WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


julho 2020
D S T Q Q S S
« jun   ago »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


:: 30/jul/2020 . 9:20

Tudo sobre a perseguição aos cristãos na China

Os cristãos chineses que desejam viver a fé cristã precisam agir em segredo para não atrair atenção do governo

Os cristãos chineses que desejam viver a fé cristã precisam agir em segredo para não atrair atenção do governo

Nos últimos dias, a perseguição aos cristãos na China ganhou destaque especial em diversos jornais brasileiros. Porém, a hostilidade aos seguidores de Jesus no país comunista é antiga e há anos preocupa a igreja de Jesus ao redor do mundo. Já na dinastia Ming, entre 1368 e 1644, os cristãos foram banidos do país. Mas a perseguição atual começou em 1949, quando a República Popular da China foi criada. Todas as religiões que exigiriam a lealdade dos chineses em detrimento do Estado foram violentamente combatidas. Forçando, assim, a fuga de missionários cristãos estrangeiros no país.

Apesar da Revolução Cultural que ocorreu entre 1966 e 1976 ter transformado toda a sociedade chinesa nos padrões desejados pelos comunistas, a igreja de Jesus sobreviveu de maneira clandestina. Havia, sim, uma igreja permitida pelo Estado chinês, mas essa deveria excluir qualquer ensinamento bíblico que fosse contra os ideais do Partido Vermelho, jurar lealdade aos governantes, ter uma bandeira da China em exposição e cantar o hino nacional em cada encontro.

As igrejas chinesas permitidas pelo governo comunista são monitoradas em todo tempo e qualquer crítica ao sistema pode resultar em sérias consequências

Qual é o número de cristãos na China?

Hoje, acredita-se que existam 97,2 milhões de cristãos na China, que enfrentam a hostilidade vindas de oficiais do governo, partidos políticos e líderes religiosos não cristãos. A opressão comunista e pós-comunista é um instrumento para que o governo mantenha o poder e a harmonia na sociedade. O atual presidente Xi Jinping tem se mantido no poder por meio de um forte combate a qualquer ideia que possa ameaçar a autoridade máxima dele. Nesse cenário, os cristãos convertidos e de minorias religiosas, como os muçulmanos de Xinjiang, também são alvos de ações mais diretas. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia