WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


fevereiro 2020
D S T Q Q S S
« jan   mar »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829


:: 13/fev/2020 . 11:29

Vamos orar: A perseguição aos cristãos no Paquistão

Oprimidos pelo fundamentalismo islâmico, nossos irmãos paquistaneses contam com nossas orações

Oprimidos pelo fundamentalismo islâmico, nossos irmãos paquistaneses contam com nossas orações

Paquistão é um dos maiores países islâmicos do mundo. Com 96% de muçulmanos, apenas 2% da população é cristã. Não é difícil concluir que os cristãos vivem sob a opressão islâmica. A grande maioria dos cristãos vive na província de Punjab, onde ocorre a maioria dos incidentes de perseguição. A pronvíncia de Sindh, perto de Punjab, também tem se tornado notória por trabalho forçado, o que afeta muitos cristãos.

O país abriga uma infinidade de grupos radicais islâmicos e testemunha uma cultura crescentemente islamizada. Grupos radicais islâmicos continuam a administrar milhares de madrassas (escolas islâmicas, nas quais ninguém sabe o que é ensinado nem como são financiadas). Eles também continuarão a agitar os cidadãos, principalmente os jovens, em todo o país, encorajando-os a agir contra as minorias religiosas, como os cristãos.

Grupos radicais islâmicos que são banidos não simplesmente se dissolvem; na maioria dos casos eles assumem um novo nome e fazem frentes de caridade ou ficam on-line. Ou também se unem a partidos políticos radicais já existentes, principalmente em época de eleições. Políticos com boas intenções, juízes e líderes religiosos que considerem emendas às leis de blasfêmia do país são abertamente ameaçados por aqueles que têm uma perspectiva radical.  :: LEIA MAIS »

Cristã ativista em redes sociais está presa no Irã

Fatemeh Mohamadi denunciou perseguição do governo do Irã aos cristãos locais

Fatemeh Mohamadi denunciou perseguição do governo do Irã aos cristãos locais

Desde o dia 19 de janeiro, a cristã ex-muçulmana, Fatemeh Mohamadi, estava desaparecida no Irã. De acordo com o site inglês Article 18, ela está presa no centro de detenção em Qarchak, que fica ao sul da capital Teerã. A fiança da jovem de 21 anos foi de aproximadamente 2.250 dólares, mais de um ano salarial para um iraniano comum. Durante os esforços dos parentes de conseguir o montante, o caso foi transferido para uma corte superior, que ainda vai decidir sobre a concessão da libertação temporária.

Ainda não há informações precisas sobre por quais acusações a cristã está presa. Outro fato é que ela não teve direito de escolher o próprio advogado. Apesar disso, Mary, como prefere ser chamada desde a conversão, pôde ligar várias vezes para casa e, de acordo com os pais, ela está bem. A jovem foi presa durante um protesto contra a ação do governo em derrubar um avião de passageiros com 176 pessoas, como retaliação ao ataque americano no Iraque, que resultou na morte do general Qassem Soleimani.

A Portas Abertas contou um pouco da história da ativista que denunciava as decisões controversas do governo do Irã contra os cidadãos de minorias religiosas, como o cristianismo. Nas redes sociais, ela denunciou a perseguição acadêmica que enfrentou ao ser impedida de fazer as provas e frequentar as aulas na Universidade de Teerã. No dia da detenção, Mary postou sobre a censura enfrentada pela mídia iraniana e acusou as autoridades de usarem os meios de comunicação para iludir a população. Devido às celebrações do 41º aniversário da Revolução Iraniana no dia 11 de fevereiro, e à comemoração do Ano Novo persa em 20 de março, o sistema legal no país está mais lento, por isso não há certeza se Mary será libertada antes ou depois do feriado. :: LEIA MAIS »

Belo Horizonte terá “Marcha para satanás”

Marcha para Satanás. (Foto: Reprodução / Youtube)

A cidade de Belo Horizonte (MG) terá “Marcha para Satanás”, evento organizado com o objetivo de defender o Estado laico ao promover uma crença que “gera medo em muitas pessoas”.

Ao site BHAZ, um dos organizadores do evento, que não foi identificado, criticou o cristianismo e sua influência na sociedade brasileira falando de “excessos cometidos em nome de algumas religiões” ao dizer que sua marcha não é adoração ao diabo, mas sim o enfrentamento da crença dominante no país.

“Muita gente é perseguida por não se adequar aos padrões colocados pelas religiões. Homossexuais, travestis, pessoas de religiões de origem africana, são colocadas à margem da sociedade por causa desse conservadorismo medieval”, declarou o organizador.

Pretendendo levantar diversas questões sociais no evento, a relação entre a política e a religião também será discutida.

“Se as portas da política pública estão abertas pra uma religião, têm que estar abertas para todas. Se vai ter Jesus nas escolas públicas, vai ter Satanás nas escolas públicas. Se os imóveis de igrejas não pagam impostos, as casas daqueles que se declaram satanistas também tem que estar isentas”, defende o homem (no Brasil as igrejas e templos de qualquer religião são isentas de impostos conforme a Constituição Federal).

A Marcha para Satanás imita o movimente Templo Satânico dos EUA, um grupo de pessoas que protestam contra o cristianismo abrindo processos contra monumentos com símbolos cristãos em áreas públicas, nomes de ruas ligados à religião, oração em escolas, entre outras manifestações cristãs. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia