WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2020
D S T Q Q S S
« nov   jan »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  


:: dez/2020

Retrospectiva 2020: provisão de Deus marca a Igreja Perseguida

Cristã recebe assistência emergencial durante a pandemia em Mianmar

Cristã recebe assistência emergencial durante a pandemia em Mianmar

O ano de 2020 marcou toda a humanidade com a pandemia da COVID-19. Até agora, mais de 1,7 milhões de pessoas morreram por causa da doença, e outras milhares foram afetadas pelas consequências da pandemia como a crise econômica, o desemprego e a fome. Entretanto, foi nesse momento mais difícil, que os cristãos de todo o mundo se uniram para amparar os irmãos mais necessitados. Boa parte deles vive em nos países da Lista Mundial da Perseguição 2020, e já enfrentavam hostilidade por causa da fé em Jesus. Relembre conosco, os principais fatos que aconteceram nos últimos 12 meses.

Pastor sequestrado pelo Boko Haram é morto

Em três de janeiro, o pastor Lawan Andimi foi sequestrado pelo Boko Haram na Nigéria. Alguns dias depois, os extremistas noticiaram a decapitação do líder cristão, que também era diretor sênior da Associação Cristã da Nigéria (CAN, da sigla em inglês), da Área Governamental Local de Michika e secretário do Conselho da Igreja Distrital de Brethren, no estado de Adamawa.

Covid-19 atinge 25 países da África Subsaariana

A chegada da COVID-19 em nações como África do Sul, Senegal, Burkina FasoRuandaCamarõesEtiópia e Somália preocuparam a Organização Mundial da Saúde (OMS). Com sistemas de saúde insuficientes para tratar surtos de malária e ebola, a população não teria chance de lutar contra o coronavírus.

Cristãos libertados de prisão no Irã 

Após ser atingido pela pandemia de COVID-19, o Irã libertou 85 mil detentos por receio de que as instalações insalubres das prisões fossem locais de fácil propagação do coronavírus. Alguns réus que tinham penas menores por participação em igrejas domésticas foram soltos e não precisaram retornar para cumprir o restante das sentenças.

Ciclone Amphan atinge Índia e Bangladesh durante quarentena

Enquanto enfrentavam a COVID-19, mais de 400 mil indianos e 1,5 milhão de bengaleses tiveram que deixar as casas e irem para abrigos, por causa do ciclone tropical Amphan. Nesses refúgios, os desabrigados não tinham como ficar isolados para evitar a disseminação do coronavírus. Mais tarde, alguns cristãos tiveram ajuda para reconstruir as próprias casas. :: LEIA MAIS »

Como a comunhão e o apoio renovam uma família marcada pela perseguição

Abraçados e cuidados pela família da fé, Daniela, a mãe e o irmão puderam processar melhor o luto para seguir adiante

Abraçados e cuidados pela família da fé, Daniela, a mãe e o irmão puderam processar melhor o luto para seguir adiante

Uma equipe da Portas Abertas passou um tempo com a família de Daniela, uma menina de 12 anos cujo pai, pastor Plínio, foi morto dentro de casa na Colômbia. Outros dois pastores também foram mortos na região como uma ação de guerrilheiros para mostrar que evangelistas não são bem-vindos em áreas controladas por eles.

A mãe da menina conta que ela não expressa muito os sentimentos. Então, para deixar o ambiente mais leve, a equipe pergunta o que o Natal significa para ela.

“Acredito que comemorar o nascimento de Jesus é um momento de alegria. Normalmente, celebramos juntos em família; cozinhamos e comemos juntos. Natal para mim é estar com minha família.”

A equipe, então, convida a família para uma festa de Natal especial no Abrigo Lar Cristão, um centro para crianças mantido pela Portas Abertas na Colômbia. Pela primeira vez, Daniela e o irmão mais novo, Sebastián, verão seu país do céu. Depois de duas viagens de avião e uma longa jornada por terra, chegam ao abrigo, que é um lar permanente para muitos filhos de cristãos colombianos perseguidos, mas às vezes também é usado para estadias curtas. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Cristãos têm campos incendiados por extremistas na Índia

Vídeo mostra o momento em que as famílias se depararam com os campos queimados (foto representativa)

Vídeo mostra o momento em que as famílias se depararam com os campos queimados (foto representativa)

Duas famílias cristãs tiveram os campos de plantio incendiados por extremistas na Índia. As famílias se tornaram cristãs há algum tempo, o que deixou os radicais hindus furiosos. Anteriormente, os cristãos já tinham sido ameaçados e chegaram a ser agredidos. Eles se recusaram a abandonar a fé em Jesus, então os aldeões incendiaram as terras agrícolas das famílias. Um vídeo mostra os cristãos nas terras após o incêndio.

“Eles sofreram uma grande perda. São agricultores e esta colheita foi muito significativa para eles. Todos os anos eles mantinham alguns grãos de alimentos para consumo próprio e vendiam uma parte para atender às outras necessidades. Eles estão muito abalados no momento”, conta um líder cristão local.

Apesar do que aconteceu, as famílias permanecem fortes em Cristo. Disseram que a fé não pode ser comparada com pertences terrenos. Segundo o mesmo líder, essas famílias dizem: :: LEIA MAIS »

Vamos orar: A perseguição aos cristãos em Camarões

No Norte de Camarões, o Boko Haram frequentemente sequestra mulheres e meninas e as usa para trabalhos forçados

No Norte de Camarões, o Boko Haram frequentemente sequestra mulheres e meninas e as usa para trabalhos forçados

Devido ao aumento da perseguição aos cristãos em Camarões, o país entrou na Lista Mundial da Perseguição 2020, ocupando a 48ª posição. No norte do país, onde a radicalização e a militância se intensificam, a vida dos cristãos é ainda mais difícil. Do jeito que está, mesmo se o Boko Haram for derrotado, é improvável que haja harmonia social, uma vez que a ideologia islâmica já fez profundas incursões entre os jovens muçulmanos na região.

O que está acontecendo no país como resultado dos protestos iniciais dos camaroneses anglofônicos pode levar a uma guerra civil em plena expansão. O governo provavelmente se tornará cada vez mais repressivo e foi acusado de graves violações dos direitos humanos. À medida que se concentra cada vez mais em suprimir a dissidência política e a oposição, será desviado de sua luta contra o Boko Haram. Assim, a crise anglofônica parece provavelmente fornecer ao Boko Haram maior margem de manobra operacional para organizar ataques com impunidade, levando a uma situação de deterioração para os cristãos no país.

A governança e a segurança em Camarões são os principais problemas, com o país enfrentando violência em três regiões: o extremo Norte, onde o Boko Haram continua a realizar ataques, o Noroeste e o Sudoeste, que são áreas onde a insurgência anglofônica está crescendo. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: A perseguição aos cristãos nos Emirados Árabes Unidos

Os cristãos não podem compartilhar a fé, enquanto os muçulmanos são encorajados a fazê-lo

Os cristãos não podem compartilhar a fé, enquanto os muçulmanos são encorajados a fazê-lo

Nos Emirados Árabes Unidos, o islamismo é a religião do Estado e a sharia, lei islâmica, é a principal fonte de legislação. Os tribunais também se baseiam na lei da fé muçulmana. Portanto, os cristãos precisam viver do modo que é definido por outros – por exemplo, eles não podem comer ou beber em público durante o mês do Ramadã. Também não podem compartilhar a fé com outros, enquanto os muçulmanos são encorajados a fazê-lo. Em geral, a mídia é favorável ao islã e parcial contra cristãos.

A média de pressão aos cristãos continua em um nível muito alto, apesar de no ano anterior estar com 11,3. A principal razão para isso é que a pressão sobre os convertidos de origem estrangeira foi reportada como levemente menor. Apesar de todas as esferas da vida mostrarem níveis altos e baixos de pressão, a pressão é mais elevada na vida privada, igreja e família (com mais de 12,0 pontos). Por um lado, isso reflete a situação difícil para cristãos ex-muçulmanos que enfrentam pressão muito alta na família estendida. Por outro lado, a vida na igreja é difícil para cristãos ex-muçulmanos e expatriados cristãos, já que o evangelismo e a integração de cristãos ex-muçulmanos são socialmente inaceitáveis.

Já a pontuação para violência caiu de 1,9 para 1,1 no período de um ano. A quantidade de incidentes relatados apresentou uma pequena diminuição, o que explica essa queda no número. Porém, é provável que a violência não tenha sido completamente reportada como em anos anteriores. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: A perseguição aos cristãos no Mali

O nível de violência contra cristãos é extremo, passando de 9,6, em 2018, para 13,7

O nível de violência contra cristãos é extremo, passando de 9,6, em 2018, para 13,7

Mali era um país relativamente tolerante para os cristãos, devido ao maior registro de liberdades democráticas e civis em comparação a outros países de maioria muçulmana da região. No entanto, a guerra civil e a oportunidade que ela proporcionou aos grupos militantes islâmicos mudaram a situação e apresentam um sério risco e desafio para os cristãos.

Identificamos que todas as esferas da vida mostram níveis de pressão alto ou muito alto, marcando acima dos 8 pontos. As esferas mais afetadas são comunidade (12,8) e igreja (11,7). O nível de violência contra cristãos é extremo, com 13,7 pontos. Com exceção da esfera família, todas as outras mostram pontuações em um nível alto ou muito alto. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: A perseguição aos cristãos no Iraque

Ore pelos cristãos perseguidos no Iraque, que estão lutando para sobreviver e reconstruir a nação

Ore pelos cristãos perseguidos no Iraque, que estão lutando para sobreviver e reconstruir a nação

Na Lista Mundial da Perseguição 2020, a pontuação do Iraque diminuiu de 79, em 2019, para 76 pontos, o que fez com que mudasse da 13ª posição para a 15ª. As pontuações quanto à pressão e violência diminuíram com a perda territorial do Estado Islâmico. Entretanto, isso não significa que está tudo bem, a ideologia do grupo não está morta e tem influenciado a população local.

O número de cristãos mortos visivelmente aumentou e cristãos continuam a ser física e mentalmente prejudicados, ameaçados e assediados sexualmente. Atos de violência contra cristãos foram, em sua maioria, cometidos por militantes islâmicos, considerando que cristãos ex-muçulmanos enfrentam a maioria da violência da própria família.

A média de pressão sobre os cristãos iraquianos continua em um nível extremo, apesar de baixar um pouco comparado ao ano anterior. Ela é registrada nesse nível em todas as esferas da vida, menos na da igreja, e provém de diferentes tipos de perseguição, entre eles a opressão. O nível de violência contra cristãos continua muito alto, mesmo tendo leve queda. Isso ainda é demonstrado pela quantidade de ataques a igrejas, sequestros e expulsões. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Em quais países os cristãos são perseguidos?

Ter um Bíblia é um privilégio para cristãos perseguidos, como Iris da Etiópia

Ter um Bíblia é um privilégio para cristãos perseguidos, como Iris da Etiópia

De acordo com a Lista Mundial da Perseguição(LMP) 2020, a maioria dos 260 milhões de cristãos vítimas de intolerância religiosa vive em um dos 50 países localizados, principalmente, na Ásia, Oriente Médio e África. Desde 1993, a Portas Abertas promove uma pesquisa com os seguidores de Jesus de diferentes territórios para elencar as nações mais difíceis para um cristão viver. Na pesquisa da LMP 2020, em 11 países a perseguição aos cristãos é considerada extrema: Coreia do Norte, Afeganistão, Somália, Líbia, Paquistão, Eritreia, Sudão, Iêmen, Irã, Índia e Síria.  Porém, há outros locais onde há hostilidade contra cristãos, entenda como é feita a classificação.

Como são os ataques contra os cristãos perseguidos?

Os ataques contra cristãos acontecem de diversas maneiras. Em países onde a perseguição é mais velada é comum que haja mais pressão da sociedade, família e autoridades para que os seguidores de Jesus deixem a fé. A marginalização é a grande arma nesses casos, isso faz com que os cristãos sejam excluídos de serviços públicos como saúde, educação, água e comida. Dessa maneira eles são forçados a abandonar a fé em Jesus para viverem com os mesmos direitos que os demais cidadãos. :: LEIA MAIS »

Cazaquistão precisa de intercessão da igreja brasileira

O governo e o extremismo islâmico são os inimigos dos cristãos no Cazaquistão

O governo e o extremismo islâmico são os inimigos dos cristãos no Cazaquistão

Desde 1991, o Cazaquistão comemora no dia 16 de dezembro a independência. O país pertencia à União Soviética e foi o último a declarar a soberania como república. Os governantes conseguiram fazer uma transição econômica satisfatória nesses períodos de mudanças. Há também uma abertura para cooperar com a comunidade internacional. Porém, essa aceitação não significa que ser cristão no país é algo desprovido de perseguição. Desde 2010, com a ocupação do poder por Nursultan Nazarbayev, a nação enfrentou políticas repressivas, controle da mídia e restrições legislativas e na esfera religiosa.

Apesar do cristianismo ter chegado no país entre os séculos 7 e 8, a rede atual de igrejas fica concentrada nas minorias étnicas. Dos 4,6 milhões de cristãos, apenas 15 mil são cazaques. Segundo a Agência de Assuntos Religiosos (ARA), existem 3.563 associações ou comunidades cristãs registradas no país. Mas a presença dos seguidores de Cristo não garante a liberdade religiosa. Há dois grandes perseguidores de cristãos no país: o governo e o extremismo islâmico.

A perseguição do Estado envolve a monitoração dos cultos das igrejas por meio de policiais, serviços secretos e autoridades locais. As comunidades cristãs não registradas são perseguidas regularmente. Já a cultura islâmica extremista coíbe a conversão de muçulmanos ao cristianismo, excluindo os convertidos da sociedade e convívio familiar e impedindo que eles tenham um emprego para o sustento próprio. Enquanto as igrejas locais não entram em contato com a população cazaque, não enfrentam tanta opressão, mas quando os cristãos decidem obedecer à grande comissão de Cristo, estão sujeitas a abusos físicos, ataques e até a morte. A Portas Abertas convida a igreja brasileira a incluir o Cazaquistão nas orações. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: 5 motivos para orar pelo Quênia

Cristãos no Quênia enfrentam perseguição de extremistas e são ignorados pelos governantes

Cristãos no Quênia enfrentam perseguição de extremistas e são ignorados pelos governantes

No dia 12 de dezembro foi comemorado o Dia da Independência do Quênia, que acontenceu em 1963. As veias comerciárias do país fizeram com que, por séculos, tribos da costa do país trocassem mercadorias com árabes. Os portugueses também passaram pelo país no século 16. No 19, as relações comerciais com a Europa se intensificaram e, em 1980, os britânicos tomaram o país e estabeleceram-no como colônia em 1920.

A doação de terras quenianas para colonos da Grã-Bretanha e África do Sul revoltou a população. Após muitas rebeliões, o país tornou-se independente. A igreja cristã esteve presente no país desde a chegada dos portugueses, mas foi expulsa da costa do país e só pôde voltar em 1844, quando a Igreja Anglicana enviou o missionário Johann Ludwig Krapf. Após esse marco, novas denominações foram se estabelecendo no país.

Hoje, o país ocupa o 44º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2020, como consequência do aumento da perseguição que os cristãos estão enfrentando do grupo radical islâmico Al-Shabaab. Outro fator, que dificulta a expressão livre da fé, é a corrupção dos governantes. Confira 5 motivos para orar pelo Quênia. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: A perseguição aos cristãos na Tunísia

Apesar de ser um país mais moderado e democrático na região, cristãos ex-muçulmanos na Tunísia precisam de orações para viver a fé em liberdade

Apesar de ser um país mais moderado e democrático na região, cristãos ex-muçulmanos na Tunísia precisam de orações para viver a fé em liberdade

O principal tipo de perseguição aos cristãos na Tunísia é a opressão islâmica. Ela opera em diferentes níveis: familiar, social e político. No nível familiar, cristãos ex-muçulmanos geralmente não têm o apoio da família sobre a decisão de se converter. Há casos de convertidos que são trancados dentro de casa pela própria família. No nível social, militantes islâmicos espalham medo em todo o país. No nível político, partidos políticos islâmicos ainda são influentes.

O relativamente alto nível de violência contra cristãos é devido a incidentes envolvendo abuso físico, casamento forçado, abuso sexual e assédio. Além disso, muitos cristãos tiveram que sair de casa e ser realocados dentro do país por enfrentarem pressão dos próprios familiares. No entanto, o índice de violência não é tão alto quanto em outros países da região, como Egito e Líbia. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Como é estar preso no Irã?

No Domingo da Igreja Perseguida 2021 vamos interceder pelos cristãos presos no Irã

No Domingo da Igreja Perseguida 2021 vamos interceder pelos cristãos presos no Irã

A escolha por seguir a Cristo faz com que cristãos em vários países enfrentem algum tipo de perseguição. Seja a proibição de acesso a necessidades básicas, ataques violentos por parte da população, amigos e familiares, restrições por parte do governo e até mortes e prisões. No Domingo da Igreja Perseguida (DIP) 2021, falaremos sobre Cristãos Presos, com foco especial nos que estão encarcerados no IrãEritreia e Coreia do Norte.

No Irã, país que ocupa o 9º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2020, muitos seguidores de Cristo são aprisionados e condenados a longas penas por escolherem seguir a Cristo. A opressão islâmica e a paranoia ditatorial são responsáveis pela grande hostilidade causada aos cristãos, resultando nas prisões.

A maioria dos cristãos presos no Irã são condenados a cumprir pena na prisão Evin, localizada no bairro Evin, em Teerã, no Irã. A prisão é uma das mais conhecidas do país por abrigar um número alto de presos desde a construção, em 1972. Os prisioneiros são torturados através da privação de sono e agressões físicas e verbais. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: A perseguição aos cristãos no Cazaquistão

Nossos irmãos cazaques contam com as nossas orações para continuarem crescendo no Senhor apesar do ambiente hostil

Nossos irmãos cazaques contam com as nossas orações para continuarem crescendo no Senhor apesar do ambiente hostil

Com 64 pontos, o Cazaquistão se classificou em 35º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2020. Nenhuma atividade religiosa que não seja controlada pelo governo não é permitida e a pressão por parte das autoridades aumentou nos últimos cinco anos, com batidas policiais durante as reuniões cristãs e cristãos sendo interrogados e presos.

Os principais tipos de perseguição enfrentada pelos cristãos são opressão islâmica e paranoia ditatorial. Os seguidores de Jesus são vistos como parte de uma seita estrangeira que tem como objetivo espiar e destruir o atual sistema político. Nessa perspectiva, os oficiais do governo são as principais fontes de perseguição, na tentativa de controlar e erradicar os cristãos.

Se um muçulmano se converter ao cristianismo, será pressionado e pode enfrentar violência física por parte dos familiares, amigos e comunidade local, forçando-o a voltar à antiga fé. Alguns convertidos chegam a ser trancados dentro de casa pela família por longos períodos, agredidos e, então, expulsos de casa e da comunidade em que moram. Os mulás (pregadores islâmicos) pregam contra eles e os cidadãos muçulmanos denunciam os cristãos às autoridades. Nesse contexto, cristãos ex-muçulmanos farão o possível para esconder a nova fé, tornando-se seguidores de Jesus secretos. :: LEIA MAIS »

Construção de igreja é interrompida no Sri Lanka

A igreja estava sendo construída de maneira colaborativa pelos seguidores de Jesus (foto representativa)

A igreja estava sendo construída de maneira colaborativa pelos seguidores de Jesus (foto representativa)

Há alguns meses, o pastor Nihal* recebeu cartas de funcionários do governo local ordenando que ele parasse a construção de um prédio da igreja, em uma província na região centro-norte do Sri Lanka. Ao entrar em contato com a delegacia local, o líder cristão foi obrigado a parar todas as obras até que a permissão fosse obtida.

“Eles estão se recusando a dar permissão para continuar a construção, tentando impedir de nos reunirmos. Todo mundo que visita a igreja vê que estamos fazendo algo bom. Os oficiais me disseram que não podem fazer nada para ajudar porque estão sendo pressionados pelos monges dos templos budistas locais para fechar a igreja”, conta o pastor Nihal.

Vivendo em uma área onde a maioria é budistas, os seguidores de Jesus que frequentam essa igreja vivem em meio ao medo de serem perseguidos por causa do cristianismo. “Alguns cristãos estão assustados. Uma vez que muitos deles dependem da agricultura para gerar renda para as famílias, eles temem que a fé em Cristo resulte na perda de fertilizantes e outros auxílios que o governo fornece para os agricultores”, continua o líder. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: A perseguição aos cristãos no Tajiquistão

Ore pelos cristãos ex-muçulmanos no Tajiquistão, que precisam manter a fé em segredo diante da perseguição

Ore pelos cristãos ex-muçulmanos no Tajiquistão, que precisam manter a fé em segredo diante da perseguição

Com 65 pontos, o Tajiquistão ocupa o 31º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2020. Cerca de 97,6% da população do país é muçulmana e a cultura tajique é dominada pelo islamismo. O Tajiquistão ficou sob a União Soviética, cuja ideologia comunista promovia o ateísmo, de 1917 a 1991. Mas desde então, o Tajiquistão tem presenciado um aumento da prática religiosa.

Desde 2009, a escola Hanafi de islamismo sunita é a religião oficial do país. O Tajiquistão é a única ex-república soviética com uma religião oficial, sendo que 90% da população é de muçulmanos sunitas. A população cristã corresponde a apenas 0,7% dos habitantes. A maioria dos cristãos pertence a minorias étnicas, sobretudo russos. O número de cristãos caiu drasticamente nos anos 1990, devido à onda de emigração do Tajiquistão nos primeiros anos de independência.

Esse contexto histórico explica porque os dois tipos de perseguição que predominam no país são paranoia ditatorial e opressão islâmica. Nenhuma atividade religiosa fora das administradas pelo Estado ou por instituições controladas pelo Estado é permitida. Tem havido batidas policiais em reuniões cristãs seguidas de interrogatórios. É muito comum que membros de igrejas protestantes sejam considerados seguidores de uma seita estrangeira que visa debilitar o atual sistema político. :: LEIA MAIS »

República do Laos e os desafios para os cristãos

Além das autoridades do Laos, os familiares, amigos e vizinhos dos cristãos os pressionam para abandonar a fé

Além das autoridades do Laos, os familiares, amigos e vizinhos dos cristãos os pressionam para abandonar a fé

Hoje, a população do Laos comemora o Dia da República. A data tornou-se especial em 1975, quando a república foi proclamada e o governo de Pathet Lao instaurado. Esse grupo político, apoiado pelo Vietña e pela União Soviética, assumiu o governo após uma guerra civil.

A população do Laos é majoritariamente budista, fato que contribui para que as autoridades pressionem e monitorem todas as atividades dos seguidores de Cristo. Além disso, os familiares, amigos e vizinhos também exercem pressão sobre os cristãos para que o evangelho deixe de ser disseminado no país.

O Laos ocupa a 20ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2020, devido aos índices de violência contra os cristãos. Além de prisões e multas, famílias são constantemente expulsas das aldeias e obrigadas a viver em situações precárias por não abdicarem a fé. Elas passam a viver em casas improvisadas, sem banheiros e eletricidade adequados. As crianças também são prejudicadas com a expulsão das aldeias porque precisam caminhar por longos quilômetros para chegar até as escolas.

A Portas Abertas trabalha através de parceiros locais para ajudar os cristãos do Laos a seguirem firmes na fé, quando enfrentam ataques e violências. Além disso, os parceiros no local auxiliam as famílias através de fornecimento de material cristão, treinamento para liderança e programa de discipulado, e programas de desenvolvimento socioeconômico. :: LEIA MAIS »

Vamos orar: Cristãos são mortos por extremistas na Indonésia

Os quatro seguidores de Cristo que foram mortos eram vizinhos na aldeia Sulawesi, na Indonésia

Os quatro seguidores de Cristo que foram mortos eram vizinhos na aldeia Sulawesi, na Indonésia

No dia 27 de novembro, um grupo terrorista chamado Mujahideen da Indonésia Oriental (EIM, da sigla em inglês) atacou quatro cristãos em uma aldeia no centro de Sulawesi, na Indonésia. Três homens foram esfaqueados, enquanto um quarto cristão foi incendiado. Seis casas, incluindo uma igreja improvisada e um prédio do Exército da Salvação, também foram queimadas.

Entre oito e dez homens armados com espadas e armas entraram na aldeia por volta das 8h. De acordo com Kandi, filha de um dos cristãos mortos, todos os cidadãos da aldeia foram chamados para fora dos lares. Alguns seguidores de Cristo foram escolhidos pelos agressores e o pai de Kandi foi um deles. Os quatro cristãos mortos eram homens adultos e vizinhos.

O incidente aconteceu na vila Lemban Tongoa, em Sulawesi, no Centro da Indonésia. Na aldeia, existe um posto do Exército da Salvação, que também foi prejudicado durante o ataque. “Nossos corações estão com nosso povo que enfrentou tal crueldade. Vamos orar por cada pessoa que foi afetada e pela cura nas comunidades. Peço à nossa comunidade global que se junte a nós nesta oração e acredite que o mal será derrotado e a paz tomará conta da vila”, clama Brian Peddle, líder internacional do Exército da Salvação. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia