WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov   jan »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: 4/dez/2019 . 8:11

A realidade dos cristãos ex-muçulmanos na África Subsaariana

Mesmo sob perseguição extrema, o evangelho cresce na África Subsaariana, onde cristãos precisam ser fortalecidos

Mesmo sob perseguição extrema, o evangelho cresce na África Subsaariana, onde cristãos precisam ser fortalecidos

No Domingo da Igreja Perseguida de 2020 vamos abordar os cristãos ex-muçulmanos. Muitos dos que deixaram o islã para seguir a Cristo se encontram na África Subsaariana. Os países dessa região que estão na Lista Mundial da Perseguição 2019, ranking que classifica os 50 países onde há mais perseguição aos cristãos, são: Somália, Sudão, Eritreia, Nigéria, Mali, República Centro-Africana, Etiópia e Quênia. Mas isso não significa que em outros países da África Subsaariana os cristãos ex-muçulmanos não sejam perseguidos.

A Portas Abertas monitora países além dos que estão na Lista e há alguns classificados como países em observação quanto à perseguição. A maioria deles está na África Subsaariana. São eles: Djibuti, República Democrática do Congo, Camarões, Tanzânia, Níger, Chade, Burkina Faso, Uganda, Guiné, Sudão do Sul, Moçambique, Gâmbia, Costa do Marfim, Burundi, Angola, Togo e Ruanda. No DIP 2020 queremos impactar esses irmãos que, além de precisarem lidar diariamente com fome, miséria, morte e violência, também são perseguidos por amor a Cristo.

O cristianismo chegou à África Subsaariana muito antes do islamismo. Mas, no século 7, exércitos muçulmanos cruzaram o Mar Vermelho e tomaram o Cairo das tropas bizantinas. Daí se moveram para o Mediterrâneo e se espalharam pela África através do comércio e pregação. :: LEIA MAIS »

Sudão: cristãos ganham direito de ir à igreja aos domingos

Cristãos estão autorizados a cultuar aos domingos e celebrar dias especiais no Sudão

Cristãos estão autorizados a cultuar aos domingos e celebrar dias especiais no Sudão

Nos países islâmicos, as folgas semanais acontecem na sexta-feira e no sábado. No Sudão, por exemplo, os cristãos estavam se sentindo discriminados pela dificuldade de cultuar e celebrar as datas importantes do calendário religioso. Já os muçulmanos têm direito de parar o trabalho nos horários das orações e guardar os dias sagrados. Apenas os empregadores cristãos poderiam escolher se davam ou não a folga para os funcionários irem à igreja no domingo. Em 2016, uma lei proibiu que as escolas cristãs funcionassem aos sábados, então se os alunos e funcionários quisessem guardar o domingo, teriam que trabalhar apenas de segunda a quinta-feira.

No dia 11 de novembro, o escritório do novo primeiro-ministro instruiu diversas instituições públicas a organizarem as horas de trabalho dos não muçulmanos, para dar a eles o direito de realizarem ritos e cerimônias religiosas. Com a decisão, as instituições acadêmicas ficaram proibidas de organizarem exames em 25 de dezembro e 7 de janeiro (Natal copta). Agora os que não professam a fé islâmica podem deixar o trabalho às 10h da manhã aos domingos para irem à igreja. As mudanças aconteceram a pedido do ministro de Assuntos Religiosos. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia