas após duas horas de esforços. A causa exata do incêndio ainda é desconhecida, mas alguns moradores alegaram que o fogo se originou de um fogão a gás. Pelo menos 25 pessoas ficaram feridas e alguns cristãos perderam tudo no ocorrido. O vídeo abaixo mostra o momento em que as chamas tomaram conta da comunidade.

Bangladesh ocupa o 31º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021, onde os seguidores de Cristo enfrentam pressão do governo, comunidade, amigos e familiares para abandonarem a fé em Jesus. Além disso, a vulnerabilidade dos cristãos em Bangladesh teve um aumento com a pandemia da COVID-19 e o ciclone Amphan. O governo tem negligenciado ajuda a muitos seguidores de Cristo, pedindo para que voltem ao islã para receberem auxílio.

Socorro para os cristãos em Bangladesh

Sua oração e contribuição são imprescindíveis para que a Portas Abertas possa assistir aos cristãos em Bangladesh. Ao doar, você auxilia na distribuição de alimentos, materiais sanitários e outras necessidades básicas das famílias cristãs.  :: LEIA MAIS »

Lista Mundial da Perseguição 2021: hostilidade a cristãos aumenta

Os dados da LMP 2021 indicam que mais de 340 milhões de cristãos enfrentam pressão e violência por causa da fé

Os dados da LMP 2021 indicam que mais de 340 milhões de cristãos enfrentam pressão e violência por causa da fé

Lista Mundial da Perseguição 2021 já está disponível com o ranking dos 50 países onde os cristãos são mais perseguidos por causa da fé em Jesus. As informações publicadas são resultado da pesquisa feita entre 1/10/2019 e 30/9/2020 em mais de 70 países do mundo. Desde 1993, a Portas Abertas publica a pesquisa que mede a perseguição aos seguidores de Jesus. Mas a situação da Igreja Perseguida está sendo investigada desde a década de 1970.

Nesta nova edição, houve o crescimento da perseguição em 30%. Isso indica que mais de 340 milhões de cristãos enfrentam perseguição e discriminação por causa da fé. Em 29 nações, como AfeganistãoChina e Nigéria, as pontuações cresceram. Já em oito países como Coreia do NorteSomália e Índia, os pontos foram os mesmos da edição passada. No SudãoArábia Saudita e Egito e mais seis países a hostilidade contra os seguidores de Jesus teve uma queda. Faça o download do mapa no banner abaixo.

O continente que mais teve países na LMP 2021 foi a Ásia, com 29 nações. Em seguida veio a África com 19 e a América Latina com dois. Muitos dos cristãos perseguidos nesses locais também foram atingidos pela COVID-19 e as consequências da pandemia, como desemprego e fome. Mas nem tamanha vulnerabilidade foi capaz de impedir que governos, comunidades e familiares praticassem a intolerância religiosa contra os cristãos.

Neste relatório sobre a Igreja Perseguida você também terá informação sobre os tipos de perseguição enfrentados pelos irmãos e irmãs nos países elencados, além de conhecer as fontes que exercem essa influência.

Baixe também o e-book com as principais informações dos 50 países da Lista Mundial de Perseguição 2021 e comece já a orar pelos irmãos e irmãs da Igreja Perseguida!

Fonte: Portas Abertas

Vamos orar: Como é estar preso na Coreia do Norte?

No Domingo da Igreja Perseguida 2021 vamos interceder pelos cristãos presos na Coreia do Norte

No Domingo da Igreja Perseguida 2021 vamos interceder pelos cristãos presos na Coreia do Norte

Quando os cidadãos norte-coreanos decidem seguir o evangelho de Cristo, passam a enfrentar perseguição da comunidade, família, amigos e do governo. Através da perseguição, muitos seguidores de Cristo são mortos, agredidos e presos, além de serem privados das necessidades básicas. No Domingo da Igreja Perseguida (DIP) 2021, falaremos sobre os cristãos presos, sobretudo na Coreia do NorteIrã e Eritreia.

A Coreia do Norte lidera a Lista Mundial da Perseguição desde 2002. Cristãos enfrentam níveis de pressão extremos em todas as áreas da vida, combinados com alto grau de violência. É difícil saber exatamente quantas pessoas estão presas na nação secreta da Coreia do Norte. Um relatório de 2014 da ONU estimou que havia entre 80.000 e 120.000 prisioneiros políticos detidos em campos de trabalho no país. Estima-se que, entre esses, há entre 50.000 e 70.000 cristãos presos por ousarem acreditar que Jesus é uma autoridade maior do que o líder da nação, Kim Jong-un.

Durante o mês de janeiro, vamos falar mais sobre a realidade da igreja na Coreia do Norte. Na Revista Portas Abertas do mês, você poderá entender sobre as restrições enfrentadas pelos cristãos por meio do relato de três parceiros da Portas Abertas, além de levar auxílio para esses irmãos.

Se cristãos norte-coreanos são descobertos, são presos e enviados a campos de trabalho forçado como criminosos políticos ou até mesmo mortos imediatamente, e as famílias compartilharão o mesmo destino. Os seguidores de Cristo norte-coreanos não têm o mínimo espaço na sociedade. Se reunir com outros cristãos para adorar é praticamente impossível e se alguns ousam fazê-lo, têm que ser em máximo sigilo.  :: LEIA MAIS »

Cristão passa noite amarrado em floresta em Mianmar

Após amarrar o cristão, o líder da aldeia o pressionou para abandonar a fé em Cristo (foto representativa)

Após amarrar o cristão, o líder da aldeia o pressionou para abandonar a fé em Cristo (foto representativa)

Htun Htun* era um seguidor da fé budista e vivia em uma aldeia em que todos tinham a mesma fé em Mianmar. Mas quando ele e a família decidiram seguir Jesus, os parentes e a comunidade passaram a persegui-los. Os cristãos são pressionados para abandonar a fé e são acusados de trair a etnia à qual pertencem. Por causa das ameaças sofridas, Htun Htun e a família tiveram que se mudar para um novo lugar.

Porém, a família cristã não foi bem recebida, foi ameaçada e pressionada por conta da fé em Cristo. O chefe da aldeia e os vizinhos decidiram que não querem que Htun Htun e os familiares permaneçam no povoado. Então, eles tomaram uma medida drástica para convencer o cristão a deixar a fé: levaram Htun Htun para a selva, o algemaram e o deixaram preso no local por uma noite inteira. Além disso, o chefe da aldeia o ameaçou e exigiu que deixassem a comunidade se continuassem seguindo Jesus. Na manhã seguinte o cristão foi libertado, mas as ameaças têm preocupado toda a família cristã.

O pastor T, que é parceiro da Portas Abertas no país, tem ajudado e encorajado Htun Htun e os familiares a enfrentar a perseguição. Toda a família também tem recebido ajuda para suprir as necessidades básicas e alimentícias durante esse período de perseguição. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Ataque deixa mais de 100 mortos no Níger

Ainda não há informações sobre cristãos entre as pessoas feridas ou mortas (foto representativa)

Ainda não há informações sobre cristãos entre as pessoas feridas ou mortas (foto representativa)

No último sábado, 2 de janeiro, grupos extremistas atacaram dois vilarejos ao Oeste do Níger. Os jihadistas deixaram pelo menos 100 mortos e 25 feridos no incidente que aconteceu após o primeiro turno eleição presidencial nigeriana. Os agressores invadiram os locais de motocicleta atirando contra os cidadãos e incendiaram os armazéns onde havia estoques de alimentos.

De acordo com Almu Hassan, prefeito da região atacada, até agora foram registrados 70 mortos no distrito de Tchombangou e 30 em Zarumadareye. Os dois vilarejos, separados por 7 km de distância, estão localizados a 120 km ao norte da capital Niamey, na região de Tillabéri, na fronteira com Mali e Burkina Faso. A região conhecida como “três fronteiras”, é um alvo de frequentes ações de grupos jihadistas há anos.

Muitos moradores locais acreditam que a motivação para o ataque seria uma forma de vingança pela morte de dois extremistas após invadirem um vilarejo e serem mortos pela população. No último domingo, 3 de janeiro, uma delegação liderada pelo primeiro-ministro do país, Brigi Rafini, visitou a região para apoiar os familiares das vítimas. Além disso, eles levaram alimentos e medicamentos aos moradores locais. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia