WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez   fev »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


:: 13/jan/2020 . 15:03

Filho do pastor Victor Bet-Tamraz é condenado no Irã

O pastor Victor e a esposa foram sentenciados a 10 e 5 anos de prisão, respectivamente

O pastor Victor e a esposa foram sentenciados a 10 e 5 anos de prisão, respectivamente

Enfrentar a prisão por amor a Cristo é uma das consequências que os cristãos têm enfrentado desde os tempos bíblicos. No Irã, a família do pastor Victor Bet-Tamraz passa por isso desde que ele e a esposa foram condenados a 10 e 5 anos de prisão, respectivamente, por ações contra a segurança nacional. Agora, o filho do casal cristão, Ramiel Bet-Tamraz, de 35 anos, foi condenado a quatro meses de confinamento pelo mesmo “crime” dos pais.

O cristão foi detido juntamente com outras quatro pessoas durante um piquenique nas montanhas de Alborz, norte de Teerã, no dia 26 de agosto de 2019. A irmã de Ramiel, Dabrina Bet-Tamraz contou que ele já cumpriu um mês da pena e se mantém forte, mesmo que a situação seja difícil para toda a família, principalmente para a esposa, Ninebra. De acordo com o site Article 18, o cristão seria transferido para a prisão de Evin, em Teerã no dia 7 de janeiro.

Dos outros cristãos detidos, Hadi Asgari recebeu a sentença de 10 anos de prisão e Amin Afshar-Naderi foi condenado a 15 anos. Já Amir-Saman Dashti e Ramiel foram punidos com quatro meses de reclusão. Dabrina reconheceu que o veredito do irmão foi leve em comparação com o dos outros seguidores de Jesus. “Perder apenas um dia na prisão, para alguém que não fez nada errado e não cometeu crime, é uma grande injustiça. Como família, nos sentimos preocupados e ansiosos, e esses três meses serão muito longos para ele e para nós”, revelou Dabrina em entrevista. :: LEIA MAIS »

Cristão tem casa queimada por autoridades no Vietnã

Cristão evangelizava os aldeões e via as transformações que aconteciam na comunidade por causa de Jesus

Cristão evangelizava os aldeões e via as transformações que aconteciam na comunidade por causa de Jesus

Deixar de adorar a natureza e os animais e incentivar os filhos a irem à escola são algumas das transformações que os cristãos no Vietnã têm após um encontro com Jesus. Esses fatores também são motivos que os aldeões encontram para perseguir as pessoas que mudam a fé.

Minh* e a família decidiram andar com Cristo em julho de 2019; desde então compartilham com outros vizinhos sobre as boas notícias reveladas na Bíblia. Ele costumava ir de casa em casa para conduzir estudos bíblicos e, como resultado, muitos outros vietnamitas compreenderam a obra salvadora de Jesus.

Além do cristão, pastores e líderes são convidados a visitar a aldeia e ministrar à vida de todos. Mas no início de dezembro de 2019, ele foi avisado pelas autoridades locais que deveria parar de propagar o nome de Jesus, ou seria expulso da vila. “Prefiro obedecer a Deus do que aos homens”, Minh respondeu e continuou o trabalho. No final do mesmo mês, os governantes locais, distritais e provinciais destruíram a casa de Minh. Além disso, confiscaram tudo o que possuía, como porcos, galinhas e colheitas de arroz; depois colocaram todos para fora do vilarejo. :: LEIA MAIS »

Cristã é excluída de universidade no Irã

Cristã é impedida de fazer prova sem justificativa da universidade, no Irã

Cristã é impedida de fazer prova sem justificativa da universidade, no Irã

Os meios acadêmicos iranianos também podem ser locais para a propagação de intolerância religiosa. A aluna Fatemeh Mohammadi foi expulsa da Universidade de Teerã na véspera de fazer os exames de inglês. A ação não foi justificada, mas tem se repetido com alunos de minorias religiosas. A cristã já teve problemas para obter o cartão de estudante, com a justificativa de que ela era “virtualmente inelegível” para frequentar as aulas, e depois a proibição tornou-se oficial.

De acordo com o site Article 18, Fatemeh é uma cristã ex-muçulmana, de 21 anos, que prefere ser chamada de Mary. Ela já ficou seis meses presa por ser membro de uma igreja doméstica na capital do Irã, e tem um perfil ativo em redes sociais, como o Twitter. Nos posts, ela costuma tratar de assuntos referentes à perseguição religiosa, e da luta para tornar o Irã um local onde as pessoas possam adorar a Deus sem a necessidade de seguranças.

Irã está em 9º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2019, com 85 pontos. A opressão islâmica é um dos fatores que dificultam a existência dos cristãos na área. É comum que os seguidores de Jesus sejam condenados por supostamente ameaçar a segurança nacional ao se reunirem com outros irmãos. O país é uma República Islâmica, e por isso qualquer crença diferente do islã é considerada uma ameaça estrangeira.  :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia